O Campeonato Paulista de 1990 foi disputado de janeiro a agosto por 24 clubes, divididos em dois grupos, apenas para efeito de classificação. Na Primeira Fase, todos jogaram contra todos em turno único até maio e, após 23 rodadas, sete clubes do Grupo I, que tinha os clubes mais fortes, e cinco clubes do Grupo II, se classificaram direto para a Terceira Fase. O Palmeiras, sob o comando de Jair Pereira, ficou em segundo lugar e se classificou com facilidade.

Os 12 clubes restantes foram divididos em dois grupos de seis e disputaram, durante a Copa do Mundo, a Segunda Fase - uma repescagem, na qual os times se enfrentaram em turno e returno dentro do próprio grupo. Após dez jogos, o campeão de cada grupo se juntou aos 12 classificados, determinando os 14 clubes vivos na competição. Os clubes que foram desclassificados na repescagem estavam rebaixados para a segunda divisão – entre eles, o SPFC.

Na Terceira Fase, já sob o comando de Telê Santana, o Palmeiras estava no Grupo Vermelho, com mais seis clubes do interior – Santos e SCCP estavam no Grupo Preto. Após 12 jogos de turno e returno dentro dos próprios grupos, o campeão de cada um estaria classificado para a final. O Palmeiras assumiu a liderança do grupo ao bater o Novorizontino por 1 a 0 num Palestra Italia lotado, a duas rodadas do fim.

Mas na penúltima rodada o Verdão se deixou derrotar pelo Guarani, em Campinas, e o Novorizontino passou um ponto à frente com uma vitória sobre o América. Para se classificar à final, o Palmeiras precisava então fazer um ponto a mais que o Novorizontino na rodada final – o Palmeiras enfrentaria a Ferroviária, no Pacaembu, e o clube do interior enfrentaria a Portuguesa, do ressentido técnico Leão, no Canindé. No Grupo Preto, o Bragantino jogava por um empate contra o SCCP.

A confiança numa vitória do Palmeiras era enorme; o maior temor de nossa torcida era que a Portuguesa entregasse seu jogo. O Palmeiras foi com tudo pra cima da Ferroviária e criou algumas boas oportunidades no primeiro tempo. O gol da Portuguesa marcado no primeiro tempo no Canindé ia dando a vaga ao Verdão, mesmo com o empate.

Aguirregaray

Veio o segundo tempo e o fantasma da fila se fez presente mais uma vez. A notícia do empate do Novorizontino fez as pernas de nossos jogadores pesarem o dobro, as jogadas deixaram de acontecer e a angústia passou a dominar o Pacaembu. Perto do fim, o Palmeiras ainda teve a chance de ir à final com Aguirregaray, que chutou de dentro da área em cima do goleiro – a bola ainda bateu na trave e saiu. Ao final do jogo, mais uma vez, o Palmeiras estava eliminado.

Do outro lado da chave, no dia seguinte, o Bragantino conseguiu segurar o 0 a 0 e eliminou o SCCP, o que não diminuiu a frustração da torcida do Palmeiras. Membros de torcidas organizadas invadiram a sede do clube e depredaram dezenas de troféus. Um crime absurdo.

Comandado por Vanderlei Luxemburgo, o Bragantino levou a melhor sobre o Novorizontino de Nelsinho Baptista na primeira final da História com dois clubes do interior e ergueu o título daquele ano.

Lista de jogos

Lista e estatística dos jogadores