1982

Campeonato Brasileiro 1982O ano de 1982 foi provavelmente o ponto mais baixo de toda a História do Palmeiras. Depois de ficar apenas em décimo lugar no Paulistão de 1981, o clube conseguiu apenas uma vaga na Taça de Prata de 82 – uma espécie de repescagem para o Brasileirão, da qual sairiam quatro times dentre os 36 participantes para entrar na segunda fase da Taça de Ouro.

Para a disputa da Taça de Prata, foram contratados reforços modestíssimos: Almir, da Inter de Limeira; Mario Sérgio, do Matsubara, e Suca, do Grêmio Bagé. Além disso, apelou-se para meninos da base como Vargas, Rodrigues e Carlos. O novo técnico, Paulinho de Almeida, chegou com um discurso de “garra e determinação” para superar a limitação técnica.

Mas nem isso salvou o Palmeiras de um enorme vexame. Para avançar na Taça de Prata, era preciso ficar entre os dois primeiros num grupo de seis times, em turno único. Mas após cinco jogos contra Juventus, Volta Redonda, Anápolis, Vila Nova e Operário de Várzea Grande, disputados entre a última semana de janeiro e a primeira de fevereiro, o Palmeiras ficou em apenas quarto lugar em seu grupo e foi eliminado.

Sem campeonatos para disputar até o final da Copa do Mundo, a diretoria recorreu a amistosos e a torneios menores para manter os jogadores em atividade. Os reforços contratados no início do ano foram dispensados antes de completarem 3 meses no clube. Vieram Rocha, do Botafogo, e Carlos Alberto Borges, do Marília.

O Palmeiras foi ao Peru disputar um amistoso com a seleção local, que se preparava para a Copa do Mundo, e abandonou o campo aos 43 do segundo tempo em protesto contra a arbitragem, após a marcação de um pênalti e de ter o segundo jogador expulso. Em março, o time jogou contra o Peñarol duas vezes, uma em cada país, e conquistou por isso a “Taça Ademir da Guia”.

Em abril, após o fim da Taça de Ouro, a CBF organizou um minicampeonato para preencher o calendário e gerar renda. O chamado “Torneio dos Campeões” reuniu 20 clubes que já haviam sido campeões ou vice de torneios nacionais – mais convidados – que foram divididos em 4 grupos de cinco e jogaram dentro dos grupos em turno e returno. Os campeões de cada turno de cada grupo avançaram às quartas-de-final. Paulinho de Almeida foi demitido ainda no primeiro turno.

Fedato assumiu o time como tampão, comandou o time no segundo turno do Torneio dos Campeões, onde foi eliminado sem chances de disputar o mata-mata.

Fedato durou até a sexta rodada do Paulistão – na quinta, fomos goleados por 5 a 1 num Derby. Assumiu o preparador físico Moraci Santana, por cinco jogos, até que Rubens Minelli foi contratado para colocar ordem na casa, já com metade do primeiro turno disputado. Junto com ele, veio o centroavante Baltazar, destaque do Brasileirão do ano anterior pelo Grêmio.

No Paulistão, a fórmula era relativamente simples: todos jogaram contra todos em turno e returno, com a pontuação sendo zerada ao fim do primeiro turno. Avançariam os times que ficassem em primeiro e segundo lugares em cada turno, podendo haver então dois três ou quatro clubes na fase decisiva. Se um clube vencesse os dois turnos, seria considerado campeão.

Com três jogos sob o comando do novo treinador, após uma boa vitória sobre o SPFC, o Palmeiras se mantinha com chances de brigar pelo título do primeiro turno. Mas na sequência de cinco jogos finais, conseguiu apenas três pontos, com derrotas vergonhosas para São José e Botafogo, e terminou em quinto lugar.

No returno, a campanha foi boa até a décima rodada. Mas uma sequência de seis tropeços seguidos, incluindo uma vexatória derrota por 6 a 1 para o Santos, tirou o time da rota da classificação. O Palmeiras até venceu os três jogos finais e fez contas, mas a sorte mais uma vez não ajudou. O Palmeiras fechava o sexto ano sem títulos e a fila começava a incomodar.

Jogos no ano de 1982

Jogadores no ano de 1982