Gabriel Menino retoma confiança e recupera espaço no elenco

Gabriel Menino do Palmeiras em disputa com Balbuena do SCCP, durante partida válida pela vigésima segunda rodada do Brasileirão 2022, no Itaquerão.
Cesar Greco

Nos últimos 20 jogos do Palmeiras na temporada, Gabriel Menino participou de 16

Depois de um 2021 de altos e baixos, no qual sofreu com contusões no tornozelo, Gabriel Menino perdeu espaço no elenco do Palmeiras na atual temporada com as chegadas de Atuesta e Jailson, mais a consolidação de Zé Rafael e Danilo como titulares. Assim, o camisa 25 se tornou uma das últimas opções para o setor e o resultado foi o corte da lista final para o Mundial de Clubes.

Na trajetória campeã Paulista do Palmeiras, a Cria da Academia participou de apenas quatro das 16 partidas que o time disputou. Vale lembra que o jogador, no mês de março, teve um período afastado por problemas no tornozelo.

“Todos jogadores têm altos e baixos. Me desviei um pouco, me desviei ali por um momento na minha carreira”, chegou a dizer o jogador, na zona mista do Allianz Parque após o jogo frente ao Goiás, no último dia 7.

Meses depois, contudo, Menino recuperou seu espaço na equipe. O meio-campista aproveitou a lesão de Jailson, voltou a ser utilizado com frequência por Abel e, atualmente, é o reserva imediato de Zé Rafael e Danilo. A volta do camisa 25 aos gramados e os últimos bons desempenhos refletem nos números.

O atleta participou de 16 dos últimos 20 jogos do Palmeiras na temporada, sendo seis como titular e acumulando 679 minutos. Nesse período, marcou o gol da vitória por 2 a 1 sobre o Internacional, no Allianz Parque. Além disso, nos jogos em que foi escalado desde o início, somou, de acordo com o SofaScore:

  • 25/43 duelos ganhos;
  • 187/218 passes certos (86%);
  • 5 passes decisivos;
  • 19/35 lançamentos certos (54%);
  • 25 ações defensivas (cortes, desarmes e interceptações).

Ao analisarmos o recorte dos 20 jogos anteriores, Menino participou de menos da metade (9), sendo que passou mais de um mês sem entrar em campo.

“Graças a Deus meus companheiros me deram força. A comissão técnica, o Abel, minha família e meu empresário confiaram em mim. Eu sei o jogador que sou e que posso ser. Voltei a colocar minha cabeça no lugar”, destacou.

Abel destaca confiança em Gabriel Menino

Gabriel Menino durante treinamento do Palmeiras na Academia de Futebol.
Cesar Greco

O técnico Abel Ferreira não deixou de acreditar no jogador, mesmo no período em que Menino esteve em baixa. Em entrevistas recentes, o comandante reafirmou a confiança que tem na Cria da Academia e comentou a evolução do meio-campista na parte tática.

“Gabriel Menino está cada vez melhor, mais confiante, mais atento e mais inteligente na parte tática”, elogiou Abel. “Confiamos nele, e a prova é que quando o Jailson se lesionou, não fomos buscar nenhum jogador. Seria muito fácil, perdemos um e vamos buscar outro”, disse.

“Isso é uma prova que acreditamos nos jogadores e vamos dar oportunidade. Depois cabe a eles fazer o caminho”, completou o técnico.

Gabriel Menino estreou pelo profissional do Palmeiras no começo de 2020, ainda com Vanderlei Luxemburgo. Em seu primeiro ano, tornou-se titular e chegou a ser convocado para a Seleção Brasileira. Em 2021, não repetiu o desempenho e acabou perdendo espaço.

Na atual temporada, soma 29 partidas e dois gols. Em toda sua trajetória no time principal do Verdão, contabiliza 124 jogos e foi às redes oito vezes.

Abel freia empolgação após vitória no Derby e elogia jogadores: “Fomos inteligentes e os justos vencedores”

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o SCCP, durante partida válida pela vigésima segunda rodada do Brasileirão 2022, no Itaquerão.
Cesar Greco

Em entrevista coletiva, Abel também fez questão de ressaltar individualmente Wesley, que participou do lance do gol palmeirense

A vitória do Palmeiras sobre o SCCP por 1 a 0 na noite deste sábado, fora de casa, fez com que a equipe aumentasse a vantagem na liderança do Campeonato Brasileiro para nove pontos neste início de rodada. Apesar do triunfo e da distância para o segundo colocado, o técnico Abel Ferreira freou a empolgação palmeirense na entrevista coletiva pós-jogo.

“É preciso baixar a empolgação porque hoje estamos sendo tratados como os melhores, mas se amanhã não ganhar um jogo seremos chamados de porcaria. Vamos manter o foco, isso é o que eu peço a todos, e continuar o nosso caminho”, iniciou o comandante.

“Não ganhamos absolutamente nada. Jogamos da nossa maneira, somos competitivos e é isso que queremos, jogar com coragem. O futebol é feito de vitórias, derrotas, elogios e críticas. Vivo de forma equilibrada”, destacou.

O Palmeiras chegou aos 48 pontos, números que significam a melhor campanha do clube até a 22ª rodada do Brasileirão na era dos pontos corridos. A equipe, ainda, tem o melhor ataque da competição (37 gols) e a defesa menos vazada (14 gols sofridos).

“Não me foco em recordes. O nosso foco é sermos melhores a cada dia. Peço aos jogadores que sejam a melhor versão deles. O resto é consequência. Isso [os números no campeonato] não me preocupa. O que me preocupa é que os jogadores sejam felizes em jogar da nossa maneira e que sejam capazes de jogarem sempre para vencer. Isso que me dá orgulho”, disse Abel Ferreira.

Abel analisa confronto

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o SCCP, durante partida válida pela vigésima segunda rodada do Brasileirão 2022, no Itaquerão.
Cesar Greco

Sobre o triunfo palmeirense na casa do rival, Abel destacou a inteligência dos atletas e viu o resultado final como justo.

“Atuamos em um estádio cheio e os nossos jogadores merecem atuar em locais assim, lotados. Eles foram capazes de impor o nosso jogo, de defender bem e ter a bola. Fomos inteligentes e justos vencedores. Poderíamos ter vencido por mais, mas infelizmente o juiz marcou erroneamente uma falta do Navarro, que sairia na cara do gol”, declarou.

“O SCCP é um grande rival, com excelentes jogadores e bem treinado pelo Vítor Pereira, que conheço muito bem. O primeiro tempo foi equilibrado, mas tivemos a coragem de vir à casa do adversário e brigar pela vitória. Tivemos personalidade e calma para sairmos da pressão. Impusemos o nosso jogo em muitos momentos do jogo”, completou o treinador, que revelou a conversa que teve com os atletas no intervalo.

“Disse para eles que ganharíamos esse jogo com os atletas que entrassem no segundo tempo, então não queria que ninguém [dos titulares] se poupasse, era para dar o máximo”.

Elogios a Wesley

Por fim, o treinador fez questão de falar sobre Wesley e fez elogios ao camisa 11, que participou diretamente do gol palmeirense da noite.

“Gostaria de enaltecer o Wesley, que muitos vêm criticando. O futebol é isso, nem sempre estaremos no nosso melhor. Ele entrou muito bem e participou de forma direta do gol. Aqui gostam de individualizar, achar culpados, e o futebol não é assim. Parabéns para ele por hoje, tem muito potencial quando está focado, sério”, enalteceu.

O Palmeiras volta a campo somente no domingo da semana que vem para enfrentar o Flamengo, no Allianz Parque.

Bruno Tabata é apresentado e se diz pronto pra jogar: “Se pudesse escolher, já jogaria o Derby”

Bruno Tabata é apresentado como mais novo atleta do Palmeiras, na Academia de Futebol.
Cesar Greco

Bruno Tabata vestirá a camisa 27, que pertencia a Gabriel Veron

Contratado pelo Palmeiras no início da semana, o meia-atacante Bruno Tabata foi apresentado na tarde desta sexta-feira na Academia de Futebol. Novo camisa 27 do Verdão, o jogador falou sobre sua condição física e afirmou que está pronto para ir a campo.

“Realizei a pré-temporada toda, foi mais de um mês de preparação. Fisicamente estou muito bem. Na última semana não treinei tanto pela negociação, mas já estive com o grupo nos últimos dias e estou me sentindo bem. Deixo o treinador decidir. Me sinto preparado”, relatou o atleta.

Após a classificação heroica na Libertadores, o Palmeiras volta a campo neste sábado para enfrentar o SCCP, pelo Campeonato Brasileiro. “É um Derby, um jogo muito importante, estou pronto e fico à disposição do Abel. Venho de um contexto de muita competitividade, de vencer campeonatos. Então quero estar ao máximo inserido no Palmeiras. Se pudesse escolher, jogaria o Derby de amanhã [sábado]. Mas fica a critério do treinador”, completou.

Aos 25 anos, Tabata construiu toda a carreira em Portugal – passou por Portimonense e Sporting. Canhoto, o jogador comentou sobre suas características e se mostrou disposto para atuar em qualquer posição.

“Na minha passagem por Portugal acabei me tornando um jogador versátil, atuei em todas posições, menos nas defensivas. Atuei dos dois lados do campo e até como falso nove. Sou um jogador de dar mais apoio, ligação, não de profundidade como Rony. Sou um armador, não tanto um ponta. Mas estou aqui para jogar da maneira que o professor quiser”, declarou o meia, que viu alguns jogos do Palmeiras para buscar uma adaptação mais rápida.

“Assisti a uns seis, sete jogos para ter mais noção tática de como o time joga, saber das movimentações dos companheiros, para me conectar e tem tudo para ser uma adaptação rápida. É um time que cria muito e isso facilita também”.

Bruno Tabata fala da relação com Abel

Durante o tempo que atuou pelo Portimonense, Tabata enfrentou por algumas vezes o Braga, time que era treinado por Abel Ferreira. O jogador comentou a relação que tem com o comandante palmeirense e o contato que tiveram antes de acertar com o Palmeiras.

“Não tinha relação direta com o Abel [antes], mas a gente já se enfrentou lá. Teve uma oportunidade de eu ir para o PAOK, mas a negociação não evoluiu. Desde que ele veio para cá, sabia do interesse dele de contar comigo. O momento agora foi perfeito, juntou a minha vontade de estar aqui com a do clube. Tem tudo para ocorrer muito bem”, disse.

“Nos últimos dias não tive muito contato com o Mister por causa do jogo contra o Atlético-MG, não quis tirar o foco. Mas o papo com ele antes foi muito bom. Conversei sobre a possibilidade de vir e ele me passou tranquilidade. Me passou excelentes referências, disse que é um clube diferente. Isso só me deixou com mais vontade de vir”, concluiu Tabata.

Pelo Sporting, na temporada passada, jogou em 32 partidas, entre o Campeonato Português, Champions League e as copas nacionais; foi às redes seis vezes e distribuiu outras três assistências, em 1.093 minutos em campo.

Abel Ferreira celebra classificação e elogia jogadores: “Nasceram para fazer história neste clube”

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o Atlético-MG, durante segunda partida válida pelas quartas de final da Libertadores 2022, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Após classificação heroica à semifinal da Libertadores, Abel Ferreira enalteceu também a torcida do Palmeiras

De forma heroica, o Palmeiras superou o Atlético-MG e avançou à semifinal da Copa Libertadores. Com um a menos desde os 30 minutos do 1º tempo e com dois a menos a 15 minutos do fim, o Verdão segurou o empate em 0 a 0 e fez o Allianz Parque explodir de alegria nas cobranças de pênalti – Murilo converteu a última batida após Weverton defender o chute de Rubens.

Ao final do duelo, em entrevista coletiva, o técnico Abel Ferreira celebrou a classificação e distribuiu elogios aos jogadores.

“Temos comportamentos coletivos, treinamos os comportamentos da equipe. Com menos um em campo, o que fizemos foi manter o nosso comportamento. Por tudo que estes rapazes têm feito, eles nasceram para fazer história neste clube, é o destino deles. Fomos capazes, de forma coletiva, de superar estas adversidades, que foram muitas. Sou um treinador muito orgulhoso dos meus jogadores”, disse o treinador, que também comentou sua primeira vitória nos pênaltis comandando o Verdão.

“Os penáltis são competência e não conheço uma equipe que perde sempre e outra que ganhe sempre. Um dia iríamos ganhar. Hoje eu disse antes: vai ter que ser hoje, por todo o contexto. Menos um, menos dois… tinha que ser hoje”, declarou o comandante.

Antes do triunfo desta quarta-feira, o Palmeiras vinha de cinco reveses seguidos em pênaltis (contra Al Ahly, Flamengo, Defensa Y Justicia, CRB e SPFC).

“Somos do tamanho dos nossos pensamentos, não interessa de onde viemos. A força mental dos jogadores é fruto dos pais e mães deles, que devem estar orgulhosos do que eles fazem. Já disse várias vezes, minha cota no jogo é de 30%. Os outros 70 pertencem a eles. Não corri, não me desgastei; eles lutaram até o fim, foram ao fundo do espírito e capacidades coletivas”, acrescentou.

Abel Ferreira e o plano de jogo

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o Atlético-MG, durante segunda partida válida pelas quartas de final da Libertadores 2022, no Allianz Parque.
Cesar Greco

O treinador explicou também as alterações táticas após a expulsão de Danilo, no qual alinhou Raphael Veiga ao lado de Zé Rafael, inverteu Gustavo Scarpa para a ponta esquerda, trouxe Rony para a direita e colocou Dudu mais avançado, como o centroavante da equipe.

“Sempre fazemos planos de jogo. Às vezes, os jogadores devem rir quando peço para fechar os olhos e imaginar o que acontece no jogo. E eu faço igual com a minha equipe técnica. Crio alguns cenários que podem acontecer para estarmos preparados. Não sou só eu, somos uma equipe técnica. Temos cabeças para pensar bem”, relatou.

“Em dois ou três minutos pensamos nas alterações. Chegamos a relevar a entrada de um zagueiro, mas depois avaliamos que não. Colocamos o Dudu de centroavante, o Rony para a direita e seguimos o plano. Deu certo porque eles [jogadores] fazem acontecer”, complementou.

Abel separou um tempo da coletiva para também responder Cuca, que afirmou que o jogo para o Atlético-MG ficou mais difícil com um homem a mais em campo porque o Palmeiras se fechou, e aproveitou para dar pitacos sobre as escolhas do treinador adversário ao seu time.

“O Cuca é experiente e quando analisar o jogo vai ver que tinha muita gente fora do nosso bloco, eles optaram por atacar por fora. Tu tens que ter gente por dentro para atacar nossa linha. Tinha os pontas, os laterais, os zagueiros por trás, e poucos jogadores dentro do nosso bloco. Isto foi para nós foi mais fácil de controlar”, pontuou.

“Claro que com menos um, como iríamos atacar uma equipe com essa qualidade? São melhores do que ano passado. Quando revir o jogo, [o Cuca] vai ver que nossa equipe foi muito competente. Quando vi o adversário jogando só por fora, fizemos uma boa parede e chegamos no fim com mais arremates que o adversário”, detalhou.

Elogios à torcida

Torcida do Palmeiras em jogo contra o Atlético-MG, durante segunda partida válida pelas quartas de final da Libertadores 2022, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Além de todo o empenho dos jogadores em campo, outro fator que chamou a atenção foi a torcida palmeirense, que apoiou o time durante todo o tempo e chegou a cantar mais alto em momentos de adversidades, como as expulsões de Danilo e Gustavo Scarpa.

“Os torcedores, tal como eu, aprenderam a respeitar e admirar estes jogadores. A prova disso é o público em cada jogo, seja na Libertadores ou em outra competição. Isso mostra o respeito e admiração que eles conseguiram através do trabalho e do espírito que se vê dentro de campo, os torcedores sentem. Quando os dois se juntam, é a torcida que canta e vibra, passa para os jogadores. A forma como eles jogam, passa para a torcida, que sente um respeito muito grande pelo que este time está fazendo e vai continuar a fazer”, concluiu.

Classificado, o Palmeiras volta as atenções para o Brasileirão. Neste sábado, a equipe enfrenta o SCCP em Itaquera, às 19h.

Após vitória, Abel distribui elogios a jogadores, torcida e até ao árbitro Jean Pierre

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o Goiás, durante partida válida pela vigésima primeira rodada do Brasileirão 2022, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Abel enalteceu Mayke e voltou a pedir calma com Atuesta e Rafael Navarro

O técnico Abel Ferreira se mostrou totalmente satisfeito com a vitória do Palmeiras por 3 a 0 sobre o Goiás, na tarde deste domingo. Em entrevista coletiva após a partida, o comandante distribuiu elogios aos personagens do duelo.

De início, o treinador enalteceu seus jogadores.

“Tenho sorte, os dois melhores laterais-direitos do Brasil jogam pra mim, que são Marcos Rocha e Mayke. Ainda tenho um que está à espera para ‘roubar’ a vaga, que é o Garcia. Os três têm boa relação. O Mayke fez um grande jogo”, elogiou Abel, que voltou a falar em paciência com Atuesta, autor do terceiro gol, e Rafael Navarro.

“Temos que acreditar no Atuesta. Chegou esse ano, não contratamos para 6 meses. Ele faz o melhor que pode nos treinos, quer evoluir. Sabe que tem que aprimorar na intensidade, porque tecnicamente é muito bom”, disse.

Abel admitiu que teve dúvidas para saber quem escalaria no comando de ataque, mas preferiu dar confiança ao camisa 29 e deixou Merentiel no banco. “O Navarro ainda é um moleque. Nossa função não é contratar jogadores prontos, não temos dinheiro para isso. Então temos que olhar para o crescimento dos jogadores, mas isso demora. Temos que ter calma”, completou.

Abel mostra confiança em Gabriel Menino e celebra ter Rony de volta

Voltando a ter bom desempenho, Gabriel Menino novamente foi escalado como titular. O camisa 25 tem a confiança do treinador por conta de seu futebol e pelas diferentes características que traz a campo, em comparação aos colegas de posição.

“Confiamos no Menino, perdemos o Jailson por lesão e não contratamos ninguém. Ele pode fazer a 5, ainda que não tenha tanto poder de marcação, mas nos dá saída, desequilibra ofensivamente. E o mais importante: ele está com o coração e mente aberta para evoluir”, declarou o treinador.

De volta aos gramados após mais de um mês fora, o atacante Rony também foi destaque na coletiva de Abel.

“Sempre bom tê-lo de volta, é bom ter opções. Hoje temos apenas o Jailson machucado, é importante ter todos à disposição, principalmente quando temos um elenco um pouco mais curto. Às vezes, a lesão de um jogador proporciona oportunidade a outro, como foi o caso do Vanderlan”, disse.

“Ele pode jogar em qualquer uma das posições da frente. Ainda bem que o Klopp ainda não viu o Rony jogar (risos). Ele fecha corredor e entra na área. Há vários jogadores que fazem diversas posições dentro do elenco e é isso que me dá a certeza e a confiança de ter um elenco mais enxuto”, complementou.

Torcida e juiz

Os elogios de Abel não foram exclusividade dos jogadores. A torcida do Palmeiras, que compareceu em peso ao Allianz Parque, e também Jean Pierre, o árbitro, foram mencionados pelo técnico.

“O torcedor tem sido espetacular, tem nos ajudado muito. E modéstia à parte esta equipe tem dado diversão aos nossos torcedores, eles vêm [ao Allianz Parque] para desfrutar e se divertir com o jogo. Muito contente com isso. Incrível a energia entre equipe e torcedores”, disse.

“Parabéns ao Jean Pierre por ter deixado o jogo rolar. Claro que há lances que os dois treinadores reclamaram. Estamos habituados a sempre ouvir o apito e hoje ele deixou os times jogarem, a partida teve intensidade, ritmo. Manteve o mesmo critério para os dois times”, finalizou.

O Palmeiras volta a campo na próxima quarta-feira para decidir com o Atlético-MG a vaga à semifinal da Libertadores. Pelo Brasileiro, a equipe joga no sábado que vem contra o SCCP, em Itaquera.