1973

O Palmeiras iniciou o ano de 1973 com o mesmo problema que encerrou o ano anterior: a suspensão de César, que havia começado em setembro e só terminaria em abril. O time investiu no atacante Mílton, do América, e a transação articulada pelo diretor Domingos Ianacone foi peculiar: parte do pagamento foi um ônibus usado, que o time de Rio Preto aceitou de bom grado.

Até março o elenco se concentrou na disputa do Torneio Laudo Natel e da primeira fase da Libertadores. Nos jogos de ida, os três em casa, o Verdão venceu o Botafogo e o Peñarol, mas empatou com o Nacional – algo que custaria caro mais tarde. Na sequência, veio a final do Laudo Natel e nosso time, apesar de jogar melhor, acabou perdendo de virada o Derby decisivo. Os torcedores do rival, então numa fila de 19 anos, comemoraram como se fosse realmente um título.

Libertadores da América 1973

Veio o segundo turno da Libertadores e o Palmeiras perdeu do Botafogo no Rio, mas ganhou os dois jogos em Montevideo. Assim, foi necessário um jogo-desempate, também no Maracanã. Logo de cara, Marinho Chagas tentou um chute de longe; a bola bateu em Luís Pereira e enganou Leão. A reação do Palmeiras veio no segundo tempo: após centro da direita, Fedato escapou da zaga e se antecipou a Wendell, tocando para as redes de cabeça, mas o árbitro Ramon Barreto, disse que foi com a mão, atendendo a um chamado do bandeirinha Armando Marques. De novo!

O Palmeiras continuou insistindo e chegou ao empate com Ademir, que recebeu dentro da área e bateu forte, pelo alto, para vencer Wendell. Quando tudo indicava que o jogo iria para a prorrogação, Jairzinho conseguiu um arremate da entrada da área; Leão estava na bola, que subitamente deu um pulo ao bater numa irregularidade do gramado e tirou completamente nosso goleiro do lance. Assim, o Botafogo avançou para os triangulares semifinais, e o Palmeiras ficou pelo caminho.

A disputa do Paulista veio logo na sequência. No Primeiro Turno, a briga foi entre Palmeiras e Santos, taco a taco. Já com César de volta, o Palmeiras desperdiçou uma boa chance de pular na frente na tabela na rodada 9, pois vencia o confronto direto no Morumbi para mais de 92 mil pessoas, mas acabou permitindo o empate já perto do fim – gol de Pelé.

Na última rodada, os dois times chegaram empatados. O Santos aplicou um sonoro 5 a 1 na Ponte Preta enquanto o Palmeiras ficou no 0 a 0 contra o SPFC, mesmo jogando com um atleta a mais desde o fim do primeiro tempo (o goleiro Sérgio foi expulso).

Campeonato Paulista 1973O Segundo Turno começou em julho, depois de uma pausa de cerca de 40 dias, quando foi disputada a Taça São Paulo (competição politiqueira da FPF para promover confrontos entre times do interior com os grandes), ao mesmo tempo em que a Seleção Brasileira excursionava pela Europa, com Leão, Luís Pereira e Leivinha.

Mílton não foi aprovado por Brandão e o Palmeiras deu a primeira chance ao garoto Mário, da base, para ser alternativa a César, mesmo contando com Ronaldo e Fedato no elenco. Outra mudança promovida pelo treinador foi causada pela lesão de Dudu; Oswaldo Brandão decidiu avançar Alfredo para a cabeça da área e o time não conseguiu um bom encaixe, terminando o turno apenas em quinto lugar, seis pontos atrás da Portuguesa, que fez a final com o Santos.

Muito novo, Mário foi poupado e o Palmeiras foi novamente ao mercado e trouxe do Colorado-PR o atacante Careca, já que César seguia na tendência de desfalcar o time por lesões ou suspensões.

Veio então a disputa do Brasileirão e o calendário, mal formulado, não tinha espaço para concluir a competição nos moldes desejados pela CBD. Assim, o Verdão, junto com mais 39 clubes, disputou as 28 partidas da Primeira Fase entre agosto e dezembro e venceu seu grupo com enorme folga (18 vitórias, 7 empates e apenas 3 derrotas). O Palmeiras estava na Segunda Fase do Brasileiro e era o favorito para a conquista, mas tinha a difícil missão de retomar a competição em 1974 com o mesmo ritmo em que terminou o ano.

Jogos no ano de 1973

Jogadores no ano de 1973