3
X
0

Reformulado após a Copa do Mundo de 2010 com as chegadas de Felipão, Kleber e Valdivia, o Palmeiras buscava ainda uma identidade quando foi derrotado por 2 a 0 para o Vitória no jogo de ida da segunda fase da Copa Sul-Americana. No duelo da volta, com quase 22 mil pagantes no Pacaembu, o Verdão superou as adversidades, fez 3 a 0 e classificou-se para as oitavas-de-final.

De volta ao clube depois de dois anos, Valdivia estava nas tribunas do Municipal e viu Marcos Assunção ser o grande nome da classificação alviverde.

Sabendo da responsabilidade de ter que fazer dois gols, no mínimo, o Palmeiras começou o jogo em cima do Vitória. Apesar de ter o controle da bola e ter em Marcos um mero espectador dentro de campo, o Verdão não conseguia assustar o time baiano. Em busca de mudar o cenário, Felipão fez uma mudança tática na equipe trazendo o lateral Rivaldo para o meio e deslocando o zagueiro Fabrício para o lado esquerdo.

A alteração funcionou, o Verdão começou a assustar Viáfara e Tadeu mandou uma bola no travessão. Até que, aos 47 minutos, Marcos Assunção roubou a bola de Schwenck e deu um belíssimo passe para Tadeu, que dominou, invadiu a área e tocou por cima do goleiro adversário. Ao final do primeiro tempo, o placar apontava 1 a 0 para o Palmeiras.

Na volta do intervalo, o técnico do Vitória, Toninho Cecílio, arrumou seu time, que veio disposto a atrapalhar a noite palmeirense. Entretanto, nosso ex-zagueiro não contava com uma falha de seu arqueiro: aos 12 minutos, Viáfara tentou sair jogando mas entregou a bola de presente para Fabrício, que achou Marcio Araújo na área; o camisa 8 chutou em cima do zagueiro adversário e a bola, enfim, encontrou o pé de Tadeu, que marcou o segundo gol do Palmeiras.

O placar empurrava a decisão para os pênaltis e, apesar do volume alviverde, o terceiro gol não saía. Foi aí que brilhou a estrela de Marcos Assunção. Aos 43 minutos, o camisa 19 teve a seu dispor uma falta da intermediária. Todos sabiam de sua enorme capacidade com a bola parada e a esperança tomou conta do estádio. Durante seu breve ritual, em que ele se concentra com as pernas ligeiramente afastadas, o Pacaembu emudeceu, como que o ajudando a encontrar o melhor chute. Assunção partiu e disparou o balaço, que morreu no ângulo de Viáfara.

Os 3 a 0 fez explodir o Pacaembu, que assistiu a mais uma classificação felipônica.

Além da grande vitória e a classificação, a partida registrou também o jogo de número 500 do goleiro Marcos com a camisa do Verdão.




Ficha Técnica

21.950

R$ 437.422,00

Héber Roberto Lopes

Vitória

Viáfara
Eduardo
Wallace
Anderson Martins
Egídio
Vanderson
Ricardo Conceição
Thiago Humberto
Ramon
Neto Coruja
Renato
Elkeson
Schwenck
Júnior
Toninho Cecílio
TÉCNICO