Em meio à disputa do Campeonato Paulista de 1974, o Palmeiras viajou até Cádiz, na Espanha, para disputar pela segunda vez o Troféu Ramón de Carranza. Logo na estreia, o confronto foi diante do poderoso Barcelona.

Comandado por Rinus Michels, a equipe da Catalunha tinha como estrelas os holandeses Cruijff e Neeskens, que meses antes encantaram o mundo com a “Laranja Mecânica” na Copa do Mundo. O Palmeiras, por sua vez, também contava com sua legião de craques e, com uma grande exibição coletiva, venceu o Barcelona por 2 a 0, com gols de Ronaldo e Leivinha.

Apesar dos primeiros minutos de jogo terem sido controlados pelo Barcelona, foi o Palmeiras quem criou a grande primeira oportunidade: aos 5, Ronaldo apareceu na área e por pouco não abriu o marcador.

Os catalães, com boas movimentações de Marcial e Neeskens à frente da área e chutes de longa distância de Cruijff, buscavam o primeiro gol. Este domínio, contudo, durou até os 20 minutos; o Verdão acertou a marcação, Dudu colou em Cruijff e o cenário da partida mudou: era o Palmeiras que, com toques rápidos e de primeira, controlava as ações do jogo.

O placar, no entanto, permaneceu fechado até o intervalo. Para o segundo tempo, o Palmeiras continuou superior e quase foi às redes com Luís Pereira aos 5 minutos, após grande jogada com Leivinha. A espera pelo gol alviverde, porém, não se prolongou por muito tempo: aos 11 minutos, Ronaldo lançou Ademir da Guia, que partiu sozinho em direção ao gol; ao tentar driblar o arqueiro adversário, o Divino foi agarrado e o pênalti foi assinalado. Leivinha foi para a cobrança e converteu.

Sabendo que o Barcelona viria para cima, Oswaldo Brandão trocou Toninho Vanusa por Edu e apostou na velocidade. Aos 29 minutos, Leivinha e Ronaldo trocaram passes da intermediária até a área; antes que Sadurní chegasse até Leivinha, o atacante deu mais um passe para Ronaldo, que com o gol vazio, apenas empurrou a bola até o fundo das redes. Era o segundo tento palmeirense.

O gol aniquilou qualquer chance do Barcelona e o placar se manteve assim até o apito final. A ótima exibição da equipe alviverde fez com que os torcedores espanhóis presentes ao estádio aplaudissem o Palmeiras, que no dia seguinte decidiria o título do torneio contra o Espanyol.




Ficha Técnica

Barcelona

Sadurní
Rifé
Torres
Martí Filosia
De la Cruz
Costas
Neeskens
Clares
Marcial
Cruijff
Asensi
Rexach
Rinus Michels
TÉCNICO