Brasileirão 2018 – planejamento de pontos: segundo quartil

O Palmeiras volta à disputa do Brasileirão, e o Verdazzo atualiza o acompanhamento da projeção de pontos, construída antes do início do campeonato.

Devido à Copa do Mundo, o primeiro quartil acabou um pouco espichado, com 12 jogos. A projeção de pontos apontava a conquista de 23 pontos antes da parada para a Copa, sempre visando a contagem final de 77 pontos – esse número baseia-se no fato que desde 2006, quando o campeonato passou a ter este formato, nenhum vice-campeão ultrapassou a marca de 72 pontos. Chegar a 77, diante desse histórico, dá alguma margem de segurança.

Brasileirão 2018O Palmeiras iniciou o campeonato dentro da previsão, empatando fora contra o Botafogo e vencendo o Inter. O tropeço contra a Chape (roubado) foi compensado pela boa vitória em Curitiba.

Depois de dois resultados dentro do previsto, novo tropeço: contra o Sport, em casa – algo compensado com a ótima partida em Porto Alegre. O Verdão caminhava para chegar ao fim do quartil dentro do planejamento, quando os tropeços finais contra Ceará e Flamengo nos deixaram a quatro pontos da meta.

Ajustes no segundo quartil

Brasileirão 2018Esses maus resultados na reta final do quartil obrigam o Palmeiras a fazer uma campanha espetacular nos sete jogos deste segundo quartil; a previsão inicial de 5V 1E 1D precisa ser ajustada para cima. Com seis vitórias e um empate, o Verdão ficará a apenas um ponto da meta do turno, de 39 pontos. Uma campanha perfeita, de sete vitórias, nos leva a uma folga de dois pontos.

Olhando apenas para os números, a meta é ousada e difícil, muito improvável estatisticamente. Mas a tabela permite sonhar, já que todos os jogos são perfeitamente “ganháveis”. O que complica ainda mais a tarefa são os três jogos de mata-mata encravados na trajetória – a ida ao Paraguai, pela Libertadores, e os dois confrontos contra o Bahia pela Copa do Brasil.

Cenário incerto

Gustavo Scarpa
Cesar Greco/Ag.Palmeiras

A previsão está muito mais sujeita a complicações porque o cenário pós-Copa é tradicionalmente muito nebuloso. Além das mudanças nos elencos, os times tendem a usar a intertemporada para experimentar mudanças táticas; muito do que se viu até junho deixa de ser referência para o resto da temporada.

O Palmeiras perdeu Keno, mas ganhou Gustavo Scarpa, que já volta com status de titular. O jeito de jogar do time deve mudar, sobretudo fora de casa, quando tivemos grandes resultados. Por outro lado, a presença de meias que se movimentem mais horizontalmente tende a ajudar o futebol de Lucas Lima, o que reforça a esperança de uma grande campanha.

O Flamengo desponta como o principal concorrente, mas já vimos o quanto a tabela foi marotamente direcionada para que eles (junto com o SCCP, que não aproveitou) abrissem vantagem no começo do campeonato. A tabela deles no segundo quartil é bem mais complicada, jogadores importantes deixaram a Gávea e a tendência é que a distância diminua nas próximas rodadas.

Esperança é o que nos move, sempre. Os 77 pontos projetados visam um resultado seguro, mas nada impede que 75 ou 74 pontos não sejam suficientes para a conquista. Por outro lado, o Flamengo (ou outro concorrente) pode fazer uma grande campanha e elevar o patamar da disputa. A nós, resta fazer o papel de sempre: apoiar, apoiar e apoiar, para que no final do ano, independentemente do resultado das copas, possamos encerrar o ano com mais uma grande conquista levantando o decacampeonato.


Verdazzo é um projeto de independência da mídia tradicional patrocinado pela torcida do Palmeiras.

Conheça mais clicando aqui: https://www.padrim.com.br/verdazzo

Brasileirão 2018: planejamento de pontos

CalculadoraComo já é tradição, às vésperas do Brasileirão o Verdazzo lança o planejamento de pontos para o campeonato, visando projetar o acompanhamento de uma campanha suficiente para o Palmeiras chegar ao título.

Diante do histórico do Brasileirão, a pontuação de 77 costuma apontar o campeão com sobras – jamais um vice-campeão ultrapassou os 72 pontos, o que dá uma certa margem para que a meta estipulada seja suficiente.

O Campeonato Brasileiro, com 12 camisas importantes além das tradicionais surpresas, tem uma dinâmica diferente das grandes ligas européias, onde sempre dois ou três times costumam disparar e chegam na reta final com mais de 80 pontos.

Sempre é bom lembrar que a projeção a seguir é apenas uma referência. O importante é chegar ao fim de cada período com a pontuação sugerida – uma vitória prevista que não se concretiza pode ser compensada com uma vitória em outro jogo em que estava projetado um empate ou uma derrota.

Primeiro quartil – 23 pontos

Brasileirão 2018 - Primeiro quartilEste ano, diante da parada para a Copa do Mundo, o primeiro período precisa ser um pouco mais longo, abrangendo as 12 primeiras rodadas até o recesso. Nesta sequência, a tabela marotamente coloca o Palmeiras como visitante em três jogos difíceis, contra o SCCP, em que seremos mais uma vez garfados, e ainda contra Cruzeiro e Grêmio. Assumindo esses três jogos como possíveis derrotas, ainda mais porque o time ainda está em fase de desenvolvimento, o Palmeiras chegará ao final do quartil com 23 pontos; com essa pontuação, possivelmente no G4.

Para isso, precisa vencer todos os jogos em casa, contra Inter, Chapecoense, Bahia, Sport, SPFC e Flamengo, além de arrancar empates contra o Botafogo, na estréia, e contra o Atlético-PR. Numa campanha de 12 jogos, entremeada por três jogos de Libertadores e dois de Copa do Brasil, o Verdão precisa sete vitórias e dois empates.

Segundo quartil – 16 pontos

Brasileirão 2018 - Segundo quartilO segundo período tem início assim que termina a Copa do Mundo e acaba sendo mais curto, com apenas sete jogos. Dos 21 pontos em jogo, o Palmeiras precisa fazer 16.

Após a largada com uma possível derrota para o Santos no Pacaembu, o Verdão precisa engatar uma série de 5 vitórias (Galo, Paraná e Vasco em casa; e Fluminense e América fora), para fechar o quartil com um empate no Barradão. Se fechar o turno com 39 pontos, o Palmeiras fatalmente estará entre os dois melhores do campeonato, já com uma certa distância do pelotão intermediário.

Terceiro quartil – 20 pontos

Brasileirão 2018 - Terceiro quartilA terceira parte da tabela conta com dez jogos e o Palmeiras precisa, em tese, passar invicto por ela. A boa notícia é que vários empates podem ser tolerados, e uma derrota não prevista pode ser compensada em outra partida bem encaixada.

Depois de receber o Botafogo, quando precisa vencer, o Palmeiras faz uma miniexcursão ao sul do país, para enfrentar Inter e Chape – dois empates seriam ótimos; uma vitória já é lucro. De volta ao Alianz Parque, receberemos o Atlético-PR e logo em seguida teremos o Derby em que a vitória, além de obrigatória em todos os sentidos, vai deflagrar a arrancada para o título.

O Verdão parte em nova miniexcursão, desta vez ao nordeste, para enfrentar Bahia e Sport, e a missão é trazer seis pontos na bagagem, para ter fôlego para as três partidas finais do período: Cruzeiro, em casa; clássico fora contra o SPFC, onde não temos levado sorte há muito tempo; e Grêmio em casa, em partida que tende a lembrar o duelo contra o Flamengo em 2016. Ao final deste quartil, se bem sucedido, estaremos com 59 pontos e na liderança do campeonato – com 3 ou 4 pontos de frente.

Quarto quartil – 18 pontos

Brasileirão 2018 - Quarto quartilA reta final, caso a meta dos três primeiros quartis estejam batidas, vai exigir concentração total, mas também permitirá que o time administre os resultados conforme os jogos dos adversários diretos.

Nestes nove jogos, receberemos Ceará, Santos, Fluminense e América – para ser campeão não esperamos nada menos que vitória em todos os jogos. Nas visitas contra Flamengo, Galo e Vasco, dois pontos parecem ser suficientes para manter a margem. Enfim, chegaremos à rodada final contra o Vitória, em casa, possivelmente já com o título garantido com 76 pontos. Se for necessário, amassaremos o time baiano para chegar a 79, mas a tendência é de um jogo relaxado e um empate.

Confiança

Em 2016, a previsão deu certo. No ano passado, tropeços no primeiro quartil tiraram o Palmeiras do passo. Os quartis seguintes estiveram bem próximos da projeção, mas a Lei de Guardiola mostrou-se acurada novamente: “num campeonato de pontos corridos com 20 clubes, um time ganha o campeonato nos oito últimos jogos e perde nos oito primeiros”.

O Verdão ainda tem pontos a evoluir na formação do time, mas tem um trunfo fundamental: elenco. Para campeonatos de tiro longo, ter reservas que mantêm o nível técnico é fundamental, sobretudo em temporadas espremidas pela Copa do Mundo, em que semanas sem jogos na quarta-feira praticamente não existem. Não será surpresa se este ano o corte para ser campeão fique mais abaixo ainda da média histórica.

Como sempre, ao final de cada quartil faremos a conferência do desempenho do Palmeiras comparado com esta projeção, confiantes que este ano o decacampeonato virá. VAMOS PALMEIRAS!


Verdazzo é um projeto de independência da mídia tradicional patrocinado pela torcida do Palmeiras.

Conheça mais clicando aqui: https://www.padrim.com.br/verdazzo