O ano de 1998 na História do Palmeiras

Titulos
J
V
E
D
GP
GC
%
2
78
44
15
19
151
99
62.82

Arce, Paulo Nunes, Arilson e LauroO time de 1997, vice-campeão brasileiro, tinha adquirido corpo, mas ainda faltavam algumas peças, além de mais tempo de conjunto nas mãos de Felipão, para dar liga de vez. Chegaram do Grêmio Arce e Paulo Nunes, velhos conhecidos do treinador.

Do Inter, veio Arílson, que também tinha trabalhado com Felipão no Grêmio. E do Juventude, veio o destaque do time, o meio-campista Lauro. As rodadas iniciais da Copa do Brasil, contra CSA e Ceará, e a fase de grupos do Rio-SP foram vencidas sem maiores sobressaltos.

O Rio-SP chegou então às semifinais e o Palmeiras venceu o SPFC na ida, no Pacaembu, mas perdeu o jogo da volta, disputado no Brinco de Ouro, e acabou eliminado nos pênaltis. O resultado não abalou o time, que ia pegando cada vez mais conjunto enquanto jogava a fase de classificação do estadual. Após dez partidas, o Palmeiras fez o suficiente para se classificar às semifinais. Neste meio tempo, avançou às quartas-de-final da Copa do Brasil ao passar pelo Botafogo.

Em mais um confronto contra o SPFC, o Palmeiras foi novamente eliminado nas semifinais do estadual, bastante prejudicado pela expulsão de Arce no primeiro tempo da partida de ida. Os dois jogos foram disputados no estádio do adversário.

A eliminação no estadual ajudou o time a focar na Copa do Brasil e o mês de maio foi totalmente dedicado a esse torneio, que o Palmeiras jamais havia vencido. A diretoria detectou a necessidade de mais reforços e trouxe o meio-campista Darci, o meia Pedrinho e o atacante Almir, além de repatriar o atacante Magrão, cria de nossa base que andava pelo Japão.

DarciNas quartas, o Palmeiras passou pelo Sport com facilidade, depois de vencer no Recife por 2 a 0 e administrar a vantagem na partida de volta.

As semifinais contra o Santos foram muito disputadas. Na ida, no Palestra, empate por 1 a 1, com Cléber e Narciso expulsos – o Palmeiras foi buscar o empate no segundo tempo, com Oséas. No jogo da volta, Viola abriu o placar para o Santos, mas Oséas empatou e o primeiro tempo acabou empatado, o que levava a decisão para os penais. Num chute muito improvável, Darci colocou o Palmeiras na frente pela primeira vez no confronto, e a regra do gol qualificado obrigava o Santos a marcar dois gols. Argel empatou no final do jogo, mas foi insuficiente para tirar a vaga nas finais do Verdão.

As finais foram disputadas contra o Cruzeiro e o primeiro jogo foi no Mineirão, para mais de 60 mil pessoas. Fábio Júnior fez o gol solitário, ainda no primeiro tempo. A torcida do palmeiras começava a se acostumar com o “Scolarismo”, que envolvia, entre outras coisas, se satisfazer com derrotas magras nos jogos de ida com a certeza de que o resultado da volta seria suficiente. E quase sempre era.

Oséas 1998Paulo Nunes abriu o placar na finalíssima logo no começo do jogo, mas o Cruzeiro se segurava bem. A chuva dificultava o toque de bola e o Palmeiras, embora muito superior em campo, não conseguia chegar ao segundo gol e todos já se preparavam para os pênaltis.

Até que aos 44 do segundo tempo, Zinho cobrou uma falta; a bola deslizou na grama molhada e Paulo César bateu roupa – para o lado. Foi quando Oséas surgiu como um raio e, sem nenhum ângulo, enfiou uma bica na bola e ela passou pelo goleiro cruzeirense, entrando ninguém sabe bem por onde até hoje. O Palmeiras fez 2 a 0 e se sagrou, pela primeira vez, campeão da Copa do Brasil.

Campeão Copa do Brasil 1998Depois de conquistar o Torneio Maria Quitéria em junho, batendo o SCCP nos pênaltis na Fonte Nova, o Palmeiras se preparou para o segundo semestre, quando disputaria o Brasileiro e a Copa Mercosul. O elenco ganhou mais um grande reforço: o zagueiro Júnior Baiano, do Flamengo.

No Brasileirão, a fase classificatória previa 23 jogos, em turno único, classificando-se os oito primeiros para o mata-mata. O Palmeiras, muito consistente, fez uma boa campanha e chegou em segundo lugar enquanto disputava a fase de grupos da Mercosul, gabaritando com 18 pontos a chave B que ainda tinha Nacional-URU, Independiente-ARG e Universidad de Chile. O Palmeiras encantou a imprensa uruguaia aplicando um sonoro 5 a 0 em pleno estádio Centenário. Na sequência, o Verdão eliminou o Boca Juniors nas quartas e abriu 2 a 0 no Olimpia-PAR no jogo de ida das semis. Foi quando começou o mata-mata do Brasileirão, fazendo da reta final de 1998 um dos trechos mais intensos de nossa História.

O Palmeiras caiu na chave com o Cruzeiro e o regulamento previa a disputa de um terceiro jogo em caso dos times empatarem em pontos, desprezando o saldo de gols. No meio de novembro, no Mineirão, o Cruzeiro venceu por 2 a 1. O Palmeiras teve que ir ao Paraguai ratificar a passagem à final da Mercosul, e venceu de novo o Olimpia. Surpresa: o adversário seria, novamente, o Cruzeiro, mas só em dezembro.

Paulo NunesA missão ainda era o Brasileiro, e o Palmeiras venceu o jogo da volta por 2 a 1, forçando o terceiro jogo, quando, aí sim, jogaria pelo empate. E depois de tomar dois gols de Marcelo Ramos no primeiro tempo, o Palmeiras buscou o empate no segundo tempo, com gols de Almir e Paulo Nunes. A vaga parecia garantida, o jogo estava dominado, mas Fábio Júnior marcou um gol a dois minutos do final, aproveitando uma falha de nossa defesa, e eliminou o Palmeiras, dando uma espécie de troco da final da Copa do Brasil. Mas o Cruzeiro ficaria apenas com o vice-campeonato nacional. Isso porque as finais do Brasileiro foram disputadas em meio às finais da Mercosul.

O Verdão focou nessas finais enquanto o time mineiro se matava nas semis do Brasileiro, eliminando a Portuguesa. O primeiro jogo entre Palmeiras e Cruzeiro foi no dia 16 de dezembro e o time mineiro venceu por 2 a 1 no Mineirão, para então disputar as finais do Nacional nos dias 20 e 23 – perdeu para o SCCP de Luxemburgo. Voltou para a Mercosul e, no dia 26, perdeu por 3 a 1 para o Palmeiras: mais uma vez, os dois times decidiriam um confronto no terceiro jogo.

No dia 29 de dezembro, para quase 30 mil pessoas no velho Palestra, Arce fez o gol do título aos 17 minutos do segundo tempo, tirando qualquer teima sobre qual dos times era melhor. O Palmeiras terminou o ano com dois títulos sobre o Cruzeiro e classificado para a Libertadores de 1999. O time mineiro amargou três vice-campeonatos.

Campeão Mercosul 1998


Jogadores no ano de 1998


Jogos no ano de 1998