3
X
0

Pré-Jogo

Pré-jogo Atlético-PR x Palmeiras

Na tarde deste domingo, a Sociedade Esportiva Palmeiras visita o Atlético-PR pela última rodada do Brasileirão. O jogo, que marca a despedida de Alberto Valentim do cargo de técnico do Palmeiras e talvez do próprio clube, pode garantir ao Verdão o segundo lugar no campeonato e um prêmio de mais de R$ 11 milhões.

Palmeiras

DESFALQUES
Lesionado:
Borja
Suspensos:
Edu Dracena e Felipe Melo

Alberto Valentim tem três desfalques para o jogo: Borja fez uma pequena intervenção cirúrgica para tratar uma hérmia inguinal e está fora – Willian Bigode e Deyverson lutam pela vaga no ataque.

Suspensos pelo terceiro amarelo, Edu Dracena e Felipe Melo abrem suas vagas. Bruno Henrique e Thiago Santos brigam pelo lugar no meio-campo, enquanto que Luan e Juninho são os candidatos a jogar ao lado de Mina na zaga.

A grande novidade, no entanto, é a presença de Alan, do Sub-17, entre os relacionados para o jogo – o menino viajou com a delegação e pode fazer sua estréia profissional de uma carreira que promete bastante. O time provável: Fernando Prass; Mayke, Mina, Luan (Juninho) e Michel Bastos; Thiago Santos (Bruno Henrique), Tchê Tchê e Moisés; Keno, Willian Bigode (Deyverson) e Dudu.

Atlético-PR

O Atlético ainda tem chances matemáticas de jogar a Libertadores no ano que vem, mas ninguém em Curitiba parece acreditar na improvável combinação de resultados que tornaria isso possível. O Atlético tende a jogar com a cabeça toda voltada para as férias.

Fabiano Soares  tem os desfalques de Paulo André, Lucho Gonzales, Guilherme e Nikão, todos lesionados, e tem muitas dúvidas para montar o time. O rascunho da escalação é Weverton; Jonathan, Cleberson, Thiago Heleno e Fabrício; Pavez, Matheus Rossetto e Felipe Gedoz; Sidcley, Lucas Fernandes e Douglas Coutinho.

Lei do Ex

Thiago Heleno já exerceu a maldita Lei no turno – Fabrício é outro que é ameaça.

Do nosso lado, Michel Bastos e Willian Bigode já defenderam o time paranaense.

Retrospecto

Aproveite todas as funcionalidades do Almanaque do Verdazzo. Consulte os links abaixo, e faça os cruzamentos com outros dados como preferir:

Atlético-PR
Atlético-PR
Arena da Baixada
Arena da Baixada
Claudio Francisco Lima e Silva
Claudio Francisco Lima e Silva
Campeonato Brasileiro
Campeonato Brasileiro

Parpite

A Arena da Baixada deve receber um público reduzido – nossa torcida deve equilibrar a quantidade com os locais devido ao baixo interesse pela partida. Dá Verdão: 2 a 0, com dois gols de Willian Bigode, para 8.765 pagantes na saideira do Verdão em 2017. VAMOS PALMEIRAS!

Transmissão

PFCPFC

Pós-Jogo

Atlético-PR 3x0 PalmeirasCesar Greco/Ag.Palmeiras

Pela quinta vez no ano, o Palmeiras sofreu três gols ainda no primeiro tempo; sonolento, não ameaçou o gol do Atlético em nenhum momento e terminou o ano de forma triste, sendo derrotado por 3 a 0. Mesmo assim, terminou o campeonato na segunda colocação com os tropeços do Grêmio e do Santos. Que fique claro: não há nada a comemorar.

PRIMEIRO TEMPO

Com três desfalques já previstos, o Verdão foi a campo com mais um: Mayke não se recuperou de dores no quadril e nem viajou; Fabiano foi para o jogo. O Atlético escalou o time quase todo reserva, inclusive o goleiro – Weverton, diante do acerto com o Palmeiras, foi cortado e deu lugar a Santos.

Ainda na fase de estudos, o Verdão chegou primeiro logo aos 4 minutos: Thiago Santos lançou na medida para Willian, que acabou enganado pelo quique da bola no gramado artificial e errou o tempo do chute – Thiago Heleno travou a conclusão e a bola saiu a escanteio.

Um minuto depois, o Atlético abriu o placar num contra-ataque rápido: Dudu dormiu e deixou Fabrício recuperar uma bola que sairia pela lateral; a bola foi estourada e chegou em Lucas Fernandes, que enxergou Ribamar entre Luan e Fabiano e lançou por baixo; na velocidade, o atacante atleticano chegou até a área e tocou na saída de Fernando Prass.

Aos oito, quase o segundo, mais uma vez em cima da linha alta: desta vez Lucas Fernandes partiu em velocidade pela direita e deu o tapa para o meio, buscando Ribamar – Michel Bastos cortou e a bola chegou a tocar na trave. Mas cinco minutos depois, não teve jeito: a linha alta falhou de novo; Fabrício acertou um lançamento longo para Ribamar que Mina não alcançou; o atacante entrou na área de frente com Fernando Prass e Luan chegou atropelando e para cometer o pênalti.  Ederson bateu com força e aumentou o placar.

Com a vantagem, o Atlético, que já tinha se proposto a jogar no contra-ataque, deu a bola para o Palmeiras de uma vez. Sem um centroavante, contra uma defesa fechada, o Verdão tinha sérias dificuldades em criar oportunidades de gol.

Aos 30, o contato com a bola no terreno atrapalhou até o zagueiro da casa; Tchê Tchê recuperou e tocou rápido para Willian, que ligou com Dudu – e mais uma vez a bola pingou esquisito e atrapalhou a conclusão do capitão. Esse gramado sintético é uma aberração.

Três minutos depois, após corte de Luan, Rossetto se antecipou a Thiago Santos e a bola ficou com Ederson, que cruzou por baixo para Sidcley, que mesmo acompanhado por Fabiano só teve o trabalho de escorar para o gol, fazendo o terceiro e desenhando uma tragédia.

O Palmeiras chegou duas vezes nos minutos finais do primeiro tempo, com chutes de Willian e Fabiano, mas sem assustar o goleiro Santos. O juiz apitou o fim do período, para nosso alívio.

SEGUNDO TEMPO

Fabiano ficou no vestiário, para nunca mais voltar. Deyverson foi para o jogo, Tchê Tchê ocupou a lateral, Willian abriu na esquerda e Dudu caiu mais por dentro. Mas logo a dois minutos, Fernando Prass salvou o Palmeiras de levar o quarto gol, em conclusão de Wanderson em bola viva, após cobrança de escanteio. Um minuto depois, foi Luan quem salvou o Verdão desarmando Ribamar no último instante – o atacante estava cara a cara com Prass após troca de passes que envolveu nossa defesa.

Dudu finalizou mascado aos sete minutos, depois de cruzamento de Michel Bastos que o goleiro cortou parcialmente. O Palmeiras lentamente começava a entrar no jogo, enquanto o Atlético só esperava mais uma chance de sair na correria.

Aos 11, em jogada individual, Dudu tentou de fora, mas bateu por cima. Aos 15, foi a vez de Deyverson, meio de canela, tentar o arremate da meia-lua – fraco, para fora. Um minuto depois, Keno foi ao fundo e cruzou por baixo – Deyverson, com pouco ângulo, escorou na rede por fora. Alberto Valentim trocou Moisés por Guerra aos 18 minutos.

Willian sentiu uma pancada e deu lugar a Hyoran. Mesmo sem intensidade, o Palmeiras continuava jogando em cima do Atlético e Tchê Tchê bateu forte de fora da área aos 26, por cima do gol.

Devagar, quase parando, Guerra recolheu a bola na direita aos 36 e investiu contra quatro adversários – ele ainda conseguiu um escanteio ao bater mascado contra o gol. No lance seguinte, o Atlético atacou como num churrasco, com nossa defesa apenas assistindo – a bola foi a escanteio. Na cobrança, Bruno Guimarães deu de calcanhar no primeiro pau e Fernando Prass defendeu parcialmente; Wanderson chegou bicando e Fernando Prass rachou com o braço, de maneira sensacional, evitando o vexame do quarto gol.

Aos 46, o último suspiro: Hyoran bateu falta na área e Thiago Santos raspou de cabeça, mandando por cima. O goleiro Santos passou o jogo inteiro sem fazer defesa alguma e o Atlético venceu a melancólica despedida do Verdão da temporada.

FIM DE JOGO

Sem mostrar em campo o que o discurso de profissionalismo e seriedade praticado durante a semana apregoou, os jogadores do Palmeiras envergonharam a torcida e levaram uma goleada do Atlético.

O Palmeiras fecha a temporada na segunda colocação, mas com toda a convicção que o título era possível. Erros de nossos jogadores, dos técnicos, da diretoria e principalmente da arbitragem, combinados, determinaram esse desfecho. Renova-se a esperança para um ano novo melhor. Até o dia 17 de janeiro, nos resta suportar os jogos festivos de fim de ano e torcer pelo Sub-20 na Copinha – a base vem forte. VAMOS PALMEIRAS!

Ficha Técnica

Atlético-PR

GOL
Santos
LAD
Jonathan
LAD
Gustavo Cascardo
ZAG
Wanderson
ZAE
Thiago Heleno
LAE
Fabrício
VOL
Pavez
VOL
Matheus Rossetto
MEI
Sidcley
ATA
Lucas Fernandes
ATA
Ederson
ATA
Bruno Guimarães
ATA
Ribamar
ATA
Douglas Coutinho
TÉCNICO
Fabiano Soares

Palmeiras

GOL
Fernando Prass
LAD
Fabiano
ATA
Deyverson
ZAG
Mina
ZAE
Luan
LAE
Michel Bastos
VOL
Thiago Santos
VOL
Tchê Tchê
MEI
Moisés
MEI
Guerra
ATA
Keno
ATA
Willian Bigode
MEI
Hyoran
ATA
Dudu
TÉCNICO
Alberto Valentim

Notas


Jogador
Descrição
Nota
Fernando Prass
Criticado nas redes sociais, fez provavelmente a maior defesa do campeonato num jogo em que foi metralhado pelo ataque adversário.
8
Fabiano
Houve momentos em que andou em campo como um meia esquerda preguiçoso. E a lateral desprotegida.
1
Deyverson
Sua atuação mais intensa foi quando bateu boca com Mina.
3
Mina
Mesmo desprotegido, podia ter feito melhor.
4
Luan
Se ficou para trás no primeiro gol, salvou o time em outros dois lances, se redimindo parcialmente.
5
Michel Bastos
Que preguiça, minha nossa...
3
Thiago Santos
Não tem a mesma percepção de Felipe Melo para jogar como único volante. Precisa de alguém a seu lado.
4
Tchê Tchê
Foi um dos menos ruins, lutando bastante e correndo.
6.5
Moisés
Se for para jogar com essa velocidade e mobilidade no ano que vem, não serve. Infelizmente.
2
Guerra
Entrou na roubada e tentou o que pôde, ao lado de um bando de mortos.
5
Keno
Discreto, pouco acionado, errou quase tudo o que tentou.
4
Willian Bigode
Tomou decisões erradas e cometeu erros técnicos que não costuma cometer.
4
Hyoran
Jogou pouco.
s/n
Dudu
Andou para a bola no lance do primeiro gol. Jogou pensando nas férias.
3
Alberto Valentim
Alberto Valentim
A apatia dos jogadores não entra em sua conta. A insistência na linha alta tinha que ter o suporte de uma postura intensa de todo o resto do time.
5