Há menos de três meses no clube, Abel Ferreira pode entrar na História do Palmeiras

No sábado, Abel poderá ser o primeiro técnico estrangeiro a ser campeão da Libertadores pelo Verdão

Abel Ferreira
Reprodução

Desconhecido de muitos torcedores palmeirenses há pouco mais três meses, Abel Ferreira pode entrar na História alviverde caso o Palmeiras vença o Santos na final da Libertadores, dia 30, às 17h, no Maracanã.

Terceiro técnico estrangeiro a levar o Verdão para a final da competição, Abel disse após o jogo contra o Vasco que viver grandes decisões foi um dos motivos de vir para o Palmeiras.

“Para ganhar títulos temos de estar em clubes como o Palmeiras. Foi esse o grande desafio que aceitei. Senti e sinto que temos todas condições para isso. Foi por isso que atravessei o Atlântico, para eu, juntamente com os jogadores, neste grande clube, trabalhar para chegar em decisões e ganhar. É pra isso que estou aqui”, ressaltou.

Estudioso e muito focado em seus objetivos, o português caiu nas graças da torcida e do elenco logo em sua primeira entrevista, mostrando conhecimento sobre cada jogador e a História do clube.

“O Abel é diferente, é um treinador diferente, as ideias e planos dele são diferentes e estão me ajudando. Eu converso muito com ele nos treinos, ele me dá dicas pois também foi lateral, falou que tenho potencial e muito a aprender. É um cara fantástico, compro suas ideias”, disse Gabriel Menino à Fox Sports em dezembro do ano passado.

Aos 43 anos, o técnico palmeirense está em seu terceiro clube na carreira e busca o primeiro título como comandante principal de uma equipe.

“Foi para isso que estudei e trabalhei tanto, para chegar à final e desfrutar com responsabilidade e viver este momento. Nem todos treinadores e jogadores chegam à final. Temos esse privilégio e temos de fazer o que nos compete, que é jogar em alto nível e dar o melhor de cada um de nós”, finalizou.

No sábado, a torcida alviverde conta com toda inteligência e capacidades tática e mental do treinador português para que o Verdão conquiste o bicampeonato da Libertadores.

  • Sou igual você Conrado. Também não encho o saco de ninguém. E não deixo ninguém me encher.