1974

O Campeonato Brasileiro de 1973 foi interrompido para as festas de fim de ano e férias após o fim da Primeira fase, e o Palmeiras fechou a classificação geral destacadamente em primeiro lugar, assumindo a condição de grande favorito para a conquista do título. A base do time que já vinha jogando junto desde 1972  sob o comando de Oswaldo Brandão foi mantida com a formação lendária: Leão, Eurico, Luís Pereira, Alfredo e Zeca; Dudu e Ademir da Guia; Edu, Leivinha, César e Nei.

O time voltou das férias e começou a Segunda Fase, que teria 9 jogos, empatando três partidas, complicando a missão de ficar entre os dois primeiros de um grupo de dez clubes. Mas nas seis partidas seguintes, venceu cinco e empatou uma, ficando novamente em primeiro lugar e aumentando o favoritismo.

Para a fase final, foi jogado um quadrangular em fevereiro com Cruzeiro, Inter e SPFC. No Mineirão, o Verdão arrancou a vitória aos 28 do segundo tempo, com um gol de Edu. Contra o Inter, no Morumbi, foi mais difícil ainda: depois de sair atrás com um gol de Figueroa, o Palmeiras foi buscar a virada com gols aos 32 e 34 do segundo tempo, marcados pro Ronaldo e Luís Pereira.

O SPFC havia vencido o Inter mas perdeu para o Cruzeiro no Mineirão, e assim, precisava vencer o Palmeiras na partida final. Após uma partida tensa e muitas vezes violenta, o empate por 0 a 0 foi suficiente para que mais um Campeonato Brasileiro fosse conquistado pelo Verdão.

A Seleção Brasileira se preparava para a disputa da Copa do Mundo e Zagalo convocou seis jogadores do Palmeiras, que passaram a desfalcar o time até a disputa na Alemanha: Leão, Luís Pereira, Alfredo, Ademir da Guia, Leivinha e César.

Campeonato Brasileiro 1974

O Brasileirão de 1974 teve início em março e o Palmeiras ainda teve a disputa da Libertadores em paralelo. Na competição continental, com um time muito desfalcado, acabou eliminado num grupo que tinha o SPFC e mais dois bolivianos – apenas o campeão do grupo avançava. No Brasileirão, fez uma Primeira Fase sofrível, entrando na fase seguinte como o último dos 24 classificados.

Na Segunda Fase, os 24 clubes foram divididos em quatro grupos de 6 e apenas o campeão de cada grupo avançaria ao quadrangular final. O Palmeiras surpreendentemente embalou e fez uma boa campanha, vencendo quatro jogos e perdendo um – justamente na primeira rodada, para o Cruzeiro, que ganhou todas.

Essa partida contra o time mineiro, que acabou decidindo o grupo, foi disputada no Mineirão na véspera de Brasil x Argentina na Copa do Mundo e foi vista por menos de 3 mil pessoas. O Palmeiras até saiu na frente, com Toninho Vanusa, mas acabou sofrendo a virada. O Verdão enfileirou quatro vitórias, mas o Cruzeiro não perdeu nenhum ponto e avançou.

Restava a disputa do Paulistão, que foi de agosto a dezembro, com 14 clubes jogando turno e returno – os campeões de cada turno se enfrentaram na grande final. No Primeiro Turno, ainda readaptando à volta dos titulares da Seleção, o Palmeiras patinou no princípio.

Depois de marcar apenas um ponto nos três primeiros jogos, o Verdão encaixou novamente o jogo, mas já ficou difícil de tirar a diferença. O SCCP levou o primeiro turno e Verdão ficou em quinto. O confronto direto logo na terceira rodada, com vitória deles por 3 a 1, foi decisivo.

Em meio à disputa do Primeiro Turno, o Palmeiras encaixou uma viagem à Espanha, onde conquistou o prestigiado Torneio Ramón de Carranza pela segunda vez, depois de vencer o Barcelona e o Espanyol. Ainda houve tempo para um amistoso com o Atlético de Madrid, que se encantou especialmente com dois jogadores: Leivinha e Luís Pereira.

O Verdão foi implacável no Segundo Turno do Paulista. Depois de uma campanha invicta, nosso time chegou à rodada final, um Derby, com um ponto de vantagem sobre o SPFC, que tinha o Juventus pela frente. No domingo decisivo, o SPFC venceu o time da Mooca por 2 a 0, mas o Verdão esmagou o rival por 4 a 1 e venceu o Segundo Turno, forçando as partidas finais: mais dois Derbies.

O SCCP havia completado 20 anos sem títulos no início do ano e precisava de todas as formas acabar com a fila. No primeiro jogo, dois gols muito rápidos de Edu e Lance já selaram o placar logo aos 3 minutos do primeiro tempo.

A expectativa geral é que no domingo, dia 22 de dezembro, o SCCP finalmente desse fim à enorme fila. A torcida rival ocupou cerca de 90% das arquibancadas do Morumbi. Mas seus jogadores sentiram demais a pressão e enfrentaram um time que, além de muito superior tecnicamente, estava muito acostumado a conquistar títulos.

Com naturalidade, o Palmeiras se impôs sobre o rival e deu cabo a mais uma conquista com um gol de Ronaldo aos 24 minutos do segundo tempo, após jogada ensaiada por Oswaldo Brandão: Jair Gonçalves suspendeu na meia-lua procurando Leivinha, que escorou de cabeça para a chegada do camisa 9, que fuzilou Buttice.

Enquanto a torcida deles se arrastava de volta do Morumbi, dezenas de milhares de palmeirenses comemoraram a conquista na rua Turiassu cantando “zum zum zum, é vinte e um”, saudando mais um ano na fila do rival.

O Palmeiras fechou a temporada com um título estadual, um nacional, e não fosse a Seleção, poderia ter ganho mais.

Campeonato Paulista 1974

Jogos no ano de 1974

Jogadores no ano de 1974