Artilheiro do time na temporada, Scarpa se vê em seu melhor momento no Verdão

Gustavo Scarpa
Cesar Greco/Ag.Palmeiras

O meio-campista Gustavo Scarpa tem se destacado no Palmeiras em um momento decisivo da temporada, tendo marcado o golaço que deu a vitória contra o Grêmio, pela Libertadores. Em entrevista coletiva concedida na tarde desta quinta-feira, o atleta falou sobre o seu momento.

De acordo com Scarpa, a sequência de jogos tem feito a diferença para que ele reencontrasse a boa forma (física e técnica), a qual foi prejudicada pelo tempo em que ficou ausente por conta de lesões e problemas judiciais com o ex-clube.

“Estou tendo uma sequência legal. Fiquei um tempinho sem jogar, acontece. Mas eu acredito que seja meu melhor momento sim, espero que consiga melhorar mais. Que eu consiga melhorar meus números, o número de vitórias do Palmeiras, também”, comentou.

Mesmo diante de números que o motivam, o jogador considera que nada disso tem valor considerando a alta qualidade do elenco, sobretudo se os títulos em disputa não forem conquistados.

“O número no meio da temporada (de artilheiro) te motiva, mas acaba não significando nada, porque não tem título. Claro que quando acaba o ano e vê número expressivo de participações em gols é gratificante. Mas, por ter um elenco muito qualificado, não pode se acomodar. Esquecer o que já fez, buscar mais gols, mais assistências e mais vitórias”, afirmou o camisa 14.

Um dos lances que atestam a ótima fase de Gustavo Scarpa no Palmeiras foi o último gol, “do meio da rua”, a partir de um chute potente e certeiro, que foi comparado a lances marcantes dos ex-laterais Branco e Roberto Carlos. O jogador, no entanto, considera a comparação “injusta”.

“Injusta com eles e comigo, também; são caras acima da média. Fui muito feliz na força do chute, mas os caras faziam isso sempre. Desses chutes de muita força e de muito longe, foi o primeiro ou segundo gol meu. É injusto comigo porque os caras são monstros. Tenho muito arroz e feijão ainda para comer”, disse, bem humorado.

Abaixo, o vídeo da entrevista na íntegra em mais um trabalho da TV Palmeiras/FAM:

  • Sou igual você Conrado. Também não encho o saco de ninguém. E não deixo ninguém me encher.