Raphael Veiga analisa derrota e recusa o rótulo de ‘vexame’

Raphael Veiga em partida contra a Inter de Limeira
Cesar Greco

Veiga mostrou descontentamento com a provável desclassificação, mas recusa o rótulo de ‘vexame’

Seguindo a maratona de jogos, o Palmeiras entrou em campo na noite desta quinta-feira, apenas dois dias depois de vencer na Libertadores, e foi derrotado pela Inter de Limeira por 1 a 0. O adversário conseguiu marcar o seu gol no último minuto de jogo, após o Verdão desperdiçar boas chances ao longo da partida.

Na saída do gramado, o meia Raphael Veiga, que entrou na segunda etapa, concedeu entrevista e lamentou o revés palmeirense.

“Foi um jogo difícil. Eles marcaram muito bem a nossa equipe e a gente não conseguiu marcar os gols que precisava. Todo mundo sabe que, com essa maratona de jogos… não é desculpa, mas não tem como ter o time completo. Hoje, por exemplo, faz dois dias que jogamos e daqui a dois [na verdade, três] vamos entrar em campo novamente. É complicado, o professor tem que adaptar com o que tem e já pensando no próximo adversário”, disse.

Veiga recusa o termo ‘vexame’

Com a derrota, a classificação para a próxima fase do Campeonato Paulista fica distante para o Palmeiras, que atualmente está com 12 pontos na competição, terceiro colocado no Grupo C. Questionado sobre uma possível desclassificação no campeonato, o camisa 23 usou as respostas-padrão de situações de desclassificação:

“Ainda nos restam três jogos na competição, são seis pontos de diferença [para o Novorizontino] e a nossa equipe não pode e não vai desacreditar na classificação”, afirmou.

“Não gosto dessa palavra ‘vexame’, mas não é o que a gente quer. Vamos brigar o tempo inteiro para classificar, porque a gente sabe que o Palmeiras ficar fora de uma disputa é até algo estranho. Nós somos o atual campeão, então agora é levantar a cabeça. Ficamos tristes pelo resultado, mas a gente não pode nos abater por esse momento” finalizou.