2
X
1

Pré-Jogo

Pré-jogo Palmeiras x Red Bull

Na noite desta quinta-feira, a Sociedade Esportiva Palmeiras recebe o RB Brasil Red Bull na Arena Palmeiras no Allianz Parque em jogo válido pela terceira rodada do Paulistão. Em ano de Copa do Mundo, Roger Machado segue aprimorando as virtudes do elenco e corrigindo as falhas como se estivesse em pré-temporada.

Palmeiras

DESFALQUES
Lesionados:
Jean, Diogo Barbosa e Deyverson
Pré-temporada estendida:
Edu Dracena e Gustavo Scarpa
Não inscritos:
Fabiano, Emerson Santos, Jean, Pedrão e Hyoran

Existe uma boa possibilidade de Roger Machado escalar mais uma vez o mesmo time que iniciou as duas primeiras partidas da temporada; para isso, basta que a equipe de fisiologia dê o aval.

O menino Luan Candido, único reserva para a lateral esquerda, foi inscrito e tem chance de ser relacionado para figurar no banco, assim como Moisés, que intensificou os trabalhos com bola durante a semana e também poderá ser relacionado, pela primeira vez no ano. O time que tende a entrar em campo é Jailson; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Thiago Martins e Victor Luis; Felipe Melo e Tchê Tchê; Willian Bigode, Lucas Lima e Dudu; Borja.

Red Bull

O time de Campinas iniciou o campeonato com empates contra Ferroviária e Santo André, e também busca um melhor posicionamento em campo. O técnico Ricardo Catalá, a exemplo de Roger Machado, tende a manter o time que vem jogando: Júlio César; Nininho, Tiago Alves, Ewerton Páscoa e Breno Lopes; André Castro, Maylson, Matheus Oliveira e Ricardo Andrade; Éder Luis e Edmilson.

Lei do Ex

Tiago Alves na zaga e Edmilson no ataque são os titulares que já passaram pelo Verdão. Ricardo Bueno também está no elenco, bem como João Denoni.

Retrospecto

Dudu estreou no Palmeiras há exatos três anos: no dia 25 de janeiro de 2015, o Verdão venceu o Red Bull por 3 a 2, em amistoso realizado no Allianz Parque. Ele entrou no intervalo, substituindo Maikon Leite.

Aproveite todas as funcionalidades do Almanaque do Verdazzo. Consulte os links abaixo, e faça os cruzamentos com outros dados como preferir:

Red Bull
Red Bull
Allianz Parque
Allianz Parque
José Claudio Rocha Filho
José Claudio Rocha Filho
Taça Campeonato Paulista
Campeonato Paulista

 

Parpite

Só uma enorme surpresa tirará a vitória do Verdão. Neste feriadão na Capital Paulista, 25.001 pagantes verão o Palmeiras vencer o Red Bull por 4 a 1, com gols de Lucas Lima, Willian, Keno e Borja. VAMOS PALMEIRAS!

Transmissão

SportvSporTV

Pós-Jogo

Palmeiras 2x1 Red BullCesar Greco / Ag.Palmeiras

Num jogo com dois heróis incomuns, o Verdão venceu o Red Bull por 2 a 1, de virada, e segue 100% no campeonato – o único time após a terceira rodada a ter esta marca. O time agora passa a pensar no Bragantino, para depois desfrutar de uma semana limpa para se preparar para o clássico contra o Santos.

PRIMEIRO TEMPO

Roger Machado fez as primeiras três mexidas no time titular do ano: Mayke estreou no ano no lugar de Marcos Rocha, Keno entrou do lado direito do ataque no lugar de Willian Bigode, e Thiago Santos rendeu Felipe Melo. O Palmeiras rapidamente assumiu o controle do jogo, recompondo muito rápido na marcação e saindo tocando com consciência, mas ainda com dificuldade no último passe.

Surpreendentemente, a primeira jogada aguda foi do Red Bull: pelo lado direito, Deivid conseguiu infiltrar e fez o cruzamento por baixo; Edmilson fuzilou da marca do pênalti e Jailson fez uma defesa espetacular, mas deu rebote; a bola caiu no pé de Éder Luiz, que finalizou de novo – desta vez  Jailson defendeu com tranqüilidade. Um susto.

Aos 14, o Palmeiras respondeu após falta cobrada por Lucas Lima; Thiago Martins escorou para o meio e Thiago Santos chegou chutando tudo; a bola ficou viva na pequena área e o juiz preferiu marcar falta para não se complicar.

Deivid era sempre a opção de ataque do Red Bull, em cima de Victor Luis, e a marcação passou a ficar atenta no setor, fechando o espaço. O Palmeiras começou a abafar; aos 18, Lucas Lima roubou a bola no meio-campo e ligou rápido com Borja, que arrancou a seu estilo, invadiu a área e soltou o canudo – Júlio César defendeu parcialmente e a defesa aliviou.

Quando parecia que o Palmeiras chegaria ao gol na pressão, aos 23 minutos o Red Bull aproveitou uma falha em nosso sistema defensivo, que deixou de armar as duas linhas de forma organizada: Éder enxergou Breno Lopes passando pela esquerda e abriu bem; sem marcação, o lateral cruzou na marca do pênalti e Deivid mergulhou para ganhar de Victor Luis e, com muita felicidade, testar forte para vencer Jailson.

Com o gol, uma irritação fora do normal tomou conta do Allianz Parque e o time não tinha mais tranqüilidade sequer para demorar para fazer um passe. Uma torcida inexplicavelmente à beira de um ataque de nervos.

Dudu e Keno jogavam afunilando e nem sempre havia sincronia com os laterais. Assim, o Palmeiras deixava de aproveitar espaços importantes nos flancos para armar as jogadas ofensivas. Aos 36, depois de choque de Dudu na área, Tchê Tchê arriscou um chute de fora, tímido, fácil para Júlio César. Aos 38, Keno sentiu uma providencial pancada e o jogo ficou quase dois minutos parados – formou-se uma conferência em torno de Roger Machado para que ele passasse suas orientações ao time.

Parece que deu resultado. Dudu e Keno passaram a jogar mais abertos; Lucas Lima ganhou opções e a pressão cresceu nos minutos finais. Keno sofreu falta do lado direito; Lucas Lima cobrou no segundo pau e Thiago Santos, meio corpo adiantado, testou no chão, acertando o canto direito de Júlio César, que ficou vendido. O Verdão foi para o intervalo com a igualdade, depois de muita dificuldade.

SEGUNDO TEMPO

Sem alterações, o time voltou para o segundo tempo e aos três minutos perdeu ótima chance: Dudu bateu rápido uma falta na intermediária defensiva e pegou a defesa do Red Bull desarrumada; Borja apostou corrida com Anderson Marques e os dois chegaram juntos na área; Borja girou em torno da bola, protegeu e bateu para o gol; Júlio César defendeu bem e a zaga afastou o perigo.

Aos 11, o Palmeiras viu o Red Bull trocar muitos passes e permaneceu postado. No erro, Keno roubou e lançou Dudu com rapidez, nas costas da zaga; o capitão invadiu a área e tocou por cima, mas Júlio César conseguiu dar um tapa para escanteio. Na cobrança curta, Lucas Lima cruzou no segundo pau e Thiago Santos surgiu com um raio para testar com muita força – a bola passou raspando o travessão.

Já com Dudu e Keno invertidos, mais uma chance aos 14: Keno disputou uma bola na área e abriu para Victor Luis, que cruzou na cabeça de Borja; a testada saiu firme, mas subiu um pouco e acordou a coruja do lado direito do gol Sul.

Aos 20, Roger mexeu no time pela primeira vez: Willian Bigode no Keno e Bruno Henrique no Tchê Tchê. Aos 23, Dudu cobrou falta que ele mesmo recebeu, por cima do gol. O Red Bull se armou para o contragolpe e o Verdão seguia com problemas para encaixar uma jogada de ataque. Roger promoveu então a estréia de Guerra, no lugar de Borja – Willian foi jogar por dentro.

Aos 30, Éder Luis entrou na área e, na disputa com Antônio Carlos, se desmanchou no chão – o bandeira Eduardo Vequi Marciano apontou o pênalti para o árbitro, que atendeu, e assim conseguiu compensar o erro do gol impedido de Thiago Santos. Na batida, Rodrigo Andrade tocou no canto esquerdo e Jailson defendeu; no rebote Nininho bateu forte e Jailson cresceu para abafar, salvando o Verdão de forma espetacular.

Aos 34, Rodrigo Andrade fez falta em Thiago Santos e levou o segundo amarelo. O Verdão chegou forte aos 40, depois que Lucas Lima fez ótimo cruzamento no segundo pau e achou Willian, que só ajeitou no meio para Bruno Henrique, que chegou como um centroavante, mas concluiu como as nossas avós.

Bruno Henrique poderia ter saído como o vilão do jogo, mas foi salvo pelo outro volante do time. Aos 42, após jogada aérea, todos os nossos zagueiros estavam no ataque; a defesa deles rechaçou e Mayke ligou com Thiago Martins na direita; o camisa 31 fez o cruzamento por baixo, Antônio Carlos disputou o lance no bico da pequena área e a bola passou, para cair nos pés de Thiago Santos que, com o gol vazio, apenas empurrou para as redes.

Nos descontos, com o Red Bull já batido, quase saiu o terceiro: Dudu abriu para Mayke na direita; ele foi ao fundo e rolou para a chegada de Willian, que ia fazer de carrinho mas Éverton Silva dividiu por baixo e salvou. O Verdão controlou os minutos finais e chegou à terceira vitória na temporada.

FIM DE JOGO

Foi o jogo mais complicado dos três disputados no ano até agora. Contra um time mais organizado, o Palmeiras teve dificuldades para chegar ao gol adversário, sobretudo no primeiro tempo. Os laterais não acertaram o tempo de subida e bateram cabeça com os meias abertos – algo que foi corrigido parcialmente no segundo tempo. A vitória veio nos brilhos individuais de Jailson e Thiago Santos.

Certamente Roger Machado terá muitos elementos para estudar e seguir desenvolvendo as variações de jogo que o elenco pode imprimir. Quando o time vence, tudo fica mais fácil, mesmo numa atuação coletiva não tão boa como a desta noite. Que venha o Braga e VAMOS PALMEIRAS!

Ficha Técnica

Red Bull

Julio César
GOL
Nininho
LAD
Ewerton Páscoa
ZAG
Tiago Alves
ZAE
Anderson Marques
ZAE
Doriva
VOL
Breno Lopes
LAE
André Castro
VOL
Éder
MEI
Rodrigo Andrade
MEI
Deivid
ATA
Éverton Silva
LAD
Edmilson
ATA
Éder Luís
ATA
Ricardo Catalá
TÉCNICO

Notas


Jogador
Descrição
Nota
Jailson
Defendeu praticamente dois pênaltis, já que o rebote foi à queima-roupa. Monstruoso.
9.5
Mayke
Falhou no gol, totalmente fora do jogo no primeiro tempo, entendeu o que precisava fazer nos últimos 20 minutos e melhorou bem.
6
Antônio Carlos
Discreto e seguro, boa participação no lance do gol da vitória.
7
Thiago Martins
Continua muito forte no jogo aéreo.
7
Victor Luis
Completamente perdido.
5
Thiago Santos
Com dois gols, nem dá pra falar muito dos problemas de posicionamento. Fica pra próxima.
9.5
Tchê Tchê
Voltou a oscilar para baixo; fez um bom jogo taticamente mas errou demais na execução.
5.5
Bruno Henrique
Fazia um jogo mais consistente que Tchê Tchê e era um dos responsáveis pela pressão final do Palmeiras dar certo, mas o gol que perdeu no fim não tem perdão.
6
Keno
Mesmo sem o brilho dos jogos anteriores, teve um desempenho acima da média.
6.5
Willian
Sempre perigoso, seja aberto ou jogando enfiado. É muito bom tê-lo no elenco.
6
Lucas Lima
Muito à vontade em campo, desafogou o time nos momentos mais complicados.
7.5
Dudu
Respondeu aos críticos no campo, fazendo um jogo bem mais produtivo que os dois primeiros do ano. E assim deve continuar evoluindo.
7.5
Borja
Segue fazendo boas partidas taticamente com muita doação, mas desta fez pecou nas finalizações - seu ofício primordial.
6
Guerra
Com pouco tempo em campo, mostrou que ao menos entendeu o que precisava fazer, jogando aberto pela direita e triangulando com Mayke e Lucas Lima.
6
Roger Machado
Roger Machado
Papo decisivo no fim do primeiro tempo; mexidas corretas no segundo e o time cada vez mais com sua cara.
7.5





  • Desde o início do jogo me pareceu claro que a estratégia do time era cadenciar o jogo no 1º tempo quando o calor era mais intenso para ter folego no 2º tempo. No próprio intervalo nossos jogadores ficaram 18 minutos no vestiário. Estratégia perfeita, visto que o Botafogo vinha de um tempo maior de preparação na pré-temporada e também teve 01 dia a mais de descanso em relação ao jogo da 1ª rodada. Os caras correram tudo no 1º tempo e no 2º tempo o Palmeiras sobrou em campo. Poderia ter sido uns 4×0 tranquilo.

    Na parte tática também estou gostando da organização do time. Mesmo com apenas 02 jogos não vejo aquele espaço enorme entre as 2 linhas de 4 como no time do Eduardo Batista, onde os meias flutuavam e faziam a festa sobre o Felipe Melo. Também não vemos a linha defensiva tão alta levando alçadas de bola nas costas dos zagueiros como no time de Alberto Valentim.
    Falta acertar alguma coisa na cobertura da lateral-direita… e de resto é condicionamento físico e entrosamento.

    Concordei com o Roger ter mantido aquele time que ele considera titular. É preciso de repetição para que se atinja o melhor entrosamento. Se alguém se machucar, temos reservas ao mesmo nível para suprir, como foi o caso do Victor Luiz que vem muito bem no lugar do Diogo Barbosa.

    Esse ano vai ser diferente. Coisas boas virão.

    AVANTI PALESTRA

  • Não sei vocês, mas pra mim a zaga desse time é Antônio Carlos e Thiago Martins. Dracena, Luan, e Juninho vão ter que correr atrás dos caras!

  • Estive no estádio assistindo o jogo, realmente o calor estava infernal, terrível! O Palmeiras foi para o jogo pra ganhar de 1 x 0 e ponto! Fez o feijão com arroz, pois, nesse Paulista ninguém irá se matar para correr risco de lesão, muito menos em um calor desse em Ribeirão e com um adversário fraco desse! Valeu pelos três pontos e o entrosamento do grupo.

  • Bom dia, Conrado! Concordo, sistematicamente, com a estratégia do Roger em manter uma base em todos os jogos. Ritmo de jogo e conjunto só se adquirem jogando. Gosto também de saber que ele não pipoca em trocar os medalhões por medalhas não tão medalhonas assim, isso, a princípio, prova a sua liderança sobre o grupo. Somente esses dois fatores me mostram que a diretoria esteve certa na contratação dessa comissão técnica. É pouco mas é bastante pra que tenhamos esperança num ano repleto de conquistas.

  • O primeiro tempo foi bem chato.. mas é bem claro pra mim que o time ainda está tentando se encontrar em campo, falta entrosamento, coisa bem normal para o segundo jogo da temporada, mas já dá pra ver a qualidade dos nossos jogadores, temos um time muito bom.. e com as peças que ainda faltam estrear esse ano, a coisa vai melhorar muito!

  • Os dois primeiros jogos me agradaram bastante, especialmente o primeiro. O time mostra um enorme potencial e, ao que tudo indica, será um time de toque de bola e muita técnica.
    A oscilação neste último jogo se deu pela forte marcação e, principalmente, pela temperatura elevadíssima, mas soubemos administrar e sair com a vitória, coroando este bom início de campeonato.
    Pena que não saiu aquele gol de falta do Lucas Lima!
    Avante Palestra!

  • É interessante como o desempenho de Dudu oscila demais dependendo da importância do jogo, do adversário ou do momento do campeonato.

    Quando as coisas estão mornas, ele erra demais. Quando é para decidir, ele sempre é fundamental.

    Parece um motorzinho de competição. Quando precisa andar devagar engazopa, engasga, faz ruídos estranhos, tudo por conta da mistura errada de oxigênio e combustível.

    Mas quando precisa acelerar de verdade, tudo se acerta e o resultado é fora de série.

    RM precisa achar um equilíbrio para isso. Não acho que tirá-lo do time seja solução.

  • Palmeiras precisa melhorar a conclusão dos contra ataques. Desde o final do ano passado que continua perdendo diversas oportunidades. De resto, tudo ok.

  • Desumano o horário escolhido para o jogo ontem para fechar a grande de programaçao da RGT. O Palmeiras teve um dia a menos de preparo (jogou na quinta), e já joga debaixo desse sol. Do lado dos marmiteiros, 1 dia a mais de descanso e uma partida “noturna”, e 3 dos 4 primeiros jogos jogando como mandante.

    Sempre essas tabelas favorecendo o lado de lá nos começos de campeonato para ver se o time engrena jogando em casa…

  • parabens a comissão técnica pelo preparo físico atingido em apenas 2 jogos. No primeiro tempo parecia que o time tinha morrido, mas aparentemente estavam se poupando…e o Botafogo fez o oposto, apostou as fichas no primeiro tempo e morreu no segundo.
    Meus destaques vão para a dupla de zaga, evitaram um empate (placar que não seria de todo injusto pelo que o Botafogo fez no 1o tempo). Me preocupa um pouco o Marcos Rocha (me lembrando um pouco o Egídio, ataca sem perigo e toma bola nas costas toda hora, espero que seja falta de ritmo) e o Dudu que parece não estar mais com a cabeça no Palmeiras. Até o TT me deu uma esperança que vai voltar a jogar o que sabe.

  • Estava lembrando dos primeiros jogos de 2017…

    Eu estava na estreia do Campeonato Paulista contra o mesmo Botafogo de Ribeirão Preto, no Allianz. Vitória com gol do Tchê Tchê, num jogo que eles tiveram até mais oportunidades que a gente. O segundo jogo foi um jogo ruim contra o Ituano fora de casa, perdemos de 1 a 0.

    Aqueles primeiros resultados, embora em começo de temporada, já mostravam o que seria nosso ano. Claro que ainda é muito cedo, mas acho que temos bons motivos pra confiar que 2018 será melhor, começamos muito bem.

  • Vencemos com mais uma boa partida do Victor Luis. No 1 tempo o marcos rocha tava mal, perdendo quase todas as jogadas.

    Mas falando do calor desumano e fortíssimo, é caso de vida ou morte, não pode ter jogo em Ribeirão Preto de dia. Somente à noite. Uns cinco caras passaram mal mesmo, coisa seria e a falta de estrutura do estádio e desinteresse da PM pela vida dos torcedores são um coquetel explosivo. Que a federação paulista e a Globo não coloquem jogo nessa cidade de dia mais. Só de noite. É questão de vida ou morte

    • Comecei a pegar raiva da PM quando eles distribuíam bomba na torcida ao redor do Allianz, a troco de nada, eles realmente não estão nem aí, o policiamento nos estádios tem que mudar.

      • Sou a favor de investimento pesado do governo para melhoras na PM e isso inclui cursos para eles saberem lidar melhor com torcedor. Precisava destrancar um portão lá ontem para passar com um senhor que estava passando mal e eles não abriram. Da muita raiva isso. Tiveram que subir toda a arquibancada carregando o coitado que devia pesar uns 100 kilos

  • Tchê tchê estava mais lúcido, teve algumas participações interessantes, gostei daquela tentativa de infiltração na área pela esquerda, com o Willian, acho que foi a primeira vez que vi ele driblando alguém haha
    O Borja começou errando tudo, mas depois acordou e fez um bom jogo. Ele é estranho, quando está sem a bola fica andando cabisbaixo pelo campo…
    O Dudu errou pra caramba, mas teve participação no gol, e quase serviu um segundo, Borja deveria ter acompanhado a jogada.
    Assisti o jogo passado num bar com meu irmão (Bambi, que não assiste 1 jogo do próprio time a séculos), ele dizia que jogador brasileiro não sabe finalizar, pega mal na bola, o Dudu corroborou isso hoje. Não assisto jogo de Europeu pq o Palmeiras não joga lá, e vou continuar acompanhando só futebol brasileiro, que tem graça somente pelo Palmeiras
    O Lucas Lima parece ser o único que finaliza bem, podia ensinar a galera, aquela bola no travessão tinha que ter pingado para dentro do gol, seria lindo.
    Deveriam por o kid para treinar o povo a cobrar falta, como que ninguém aprendeu com ele enquanto estava aqui?
    Acho que só um clássico vai comprovar a eficiência da nossa defesa, está precisando de um desafio maior para demonstrar se realmente é eficiente

  • Vamos pegando corpo ao longo do campeonato…ainda estamos engatinhando. Achei um perigo o lado direito da nossa defesa. Mais do que uma vez vi ataques do Botafogo pelo meio com um avante dos adversários sozinho…mas sozinho mesmo…onde deveria estar o Marcos Rocha. Fiquei um pouco assustado com aquilo e já tinha acontecido contra o Santo André. De resto é começo mesmo…precisamos encorpar e ganhar é sempre bom porque traz a calma necessária.

    • O Marcos Rocha parece um pouco lento na recomposição. Mas ele se redimiu quando o Jaílson caçou borboleta e ele limpou a jogada
      O que acho mais estranho é a segunda linha, é legal que ela esta bem treinada, mas ela varia bastante durante o jogo pq nosso meio se movimenta bastante, uma das vezes que o Bota estava com o domínio da bola nos tínhamos da esquerda para a direita Dudu – Lucas Lima – Felipe Melo – Tchê tchê, ou seja, desequilibrada uma vez que do lado esquerdo não tinha ninguém com característica de marcação, contra um time mais inteligente isso pode ser um problema.
      O Victor Luis da uns sustos as vezes tb, como quando caiu sozinho, mas quando está na jogada ele marca bem

  • Quando eu era criança sempre que dava o segundo tempo eu já esperava pelo Euller ansioso, sabia que ia vir bons lances de ataque e muita correria… Keno (guardadas as suas proporções) é o Euller de 2018.

  • É difícil, mas hoje concordei com o Caio duas vezes: quando opinou que Guerra deveria ter entrado no LL e que o primeiro nome do nosso estádio é Allianz.

    Aliás, deve ficar sem o salário do mês por causa deste vacilo.

    Quanto ao jogo, tudo dentro do esperado. O time vai melhorar a pontaria no decorrer dos jogos.

    • Eu achei as análises que o Caio fez durante o jogo imparciais, bem.melhor que o Casa, que sempre coloca os gambás no meio de qualquer jogo.
      Durante a transmissão o Caio disse que estava feliz pelo Borja ter feito o dele, acho que do jogo de hoje não dá para reclamar de falta de respeito pelo Palmeiras por parte da plin plin…

      • Não me esqueço de 2016 quando ele falou antes de começar o campeonato brasileiro, “O Palmeiras vai ficar lá em cima, ou em primeiro ou segundo, podem me cobrar” Não deu outra, título nosso. Gosto das análises dele.

  • Típico jogo chato: calor e gramado não favorável, se ganha não é nada demais, se perde, instaura-se a crise pela imprensa!
    Somente acrescentar que no lance aos 28min do primeiro tempo, o Thiago Martins salvou o gol com um desvio provindencial! DALEPORCO!

  • Pra início de temporada foi um bom jogo. Só faltou aquela falta do Lucas Lima ter entrado. No meio da transmissão na RGT o Caio Ribeiro falava sobre estádios e deixou escapar um “Allianz”. Na sequência da fala ele se mostrou meio constrangido como se fosse ser cobrado pela palavra que disse. Não sei qual o problema dessa emissora em falarem o nome do nosso estádio, deve ser inveja pq ninguém comprou o naming rights da “arena Marminthians”.

    • O “problema” é que o nome Allianz não tá no contrato. Aí eles se sentem no direito de não precisar falar. Não é de hoje, nem só com o Allianz Parque. É toda e qualquer marca que eles não tenham parceria ou obrigação de falar.

      De qualquer forma, vai ser bem interessante ver eles mostrando seus repórteres com o colete novo no Allianz!

  • Fui no jogo: fila mal organizada, gente furando fila mas como cheguei cedo ainda consegui entrar com certa tranquilidade.
    Achei que o pior seria a entrada, então fiquei tranquilo, mas com o passar do tempo o sol foi ficando cada vez mais escaldante. O serviço de som anunciava água a 3 reais (copo) mas o pessoal do isopor vendia a 5, um roubo. Antes do jogo começar acabou a agua, só tinha pra comprar na cabine, com fila enorme… Era beber água ou assistir o jogo. E depois acabou a agua geral. Muita gente passando mal, calor muito forte mesmo. Torcedor no Brasil é muito mal tratado, mesmo pagando muito caro.

    • Também estive lá, confirmo tudo que vc disse. Que falta de organização! E a polícia jogando cavalos nos torcedores, para ‘organizar’ a fila. Cadê a novidade?

    • Varias passando mal…a ambulancia querendo agir e os portoes trancados
      Chave estava com pm..que estava nem ai
      Sem contar a fila mal organizada pra entrar
      Muita gente se entrou foi no devorrer do jogo.. sendo 1 estavam la desde o meio dia
      Brasil sil sillll

    • Também estava lá e assino em baixo…. Organização nota zero!
      Acabei ficando com uma ficha de cerveja na carteira, pq não tive paciência de ir pegar outra e enfrentar a enorme fila!

    • Também estava lá, e concordo com tudo que você falou, falta de organização total, as filas pra entrar não existiam, a PM não estava nem ai, o calor matando as pessoas e não tinha nem agua para beber. Lamentável a falta de respeito com o torcedor.

    • Como você foi no estádio talvez não tenha ouvido que a RGT declarou que ver ir num jogo como este “é super tranquilo”.

      Pessoas desmaiando com insolação, mas desmaiando tranquilamente.

    • Tbem fui, como sempre vou, sou de Orlandia, meia hora de Rib, mas juro que nunca mais volto…
      Depois de ir no Allianz, a gente fica “mal acostumado”, com organização, entrada tranquila, bancada coberta e compras rapidas… hehehe. Aliás, no Allianz venderá cerveja com alcool, igual Rib ?

  • Mais um bom jogo. Era natural que o time sofresse um pouco devido ao forte calor e início de temporada, mas o time terminou muito bem, atacando e sem sofrer sustos.

    Eu no lugar do Roger talvez colocasse um time diferente do meio campo pra frente em relação a escalação do jogo passado, mas entendo a ideia de manter o time e entrosar.

    Destaco a atuação do Antonio Carlos, muito bem pelo alto, tirou tudo. William participativo demais como sempre. Victor Luiz, é impressionante como cresceu o futebol dele nestes anos em que ficou fora, teremos uma boa briga pela posição.

    Em relação ao Borja é importante destacar a vontade. Embora tenha errado alguns lances, tem se mostrado mais a vontade que no ano passado. Com o passar dos jogos o futebol dele tende a crescer.

    Sobre o Roger, tenho gostado muito das substituições. Na minha visão todas corretas. E sempre muito lúcido nas entrevistas.

    Está cedo demais, mas a perspectiva para o ano é boa.

    Contra o Red Bull Brasil estarei lá! Vamos!

  • Taticamente certinho, linhas compactadas na defesa, boas trocas de bola e inversões de posição no ataque. Mais importante do que os placares desses dois jogos, é ver que o elenco está assimilando muito bem a proposta do técnico.

  • Hj seria um ótimo jogo pra colocar um outro time, não havia necessidade d colocar o mesmo time q jogou quinta feira, todos pedem para jogar uma vez por semana..mas não pode pois não tem elenco aquele blá blá d sempre qdo tem ele não usa..vai entender..lua d 40 graus

  • Com um pouco mais de capricho o placar seria maior, o Dudu perdeu dois gols, no primeiro driblou o goleiro e tudo e conseguiu perder, no segundo recebeu sozinho na entrada da área e isolou , chutou até de maneira displicente eu achei, o Willian tambem perdeu um gol de baixo da trave no finalzinho, e o Lucas Lima acertou uma bola na trave naquela falta, de resto coloca mais um jogo invicto na conta do Jailsão

    • Pra mim o importante é ter aumentado o número de chances por jogo. Fazer mais ou menos gols vai depender da inspiração dos atacantes só. Chances eles vão ter.

  • Calor prejudicou muito o rendimento do time, mas no segundo tempo soubemos fazer o gol e controlar a partida que poderia ter tido um placa ainda maior. Gostaria que o Guerra tivesse entrado no L Lima para ver como encaixa com esse time. Borja realmente está melhor que ano passado

  • Jogo que valeu pela briga e pelos 3 pontos. Tem que saber jogar esses jogos assim.
    Temos que falar sobre o Premiere FC. Narrador torcendo para o Botinha. Comentarista montou 200 crises no Palmeiras ao longo do jogo. E o cara dos microfones, que geralmente tira o som quando a torcida xinga, aumentou o som quando uns 5 caras da torcida do Botafogo começaram a cantar “Tchê Tchê viado”. Aumentaram tanto, que deu pra ouvir a risada de um cara. Ridículo, a inveja desses bostas tá estourando.

      • Essas foram algumas das crises que ele tentou montar no Palmeiras durante e depois do jogo. E ele conseguiu, tá vendo o que tá acontecendo com o Dudu?

  • Não sei se o Emerson Santos está inscrito, mas gostaria de ver como se porta em campo.
    Palmeiras 4×0 Botafogo SP.
    Lucas Lima – Victor Luís e Borja 2x.

  • Que isso Conrado! 11 mil pessoas de público pagante? Os últimos jogos do Palmeiras no Santa Cruz deram todos em torno de 18/19 mil. A torcida palmeirense nessa região é muito forte! Avanti Palestra

    • Acho que a previsão do Conrado foi baseada no fato de a diretoria do time mandante ter colocado o preço dos ingressos lá em cima.

  • Espero que o Artur entre hoje, pra já começar a pegar ritmo de jogo! E só ficou faltando o nome do Diogo Barbosa, ali na lista dos “Lesionados”.

  • 2X0 com dois do Borja. Lucas Lima vai dar mais uma assistência hoje!

    Lembrando que fazem 5 anos que Paulo Nobre foi eleito, na última eleição via conselho no Verdão!

    Avanti

    • Vou todo ano que jogamos la
      Se vc chegar com ingresso e com antecedencia…é tranquilo demais
      Doncontrario corre risco de nao entrar ou entrar com o jogo rolando
      Poucas catracas..muita confusao perto do inicio do jogo