STJD concede efeito suspensivo e Moisés está liberado para jogar o clássico domingo

Moisés x Gabriel
Cesar Greco/Ag.Palmeiras

O departamento jurídico do Palmeiras conseguiu mais um efeito suspensivo sobre a punição aplicada a Moisés pelo TJD paulista. O caso, que teve origem num entrevero banal entre o volante e o zagueiro Gustavo Henrique no clássico contra o Santos, no dia 23 de fevereiro, vem tomando dimensões desproporcionais.

A punição no primeiro julgamento, de um jogo de suspensão, já havia sido considerada exagerada. Assim, o primeiro efeito suspensivo levou o caso ao pleno do TJD, cuja sessão, realizada no início desta semana, aumentou a pena dos dois atletas para quatro jogos – fora, portanto, da sequência do campeonato paulista.

Ocorre que, na ânsia de conduzir os julgamentos, o delegado Olim, presidente do TJD-SP, presidiu uma sessão “viciada” – no jargão jurídico, isso ocorre quando um ou mais auditores que vão julgar um caso em instância posterior já haviam participado do primeiro julgamento. Olim não organizou corretamente sua agenda e seu tiro saiu pela culatra.

Assim, o STJD foi acionado e Moisés poderá jogar neste domingo, contra o SPFC. Resta saber quais serão as consequências deste caso para os responsáveis pelo TJD, que, no mínimo, demonstraram gritante incompetência – mas numa análise um pouco mais criteriosa, carregam sobre si suspeitas de terem agido sob má fé com o intuito de prejudicar mais uma vez o Palmeiras, diante do estado de guerra declarada entre o clube e a FPF.