Para Felipão, Palmeiras teve ótima postura contra o time do Sampaoli

O tão esperado confronto diante do Santos acabou em zero a zero, placar incomum no Clássico da Saudade, em jogo com direito a chuva e 34 mil torcedores apoiando o Palmeiras. Apesar da falta de gols, a partida foi bem disputada e com muitas oportunidades criadas, cuja atuação da equipe agradou o Felipão, que concedeu entrevista coletiva após o jogo.

Elogios à postura do time em campo

Descontente com o placar, Felipão entende que o Palmeiras se comportou muito bem durante os 90 minutos e, no geral, o empate não foi um resultado injusto, considerando o que ambas as equipes apresentaram em campo.

“Fiquei muito satisfeito porque taticamente a equipe se portou muito bem. Soube se comportar para que o Santos, com a velocidade dos jogadores do meio pra frente, não tivesse muitas chances de gols”, disse o treinador palmeirense.

Dificuldades dos atletas em acertar as finalizações

As características de Palmeiras e Santos ficaram evidentes na partida deste sábado. Mais agressivo e objetivo no ataque, o time de Scolari finalizou 15 vezes à meta do adversário, que teve mais posse de bola.

Contudo, o fato de as oportunidades não se converterem em gol não tem a ver com uma possível “falta de repertório”, segundo Felipão.

“O repertório tá bom, [o time] tem criado oportunidades e quando se cria oportunidades a gente não pode reclamar. O que podemos cobrar da equipe é mais qualidade no último chute, no cabeceio ou no passe final.”

Recorrência de jogadas de lançamento longo

Quando questionado sobre a irritação após uma tentativa de lançamento direto da defesa ao ataque, o técnico destacou que o problema não está na estratégia, tampouco na visão de jogo do atleta, mas na execução.

“Meu incomodo não foi com o lançamento, mas com a forma que foram feitos aqueles lançamentos. Em vez de bater de peito de pé, [os jogadores] batiam de lado e a bola nunca chegava onde pretendiam”, esclareceu.

“Nós treinamos em cima do que o jeito que o Santos joga. Eles marcam quase do meio-campo, de modo que o Palmeiras teve de 30 a 40 metros pra jogar”, completou.

Situação de Deyverson no Palmeiras

Especulado no futebol chinês, há dúvidas acerca da permanência do centroavante no Palmeiras, cujo histórico disciplinar tem afetado o Palmeiras e sua própria carreira.

Diante da situação instável de Deyverson, Felipão revelou que conversou com o jogador.
“Dois dias atrás, o Palmeiras tinha possibilidade de vender o Deyverson pra China por valores excelentes, mas quando conversei com ele, tive uma sensação agradável porque ele me disse: ‘eu não quero sair. O Palmeiras é o time que eu gosto, estou bem, aqui, e não desejo sair. Você quer que eu vá embora?’ ”

Ao ouvir a posição do camisa 16, Felipão deu sinal positivo para a sua permanência no clube, reconhecendo que enxerga muita qualidade nele, porém sem esquecer de suas atitudes imponderadas dentro das quatro linhas.

Abaixo, a entrevista na íntegra, disponibilizada pelo canal TV Palmeiras/FAM no Youtube:

  • Queria entender PORQUE o Brasileirão não para em datas FIFA, alguém poderia me explicar? É inaceitável que o clube seja prejudicado dessa forma, se fosse um amistoso OK, mas data FIFA deveriam parar os jogos, os jogadores retornam dos seus compromissos pelas seleções e pronto! Bizarro….