Hora da revanche? Palmeiras volta a enfrentar o Boca Juniors na Libertadores

Mayke em disputa pelo  Palmeiras com Zárate do Boca Juniors, durante primeira partida válida pelas semi-finais da Libertadores 2018, em La Bombonera.
Cesar Greco

Duelo entre Palmeiras e Boca Juniors acontecerá no final de setembro e início de outubro

Logo após empatar em 0 a 0 com o Deportivo Pereira, no Allianz Parque, o Palmeiras conheceu o adversário da semifinal da Libertadores: será o Boca Juniors, que derrotou nos pênaltis o Racing pelo placar de 4 a 1.

Será a terceira vez que as equipes se enfrentarão nesta fase da competição, com o Verdão buscando o primeiro sucesso diante dos argentinos. Em 2001, após empates em La Bombonera e no Palestra Italia, além de erros gritantes da arbitragem contra o Palmeiras, o Boca levou a melhor nos pênaltis.

Os times se encontraram 17 anos depois, em 2018. O Palmeiras de Luiz Felipe Scolari foi superado em Bueno Aires e empatou o segundo jogo, no Allianz Parque. Seis atletas que participaram daquela eliminatória continuam no Verdão: Dudu, Gustavo Gómez, Luan, Marcos Rocha, Mayke e Weverton.

Além destes duelos, Palmeiras e Boca disputaram a final da Libertadores de 2000 e se enfrentaram nas fases de grupos de 1994 – quando o Verdão goleou os argentinos por 6 a 1, no Palestra Italia – e na edição de 2018.

Retrospecto do Palmeiras contra o Boca Juniors

Apesar dos insucessos contra o Boca Juniors na Libertadores, o Palmeiras, no retrospecto geral, leva vantagem em número de vitórias diante dos argentinos. Confira os números:

  • 25 jogos;
  • 8 vitórias do Palmeiras;
  • 13 empates;
  • 4 derrotas;
  • 39 gols marcados pelo Palmeiras;
  • 30 gols marcados pelo Boca Juniors.

Abel explica escalação com 3 zagueiros e fala sobre as opções de ataque sem Dudu

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o Deportivo Pereira, durante primeira partida válida pelas quartas de final da Libertadores 2023, no Allianz Parque.
Cesar Greco/Palmeiras/by Canon

Abel concedeu entrevista coletiva após a classificação do Palmeiras na Libertadores

No primeiro jogo sem Dudu, que lesionou o joelho e só retorna aos gramados em 2024, o técnico Abel Ferreira optou por escalar o Palmeiras com três zagueiros (Luan, Gustavo Gómez e Murilo) e com Flaco López fazendo a dupla de ataque ao lado de Rony, deixando Artur no banco de reservas.

Após o empate em 0 a 0 com o Deportivo Pereira, que confirmou a classificação do Verdão para a semifinal da Libertadores, o treinador explicou a escolha pela escalação inicial.

“Nossa estratégia passava por fazer uma saída a três como normalmente fazemos, hoje optamos por colocar o Luan atrás e mais um centroavante na frente. Foi um jogo de muito duelo, truncado, nosso adversário veio para não nos deixar jogar e eles não tinham nada a perder. Acabou por ser um jogo não muito bem jogado. Depois, as substituições já estavam programadas. Felizmente ninguém se lesionou, que era minha preocupação, e o mais importante é que estamos na fase seguinte”, iniciou.

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o Deportivo Pereira, durante primeira partida válida pelas quartas de final da Libertadores 2023, no Allianz Parque.
Cesar Greco/Palmeiras/by Canon

“Tudo que fiz hoje não é nada novo. [Escalar três zagueiros] não sei se vai ser uma tendência, depende. Temos essa variante e não é de hoje. Essa é minha função e foi por isso que eu estudei quase dez anos. É entender o que temos de fazer a cada jogo”, complementou.

O treinador comentou também as opções que têm no elenco sem Dudu e voltou a falar sobre o sistema tático.

“Ninguém substitui o Dudu. Posso jogar com o Jhon Jhon, que também vem por dentro. Ou escolher um ponta aberto. A minha escolha vai ser em função do que eu achar que será melhor para a equipe. Seja um jogador que vai vir para dentro ou outro que abre mais o jogo”, disse.

“Minha função desde que cheguei ao Palmeiras é arranjar soluções. Se for com três zagueiros vai ser com três zagueiros; se for com quatro zagueiros não há problema nenhum. Aqui a cultura esportiva não está habituada a esta plasticidade no sistema tático – se for um 4-3-3 já fica todo mundo contente, ninguém fala nada. O sistema tático é só o ponto de partida, todo o resto é dinâmica”, acrescentou.

O Palmeiras enfrentará o Boca Juniors na semifinal da Libertadores. Os jogos de ida e volta estão agendados para o final de setembro e começo de outubro. Até lá, o Verdão seguirá focado no Brasileirão. Neste domingo, a equipe enfrenta o SCCP, em Itaquera.

Confira mais trechos da coletiva de Abel:

– Endrick

“A nossa formação trabalha muito bem, mas jogar na equipe principal não é igual a jogar na base, em muitos aspectos. Não há tudo isso de jornalistas, não há toda essa cobrança e pressão, não tem toda essa torcida. Especificamente sobre o Endrick, têm coisas que não controlamos. Aconteceu tudo muito rápido, há um ano e meio ele estava sendo campeão do Sub-17. Criou-se um mundo de expectativa em cima de um menino. É normal em nossa vida termos momentos de muita inspiração e outros de aprendizagem ou frustações”.

“Há jogadores que sonham a vida inteira por uma oportunidade de jogar no Real Madrid e esse menino, de 17 anos, conseguiu. Como todos os jogadores do mundo, até entre os melhores, há momentos de altos e baixos. Ele vai ter que lidar com isso e estamos aqui para isso. Mas não é só ele, é o Vanderlan, o Kevin, o Garcia, o Jhon Jhon… há dores do crescimento que temos de passar.”

– Ansiedade até o confronto diante do Boca Juniors

“O trabalho até o [primeiro] jogo [contra o Boca] seguirá o mesmo. Seguirei vivendo a minha vida com intensidade, com a minha família, com os jogadores. Às vezes as pessoas esquecem que estamos aqui de passagem. Enquanto a viagem durar, temos que desfrutá-la.”

Gustavo Gómez elogia consistência do Palmeiras na Libertadores e Mayke já pensa no Derby

Gustavo Gómez em jogo pelo Palmeiras contra o Deportivo Pereira, durante segunda partida válida pelas quartas de final da Libertadores 2023, no Allianz Parque.
Cesar Greco/Palmeiras/by Canon

Gustavo Gómez e Mayke concederam entrevistas na saída do gramado do Allianz Parque após o empate em 0 a 0

Depois de derrotar o Deportivo Pereira por 4 a 0 no jogo de ida das quartas de final da Libertadores, fora de casa, o Palmeiras apenas administrou o resultado no Allianz Parque e segurou o 0 a 0, que garantiu o clube na semifinal pelo quarto ano consecutivo.

Após a partida, Gustavo Gómez e Mayke concederam entrevistas na saída do gramado e falaram sobre a classificação. O zagueiro enalteceu mais uma classificação do Verdão, enquanto o lateral já pensa no Derby de domingo, pelo Brasileirão.

Confira o que disse Gustavo Gómez e Mayke

– Gustavo Gómez:

“Conseguimos um resultado muito bom lá na Colômbia e hoje nós administramos. Muito feliz em chegar em mais uma semifinal, isso é resultado do trabalho que o Palmeiras vem realizando nos últimos anos, um trabalho muito consistente, de excelência. Temos que seguir assim porque têm muitas coisas boas para vir ainda”.

– Mayke:

Mayke em jogo pelo Palmeiras contra o Deportivo Pereira, durante segunda partida válida pelas quartas de final da Libertadores 2023, no Allianz Parque.
Cesar Greco/Palmeiras/by Canon

“Eles não tinham nada a perder e vieram com tudo, mas nosso time soube suportar bem. Tivemos sorte também, uma bola chegou a bater na trave. Nosso objetivo era nos classificar e graças a Deus conseguimos. Agora é descansar porque temos um grande jogo domingo”.

“O professor coloca em campo sempre o melhor para o time. Quem ele escolheu deu conta do recado. Depois ele foi tirando alguns para dar uma descansada pensando no domingo”.

Recorde à vista: Palmeiras pode se tornar o time brasileiro com mais participações em semifinais de Libertadores

Palmeiras posa para foto oficial antes do jogo contra o Deportivo Pereira, durante primeira partida válida pelas quartas de final da Libertadores 2023, no Estádio Hernán Ramírez Villegas.
Cesar Greco/Palmeiras/by Canon

Se confirmar a classificação diante do Deportivo Pereira, o Palmeiras disputará pela 11ª vez a semifinais da competição

Após golear o Deportivo Pereira por 4 a 0, fora de casa, na ida das quartas de final da Libertadores, o Palmeiras recebe o time colombiano nesta quarta-feira, no Allianz Parque, para garantir a classificação para a próxima fase. A bola rola a partir das 21h30.

Time brasileiro que tem os melhores números na competição, o Verdão, se confirmar a classificação, será, isoladamente, a equipe do país com mais participações em semifinais (11 vezes), superando o Grêmio e o SPFC – atualmente, os três times dividem a primeira colocação com 10. Além disso, o Palmeiras pode chegar pelo quarto ano consecutivo a esta fase do torneio, feito que apenas o Santos, de Pelé, conseguiu entre os brasileiros (1962 a 1965).

Na história da Libertadores, o Palmeiras disputou a semifinal em: 1961, 1968, 1971, 1999, 2000, 2001, 2018, 2020, 2021 e 2022.

Na edição de 2023, o Palmeiras tem um aproveitamento de 81.5% dos pontos. Em nove jogos disputados, são sete vitórias, um empate e um revés, com 21 gols marcados e seis sofridos. O Verdão tem o melhor ataque do campeonato (21) e, entre os times que ainda seguem vivos, tem a defesa menos vazada (seis – empatado com o Fluminense).

Recordes do Palmeiras na Libertadores entre os times brasileiros:

  • Líder em títulos conquistados: 3 (ao lado de Santos, Grêmio, SPFC e Flamengo);
  • Líder em finais disputadas: 6 (ao lado do SPFC);
  • Líder em semifinais disputadas: 10 (ao lado de Grêmio e SPFC);
  • Líder em quartas de finais disputadas: 12 (ao lado do Grêmio);
  • Líder em participações: 23;
  • Líder em participações consecutivas: 8;
  • Líder em jogos disputados: 231;
  • Líder em vitórias: 132;
  • Líder em vitórias como mandante e visitante: 78 e 52;
  • Líder em gols marcados: 450;
  • Líder em gols marcados como mandante e visitante: 263 e 184.

Palmeiras supera marca de 100 gols na Libertadores sob comando de Abel Ferreira

Palmeiras posa para foto oficial antes do jogo contra o Deportivo Pereira, durante primeira partida válida pelas quartas de final da Libertadores 2023, no Estádio Hernán Ramírez Villegas.
Cesar Greco/Palmeiras/by Canon

Palmeiras tem um saldo de gols de +75 desde a chegada de Abel e seus auxiliares técnicos

Na noite da última quarta-feira, o Palmeiras ultrapassou a marca de 100 gols na Libertadores sob o comando de Abel Ferreira. Com o 4 a 0 aplicado diante do Deportivo Pereira, o Verdão atingiu 103 tentos em 41 jogos (média de 2.5 por partida). Do lado defensivo, a equipe foi vazada 28 vezes, o que perfaz o saldo de 75 gols positivos.

A comissão técnica formada por portugueses comandou o Palmeiras pela primeira vez em Libertadores nas oitavas de final de 2020, contra o Delfín. Ao todo, em quatro edições disputadas, são 29 vitórias, oito empates, quatro derrotas (77%) e dois títulos conquistados.

O maior artilheiro deste período é Rony, que balançou as redes 19 vezes – somando o tempo em que foi comandado por Luxemburgo e Andrey Lopes, o camisa 10 soma 21 tentos e é o principal goleador do clube na Libertadores. Com 13 gols, Raphael Veiga é o segundo colocado.

Além do bicampeonato, o Palmeiras, com Abel dirigindo a equipe, alcançou no torneio outros feitos importantes: tornou-se o time brasileiro com mais finais (6), semifinais (10) e quartas de finais (12) disputadas; mais participações (23); o que mais venceu (132) e mais gols marcou (450).

Confira os números do Palmeiras em cada edição da Libertadores com Abel:

  • 2020 – 5 vitórias, 1 empates e 1 derrota (16 gols marcados e 4 sofridos)*;
  • 2021 – 9 vitórias, 3 empates e 1 derrota (29 gols marcados e 10 sofridos);
  • 2022 – 8 vitórias, 3 empates e 1 derrota (37 gols marcados e 8 sofridos);
  • 2023 – 7 vitórias, 1 empate e 1 derrota (21 gols marcados e 6 sofridos).

*Na fase de grupos de 2020, o Palmeiras foi comandado em quatro jogos por Luxemburgo e em uma partida por Andrey Lopes