Abel lamenta falta de agressividade do Palmeiras em derrota no Derby

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o SCCP, válido pela vigésima primeira rodada do Brasileirão 2021, no Itaquerão.
Cesar Greco

Abel também projetou o duelo contra o Atlético-MG e destacou que trabalhará o psicológico dos atletas

O Palmeiras encarou o SCCP na noite deste sábado, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro, e saiu derrotado de Itaquera por 2 a 1 – Gabriel Menino, aos 46 minutos do primeiro tempo, foi o autor do único gol palmeirense.

Em entrevista coletiva após o jogo, o técnico Abel Ferreira fez uma análise do duelo e apontou a falta de agressividade da equipe como um dos principais fatores para a derrota.

“O SCCP é uma equipe que espera mais e sai em transição. Nós conseguimos chegar aos corredores e sair bem de trás. Conseguimos também criar oportunidades mesmo com o adversário defendendo em bloco baixo. O primeiro tempo foi muito equilibrado, mas sofremos um gol em um lance que faltou agressividade e isso não pode faltar em um Derby. Nós temos que ganhar as divididas e não podemos sofrer um gol dessa maneira. Mas a equipe manteve a serenidade e continuou impondo seu jogo e alcançamos o empate com toda a justiça”, avaliou.

“Na segunda parte, antes de levarmos o gol nós tivemos quatro boas oportunidades e o futebol é isso: quem não faz é penalizado. Então não adianta dizermos que jogamos bem e arrematamos bem mais que o nosso adversário (16 contra 8), porque no final eles ganharam e o jogo foi resolvido através de uma ação individual de um jogador”, acrescentou.

O primeiro gol do rival, comentado pelo técnico, aconteceu depois que Luan e Patrick de Paula perderam divididas com Renato Augusto no início da jogada.

“Nós precisaremos rever e mostrar aos jogadores, principalmente a um atleta em particular, a jogada do primeiro gol que sofremos. Agressividade e experiência competitiva ganhamos apenas jogando. Temos uma regra que, após a perda de bola, temos que fazer falta e ser combativos. Isso é muito claro para os nossos jogadores”, comentou.

Apesar da derrota complicar um pouco mais as chances de título no Brasileiro, o comandante afirmou que o campeonato ainda está aberto e avisou: “eu não joguei a toalha”. 

Abel fala sobre o jogo contra o Atlético-MG, na terça-feira

O Palmeiras volta as atenções para a Copa Libertadores, quando enfrentará na próxima terça-feira o Atlético-MG pelo segundo jogo da semifinal. Após empatar o jogo de ida em 0 a 0, o Verdão joga por outra igualdade, desde que com gols, para tentar chegar à final.

Para Abel Ferreira, além dos trabalhos técnicos e táticos, os próximos dias serão importantes para trabalhar a parte mental dos jogadores.

“No próximo jogo estaremos prontos, concentrados. As regras das 24 horas servem tanto para vitórias quanto para as derrotas. O jogador brasileiro tem muita qualidade técnica e é bom fisicamente, mas ainda é preciso melhorar a parte mental. Estamos trabalhando nisso, o clube nos dá condições. Há diversos jogadores e treinadores que são ótimos, mas o que faz a diferença é o psicológico. O quanto é focado, concentrado e competitivo. Competir é tudo. Vai ser um jogo que decide quem vai à final da Libertadores. Jogaremos contra uma equipe ‘cascuda’ e que fez investimentos, mas nós temos as nossas armas e daremos o nosso melhor”, finalizou.

O duelo contra o Atlético será disputado no Mineirão, às 21h30 da próxima terça-feira. 

Elenco realiza treino tático antes de enfrentar o SCCP

Dudu e Gabriel Menino durante treino do Palmeiras, na Academia de Futebol.
Cesar Greco

Após o treino, Deyverson conversou com a TV Palmeiras/FAM e projetou o clássico

O elenco do Palmeiras realizou mais um treino na manhã desta sexta-feira, na Academia de Futebol, em preparação para o clássico diante do SCCP, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Derby acontecerá amanhã no Itaquerão, às 19h.

No campo, Abel Ferreira e seus auxiliares comandaram, inicialmente, uma atividade tática. O grupo foi dividido em dois times para aprimorar os balanços (ofensivos e defensivos), posicionamentos, transições e outros fundamentos de jogo.

Em seguida, os atletas ensaiaram jogadas de bola parada, tanto ofensiva quanto defensiva, além de movimentações específicas. Por fim, alguns jogadores praticaram cobranças de faltas e batidas de pênaltis.

O lateral-esquerdo Jorge participou normalmente de todas as ações propostas pela comissão técnica, assim como nos demais dias da semana, e tem chances de estrear com a camisa do Verdão.

Após o treino, Deyverson falou sobre o Derby

Dudu e Deyverson durante treino do Palmeiras, na Academia de Futebol.
Cesar Greco

Ao final da atividade, o atacante Deyverson conversou com a TV Palmeiras/FAM e projetou o confronto frente ao rival.

“A preparação foi boa e exigente. Sabemos do tamanho do Palmeiras e cada jogo é uma batalha. Esse jogo [contra o SCCP] tem um sabor diferente. Espero que possamos entrar focados naquilo que temos que fazer e sair vitoriosos”, declarou.

O Palmeiras é o segundo colocado na tabela de classificação com 38 pontos, sete a menos que o Atlético-MG, líder do campeonato.

Felipe Melo fala sobre o Derby: “Mais do que um clássico, é uma guerra”

Felipe Melo comemora seu gol pelo Palmeiras contra o SCCP, durante Derby válido pela décima terceira rodada do Brasileirão 2019, no Itaquerão.
Ag.Palmeiras

Ao falar do jogo da última terça-feira, Felipe Melo discordou das críticas recebidas pela equipe

Assim como ocorreu em março deste ano, quando jogou um Derby no meio das finais da Copa do Brasil, o Palmeiras terá novamente um confronto diante do SCCP em meio à disputa de um mata-mata importante; desta vez, o Verdão está decidindo uma vaga à final da Libertadores.

Apesar de o duelo contra o Atlético-MG acontecer já na próxima terça-feira, o volante Felipe Melo pediu foco ao time no jogo deste sábado e destacou a importância da partida frente ao rival, principalmente para a sequência da temporada.

“A gente tem que manter esse retrospecto, tem que manter sobretudo a humildade, manter a cabeça no lugar. Entender que, mais do que um clássico, é uma guerra contra nosso maior rival, contra nosso inimigo. São jogos que definem campeonatos, elenco, treinador”, disse à TV Palmeiras/FAM.

“Passamos um momento, e eu me incluo, sem vencê-los. Foi muito difícil para nós, conseguimos mudar isso. Hoje estamos há alguns jogos sem perder para eles. Isso muda a todo momento. Tem de saber que isso vai mudar completamente o panorama da nossa temporada e a gente espera que seja para o bem. Estamos trabalhando bastante para trazer os três pontos para a nossa Academia”, acrescentou.

Titular como volante nos dois duelos anteriores, a presença do camisa 30 no clássico ainda é incerta, assim como todo o restante da escalação. Suspenso no jogo contra a Chapecoense, Zé Rafael está de volta e Abel Ferreira tem todo o elenco à disposição.

Na atual edição do Campeonato Brasileiro, Melo, que atuou por 16 partidas, ocupa posições altas em rankings defensivos entre os jogadores do Palmeiras: segundo em rebatidas (74); terceiro com mais desarmes certos (26); e segundo em interceptações corretas (10)Já no índice de passes, o jogador é o que mais acerta, com 96% de aproveitamento.

Felipe Melo rebate críticas ao jogo do Palmeiras contra o Atlético-MG

O empate em 0 a 0 contra o Atlético-MG fez com que o Palmeiras e, principalmente, o técnico Abel Ferreira fossem bastante criticados por parte da imprensa. Felipe Melo, no entanto, discorda das críticas e entende que, taticamente, o jogo foi uma “aula”.

Felipe Melo disputa com Hulk, em jogo do Palmeiras contra o Atlético-MG, durante primeira partida válida pelas semifinais da Libertadores 2021, no Allianz Parque.
Cesar Greco

“Jogo muito truncado, realmente. Um jogo quiçá feio, pra quem espera espetáculo, mas pra quem conhece de futebol, foi até uma aula de futebol. Taticamente, os times fizeram aquilo que os treinadores mandaram. A meu ver, teve muita consistência defensiva; todo mundo correu muito, lutou muito. Quem esperava 4 a 4 ou um 5 a 5, se decepcionou”, declarou.

“Eu joguei muitas vezes contra grandes equipes. Por muitas vezes, ouvi que o outro time sabia jogar Libertadores, mas quando é a gente que faz um jogo tático, truncado, é considerado como feio. Então, tomara que continue feio e a gente continue passando de fase e conquistando nossos objetivos”, finalizou.

CBF escala Raphael Claus para apitar jogo entre Palmeiras e SCCP

O árbitro Raphael Claus no duelo entre Red Bull Bragantino e Palmeiras
Cesar Greco

Aos 42 anos, Raphael Claus já atuou em sete Derbies

Em meio à disputa por uma vaga na final da Libertadores, o Palmeiras terá um clássico pela frente no Campeonato Brasileiro. Neste sábado em Itaquera, o Verdão visitará o SCCP em jogo válido pela 22ª rodada.

Para conduzir a partida, a CBF definiu na noite de ontem, o árbitro Raphael Claus, de 42 anos. O paulista terá como assistentes, Danilo Ricardo Simon Manis e Daniel Paulo Ziolli, além do quarto árbitro Douglas Marques das Flores.

O responsável por comandar o VAR será José Claudio Rocha Filho, que também é do quadro de arbitragem da Federação Paulista de Futebol.

Com Raphael Claus no apito, Palmeiras venceu apenas um Derby

Árbitro Fifa desde 2015, Raphael Claus tem experiência em jogos entre Palmeiras e SCCP. Ao todo, Claus já apitou sete Derbies e o Verdão venceu apenas uma vez, perdeu três e empatou outros três jogos.

O primeiro Derby comandado pelo árbitro foi pelo Paulistão de 2014, em jogo que ocorreu no Pacaembu e terminou empatado em 1 a 1 – Alan Kardec fez o gol palmeirense.

Claus apitou 28 partidas do Verdão e o aproveitamento é baixo: apenas 47,6%. Clique aqui e confira todo o histórico do juiz em jogos do Palmeiras.

Com 38 pontos, na segunda colocação na tabela de classificação, o Palmeiras está a sete pontos do líder, Atlético-MG.

Palmeiras pode alcançar sua segunda maior sequência invicta contra o SCCP

Renan disputa bola com Gabriel no Derby válido pela terceira rodada do Brasileirão 2021, no Allianz Parque.
Cesar Greco

No histórico geral, Palmeiras mantém vantagem sobre o SCCP

Segundo colocado do Campeonato Brasileiro, com 38 pontos, o Palmeiras visita o SCCP no próximo sábado às 19h, para, além de continuar na disputa do título, manter a sequência invicta de jogos sem perder para o rival.

O último revés ocorreu em julho do ano passado, no retorno do futebol após paralisação por conta da pandemia do novo coronavírus. Desde então, aconteceram sete duelos e o Verdão soma três vitórias e quatro empates, sendo dirigido três vezes por Vanderlei Luxemburgo e quatro por Abel Ferreira, que nunca saiu derrotado em um Derby.

Caso não perca em Itaquera, o Palmeiras alcançará sua segunda maior sequência de jogos sem perder para o rival na História. Entre os anos de 1997 e 1998, o Verdão ficou oito jogos sem sofrer um revés para o SCCP, com quatro vitórias e quatro empates.

Já a maior série invicta do Palmeiras contra a equipe de Itaquera ocorreu entre os anos 1930 a 1934: foram 12 confrontos, com 11 vitórias e 1 empate; sendo em uma destas vitórias um sonoro 8 a 0.

No histórico geral, Palmeiras mantém vantagem no Derby

No retrospecto geral dos confrontos entre Palmeiras e SCCP, a vantagem segue sendo palmeirense. Com mais de cem anos de História, o Derby já aconteceu 380 vezes, com o Verdão saindo vencedor em 134 oportunidades. contra 130 triunfos do SCCP e outros 116 empates.

Em relação aos gols marcados, os números são largamente favoráveis ao Palmeiras: 536 gols anotados e 490 sofridos (saldo positivo de 46).

Para o jogo deste sábado, Abel Ferreira conta com todo o elenco à disposição, mas a escalação dos titulares ainda é incerta, já que na próxima terça-feira o Verdão terá o jogo de volta da semifinal da Libertadores contra o Atlético-MG.