5
X
0

21/03/2018 - 21:45

Pré-Jogo

Pré-jogo: Palmeiras x Novorizontino

Na noite de hoje, a Sociedade Esportiva Palmeiras recebe o Novorizontino na partida de volta das quartas-de-finais do Campeonato Paulista. Após a ótima vitória no jogo de ida, o Verdão pode até perder por 2 gols de diferença que estará classificado – uma improvável derrota por três gols ainda leva a decisão para os pênaltis.

Palmeiras

DESFALQUES
Lesionado:
Artur
Trabalho físico: Deyverson
Desconforto muscular:
Michel Bastos
Convocado:
Borja
Suspenso: Jailson
Sem contrato: Gustavo Scarpa
Não inscritos: Mayke, Pedrão, Jean e Hyoran

O maior problema de Roger Machado é no setor de ataque, com vários desfalques – a convocação de Borja o fará optar entre manter o modo de jogar básico do time escalando o Papagaio no comando do ataque, ou alterar o esquema escalando Willian no comando do ataque.

O desfalque de Jailson, ridiculamente sacaneado pela FPF, será reposto por ninguém menos que Fernando Prass; outro veterano que aparece bem é Edu Dracena, mas este ainda deve aguardar a vez no banco. Diogo Barbosa concentrou e está à disposição, mas Victor Luis tende a manter a posição. O provável time é Fernando Prass; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Thiago Martins e Victor Luis; Felipe Melo e Bruno Henrique; Keno, Lucas Lima e Dudu; Willian Bigode (Papagaio).

Novorizontino

Doriva pode promover a volta de Tiago Costa, que se recuperou de contusão, na lateral esquerda, sobretudo diante da fraca partida de Thallyson no sábado. De resto, o time deve ser o mesmo que perdeu o jogo de ida por 3 a 0: Oliveira; Tony, Anderson Salles, Éder Ferreira e Thallyson (Tiago Costa); Adilson Goiano, Lucas Siqueira e Jean Carlos; Cleo Silva, Alisson Safira e Juninho.

Lei do Ex

Jean Carlos, meia que chegou a ser aproveitado por Felipão quando era júnior, (aqui, era só Jean) hoje é o camisa 10 do time de Novo Horizonte.

Retrospecto

O Tigre é um freguezaço. Aproveite todas as funcionalidades do Almanaque do Verdazzo. Consulte os links abaixo, e faça os cruzamentos com outros dados como preferir:

Novorizontino
Novorizontino
Allianz Parque
Allianz Parque
Vinicius Furlan
Vinicius Furlan
Taça Campeonato Paulista
Campeonato Paulista

 

Parpite

Se você fosse um jogador do Novorizontino, que motivação teria para o jogo de hoje? Provavelmente, apenas fazer um bom papel, manter a dignidade, sem alimentar esperanças de classificação. Esse é o perigo: eles virão leves, sem responsabilidade, o que pode transformar um vacilo no início do jogo numa fagulha para uma tragédia.

Por isso, a partida de hoje, mais do que nunca, requer concentração total por parte do Verdão. A postura do time nos minutos iniciais de cada tempo dará o tom do que vai ser o jogo. É uma ótima oportunidade para nossos jogadores exercitarem a capacidade de foco – até porque, é uma demonstração de respeito ao adversário.

Se entrarem com a concentração necessária, vencerão o jogo por 2 a 0, com um gol em cada tempo: um de Dudu e outro de Bruno Henrique, para 27.654 pagantes no Allianz Parque. VAMOS PALMEIRAS!

Transmissão

TV GloboGlobo – para SP (Cleber Machado, Caio Ribeiro e PCO)

PFCPFC (Milton Leite e Mauricio Noriega)

Pós-Jogo

Palmeiras 5x0 NovorizontinoDjalma Vassão/Gazeta Press

O Palmeiras venceu o Novorizontino por cinco a zero esta noite no Allianz Parque e avançou às semifinais do Campeonato Paulista. Além da vaga, o Verdão também selou a vantagem do mando numa possível final, já que, caso se classifique, não poderá mais ser alcançado por nenhum adversário.

O Palmeiras chegou à quarta vitória consecutiva sem tomar gols; marcou 13 vezes – é uma sequência de muito respeito. Conseguiu também a maior goleada dos 101 jogos disputados até agora no Allianz Parque – antes desta partida, o Verdão havia aplicado duas goleadas por 5 a 1, sobre o Sampaio Corrêa em 2015 e sobre o Sport, no fim do ano passado.

PRIMEIRO TEMPO

Com Willian enfiado no meio dos zagueiros, o Verdão entrou em campo tentando entender como jogar sem a referência de Borja. Keno saiu jogando pela esquerda, invertido com Dudu, e foi dele o primeiro cruzamento perigoso para a área, aos 3 minutos – Willian não conseguiu o cabeceio por 5 centímetros de estatura.

Aos seis, depois de muita insistência, saiu o primeiro: Dudu brigou pela direita e cruzou; Antônio Carlos disputou por cima e a bola sobrou com Lucas Lima, que abriu na esquerda para Willian; o cruzamento veio por baixo e Bruno Henrique, na pequena área, tocou para dentro.

O gol matou o Novorizontino moralmente e o jogo virou um massacre. Aos oito, Dudu aproveitou um bom contra-ataque, puxou para dentro e enfiou para Willian no facão; o Bigode não acompanhou pensando que a bola iria para Marcos Rocha, que passava por fora, e perdeu a chance de entrar com bola e tudo.

Aos 18, Keno fez a jogada de velocidade pela esquerda, tabelou com Lucas Lima, recebeu de volta já dentro da área e tocou na saída de Oliveira, de cavadinha, marcando um golaço. Estava muito fácil.

Aos 23, Keno fez linda jogada pelo fundo, invadiu a área e tocou por baixo; Willian perdeu a chance de tocar para dentro e fazer o terceiro. O Verdão aproveitava os mesmos espaços deixados pelo Novorizontino na partida de ida e entrava na área adversária como queria.

Dois minutos depois, Lucas Lima puxou o contra-ataque e ligou com Dudu na direita; o capitão teve a chance de ir para dentro, mas preferiu esperar a definição da defesa; Lucas Lima se apresentou do outro lado com toda a liberdade e Dudu fez um lindo passe por cima; o camisa 20 dominou e soltou a perna, para ótima defesa de Oliveira.

Aos 33, a primeira jogada de bola parada: Marcos Rocha bateu falta da direita e Felipe Melo se projetou na área tentando o arremate; não alcançou e a bola quase entrou direto, assustando Oliveira. Um minuto depois, Lucas Lima armou o contra-ataque e lançou Marcos Rocha; já dentro da área, o lateral puxou dois marcadores e girou o corpo para cruzar para Willian, sem marcação – ele encheu o pé e marcou o terceiro.

Aos 37, a primeira chegada do visitante: Jean Carlos arriscou do meio da avenida e acertou um belíssimo chute, exigindo boa defesa de Fernando Prass, que espalmou a escanteio. Um minuto depois, a bola aérea do Novorizontino apareceu de novo: Jean Carlos bateu falta da esquerda e Guilherme Teixeira apareceu no segundo pau para escorar, livre, mas a bola saiu por cima.

Aos 41 começou a chover sobre o Allianz Parque, o Palmeiras então diminuiu o ritmo do jogo e parecia esperar pelo apito final do primeiro tempo. Mas no último lance, após falta pela direita batida rápido por Marcos Rocha por baixo, Keno invadiu a área e tocou para Dudu, que fintou Éder Ferreira e tocou para fazer o quarto o gol. Parecia churrasco.

SEGUNDO TEMPO

A chuva não deu trégua e Verdão voltou com duas mexidas: Tchê Tchê no lugar de Marcos Rocha e Edu Dracena no lugar de Thiago Martins. O Novorizontino também fez duas alterações: Thallyson deu lugar a Lucas Silveira e Jean Carlos saiu para a entrada de Valdeir. Na prática, o que se viu foi que Doriva mandou o time recuar, para evitar uma goleada histórica.

Aos sete, a primeira boa chegada do Verdão: Bruno Henrique tabelou com Tchê Tchê pelo meio e bateu rasteiro da meia-lua; a bola saiu à esquerda do gol de Oliveira, por pouco. Aos 13, escanteio curto e Tchê Tchê cruzou para Felipe Melo, na marca do pênalti; a testada saiu forte mas foi em cima de Oliveira, que fez a defesa.

Aos 15, Tchê Tchê infiltrou pelo meio e tentou ligar com Willian, enfiado na área; na matada, a bola subiu e ele não teve dúvidas: meteu uma bike e a bola saiu à esquerda de Oliveira, assustando o goleirão.

Fechadinho, o Novorizontino se tornou um teste interessante para o Palmeiras tentar furar com esta nova configuração, tendo Willian como referência. Mas aos 19, o jogo mudou, com a expulsão de Jonatan Lima, que levou o segundo amarelo por falta grosseira sobre Keno. Roger mandou Papagaio a campo, no lugar do camisa 29. O jogo era ataque contra defesa; o Novorizontino não passava do meio do campo.

Já sem a chuva para atrapalhar, o Verdão conseguiu um pênalti aos 28: Keno recebeu a bola invertida por Felipe Melo e foi para o drible, recebendo a falta dentro da área. Felipe Melo foi para a batida e tocou de forma bisonha, por cima do gol. Tentou fazer graça e prejudicou a ótima partida que vinha fazendo.

Mas aos 33, Keno fez uma jogada mágica pela esquerda, de calcanhar, deixando Lucas Lima livre para entrar na área; o camisa 20 parecia até constrangido tamanha a facilidade; olhou, escolheu e ergueu na cabeça de Papagaio, que marcou seu primeiro gol com a camisa do Verdão.

Após o quinto gol, as duas equipes se deram por satisfeitas. A bola rolava tranqüila pra lá, pra cá, enquanto parte da torcida já se encaminhava para o metrô. Vinicius Furlan encerrou o jogo aos 45 minutos, sem acréscimos.

FIM DE JOGO

O gol logo no início selou a classificação e deu o tom do jogo. O Palmeiras jogou com foco e apetite, buscou os gols quase o tempo todo e se aproveitou da falta de vocação do Novorizontino para se defender. O primeiro tempo teve momentos que lembrou o time de 1996, tamanha a facilidade com que envolvia o time do interior.

O adversário nas semifinais será conhecido amanhã – a tendência é que seja o Santos, algo que só não acontecerá se o SCCP derrotar o Bragantino por um gol e o time do interior avançar nos pênaltis. Venha quem vier, o time parece pronto. VAMOS PALMEIRAS!

Ficha Técnica

25.446

R$ 1.471.899,40

Vinicius Furlan

Súmula

Borderô

Palmeiras

GOL
Fernando Prass
LAD
Marcos Rocha
LAD
Tchê Tchê
ZAG
Antônio Carlos
ZAE
Thiago Martins
ZAG
Edu Dracena
LAE
Victor Luis
VOL
Felipe Melo
VOL
Bruno Henrique
MEI
Keno
MEI
Lucas Lima
MEI
Dudu
ATA
Willian Bigode
ATA
Papagaio
TÉCNICO
Roger Machado

Novorizontino

GOL
Oliveira
LAD
Tony
ZAG
Guilherme Teixeira
ZAE
Éder Ferreira
LAE
Thallyson
VOL
Lucas Siqueira
VOL
Adilson Goiano
VOL
Jonatan Lima
MEI
Jean Carlos
MEI
Valdeir
ATA
Cleo Silva
LAE
Reverson
ATA
Alisson Safira
ATA
Juninho
TÉCNICO
Doriva

Notas


Jogador
Descrição
Nota
Fernando Prass
Algumas boas saídas pelo alto e uma ótima defesa num chute de longe.
6.5
Marcos Rocha
Participou de dois gols, jogando muito tranquilo.
7.5
Tchê Tchê
Jogou sério, apoiando bastante, e trocou bons passes.
6.5
Antônio Carlos
Conseguiu ser vibrante num jogo em que devia ter ficado com sono.
7
Thiago Martins
Nenhum problema nos 46 minutos em que ficou em campo.
6.5
Edu Dracena
Não existe ocasião melhor para reentrar em campo do que num jogo como este. Pegou um pouco de ritmo.
6.5
Victor Luis
Excelente partida, muito importante na marcação a Cleo Silva nos momentos em que o Novorizontino poderia dificultar o jogo, sobretudo no primeiro tempo. Respondeu da melhor forma possível à presença de Diogo Barbosa no banco.
8.5
Felipe Melo
Poderia ter sido o melhor em campo não fosse o pênalti bizarro.
7.5
Bruno Henrique
Tá encaixado demais no esquema. Parece feito sob medida para ele.
8
Keno
Endiabrado, fez um golaço e uma jogada mágica que deu no quinto gol. E dizem que "é jogador de segundo tempo"...
8.5
Lucas Lima
Correu o campo todo mais uma vez, com muita presença e disposição - e participações em gols.
7.5
Dudu
Tá solto, tanto na esquerda, quanto na direita, só esperando os clássicos.
8
Willian Bigode
Se garante em qualquer pedaço do campo lá na frente. Joga muito.
8
Papagaio
Centroavante tem que fazer gol. Foi lá e fez.
8
Roger Machado
Roger Machado
Irreparável. Onde este homem vai parar?
8.5