0
X
1

21/01/2018 - 17:00

Pré-Jogo

Na tarde deste domingo, a Sociedade Esportiva Palmeiras visita o Botafogo, no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto. Nossos jogadores seguem soltando as pernas e adquirindo entrosamento para a temporada, ao mesmo tempo que buscam uma boa pontuação para garantir vantagens no mata-mata do Paulistão.

Palmeiras

DESFALQUES
Lesionados:
Jean, Diogo Barbosa e Deyverson
Pré-temporada estendida:
Edu Dracena, Moisés e Gustavo Scarpa
Não inscritos:
Fabiano, Jean, Pedrão, Allione e Hyoran

Roger Machado perdeu Deyverson, que sofreu uma lesão no treinamento de sexta-feira, por cerca de seis a oito semanas. Mas o time titular tende a seguir inalterado em relação à estréia da temporada, na última quinta-feira – a não ser que alguma questão física obrigue nosso treinador a fazer alguma alteração: Jaílson; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Thiago Martins e Victor Luis; Felipe Melo e Tchê Tchê; Willian Bigode, Lucas Lima e Dudu; Borja.

Botafogo

O Botafogo perdeu na estréia por 2 a 0 para o Bragantino, jogando desfalcado de quatro jogadores que depois foram regularizados na FPF: Mascarenhas, Everton Heleno, Danielzinho e Bruno Moraes. Sem poder contar com os lesionados Marcos Martins e Wesley, o técnico Léo Condé deve mandar a campo Thiago Cardoso; Diego Tavares, Naylhor, Plínio e Peri; Diones e Willian Oliveira; Danielzinho, Dodô e Lelê; Bruno Moraes.

Lei do Ex

Weverton já defendeu as cores do Botafogo no início da carreira.

Retrospecto

Aproveite todas as funcionalidades do Almanaque do Verdazzo. Consulte os links abaixo, e faça os cruzamentos com outros dados como preferir:

Botafogo-SP
Botafogo-SP
Santa Cruz
Santa Cruz
Raphael Claus
Raphael Claus
Taça Campeonato Paulista
Campeonato Paulista

 

Parpite

Ribeirão Preto é uma cidade muito quente e se o sol estiver brilhando nossos jogadores vão sentir bastante o desgaste. Mesmo assim, a superioridade técnica deve prevalecer e dá Verdão, 3 a 1, com gols de Dudu, Borja e Willian Bigode, para 11.234 pagantes. VAMOS PALMEIRAS!

Transmissão

TV GloboGlobo – para SP

PFCPFC

Pós-Jogo

Botafogo-SP 0x1 PalmeirasCesar Greco / Ag.Palmeiras

Numa partida em que aparentemente a condição física foi o fator determinante, o Verdão venceu o Botafogo por 1 a 0 em Ribeirão Preto e segue com 100% de aproveitamento na temporada, entrosando os atletas e desenvolvendo cada vez mais o sistema de jogo, animando a torcida.

PRIMEIRO TEMPO

Roger Machado repetiu o time da estréia da temporada, para dar entrosamento aos titulares. Sob um sol intenso e muito calor, o jogo começou em ritmo lento, com destaque para o extenso jogo de ferramentas apresentado pelo time da casa com a complacência de Raphael Claus.

As duas primeiras finalizações foram do Botafogo, com Diego Tavares aos 18 e Dodô aos 19 – esta última com algum perigo, após boa troca de passes que envolveu nossa defesa. Aos 25, Dodô cobrou falta em direção a nossa área; Marcos Rocha e Felipe Melo falharam ao tentar cortar e a bola pingou na frente de Jailson perigosamente – nosso goleiro rebateu para a pequena área e Antônio Carlos aliviou o perigo.

O Botafogo jogava de forma muito aplicada, se encolhendo bem na defesae saindo rápido para o contra-ataque – aos 28, Lelê saiu em disparada ganhando fácil de Marcos Rocha; Bruno Moraes estava marcado por Thiago Martins mas mesmo assim conseguiu completar o cruzamento por baixo mandando a bola muito próxima ao ângulo direito de Jailson.

O Palmeiras finalizou pela primeira vez aos 41 minutos, com Dudu – ele recebeu do lado esquerdo, cortou para dentro e chutou – sem muita força; Thiago Cardoso defendeu sem problemas. Aos 44, Willian Bigode bateu de fora da área e obrigou Thiago Cardoso saltar para mandar a escanteio. No último lance, Diego Tavares aproveitou desequilíbrio de Victor Luís, foi ao fundo e cruzou; Jailson voou e não achou nada, Marcos Rocha ia passando da bola mas conseguiu fazer o corte de chaleira quando Bruno Moraes já se preparava para marcar.

SEGUNDO TEMPO

Sem mudanças, o Verdão voltou a campo de forma bem mais intensa, aproveitando que o calor diminuía em Ribeirão Preto. Dudu fez boa jogada aos dois minutos e foi derrubado na meia-lua. Willian Bigode bateu, mas a bola ficou na barreira.

Aos sete, Dudu tabelou com Victor Luis e ligou com Willian, que entrou na área e serviu Victor Luís, que não dominou – a bola ia se oferecendo para Dudu de frente para o gol, mas a zaga cortou na última hora.

Um minuto depois, Willian roubou a bola no ataque e tabelou com Borja; entrou na área e rolou para o meio; Dudu fez o corta-luz e Borja ficou livre para tocar para as redes, abrindo o placar, tirando a zica e abrindo um enorme sorriso.

Aos 15, mais uma roubada de Willian, e de novo saiu a tabela com Borja – mas neste lance Willian estava mais por dentro e preferiu o chute; Thiago defendeu. Aos 25, Dudu puxou o contra-ataque e tabelou com Willian Bigode; já dentro da área, tentou ligar com o calcanhar para Borja, que não chegou. Foi o último lance do colombiano, que deu lugar a Keno. Um minuto depois, Thiago Santos substituiu Felipe Melo.

Aparentemente mais inteiro fisicamente, o Palmeiras passou a controlar o jogo, sem forçar. O Botafogo não tinha forças para chegar ao ataque e, apesar do placar apertado, o Verdão não sofria sustos.

Aos 39, Willian sofreu falta do lado direito; Lucas Lima bateu com categoria e a bola carimbou o travessão. Depois do lance, Lucas Lima deu lugar a Bruno Henrique. Aos 43, Keno deu velocidade ao lance e deixou Dudu na cara do gol; ele limpou o goleiro mas perdeu ângulo e se atrapalhou na hora de tocar para o gol. Um minuto depois, Dudu foi mais uma vez lançado, desta vez por Bruno Henrique; o capitão colocou na frente e soltou o canudo, mas pegou mal na bola e mandou para fora, sem nenhum perigo.

Aos 46, Dudu virou o jogo e achou Keno na direita; o camisa 11 cruzou na risca da pequena área para Willian Bigode, que perdeu gol feito. Aos 47, Marcos Rocha arriscou um canhão do bico da área e mandou para fora. Depois desse bombardeio, o jogo acabou.

FIM DE JOGO

O Palmeiras dosou as energias no primeiro tempo, enquanto que o Botafogo foi com tudo para tentar abrir vantagem. Não conseguiu, pregou no segundo tempo e o Palmeiras fez o oposto, engolindo o time da casa e criando várias oportunidades de gol.

Não tivemos nenhuma atuação destacada, mas quase o time todo jogou muito bem, com inteligência e impondo a técnica sobre o fraco, mas esforçado time do Botafogo,que começou o jogo batendo bem, mas depois acalmou. O Verdão agora se prepara para receber o Red Bull, no Allianz Parque, com mais expectativa para um grande público. VAMOS PALMEIRAS!

Ficha Técnica

20.088

R$ 1.023.240,00

Raphael Claus

Súmula

Borderô

Botafogo-SP

GOL
Tiago Cardoso
LAD
Diego Tavares
ZAG
Naylhor
ZAE
Plínio
LAE
Peri
VOL
Serginho
MEI
Danielzinho
VOL
Diones
VOL
Willian Oliveira
MEI
Dodô
MEI
Lelê
VOL
Everton Heleno
ATA
Bruno Moraes
ATA
Jheimy
TÉCNICO
Léo Condé

Notas


Jogador
Descrição
Nota
Jailson
Um voo em falso sem consequências, e nada mais de errado.
7
Marcos Rocha
Mais seguro que na primeira partida, perdeu apenas uma disputa para Lelê.
6
Antônio Carlos
Bem por cima, bem por baixo.
7
Thiago Martins
Aparente bem entrosado com Antônio Carlos, sempre bem posicionado.
7
Victor Luis
Absurdamente superior aos nossos três laterais do ano passado somados.
7.5
Felipe Melo
Não teve o destaque do jogo anterior, mas fez seu papel sem sustos.
7
Thiago Santos
Manteve o nível do titular.
6.5
Tchê Tchê
No calor intenso, correu o campo todo e preencheu bem os espaços; tocou bem a bola e foi o parceiro ideal para Felipe Melo.
8
Willian
Partida no padrão; roubou bolas importantes e sempre levou muito perigo ao gol do Botafogo.
7.5
Lucas Lima
Mais uma partida de muita movimentação e bons lances; uma linda cobrança de falta que foi na trave.
7.5
Bruno Henrique
Quase não pegou na bola.
s/n
Dudu
Participou muito do jogo. Cheio dos toques de calcanhar, oscilou na intensidade. Hoje, é quem mais corre risco de perder a posição.
6.5
Borja
Repetiu aatuação vibrante de quinta-feira, mas desta vez foi premiado com um gol. Era natural.
7.5
Keno
Entrou bem e criou lances importantes com Willian.
7
Roger Machado
Roger Machado
A estratégia de dosar o esforço deu muito certo. A lateral direita já não esteve tão frágil e Tchê Tchê estava muito mais bem posicionado. Tá fazendo tudo certinho.
8