1
X
3

Pré-Jogo

Pré-jogo CAG x Palmeiras

Na tarde deste domingo, a Sociedade Esportiva Palmeiras inicia sua reconstrução enfrentando o Atlético-GO, no Olímpico Pedro Ludovico, em jogo válido pela 28ª rodada do Brasileirão.

Mais do que qualquer pontuação em relação ao campeonato ou mesmo para vaga na Libertadores, a partida vale para observarmos o desenho tático do time sem Cuca e o comportamento individual de alguns jogadores que vinham deixando a desejar. Algumas perguntas que vinham sendo feitas pela torcida começarão a ser respondidas.

Palmeiras

DESFALQUES
Transição física:
Mina e Roger Guedes

Pendurados: Fernando Prass, Bruno Henrique, Felipe Melo, Gabriel Furtado, Roger Guedes e Keno

Ninguém tem nenhuma pista do time que Alberto Valentim deve mandar a campo; tanto ele pode manter o time que vinha jogando com Cuca para promover mudanças gradativamente, como já pode meter o louco e arriscar uma escalação usando um conceito diferente.

Se preferir ser mais cauteloso, usando Luan e Mayke, que voltam de suspensão, e Jean, que volta após um reforço muscular, o time que pode ir a campo é Fernando Prass; Mayke, Luan, Edu Dracena e Egídio; Jean e Tchê Tchê; Willian Bigode, Moisés e Dudu; Deyverson.

CAG

O CAG não tem problemas para o jogo – o time vem fazendo uma campanha de recuperação na tabela; embora ainda ocupe a lanterna do campeonato por conta do péssimo primeiro turno, ocupa o quinto lugar na classificação do returno e não sente a falta dos dois jogadores que estão no DM, Roger Carvalho e Igor.

O técnico João Paulo Sanches deve mandar a campo o time que vem fazendo bons jogos desde que assumiu o comando do time de forma interina: Marcos; Jonathan, Gilvan, William Alves e Bruno Pacheco; Ronaldo e Paulinho; Andrigo, Jorginho e Luiz Fernando; Walter.

Retrospecto

Aproveite todas as funcionalidades do Almanaque do Verdazzo. Consulte os links abaixo, e faça os cruzamentos com outros dados como preferir:

Atlético-GO
Atlético-GO
Estádio Pedro Ludovico
Pedro Ludovico
Rodolpho Toski Marques
Rodolpho Toski Marques
Campeonato Brasileiro
Campeonato Brasileiro

 

Parpite

Jogo complicado. O lanterna está em fase boa e joga em casa; nosso time está juntando os cacos e vai ter que se garantir na base da camisa. E é exatamente isso que vai acontecer esta tarde em Goiânia: dá Verdão, 1 a 0 com gol de Tchê Tchê, para 7.654 pagantes. VAMOS PALMEIRAS!

Transmissão

TV GloboGlobo – para SP, PR e SC

PFCPFC e PFCI

Pós-Jogo

CAG 1x3 PalmeirasCesar Greco/Ag.Palmeiras

Jogando de forma bem simples, contra um adversário que pouco exigiu, o Verdão fez um jogo muito acima do esperado e venceu o CAG por 3 a 1 em Goiânia, e voltou ao G4 do Brasileirão. Ainda sem conhecer o futuro com relação ao técnico, o time se prepara agora para receber a Ponte Preta no Pacaembu, na quinta-feira.

PRIMEIRO TEMPO

Alberto Valentim posicionou o time da mesma forma que Cuca vinha fazendo, mas com algumas alterações de ordem técnica: Keno ganhou a vaga, jogando pela esquerda, com Dudu caindo para a direita. Willian Bigode voltou a ser o homem de referência na frente, e Bruno Henrique desbancou Jean – Felipe Melo segue esperando a vez.

Aos quatro minutos, Jonathan pecebeu a defesa do Palmeiras bem postada e decidiu arriscar de fora; o chute foi muito bom e obrigou Fernando Prass a fazer a primeira defesa do jogo. Um minuto depois, a primeira grande chance do Verdão: Moisés bateu falta no meio do campo com rapidez e esticou a bola para Willian Bigode, que conseguiu chegar à área mas acabou desarmado por Willian Alves no último momento, quando se preparava para fazer o gol.

Como já era de se esperar, o time do Palmeiras aparentava uma certa falta de personalidade em campo. Alberto Valentim tentou provocar o time, invertendo Keno com Dudu, que voltou para o lado esquerdo. Aos 17, Egídio bateu uma falta frontal, de longe, nas mãos de Marcos.

Aos 20, Willian foi acionado e deu um lindo tapa na bola, colocando Keno pra correr pelo lado direito; ele ganhou de Gilvan e entrou na área; Willian fechou pelo meio, recebeu a bola rolada e escorou para o gol. Na jogada, Dudu chegava na velocidade e ia trombar com Jonathan – colocou as mãos nas costas do marcador e o empurrou, fazendo falta que a arbitragem não marcou. A arbitragem validou o gol.

Aos 23, Mayke tentou cruzar mas a bola fez a curva errada e foi em direção ao gol – Marcos colocou em escanteio. Na cobrança, Edu Dracena chegou bem para o cabececeio, mas a bola saiu por cima. O Atlético respondeu aos 27, Walter fez boa jogada e enfiou para Andrigo dentro da área; o meia do time da casa dominou e girou para bater forte, exigindo boa defesa de Fernando Prass, que rebateu para o lado.

Atrás no placar, o Atlético lançou-se à frente e ganhou o meio-campo, aproveitando a timidez da dupla de volantes, e a bola passou a ficar por um momento mais no pé do time da casa, comandado pelo bom meia Luiz Fernando.

Mas aos 40, Willian Bigode começou a jogada numa roubada de bola no meio do campo; Keno foi acionado, driblou Bruno Pacheco e disparou; ele correu tanto que até passou da bola – parou, olhou e viu Moisés bem colocado, e colocou o pé embaixo da bola para fazer um passe por elevação magnífico. Com a bola pingando, à sua mercê, Moisés bateu de trivela no canto direito de Marcos, que não teve chances. Um golaço. Após os 2 a 0, os times se recolheram esperando pelo segundo tempo, diante do fortíssimo calor que fazia em Goiânia.

SEGUNDO TEMPO

A primeira chance do segundo tempo foi do Verdão, aos quatro: Willian foi lançado em velocidade e tocou dentro da área para Keno, que balançou o corpo e buscou o canto direito de Marcos, mas a bola desviou de leve em Ronaldo e foi a escanteio. Após a cobrança, uma enorme confusão na área e a bola sobrou para Willian, que tentou colocar a bola no cantinho direito, mas errou por pouco.

Aos 14, Willian Bigode começou a jogada pela direita e tocou para Keno, que viu Dudu fechando pela esquerda e cruzou na cabeça do capitão, que só teve o trabalho de escorar para dentro e fazer o terceiro do Verdão. Keno sentiu o posterior da coxa esquerda no lance e deu lugar a Erik.

Aos 18, Walter enfiou um canudo de fora da área e obrigou Fernando Prass a espalmar para a frente. Pouco depois, Thiago Santos entrou no lugar de Moisés, cansado. Com a mexida, Tchê Tchê virou o meia armador. Na seqüência, Walter recebeu lançamento dentro da área e mesmo com pouco ângulo arriscou para o gol – a bola foi desviada por Edu Dracena.

O CAG dava espaços e aos 24 Thiago Santos achou Dudu aberto pela esquerda; o camisa 7 cruzou no segundo pau e achou Willian bem colocado – ele escorou buscando o canto esquerdo de Marcos, mas errou por muito pouco.

Aos 30, Jorginho protegeu uma bola dentro da área e Mayke estava na passada e não conseguiu recolher, fazendo o pênalti. Waltão bateu de cavadinha e iludiu Prass, que foi para o canto direito. Na saída, Borja foi mandado a campo no lugar de Willian.

Com o gol, o CAG veio todo pra cima e deixou espaços para o Verdão, deixando o jogo bastante aberto. Aos 35, Tchê Tchê roubou uma bola no meio e lançou Thiago Santos, que se projetou; Willian Alves fez a falta e levou o segundo amarelo, e em seguida o vermelho. Dudu bateu a falta, Marcos soltou e pegou de novo – quase o quarto gol.

Aos 44, Thiago Santos arriscou de fora; a bola bateu no calcanhar de Borja e sobrou pingando para Dudu, que bateu forte, no canto esquerdo de Marcos, que foi buscar. Aos 46, Dudu acionou Borja dentro da área, ele girou em cima de Gilvan e bateu forte, exigindo mais uma defesa de Marcos. Pouco depois, o juiz encerrou o jogo.

FIM DE JOGO

Foi uma vitória bastante natural. Jogando solto, o time aproveitou bem o espaço do lado esquerdo da defesa do CAG e Keno mostrou que poderia ter sido mais utilizado por Cuca. Jogando mais postado e marcando 100% por zona, o time se desgastou menos, o que foi importante diante do forte calor.

Já foi possível ver algumas mudanças, que podem ser interpretadas como as primeiras reivindicações dos atletas que foram atendidas. Willian voltou ao comando do ataque e Bruno Henrique ganhou força. Resta saber se Alberto Valentim terá chances de seguir em frente ou se a diretoria vai trazer o comandante que espera para 2018 logo. De qualquer forma, fica o alívio por reencontrar a vitória e restabelecer a confiança, que iria completamente para o brejo em caso de um resultado ruim. VAMOS PALMEIRAS!

Ficha Técnica

Atlético-GO

GOL
Marcos
LAD
Jonathan
ZAG
William Alves
ZAE
Gilvan
LAE
Bruno Pacheco
VOL
Ronaldo
VOL
André Castro
VOL
Paulinho
MEI
Andrigo
MEI
Jorginho
MEI
Eduardo
MEI
Luiz Fernando
MEI
Niltinho
ATA
Walter
TÉCNICO
João Paulo Sanches

Palmeiras

GOL
Fernando Prass
LAD
Mayke
ZAG
Edu Dracena
ZAE
Juninho
LAE
Egídio
VOL
Bruno Henrique
VOL
Tchê Tchê
MEI
Dudu
MEI
Moisés
VOL
Thiago Santos
MEI
Keno
MEI
Erik
ATA
Willian
ATA
Borja
TÉCNICO
Alberto Valentim

Notas


Jogador
Descrição
Nota
Fernando Prass
Algumas boas defesas durante o jogo, bastante seguro.
7
Mayke
O pênalti foi um acidente. Parece muito confiante, tomando conta da posição.
6.5
Edu Dracena
É hoje o nosso melhor zagueiro, posicionando-se muito bem e compensando uma eventual falta de explosão.
8
Juninho
Saiu-se bem nas vezes que foi exigido.
6
Egídio
Os erros tradicionais aconteceram na frente, sem prejudicar a atuação defensiva.
6
Bruno Henrique
Tímido no primeiro tempo, soltou-se no segundo e foi importante para manter o jogo sob controle.
7
Tchê Tchê
Apático enquanto volante, melhorou muito quando jogou mais avançado.
7
Dudu
Jogando "em casa", estava bem à vontade e foi premiado com um gol de cabeça.
8
Moisés
Fez uma partida correta, auxiliando bastante a dupla de volantes na recomposição.
7.5
Thiago Santos
Entrou em bom nível, apagando um pouco as más atuações que vinha tendo.
6.5
Keno
Deitou em cima do lateral esquerdo, deu até dó. Acabou com o jogo.
9.5
Erik
Entrou bem, dando calor no pobre do Bruno Pacheco.
6.5
Willian
Segue sendo o melhor jogador do time, importante com e sem a bola no pé.
8.5
Borja
Em quinze minutos, buscou espaços e teve duas chances de concluir - não levou sorte.
6
Alberto Valentim
Alberto Valentim
Mexeu pouco no desenho, mas as mudanças ficaram bem visíveis. Enxergou bem a fragilidade do lado esquerdo da defesa do CAG e a inversão entre Dudu e Keno foi cirúrgica e venceu o jogo.
8