Este Palmeiras não tem queixo de vidro

Thiago Santos
César Greco / Ag.Palmeiras

A estreia na Libertadores, como não poderia deixar de ser, foi bastante nervosa e…

Peraí! Como assim “não poderia deixar de ser”? O jogo não se mostrou nervoso; quem estava nervoso, muito em razão da ansiedade, foi o Palmeiras. E essa ansiedade certamente é resultado da pressão colocada pela imprensa e de nossa própria torcida, diante dos investimentos e da expectativa. Mesmo um time experiente e “cascudo” como o nosso sente a estreia. Infelizmente, custou caro; Vitor Hugo teve uma pane mental, acabou expulso e prejudicou todo o plano de jogo.

Pior: o Palmeiras tomou um gol logo em seguida e um jogo que estava controlado quase se tornou um pesadelo. Nosso time viu-se como um boxeador encurralado no corner, tomando uma saraivada de golpes, tentando resistir até o gongo soar.

Pois o Palmeiras resistiu por uns bons cinco minutos. Os duros golpes foram assimilados e o time colocou a bola no chão. Mesmo diante de um estádio inflamado pela expulsão e pelo gol, o time teve personalidade para não sucumbir, se reorganizou e buscou o empate ainda no primeiro tempo. E ainda teve mais chances claras de marcar gols, todas com Borja, que mostrou que também é humano e erra.

Escolhas erradas e excesso de respeito

O Palmeiras esperava um Tucumán agressivo e se preparou para isso. Quando a bola rolou, encontrou um time extremamente respeitoso e demorou mais de 15 minutos para entender que deveria tomar a iniciativa do jogo. Na verdade, os dois times se respeitaram demais.

Eduardo fez a leitura errada de como iniciar a partida, mas convenhamos: a maioria absoluta de nós também imaginava que os argentinos viriam para o abafa. Enxergávamos o Tucumán como uma espécie de Paysandu, mas na verdade, era menor ainda; algo como um Comercial do Piauí, aquele que o Adriano Michael Jackson fez 4 gols no Pacaembu. Para eles, a glória não era ganhar o jogo: ela já havia sido alcançada só de entrar em campo para jogar contra el poderoso Palmeiras de Brasil.

A mexida

A substituição-chave é controversa. Eduardo poderia ter simplesmente recuado Thiago Santos para a zaga. Tanto poderia ter ganho, quanto exposto demais o time e perdido. Assim como uma bola marota poderia ter dado a vitória ao time da casa – por exemplo, a espanada de Antônio Carlos que foi a escanteio. Muitos “ses”, muitos detalhes definiram o resultado de ontem – e definiriam o placar também no caso da escolha ter sido outra. De forma alguma se pode enxovalhar o treinador pela decisão tomada, num espaço de tempo tão curto. Seria o caso, se o Palmeiras tivesse tomado um baile de bola. Definitivamente não foi o que aconteceu.

É bem mais saudável enxergar os pontos positivos. Já vimos o Palmeiras entrar em parafuso ao tomar um gol e sofrer goleadas dolorosas. Ontem a situação ficou propícia para mais um daqueles desastres, mas esse time mostrou que não tem queixo de vidro e não vai à lona logo no primeiro golpe. Isso deve ser muito valorizado. A ansiedade da estreia já passou e o time vai se encaixando – talvez mais lentamente do que gostaríamos, mas segue em evolução. A impressão segue positiva e, apesar de uma minoria barulhenta e corneteira, a maioria silenciosa segue confiante e apoiando. VAMOS PALMEIRAS!

  • Aproveitando a analogia do boxe, concordo, não tem queixo de vidro,…

    …só que (AINDA) também não está com as mão pesadas o suficientes!!

    Nossos ‘golpes’ esse ano, ainda estão muito fracos, e ao invés de partir pra tentar nocautear o adversário, estamos confiando demais na ‘contagem’ após o último round.

    Tá faltando ‘fome’ de levar o adversário a lona.

    Sobre o E.B.: Tem feito um trabalho ‘razoável’ até agora, longe de ser um ‘bom trabalho’ (AINDA) mas muito mais longe da mediocridade que alguns apregoam.

    Tá faltando criatividade e ousadia pra tentar surpreender o adversário, mas parte dessa falta de ousadia é CULPA da própria torcida que antes de deixar o cara trabalhar e evoluir o time naturalmente, já começou a pressiona-lo.
    Nesses casos, é normal a pessoa se retrair um pouco e optar mais pela cautela e pragmatismo do que ousar e arriscar.
    Mas também cabe a ELE superar esse ‘excesso’ de cuidado e ir com mais sede ao pote, ter mais ‘ambição’ de ganhar do que preocupação em não perder.

  • Conrado, na minha humilde porém livre opinião, este foi um dos melhores textos do blog. A analogia do boxeador foi correta, foi exatamente isto. Você usou uma expressão que eu concordei muito no pós-jogo: a alteração do E.B. foi muito mais inteligente do que covarde. Era estréia, fora de casa, com um a menos, num caldeirão, com árbitro caseiro… enfim. É uma pena o que estão fazendo com o E.B., fritando-o. Não dá pra entender essa impaciência da torcida, sinceramente… Claro que todos queremos ganhar sempre, mas ao mesmo tempo sabemos que isto é impossível. Prefiro que meu time jogue bem ao longo do tempo do que ficar triste ou feliz com em uma partida. Torço para este time “convencer” o resto da torcida o quanto antes. Infelizmente, acho que só acontecerá com a conquista de algum título, pois nem com uma sequência de bons (e difíceis jogos) conseguimos…

    • Não acho que seria só quando ganhasse um título, mas mostrar que tão assimilando o trabalho do treinador, brigando forte pra ser campeão de tudo o que disputar, e, a prazo imediato, jogar bem os próximos três jogos, vai dar uma confiança maior pro elenco e pra torcida.

      • O palmeiras goleou a ferroviária, o rb brasil e empatou bem contra o tucumán. Temos a melhor defesa do Paulista, somos líderes com folga do grupo, entre as 3 melhores campanhas até o momento da competição… tudo isso já era pra mostrar que “estão assimilando o trabalho do treinador” ou que “estão brigando forte para ser campeão de tudo o que disputar”. E isso é o histórico, nem precisa do “prazo imediato”. Cara, se o que fez até aqui não deu paciência pra ele, na minha opinião só com título.

  • Não acredito que vamos ter a mesma dificuldade do ano passado, pois o time do Palmeiras está mais preparado, cascudo como dizem, e o grupo é ligeiramente mais fraco. Mas esse empate contra o pior do grupo, mesmo jogando fora e com um a menos, me deixou com sensação igualmente ruim após o empate contra o River-URU, na primeira rodada da Libertadores passada. Vamos Palmeiras!

  • Vamos apoiar com certeza , mas tem uma coisa : o time precisa responder a certas situações de modo mais consciente e focado , sabendo mais como agir para vencer. Na derrota para os fedidos faltou postura e vontade , e na argentina foram pilhados demais , a superioridade técnica é tão grande , bastava equilíbrio para ter ganho. Se o resultado foi bom ou não depende do que os demais fizerem lá contra esse mesmo time fraco. O preparo mental está mal feito.

  • A continuidade natural – e desejada – seria com o Cuca, que não aceitou. Agora, é EB pelos próximos anos (se continuar mostrando evolução e trabalho, óbvio). Trabalhador honesto tem meu respeito! Se tivesse fazendo asneiras, concordaria com as críticas, mas segue coerente e sensato nas decisões.
    “A maioria silenciosa segue confiante e apoiando. VAMOS PALMEIRAS!”

  • Eu queria a vitória nesse jogo, claro que queria!!! Mas não pelo jogo em si, pq até acho que um empate naquelas circunstâncias não foi tão ruim. Queria mesmo que ganhássemos pois vesti minhas duas irmãs gringas ( elas têm 10 e 11,nasceram e foram criadas fora do Brasil) com a Nossa camisa e falei to tamanho do nosso time- a mais velha até falou que vai torcer pro Verdão agora. Sabe aquele orgulho de ver alguém que amamos com a camisa verde e branca? Então!!! Queria ver goleada, dancinha e tudo mais masss, futebol é foda!!! Lembro o primeiro dia que vesti o manto, lembro do meu pai colocando a camisa em mim e me levando pro estádio pra ver o verdão ganhar dos Bambis por 2 x 1 . Eu tinha 8 anos… Não lembro nem o q comi ontem e lembro disso!! Hahaha Que venha o próximo jogo e que ontem, mesmo com o empate, vesti-las com o manto tenha tido o mesmo impacto.

  • foi um jogo nervoso e o palestra se saiu bem , não se acovardamos em nenhum momento e tentamos a vitória. Como disse o Felipe melo : Na força ninguém vai ganhar do palmeiras..O jogo contra o Atlético Tucuman é pagina virada , agora é o são Paulo . uma grande vitória é esperada . abraços a todos do verdazzo

  • infelizmente a vitória não veio mas ainda temos cinco partidas sendo três em casa, para conseguirmos a classificação só precisamos vencer em casa… então e ter tranquilidade e que a torcida seja um ponto positivo na busca or essas vitórias e não mais um a jogar contra…
    Palmeiras contra tudo e contra todos bicampeão da libertadores!

  • Na minha cabeça também passou um filme de terror com a sequência da expulsão e do gol do Tucumán. Mas o time se portou muito bem. E não venceu por detalhes, mesmo com 1 a menos.

    Eu também acho EB muito conservador, mais ainda depois das maluquices do Cuca, mas é o que tem e não adianta ficar cornetando.

  • Vida de técnico não é fácil O cara monta um time para anular as possibilidade do time da casa. O time da casa não consegue fazer nada de útil (além de achar um gol bizarro). Aí o cara é criticado por ter montado um time para anular o time da casa.
    Tudo engenheiro de obra pronta.
    Se a primeira bola do Borja tivesse entrado, antes da expulsão do VH, ele não seria expulso e teríamos vencido por uns três a zero, sem correr qualquer risco, com 60% da posse de bola. Eu garanto isso. Sei que são muitos “ses”, mas eu garanto esse. E ia ta todo mundo falando o quanto o Palmeiras foi bem e tal.

    • Outra coisa, esquece esse negócio de volante. O TcheTche é volante? E o Moisés? Não é que “o time estava sem meio de campo”. No meio de campo estavam FM, TS, Dudu e Keno (os dois ultimos abertos). O problema é que o adversário estava sempre com um ou dois jogadores a mais. Vejam que nas duas faltas do VH, ele estava defendendo na linha do meio de campo. Isso é time defensivo???

    • Tem sentido o que você está falando. Lembro ainda que o gol dos caras foi bizarro. Olha acho que o cara sem marcação e sem goleiro se repetisse a jogada, não acertaria daquele jeito.

  • Estão até comparando o empate de ontem com o do ano passado contra o River Plate-URU. Cazzo, jogamos 2/3 do jogo com 1 jogador a menos!!!! Ano passado não deixamos a classificação naquele empate. Deixamos a classificação perdendo de 2×1 para o fraco Nacional-URU (Victorino, Eguren, etc) num Allianz Parque lotado e eles com um jogador expulso desde o 1º tempo.

    Em 2012 quando conquistaram a Libertadores, os fedidos estrearam levando um banho de bola na Venezuela e empataram aos 48 min. do 2º tempo 1×1. Na ocasião, a mídia colocou como “EMPATE HERÓICO NOS ACRÉSCIMOS”.
    O Palmeiras joga num pasto, 2/3 do jogo com 1 jogador a menos e a torcida fica ajudando a criar crise por um empate em que podíamos ter ganho se o Borja estivesse numa noite mais feliz.

    Ganhamos a Copa do Brasil em 2015.
    Ganhamos o Campeonato Brasileiro em 2016.
    Somos líder folgado na chave do Paulista com 5 vitórias em 7 jogos.
    Tivemos a infelicidade de perder Mina, Moisés e Tchê-Tchê que fazem parte da nossa espinha dorsal.
    Vamos ter um pouco de bom senso e esperar o andamento do trabalho. A Libertadores acaba em novembro este ano. Há tempo para avaliar o trabalho do técnico e se for o caso trocar nas oitavas-de-final, pois vamos nos classificar com os pés nas costas nesta chave.
    VAMOS APOIAR!

    • Perdemos esses 3 e o Gabriel Jesus… Se os caras querem comparar com o Cuca, que comparem as estatísticas dele sem esses jogadores… Eu estava mais preocupado até ler um leitor daqui falando isso, desde então me calei e espero que as coisas continuem caminhando pra frente.

  • Tiago santos de zagueiro foi testado ano passado e foi péssimo, eu não queria que recuasse ele, mas o EB poderia tirá-lo pra colocar o Antonio Carlos e não o Michel Bastos que era o meia de ligação com o ataque. AÍ que o EB foi covarde, na minha opinião. Pra mim é um técnico nível Marcelo Oliveira, Osvaldo de Oliveira, nada mais que isso.

    • Se Eduardo Batista fizesse isso, ficaríamos sem poder de marcação e a pressão do adversário seria muito maior. Michel Bastos não tem força para fazer este papel de marcação que era fundamental nesse jogo.

  • Alguns torcedores e articulistas (como o autor do texto acima) escrevem como se Palmeiras X Tucuman fosse do nível Barcelona X PSG. O PSG entrou na segunda metade do confronto ganhando de 4 x 0 e se acovardou, tremeu de medo do Barcelona. Porque fiz essa comparação esdrúxula? Ontem parecia que o Palmeiras ia enfrentar o Boca Juniors dos velhos tempos na Bombonera lotada, tamanho o excesso de cautela que entrou no jogo, com tantos volantes, além de tirar um jogador de criação (Michel Bastos) sendo que poderia recuar Tiago Santos. Já havia errado contra o time de itaquera, errou ontem de novo. Até quando o Palmeiras continuará sendo laboratório para aprendiz de treinador?

    • Concordo, técnico fraco e não vejo evolução alguma em seu trabalho, só não concordo em recuar tiago santos que jogou de zagueiro e foi péssimo, mas poderia tirar um dos burucutus que ele colocou de volante ao invés do Bastos..

    • O time tem vários jogadores recém chegados e é preciso testa-los de todas as formas para se conseguir um time campeão no final do processo ,o time está em evolução constante agora a pressão dos ants e imprensa eu entendo mas fogo amigo é sacanagem

    • dois volantes era o que o Cuca usava e não era considerado retranqueiro. Eu particularmente prefiro o 4-2-3-1 do que o 4-1-4-1 tentado pelo EB

      • Teve vários jogos que o Cuca entrou com Moises e Tche² de volantes, algum deles é volante de contenção? Agora, Felipe Melo e Thiagos Santos ambos são de contenção!!!

        • e também são os dois únicos aptos no momento. Arouca e Tchê Tchê retornando de contusão e Moisés fora. Que outra opção de volante teria?

    • O mais triste foi constatar que o melhor jogador deles tem um nível no máximo mediano. Não vi nenhum jogador com uma qualidade que se sobressaísse dos demais do time. Foi um time que demonstrou uma certa compactação na marcação e um certo volume de jogo mas, muito mais pelas circunstâncias (estréia na Libertadores, diante da torcida entusiasmada, estádio lotado, novidade pra cidade e tals), do que propriamente pela qualidade do time. Era praticamente obrigação do Palmeiras vencer esse jogo, pela simples superioridade técnica individual e coletiva de nossa equipe. Não vou negar que achei o resultado decepcionante, esperava mais, bem mais.

  • Realmente a galera ta pegando pesado demais com o EB. É fato que o Palmeiras respeitou o adversário, contudo foi uma atitude natural, já que, estávamos na casa do time argentino. Se o EB fizesse o que o pessoal sugeriu de recuar o Thiago Santos, é fato que estariam chamando o técnico palmeirense de professor pardal entre outros sinônimos não tão simpáticos como esse. É visível uma evolução no time, a cada jogo estão mais confiantes,e o próximo jogo no Allianz confio numa vitória nossa.Já sobre o jogo de sábado contra os nossos fregueses,não se deve levar a sério, mesmo sendo um clássico, já que nosso foco é a Liberta.
    Avanti amici verdi !!!!

  • Como esse Borja é bão!

    Tudo bem, os chutes de ontem não entraram. Mas, a desenvoltura dele pra se desmarcar, o jeito de posicionar o corpo pra bater e a batida em si são todos de FERÍSSIMA.

    Aquela terceira bola que ele tirou do goleiro e passou triscando foi sensacional.

    Claro: tudo só vai valer se houver um número substancial de chutes que entrem, mas os sinais são bem promissores.

    #ForzaBorja

    #AvantiPalmeiras

  • “Mas eu gostei do espírito e da competitividade do nosso time, é isso que precisaremos nesta Libertadores. Era um jogo que poderíamos ganhar, mas na partida de volta temos de fazer um resultado melhor.”

  • A pior parte é torcedor ficar pedindo o Cuca. Nao foi o Palmeiras que mandou o Cuca embora….foi o contrario!!! Mas que coisa chata essa viu?!? Deixa o treinador trabalhar. O time evolui a olhos vistos e depois do resultado vem gente falando…devia ter feito isso…devia ter feito aquilo. Creio que já se esqueceram do post do proprio Verdazzo recomendando abrandar até o final do jogo contra o Santos. Mudando de assunto acho a postura do time ficar dando bordoada pra ser respeitado totalmente equivocada. Alguem já viu times infantis e juvenis argentinos e uruguaios? É confusao e catimba desde criancinhas. Devemos é tomar a botinada e levantar e jogar. Cair na deles é igualar o jogo. Felipe Mello, Victor Hugo e até Borja exageraram ontem. Respeito nao tem nada a ver com pancadaria. Põe na roda…que te rsspeitam…

  • Na hora não gostei da substituição, mas ele fez a leitura correta. Diante de um time com dois centra-avantes que só sabe fazer chuveirinho na área, precisava de um zagueiro alto. Michel Bastos de volante??? Para né. Deveria entrar com Zé volante e Egídio lateral. Será que seria melhor? O que concordo com as opiniões é que ele deveria ter treinado essa formação de dois volantes contra o Red Bull. No mais temos um time que vai se conhecendo melhor a cada jogo e a tendência é melhorar. Os torcedores precisam ver que conforme o Conrado falou, essa pressão só prejudica o time. Até o Sormani. O Sormani disse que está correto o trabalho e EB fez as escolhas corretas

  • Tem muito corneta, deixa o cara trabalhar, na minha opinião ele fez o certo, o lance do gol foi uma baita infelicidade.

  • sinceramente que queria que recuasse o thiago santos pra zaga e o michel bastos de volante não tem a menor noção de futebol…

    • verdade, Michel Bastos se queimou no SP em alguns jogos porque não ajudava na marcação, de acordo com a torcida bambi faltava raça!

  • Alguém me diga eu estou errado, ou no ano passado, com o Cuca, invariavelmente o Palmeiras jogava com dois volantes?

    • Jogava, mas tem uma grande diferença entre volante de contenção (Gabriel, Thiago Santos, Arouca, Matheus Sales) para 2º volante (Moisés, Tchê Tchê, Zé Roberto, Jean)
      O cuca jogava sempre com 1 de contenção e 1 de 2º, as vezes jogava com 2 segundos. Mas falar que Moisés e Tchê Tchê de volante é retranca é no mínimo um absurdo.

      • O Cuca e o Cuquinha, inúmeras vezes, falaram que o Thiago Santos estava pedindo passagem. Essa expressão é deles. E várias, mais de 15, ele jogou. O Cuca dizia que ele era forte na marcação, mas também sabia jogar. Aí eu pergunto o que mudou em relação ao Thiago Santos agora? Se o Felipe Mello é um volante que sai jogando, é um absurdo escalar o Thiago Santos (que o Cuca dizia que também é um voltante que sabe jogar) ? Lembrando que nós não temos agora o Tche Tche e o Moisés. Lembrando também que já houve formação de Tche Tche, Moises e Thiago Santos. Posso estar enganado, mas eu penso que sempre há dois pesos e duas medidas em relação a Eduardo Batista e Cuca. O Cuca como venceu tudo pode. Mas só lembrando: o Cuca demorou mais de dez anos para ganhar um título importante.

  • Queria saber dos corneteiros, quem seria o nome pra assumir o lugar do EB. Falam que ele é retranqueiro e pedem o Abelão!!! Meu Deus!!
    O time está totalmente modificado. No meio-campo e ataque só sobrou o Dudu do ano passado. É reconstrução sim e acho realmente que o EB ta começando a acertar a mão. Ontem vi boas jogadas pela esquerda. O time tem jogado pela direita também, muito mais que no ano passado. Mas os jogadores ainda estão se conhecendo e o próprio EB estão conhecendo os jogadores.
    Ontem foi estréia, toda uma atmosfera criada. Pressão no estádio (o Tucuman vinha de bons jogos na pré-Libretadores, apesar de ser fraquissimo), pressão por todo investimento feito.
    Concordo plenamente com o post Conrado. Tanto o time quanto o técnico foram bem ontem. Podia ter ganhado, claro, mas no final faltou perna. Acho que o William podia ter entrado antes, essa é minha única corneta.
    Quarta o time já estará bem mais solto e aposto numa goleada

    • O EB pode até cair. Pode acontecer de não obter resultados esperados e isto faz parte do risco da atividade. Será que o Tite seria tudo isso se não fosse o gol perdido perdido pelo Diego Souza quando jogava pelo Vasco? Resultado positivo depende de vários fatores, inclusive sorte. Eu concordo com a sua opinião e destaco o seguinte, quais os motivos do EB ser escolhido:
      a) conceito de futebol que o Palmeiras acredita;
      b) Estudioso e Trabalhador;
      c) Técnico Moderno;
      d) Utiliza na plenitude os recursos tecnológicos e à disposição;
      e) Realiza treinos com intensidade e tecnicamente relacionados com o jogo;
      O que eu digo é que foi uma escolha com critério, dentro daquilo que o Palmeiras queria. Não quer dizer que vai dar certo ou não. Veja que os próprios jogadores não reclamam dos treinamentos e enfatizam a qualidade do treinador, também sua honestidade e trabalho. Tem que ter tempo para avaliar. Depois também concordo com você, quem vai entrar no lugar? Luxemburgo, que há mais de uma década não faz um bom trabalho e é elogiado como o melhor técnico por “es jogadores”? Dorival Júnior, que é bom técnico, mas só teve resultados expressivos no Santos? Levir Culpe que se afundou junto com o Fluminense? Quem é o cara assim para o Palmeiras? Eu não enxergo esse cara no mercado.

      • É cara. O torcedor precisa se esforçar e pensar um pouco. Se não golear mando o técnico embora. Coisa chata. Não param pra avaliar a reconstrução do elenco, os desfalques, a nova proposta de jogo, o gol que levamos ontem, as chances que tivemos. Você disse tudo, não foi nenhum mané que escolheu o EB. Foi escolhido com critério. E o trabalho pode demorar um pouco pra aparecer. A torcida ficou muito empolgada com o titulo brasileiro mas tem que ter os pés no chão e analisar todas as variáveis pra apoiar ou criticar. Mas parece que têm o prazer em jogar contra.

  • Eu penso que contratar o Guerra e deixar no banco para jogar com 500 volantes como a Ponte preta é coisa de técnico despreparado. Estes pontos poderão fazer falta lá na frente. Esse técnico não tem experiência e nem títulos para dirigir uma potência como o Palmeiras. Não ver isso é tapar o sol com peneira! O time não mostra evolução, pelo contrário! regrediu do futebol apresentado nas mãos do Cuca.

    • É claro que regrediu. Está sem 4 dos melhores jogadores daquele time (Mina, Moisés, Tchê Tchê e Gabriel Jesus, só isso) e está em outro estágio físico, além de ter jogado com dez.

      E o Guerra não tem nada no contrato que o obrigue a ser titular. O Palmeiras não tem um time titular, tem um elenco. Será possível que 2016 não serviu para a torcida absorver esse conceito?

      • O problema não é só o Guerra ser titular ou não. O problema era o senhor Baptista enxergar que não dá para abrir mão de Michel bastos e Guerra e ficar dando chutões do Prass! Ele não conseguiu ver que o palmeiras estava sem meio-campo ontem?

    • Que títulos e experiência anteriores Pepe Guardiola, Tito Vilanova e atualmente o Luiis Henrique possuiam para serem técnicos do poderoso Barcelona?

        • O que eu penso é que times rotulados como melhores do mundo, como Barcelona e Real Madri, contrataram técnicos inexperientes e sem títulos e mesmo assim foram vencedores e que essa alegação de que o Palmeiras é grande demais para o EB não é uma verdade absoluta. Aliás, ao se regredir um pouco no tempo, Vanderlei Luxemburgo, quando assumiu o Palmeiras, não era um técnico mais venceder e renomado que o Eduardo Batista. Quanto ao Ceni, não tenho bola de cristal e não sei o que vai dar, mas deve-se lembrar que ele não tem não mão, estrutura, dinheiro e elencos como Palmeiras e Flamengo.

    • E quem seria o técnico pra substituí-lo? Luxa, Abel, Marcelo Oliveira? Não dá né cara. Vamos ter calma, o time tá com o meio-campo e ataque totalmente novos (só sobrou o Dudu).

      • Seria o senhor Cuca, oferecendo um contrato sem precedentes de 3 a 4 anos a ele. Colocava o cuquinha ou mesmo o Alberto valentim com supervisão do Cuca e em Junho após resolver seus problemas familiares, o Cuca assumia.

      • Já que não tem ninguém para substitui-lo, que tal ele deixar de ser tão retranqueiro? Tem um ótimo elenco nas mãos, que aprenda a utilizar as peças corretas. Tucuman não é nenhum Real Madrid.

  • Menos corneta, torcida. O técnico e o time foram bem ontem. Não dá pra ganhar todas. Podia ter desesperado e manteve a calma. Chega de reclamar e vamos apoiar um pouco!

    • Concordo contigo, o Técnico e o time foi bem, poderíamos muito bem ter ganhado o jogo, se isso acontecesse com certeza os corneteiros de plantão do Eduardo não estaria cornetando hoje.

  • Grupo de Whats de palmeirense tá um inferno hoje..

    5 a 0 é obrigação nesse timinho / se joga assim contra um time grande toma 8 / técnico da ponte preta / imagina no mata mata..

    E eu achava a mídia chata.. hahah

  • Esse jogoestava desenhado para o Palmeiras ganhar, o problema foi que VH mais uma vez sentiu a pressão e espanou. Só acho complicado porque esse tucuman é muito fraco e acho que vai perder quase todos os jogos em casa. E o Palmeiras só empatou.

  • Eu nao sei aonde esta essa evoluçao…eu vejo um time muito mal organizado que comemora empata com um time argentino que jogou 3 vezes a série A Argentina…um técnico com os braços cruzados na beira do campo…quando ele chegou se falava em marcaçao a pressao e posse de bola, eu até agora sò vi chutao!!!Espero estar errado!

  • Contra o Red Bull jogamos apenas com um volante e tomamos sufoco. Os jogos que o Tucuman fez na pré-libertadores indicavam que precisaríamos ter uma marcação melhor para impedir a pressão. Foi feito isto ontem e deu certo. Se não tomamos pressão foi pelo bom plano tático colocado em campo.

  • Concordo com a opinião do Conrado. Acho que o time se comportou bem, dada as circunstâncias. O Palmeiras, jogando na casa do adversário, com mais de 30 mil torcedores contra, no caldeirão, foi buscar o empate com dez jogadores e só não ganhou pelo detalhe.

  • Apenas acho que o Guerra deve ser aproveitado pelo entrosamento com Borja e por ser o armador que essa equipe não tem. O time deve ser no momento Prass , Jean , Mina , Dracena, Zé .Felipe Melo, Guerra , Michel Bastos , Dudu , Keno e Borja.

    • Prezado colega é difícil! Sua escalação é boa. Mas daí alguém pergunta e o Tche Tche? Tem gente que aposta no Rafael Veiga, ou a mobilidade do Willian. No Paulista, o Roger Guedes estava entrando muito bem. Eu também, como você, gostaria de ver o Guerra jogando e com o Borja, mas admito que escalar o Palmeiras é bem difícil. Outro problema eu acho que é conciliar Dudu e Guerra, quando ambos estão fazendo armação pelo meio.

  • Critiquei o batista ao não colocar o Thiago santos, mas logo depois vi alguns tweets falando que ele não está treinado para jogar em linha como a zaga do palmeiras anda jogando e poderia botar tudo a perder. Pra mim o saldo do E.B foi positivo.

  • Que torcida corneta!!!!!!! Chega a ser insuportável ler alguns comentários. O time foi bem, controlou o resultado com um a menos e venceria se não fosse o dia de Barrios do Borja. Pra que colocar o Guerra no lugar dos volantes? Pra abrir o time?! Que time NO MUNDO, empatando fora de casa, vai pra cima do adversário como maluco? Parem com essa cornetagem sem noção contra o EB, deixa o cara trabalhar. Não é o melhor, mas não é o pior, o time está bem…

  • Tá pra nascer torcida mais chata que a nossa, viu. Ontem eu achei que foi o jogo em que o Eduardo mais contribui positivamente ao time. Não concordei com a escalação do T. Santos, mas compreendi. E ela se fez ainda mais necessária dp da expulsão. A entrada do A. Carlos se deu para manter a altura da zaga, imagina o T. Santos disputando 30 jogos aéreos, ia ser complicado. A torcida precisa deixar o cara trabalhar, essa perseguição só atrapalha. Lógico que poderíamos ter saído com a vitória, mas essa necessidade mórbida de sempre querer encontrar um culpado pra resultados ”adversos” é prejudicial demais. Ontem não ganhamos por detalhe, não é culpa do Eduardo se a bola do Borja saiu meio centímetro pra fora (e nem culpa do Borja, isso é futebol). A ideia dele deu certo, mas na prática pecamos um pouco na finalização. Bola pra frente e vida que segue porque iremos longe nessa Liberta. E com o Eduardo.

  • Mattos deveria estar bem bravo com Eduardo Baptista… Nossas únicas perdas em relação ao time do ano passado foram Cleiton Xavier que foi substituído pelo Guerra, melhor jogador da Libertadores do ano passado, e Jesus, que foi substituído pelo Borja (que é tão bom quanto, se não for melhor). Perdemos nossa poderosa bola aérea (os gols de cabeça sumiram), a agressividade, eficiência e jogo coletivo simplesmente não existem mais. Ontem o time tinha que ter sido Prass, Jean, Dracena, Vitor Hugo e Zé. Felipe Melo (fazendo a do Tche Tche) Guerra (fazendo a do Cx10) e Michel Bastos (fazendo a do Moises), Dudu, Keno e Borja. Detesto treinador retranqueiro.

    • Discordo…quando o PALMEIRAS jogava sem o Moisés já caia muito de produção, imagina sem o Moisés e o Tchê2 ( o Felipe não consegue fazer a do Tchê2, ele tem características únicas no elenco). E o gol ontem não foi de cabeça, mas foi bola aérea, além da cabeçada do Thiago Santos que podia ter entrado se fosse mais forte. Já teve até gol de jogada ensaiada em falta esse ano, com o MB. Na minha opinião as críticas ao EB estão muito exageradas. E eu detesto mesmo é técnico que acha que ta jogando MASTER LEAGUE e não sabe que um bom time começa por uma defesa QUE NINGUÉM PASSA.

      • Respeito sua opinião, mas esse elenco foi construído para não sermos reféns de nenhum jogador. Só porque estamos sem Moises e Tche Tche, o ideal é jogar tudo que foi feito no ano passado fora e começar do zero? Na prática, minha interpretação é de que EB está jogando fora o entrosamento de uma equipe vencedora. Não sei o que é master league, mas pra mim bom time é o que vence os jogos…

    • Desculpa cara, mas a única que sobrou do ano passado foi a defesa e o Dudu. Todo o meio-campo e ataque é novo. Além do sistema de jogo. É um time totalmente modificado.
      Felipe Melo não faz e nunca fará a do Tche Tche, jogadores completamente diferentes. Assim como Michel Bastos tem características totalmente diferentes do Moisés. Moisés joga mais centralizado e recuado, organizando o jogo e com qualidade de passe longo. MB é mais agudo, cai mais pelas pontas e chuta bem, mas não tem o passe longo e nem a consciencia tática do Moisés. Não dá pra comparar.

      • Respeito mas discordo. O ano passado inteiro continua lá. O que mudou, melhorou (menos o EB).
        Felipe Melo tem boa dinâmica, capacidade de preencher espaços, fazer cobertura e desarmar, tem bom passe e é mais experiente e líder do que Tche Tche. São 2 craques diferentes, mas completamente capazes de jogar naquele lugar do campo.
        Ano passado Moises e CX10 variavam de posição entre centro e direita durante os jogos. Michel Bastos e Guerra podem atuar da mesma maneira. Na troca, perdemos o cucabol mas com Michel Bastos agora temos chute de fora da área.
        Keno é melhor do que Roger Guedes (que já era muito bom) e Borja e Gabriel estão no mesmo nível.
        O movimento mais defensivo que Cuca fazia – em apenas alguns jogos, com adversários mais complicados e somente fora de casa – era trocar CX10 pelo Thiago e o colocar na frente da zaga. Isso era bem legal, pois dava segurança ao time. EB já começa os jogos mais defensivo do que isso!
        Pra mim, a escalação de ontem foi inadmissível e erradíssima. Vitor Hugo conseguiu ser expulso porque matou duas vezes a jogada no meio de campo. Que time com 2 volantes de contensão precisa que um zagueiro faça o que ele fez? E 2x?
        Aí pra completar, ao invés de recuar o Thiago e pedir pro Michel fechar um pouco mais, ele tira o Michel e repõe o zagueiro! Michel chegou no vestiário antes do Vitor Hugo!!!
        Desculpa, mas ele é treinador do Palmeiras e estava jogando contra o Tucuman.
        Mas, pelo menos o Antonio Carlos entrou bem…

        • Cara, pense se ele improvisa o Thiago Santos e o time perde o jogo? Ja teriam pixado a casa dele hoje e ele estaria por um fio. É um técnico que não tem costa quente e tá querendo se agarrar ao cargo. Diante disso, ele foi prudente e fez o feijão com arroz, numa estréia fora de casa.
          O time jogou de forma inteligente e poderia ter ganhado o jogo mesmo com um a menos não fosse uma noite infeliz do Borja.
          Quanto ao Felipe Melo, discordo. Pode ser esse jogador que você citou mas não mostrou até agora. Aliás, o Thiago Santos vem jogando mais que ele.
          Michel Bastos e Guerra jogaram 4, 5 jogos juntos? Como cobrar entrosamento comparando com uma dupla que jogou o ano todo junto? É complicado. Acho que o EB tá começando a entender o elenco. O Keno por exemplo vem em ótima fase, além do Michel. A principio, jogadores que vieram pra compor elenco e estão se tornando titulares. O técnico tem bancado acertadamente.
          Em relação ao VH concordo em relação ao posicionamento defensivo do time, mas ele não precisava ser tão estabanado. Culpa 100% dele.

          • Não gosto muito de “já pensou se”… Se ele está pensando desse jeito, sou da opinião de que não é tecnico pro Palmeiras, que tem que se preocupar em ganhar a Libertadores e não ficar dando apoio psicologico pra tecnico contestado.
            O time se virou bem ontem porque os caras são bons e não por mérito do EB.
            Felipe Melo pra mim é fera, igual ao Tche Tche, Thiago, Vitor Hugo e todos os demais jogadores do elenco. Não tem um que eu tenha restrições (o que é raro).
            Concordo que VH não precisava ser estabanado, mas concorda que em nenhuma das ocasiões ele deveria estar ali? Aí a culpa ao meu ver, é do técnico. 70% culpa do Eduardo e 30% do Vitor Hugo (Pareto).

          • Ontem foi só a estréia. Tinha vários fatores pressionando o tecnico e o time. Pra que improvisar já de cara? Sendo que o time argentino tinha vindo de bons jogos e jogado duas fases da Libertadores. Vamos com calma. Também acho o elenco muito bom, mas os jogadores têm características diferentes, e pra dar a liga que o time tinha no final do ano passado leva tempo. Digo isso em relação a Moisés e Tche Tche que ja estavam entrosados e são a base do time. Perdeu os dois, perdeu toda a dinamica do meio-campo de um time campeão brasileiro. E não é em 5 ou 6 jogos que os caras que chegaram, embora sejam bons jogadores, vão conseguir o mesmo rendimento. Sou contra dar de professor pardal numa partida como a de ontem e opio a decisão dele.

          • Os jogadores são os mesmos, complementados por outros jogadores ainda melhores que os do ano passado. Não vai dar a mesma liga porque o técnico que está sendo Pardal e mudando tudo.
            Não me convence dizer que só porque Tche Tche e Moises estão machucados perdemos toda a dinâmica do meio campo. E os outros 9 jogadores?
            O que me frustra é interpretar esse time como sendo uma nova equipe. Observe os problemas que estamos tendo… São de um time que foi campeão brasileiro ano passado e a maioria já joga junto desde 2015? Quem tem esse tipo de problema é time desentrosado, que não se conhece, que está implantando esquema novo…
            Porque o esquema mudou? Do que ele tem medo?
            Vou continuar torcendo para que – se ele ficar – que queime minha língua ou abra mão das convicções dele e aceite as características do elenco que tem, mas é um saco falar desse tipo de problema a essa altura do campeonato… Isso era assunto pra 2014, 2015…

          • Bom cara, cada um tem uma opinião. Eu discordo de você, mas respeito. Acho que o meio-campo é o setor que conduz o time e perder o Tche Tche e o Moisés, que foram os jogadores mais importantes do ano passado, não é pouco. Mas vamos torcer pra dar certo, pois trocar o treinador agora, pra trazer um “medalhão”ultrapassado, não me parece ser a melhor idéia. O Cuca é um puta treinador, não pensaria duas vezes em renovar com ele, mas ele não quis o Palmeiras, não vamos nos esquecer disso. O EB assumiu e ta segurando o rojão. Vamos dar crédito e tempo pra ele mostrar seu trabalho. Grande abraço

        • E não é só a escalação que o torna mais defensivo, principalmente o posicionamento em campo, muito recuado, perde a bola e demora pra retomar…perdemos muita coisa do ano passado…e olha que nem foi em tanto tempo assim.

      • Tem muita opção, né? Pode entrar com Egídio e colocar o Zé no meio, ou Hyoran direto no lugar do Michel Bastos, ou recuar o Dudu, inverter o lado do Keno e entrar de novo com o Roger Guedes (com essa terceira opção o time seria rápido demais)…
        Mas vamos ter paciêêência e ficar assistindo nosso time querido entrar com Thiago Santos e Felipe Melo, hehehe

  • Pela falta de opções no mercado o EB deve ser mantido, mas, exceto se ele tiver um arroubo de confiança e ambição, tá na cara que o time comandado por ele não vai a lugar algum.
    O empate (como a vitória que poderia ter vindo nos pés do Borja) veio no talento individual dos jogadores.
    O EB escalou mal, e mexeu pior ainda, o abatimento tá na cara dele.
    Nesse momento o Palmeiras é muito para o EB.
    O VH foi infantilmente expulso e a culpa é do jogador, mas vale a reflexão, quantos jogadores o Palmeiras teve expulso nas 38 rodadas do Brasileiro? 0
    As opções de técnico disponíveis são péssimas porque o Palmeiras esperou demais pelo Cuca, o Abel Braga teria sido uma escolha mais consistente para o momento.

    • Tá muito estranha esta contratação do EB, ainda não entendi pq trouxeram um cara que não tem experiencia nenhuma em Libertadores, montaram um plantel de Libertadores, mais um técnico de campeonato paulista! Pq fizeram isso???

  • Já disse isso em outro comentário e repito aqui: o EB, pelo menos até o momento, tem demonstrado um perfil de nerd do futebol (tá prontinho pra ser comentarista da ESPN), aquele q faz sempre as escolhas de manual, o q me preocupa. Mas como sou otimista, vislumbro duas possibilidades: q ele se solte com o passar do tempo e passe a ter uma postura mais segura, ou q os jogadores cascudos assumam o time, como já aconteceu em várias equipes, a q me vem à cabeça agora é o flamenguinho do Andrade em 2009.

  • Ok; mas achei que o time podia pelo menos ter percebido a fragilidade do adversário de ter colocado mais pressão em cima deles. Nossa, o jogo parecia que estava em câmera lenta!!!

    • Posso estar sendo pessimista… mas analiso a circunstância no geral. Time respeitou demais, estádio não fez pressão, time não tinha qualidade técnica, quase sem catimba, juiz foi padrão libertadores…. mesmo com 10 era obrigação ganhar…. Imagine um time argentino ou uruguaio, estádio lotado e com verdadeira pressão, time catimbando, juiz padrão libertadores, gramado ruim…. aí sim, o time com 10 o empate seria bom resultado….
      Ontem percebi pelas atitudes do Prass dando chutão e amarrando o jogo, que o Palmeiras estava satisfeito com o empate…. lamentável…

      • Ué o time não era argentino? e o estádio me pareceu lotado ,é o juiz realmente era padrão Libertadores! … Desculpe mas lamento o seu comentário

  • Muitos torcedores tem comparado o empate de ontem com o empate com o River-URU. Comparação irreal, ao meu ver, visto que as circunstancias são completamente diferentes. Tá certo, o time poderia ter ganho a partida, mas é importante ressaltar q, com 1 a menos, o trabalho sempre fica mais difícil.Além disso, é importante ressaltar: na Libertadores o importante é pontuar, ao menos o empate fora de casa e sempre a vitória no Allianz Parque. Não foi o que aconteceu ano passado, mas para esse ano é isso que se desenha. Temos condições plenas de conseguir duas vitórias e consolidar o time e o caminho para a classificação.

    • A comparação é válida a meu ver:

      – Ambos times os mais fracos do grupo;
      – Independentemente da estreia ter sido fora de casa, pela fraqueza dos times, era preciso ter ganho nos dois casos;
      – Ano passado esses dois pontos perdidos nos eliminaram, espero que neste ano não seja assim;
      – Em ambos anos se respeitou em demasia times fraquinhos e se considerou “bom resultado” empatar fora.
      Espero que tenha servido para abrir os olhos da rapaziada.

        • Mais pelo lado psicológico, já que o time deles é horrível, pior ainda que o River. Além disso, quantas vezes um time com um a menos acaba ganhando? Os gambás com um a menos, e bem piores que nós, ganharam há uma semana aquele joguinho mequetrefe.

          • Concordo. Uma diferença fundamental a nosso favor, é q o grupo desse ano é bem mais fraco.

      • O que matou o Palmeiras ano passado não foi empatar fora de casa com o River – URU, e sim perder pro Nacional, que também era horrível, no Allianz! De resto, o time seguiu a cartilha da libertadores à risca (vitória em casa e empate fora contra Rosario e River), ainda que de maneira sofrível.

        • Desculpe, discordo. O Nacional nem de longe era horrível como o River ou Tucuman. Caiu apenas nas quartas, para o Boca, e nos pênaltis.

          • Pois é, mas durante a libertadores inteira ganhou só 2 jogos, ambos contra a gente.

  • Ano passado, após a estreia contra o River, comentei aqui que, pela fraqueza daquele time, perdíamos pontos cruciais que iriam fazer MUITA falta mais tarde. Repito agora, pelos mesmos motivos, esse Tucuman já se deu por satisfeito por chegar na fase de grupos, vai ser saco de pancada dos outros como o River foi, inclusive lá na Argentina. É bom colocar as barbas de molho, parar de achar que a Liberta é a Champions e jogar bola sem medinho nem nervosismo. Time tem.

      • Além de termos no grupo naquela oportunidade o Rosário Central que estava com o time pronto e ajeitado com uma forma de jogar muito convincente. Nesta oportunidade nenhum dos três adversários me preocupa, a não ser o próprio Palmeiras.

    • Vários comentários falando do ano passado, que fomos eliminados pelo empate com o RP-URU. Mas ninguém se lembra que o jogo que nos eliminou foi aquela derrota ridícula pro Nacional em casa. Não acho o resultado tão ruim como estão dizendo, diante das circunstâncias, desde que não repitam-se os erros do ano passado, ou seja, deixar de ganhar em casa. E na boa, se for pra ficar com medo e eliminação contra time da Bolívia, é melhor deixar de acompanhar e concentrar-se no Paulistão mesmo. Também não sinto segurança com o EB e não gostei da contratação, mas já que é ele que colocaram, só nos resta torcer pelo sucesso dele e tentar reduzir as cornetas (pelo menos, por enquanto)…

  • Não é cornetar, mas tenho que observar que o nosso técnico poderia ter sido mais corajoso.
    Escalou errado? Foi cauteloso demais escalando Thiago Santos? Porra… essas perguntas estavam respondidas com 15 minutos de jogo. Era hora de tirar o TS e colocar um dez-dez para criar e soltar o Dudu pra cima deles, tínhamos dois no banco (Guerra e Raphael Veiga).
    Vamos ficar de olho. A escalação tem que ser outra dentro de casa.

      • Tem razão, obrigado por lembra-me.
        Mas mesmo assim…tínhamos o melhor jogador da Libertadores passada no banco para a criação, e lembro que o Guerra ajuda bem na marcação também.

  • Excelente texto Conrado! Já vimos mesmo o verdão tomar um gol, se perder e tomar uma surra. Ontem o time mostrou que consegue manter a postura e isso vai ser essencial no decorrer da temporada