A cabeça de Patrick de Paula

Patrick de Paula
Cesar Greco/Ag.Palmeiras

O volante Patrick de Paula, que chegou a despontar como melhor jogador do elenco em determinados trechos da temporada, foi reconhecido como um dos grandes heróis da conquista do Paulista na final contra o SCCP.

Não houve palmeirense que não curtiu o registro em vídeo do jovem volante tendo o nome cantado pela torcida quando passou de carro pela rua Palestra, com o torso para fora da janela, celebrando intensamente seu primeiro caneco como profissional.

Incensado pela imprensa, com razão, o menino teve uma ascensão rapidíssima na carreira, com atuações realmente espetaculares – algo que não chegou a surpreender quem acompanhou as exibições do time sub-20 do Palmeiras em 2019.

O reconhecimento veio acompanhado de uma renovação do contrato até o fim de 2024 – o que normalmente traz no pacote um bom aumento salarial.

A trajetória de Patrick é a mesma de centenas de garotos que despontaram em grandes camisas do futebol brasileiro – mas no futebol de hoje as grandes cifras chegam cada vez mais cedo às realidades desses atletas. A cabeça precisa ser boa.

Patrick de Paula
Fabio Menotti/Ag Palmeiras

O Palmeiras se orgulha de ter implementado em suas categorias de base uma grande estrutura de formação que envolve não apenas aspectos técnicos, táticos e físicos, mas também humanos. Na base do Verdão, o garoto também aprende a ser homem. Nossas crias da base são preparadas para lidar com a vida única de ser um atleta profissional de elite.

Obviamente, nem todos absorvem os ensinamentos da mesma forma. Vemos Gabriel Menino, seu parceiro de posição nos últimos três anos que também teve seu contrato renovado com reconhecimentos, muito mais focado neste estágio da carreira, com uma postura profissional mais sólida.

Gabriel Menino é muito talentoso, mas ainda assim, só na bola, está abaixo de Patrick de Paula. Seu comportamento como um todo, no entanto, chamou mais a atenção de Tite, que o convocou para a seleção da CBF numa posição em que atua de forma secundária – a lateral-direita.

Oscilação

Patrick de Paula vinha se destacando pela queda de rendimento nos últimos jogos da passagem de Vanderlei Luxemburgo pelo Palmeiras. Na infame partida contra o Coritiba, foi um dos que mais se caracterizou pelo jogo blasé.

Contra o Fortaleza, já sem Luxa, seguiu apático, entrando em discussões bobas com os colegas de time em campo. Acabou sacado do jogo e do time na vitória sobre o Tigre, quando o grupo iniciou uma boa reação.

O camisa 5 ainda recebeu uma nova chance contra o Atlético-GO, e mesmo numa atuação coletiva bastante positiva, Patrick novamente destoou negativamente e tomou corneta, inclusive em nossas notas. Foi novamente substituído, para não voltar mais.

Já sem Patrick, o Palmeiras encaixou mais dois bons jogos, contra o Bragantino e contra o Atlético-MG.

Alvo de fofocas

Cesar Greco/Ag.Palmeiras

Patrick de Paula já não está sob os cuidados dos profissionais da base. Neste ano maluco de 2020, em que tudo foi lento e enfadonho para as pessoas comuns, nosso camisa 5 passou por seguidos turbilhões de emoções.

Por mais preparado que tenha sido na Academia de Futebol II, talvez Patrick esteja com dificuldades para superar esse carrossel. Nossa comissão técnica precisa estar atenta com esse menino, para que ninguém desperdice os potenciais.

Patrick de Paula joga demais e, com a cabeça boa, é titular do Palmeiras e de qualquer time do país.

Neste momento, vê ninguém menos Felipe Melo recuperar o prestígio numa faixa do campo que lhe parecia absoluta; vê Danilo e Ramires sendo aproveitados durante os jogos e ainda lida com Gabriel Menino sendo lembrado para a seleção brasileira.

Tudo isso acontece em meio a fofocas envolvendo seu nome lançadas por profissionais de imprensa irresponsáveis. Como será que ele está lidando com esse buraco? E como será que nossa comissão técnica está vendo tudo isso?

Cuidado e atenção

César Greco/Ag.Palmeiras

É absolutamente normal que um menino que acabou de subir para o profissional apresente oscilações. No caso de nosso camisa 5, a origem delas parece ser muito menos na adaptação ao jogo mais pesado e mais na parte mental.

Estamos entrando na fase decisiva da temporada. Nosso novo treinador está formulando as primeiras combinações de campo e precisamos muito que Patrick de Paula esteja com a cabeça zerada para nos ajudar nas próximas semanas. Precisamos de todo o cuidado e atenção do mundo com uma de nossas crias da base mais talentosas dos últimos anos.


O Verdazzo é um projeto de independência da mídia tradicional patrocinado pela torcida do Palmeiras.

Conheça mais clicando aqui: https://www.catarse.me/verdazzo.

  • O que a “imprensa” falou sobre ele? Qual foi a fofoca?
    Por falar em fofoca, aquele Nicola da ESPN é o pior nesse âmbito.

    • Ninguém mencionou o nome do Patrick, mas falaram que houve alguns jogadores “novatos” que não gostaram de brincadeiras de “veteranos”.

  • Acredito eu que tenha sido a proposta do Benfica, pq a data coincide com o início da queda de rendimento dele, mas não dá pra saber. Nada que um bom banco e boas conversas não resolvam, espero. Mas ele não tem histórico de mal menino. Vamos torcer pra daqui a pouco ser um César Sampaio em seu auge.

  • Não vejo tanta queda de produção técnica assim…..creio que esteja passando pela oscilação normal com recém promovidos. Jogou demais para a idade dele, normal essa queda.

  • Patrick de Paula, de fato, é muito talentoso, mas não tem características defensivas ideais para ser o primeiro meio campista que protegerá o sistema defensivo quando o time estiver sem a bola.

    Ele deveria jogar como 2o. ou 3o. meio campista, onde não necessariamente precise ter como principal característica a marcação.

    Com a chegada de Abel Ferreira, fico com a confiança de que todos os meninos da base evoluírão muito e terão carreiras promissoras…

  • Ele estava jogando de forma irresponsável. Parecia que estava jogando uma pelada. Tentando só lances mais difíceis. Não dá para entender o que passa na cabeça dele. Mas enfim, resta torcer para se recuperar. Encheram demais a bola dele.