Podcast: Periscazzo (15/09/2017)

A semana do Verdão passada a limpo, com dromedários e patadas.

Participe dos programas, ao vivo. Siga nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/pagina.verdazzo

Aqui, o feed para os agregadores: https://verdazzo.com.br/feed/podcast/E aqui, o link para apoiar o Verdazzo e se tornar um padrinho do site: http://www.padrim.com.br/verdazzo

  • Carlos Maccari

    Continuo acreditando no titulo

    • – SEP 1914 –

      Se dependesse só do time daria para buscar, mas com essa arbitragem podre do BR, é mais fácil entregarem logo o título para os lixos.

      • Lucas

        Kkkkkkk árbitro bom é o que expulsou Gabriel no paulista, né? Mesmo assim perderam… kkkkkkkkkkkkkkk

  • MonacoParmerista

    Sobre a base, um dos pontos do áudio, uma curiosidade: Martorelli, Ditinho, Denis, Gerson Caçapa e Edu Manga, originários de nossa base, integravam o time titular q disputou o título Paulista de 86 contra Inter de Limeira; 5 em 11, quase 50%.

    • Carlos José Da Silva Xavié

      E perdeu o titulo para a inter de limeira, com 2 jogos no morumbi…

      • MonacoParmerista

        Mas, conseguira, pela primeira vez em 10 anos, chegar a uma final.

        Houve problemas de vestiário e de arbitragem naquelas disputas finais, além de, no primeiro jogo, padecermos uma perda gigantesca.

        Vagner Bacharel, que era um dos fundamentos da personalidade daquele time, foi vítima de uma solada criminosa do Kita e, tendo saído carregado por Martorelli, foi substituído pra só voltar no 4o ou 5o jogo do Brasileiro daquele ano, num 6×0 que pusemos no Fortaleza no Porcambu.

        Kita poderia ter sido expulso pela entrada mas, pelo que me lembro, nem levou amarelo e, tendo ficado na disputa, acabaria sendo decisivo na segunda partida.

        Respeiro opiniões em contrário, mas vejo muito mais méritos naquele time do que falhas.

        E, insisto, a porcentagem de pratas da casa num time finalista é um indicador que, trabalhada dentro de padões técnicos e livres da politicagem e da corrupcão que muitas vezes a afetam, a categoria de base tem potencial pra ser A FONTE mais significativa de vantagem competitiva, ou no mínimo, de crescimento auto-sustentável do time e de seu caixa.

        Abrazzi.

        • Rafael Capelini

          O problema da base no momento é que os Europeus estão levando os melhores moleques com 15, 16,17 anos.

          Assim fica muito difícil garimpar um talento autêntico e lança-lo no momento oportuno.

          Tá uma verdadeira ‘farra’ essa questão dos Europeus levarem ou já encaminharem a saída dos jogadores ainda adolescentes!! Isso é muito ruim pro próprio futebol europeu que vê o espaço para seus próprios jovens evoluir diminuir, e péssimo pro Brasil que fica sem conseguir criar um sistema de evolução e identificação natural dos jovens atletas.
          E os clubes locais tem que se conformar apenas com ‘as sobras’do mercado ou retorno de pseudo-medalhões com salários estratosféricos que saíram à peso de ouro e que por algum motivo não conseguiram engrenar lá fora.

          Peneirando muito se acha um Dudu da vida, mas é raridade!!
          A maioria que se consegue trazer de volta antes da curva descendente da carreira é nível Deyverson pra baixo!! (na maior parte dos casos BEM pra baixo!!!)

          As leis e as regras da FIFA deveriam PROTEGER os clubes e os jovens atletas desse ‘êxodo’ prematuro, mas leis no nosso país sabemos o valor que tem, e a FIFA, depois de perder seus principais cartolas pro FBI, ao invés de melhorar está indo por caminhos cada vez mais perigoso pro esporte.

          • Daniel

            Rafael, não acho que isso seja realmente “o” problema.

            Porque entendo que essas apostas do mercado europeu não passam de apostas que certamente o Palmeiras “abriu mão”. Ou seja, também foi uma aposta do Palmeiras que as vendas hoje seriam o melhor negócio.

            Investir num jogador de 15 ou 16 anos é um negócio muito arriscado.

            Até porque essas jovens promessas são caríssimas. Seus empresários ávidos por uma transferência, que é quando ganham dinheiro grande uma só vez.

            Diferente quando é um atleta realmente fora da média, como foi Gjesus, Neymar, etc.

            Penso que as melhores promessas serão detectadas pelo Palmeiras, e devidamente preservadas.

            Assim espero.

          • Rafael Capelini

            O difícil é concorrer com o poderio sedutor tanto financeiro quanto de ‘efeito CHAMPIONS LEAGUE’ que estão despejando no momento pra fazer ‘a leva’. Tinham parado com isso depois de alguns fiascos, especialmente o mais notável o do Robinho pro Real. Agora depois das batalhas e consequente explosão instantânea de Jesus e Neymarra, voltaram com a carga toda, os Neres, e ViniciusJrs que o digam… estão atacando com força e pesado, repare que qualquer moleque que se destaca já é cerceado!!! Depois de mais alguns fiascos essa onda passará, mas no momento está difícil!!!

        • AlexTala

          Assino o que voce escreveu, estava lá, lembro como se fosse hoje!