Palmeiras tem pior início de returno no Brasileirão da sua História

Renan e Kuscevic observam Jailson, em jogo do Palmeiras contra o Red Bull Bragantino durante partida válida pela vigésima quinta rodada do Brasileirão 2021, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Com apenas 1 vitória conquistada nos últimos 6 jogos, Palmeiras é lanterna do returno no Brasileirão

Após uma ótima campanha no primeiro turno do Campeonato Brasileiro, quando conquistou 35 pontos em 18 jogos (a partida contra o Ceará, válida pela 19ª rodada, foi adiada e acontecerá no próximo dia 20), o Palmeiras vem tendo dificuldades de repetir o desempenho no segundo.

Com a derrota para o Red Bull Bragantino no último sábado por 4 a 2, o Verdão igualou seu pior início de returno em Campeonatos Brasileiros. Em seis jogos disputados até o momento, são quatro derrotas, um empate e, apenas, uma vitória, o que representa um aproveitamento de 22%.

Nas 16 edições da Série A disputadas anteriormente, a equipe só obteve um aproveitamento de pontos tão baixo em 2012, quando acabou rebaixado.

“Tenho que ser realista. Nesse momento o Palmeiras não está forte. Estamos em um mau momento e temos que assumir. Temos muitos jogos ainda, mas temos que lembrar que temos um jogo dia 27 de novembro [final da Libertadores] e são os jogos do Brasileirão que vão nos preparar para lá. Apesar das ausências vamos trabalhar para fazer mais e melhor”, comentou Abel Ferreira em entrevista coletiva.

A fim de comparação, nos anos em que o Verdão terminou abaixo do 10º colocado (2006, 2011 e 2014), o aproveitamento no início do returno foi de: 28%, 33% e 39%, respectivamente. Já em 2010, quando terminou o Brasileirão em décimo, a equipe obteve 61% dos pontos neste recorte.

Confira a campanha do Palmeiras em 2006, 2010, 2011 e 2014:

  • 2006: 1 vitória, 2 empates e 3 derrotas;
  • 2010: 3 vitórias, 2 empates e 1 derrota;
  • 2011: 1 vitória, 3 empates e 2 derrotas;
  • 2014: 2 vitórias, 1 empate e 3 derrotas.

Má fase deixa o Palmeiras em último colocado da tabela no segundo turno

Os maus resultados fazem com que o Palmeiras seja, na tabela de classificação no segundo turno do Brasileirão de 2021, o último colocado. Equipes como Chapecoense e Bahia, que hoje estão na zona de rebaixamento, conquistaram um ponto a mais que o Verdão.

Para começar a mudar o cenário e retornar ao caminho das vitórias, o Palmeiras enfrentará, na noite desta terça-feira, o Bahia, em Salvador. Atuando como visitante, o Verdão não perde para o Bahia desde 1988.

Para chegar à meta estipulada por Abel, Palmeiras terá que superar 90% de aproveitamento nos jogos restantes

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o América-MG, durante partida válida pela vigésima quarta rodada Brasileirão 2021, no estádio Independência.
Cesar Greco

Na arrancada do Palmeiras de Felipão no Brasileirão, campanha foi de 83%

O técnico Abel Ferreira, em entrevista antes do jogo do Palmeiras contra o América-MG, revelou que a meta de pontos estipulada pela comissão técnica para o Campeonato Brasileiro era de 80 pontos.

Para isso acontecer, a equipe precisará ter um aproveitamento espetacular de 91,1% dos pontos nas próximas 15 rodadas e conquistar 41 dos 45 pontos que ainda estão em jogo.

Isso significa que o Palmeiras tem o “direito” de perder apenas mais uma vez no campeonato e vencer 14 jogos, ou então empatar duas e ganhar 13 partidas.

Nas últimas duas vezes que conquistou o Brasileirão (2016 e 2018), o Verdão bateu 80 pontos ao final das 38 rodadas. Vale ressaltar que a pontuação é apenas uma referência e não traz nenhuma garantia de título.

Na arrancada até o decacampeonato, campanha do Palmeiras de Felipão foi de 83%

Alcançar a meta de Abel significaria ao Palmeiras uma campanha superior à que a equipe conseguiu com Luiz Felipe Scolari em 2018.

Para chegar ao decacampeonato, o Verdão ficou 23 jogos invicto, com 17 vitórias e seis empates – o que representa um aproveitamento de 83% dos pontos.

Campanha do Palmeiras nos últimos 10 jogos é de Z4

Depois de ficar 14 jogos sem perder na competição, o Palmeiras caiu de rendimento e isso refletiu no aproveitamento da equipe nos últimos dez jogos. Com duas vitórias, dois empates e seis derrotas, o Verdão obteve apenas 27% dos pontos neste recorte, número que só é melhor que a do Bahia, que conseguiu 17%. O Sport, penúltimo colocado, somou 30%.

Para começar a caminhada em busca dos 80 pontos, o Palmeiras terá pela frente o Red Bull Bragantino, atual sexto colocado, amanhã à noite no Allianz Parque. Além da sequência ruim, os outros problemas para a comissão técnica são os desfalques importantes.

Dos 15 jogadores que atuaram contra o Atlético-MG, no jogo em que o Verdão conquistou a vaga para a final da Libertadores, só sete estão em condições de jogo (Luan, Renan, Raphael Veiga, Rony, Gabriel Veron, Wesley e Dudu); dois são dúvidas (Danilo e Zé Rafael) e o restante está fora (Weverton, Gustavo Gómez, Piquerez, Felipe Melo, Gabriel Menino e Marcos Rocha).

Brasileirão 2021: planejamento de pontos – fim do segundo quartil

Calculadora - planejamento de pontos

O primeiro turno do Brasileirão chegou ao fim com a rodada 19 sendo disputada no último final-de-semana – ou pelo menos parte dela. O Palmeiras segue dentro da margem do planejamento de nossos exercícios anteriores. Com 35 pontos em 18 rodadas, o Verdão está a apenas dois pontos da pontuação estabelecida para alcançar 83 pontos ao final do campeonato.

Esses dois pontos ficaram para trás nas derrotas para Fortaleza e Cuiabá. Mesmo com o time vencendo jogos que toleravam tropeços – casos dos jogos contra Santos e Atlético-GO, as duas derrotas mencionadas, em pleno Allianz Parque, deixaram o time com esse pequeno déficit. O saldo do segundo quartil foi de 4 vitórias, 1 empate e 3 derrotas – o previsto era 4 vitórias, 3 empates e 1 derrota.

O leitor mais atento já notou que o segundo quartil foi fechado com apenas oito jogos. O tumulto no calendário faz com que nosso estudo fique um tanto bagunçado – mas nada que não possa ser adaptado. Assim, com 20 jogos para o final da disputa, a marca do terceiro quartil será puxada para a rodada 28; os dois quartis finais terão 10 jogos, cada.

É importante lembrar que este exercício considera 83 pontos uma contagem suficiente para alcançar o título. Mas é claro que essa meta pode ser alterada, para cima ou para baixo, conforme o desempenho dos outros ponteiros do campeonato oscilar.

Ajustes no planejamento do terceiro quartil

O jogo da rodada 19, contra o Ceará, tende a ser marcado para uma das datas das semanas em que serão disputadas as semifinais da Copa do Brasil – após a rodada 27 ou 28. Assim, consideraremos essa partida adiada como parte do terceiro quartil.

Este terceiro trecho da tabela marca, como sabemos, o primeiro jogo logo contra o Flamengo – e um tolerável empate, diante das circunstâncias, já é mau resultado. O Palmeiras precisa vencer essa partida para passar à frente dos cariocas nos pontos perdidos, para não dar chance ao Atlético abrir mais vantagem ainda, e para mexer no moral do elenco – tanto o nosso quanto o deles – às vésperas das semifinais da Libertadores. O jogo é ganhável por outros aspectos – O adversário tem vários jogadores voltando de seleções, sem foco, e ainda precisam pensar na Copa do Brasil – jogam no meio da semana.

Passada a semana do jogo do Flamengo, o Verdão volta à rotina de virar chavinha – os jogos pela Libertadores contra o Galo devem dispersar o foco no Brasileirão e as partidas contra Chapecoense e SCCP tolerarão empates – mesmo a Chape sendo o pior lanterna da história do Brasileirão por pontos corridos.

Essa tolerância acaba a partir do jogo seguinte. O Palmeiras precisa vencer os quatro jogos seguintes, contra Juventude (c), América (f), Bragantino (c) e Bahia (f), mesmo em meio a novas datas FIFA. Um empate contra o Inter é um tropeço tolerável, mas pode se transformar em obrigação de vitória caso o time não cumpra o planejamento das rodadas anteriores, que é bem puxado. Por fim, o Palmeiras fecha o quartil recebendo o Sport com a óbvia obrigação de vencer. Seguindo este plano, o Verdão chegará a 59 pontos ao fim do quartil, ainda com 30 pontos pela frente por disputar.

As incertezas

Sabemos os estragos que uma eliminação na Libertadores pode fazer. O Palmeiras disputa uma vaga na final com o Atlético a partir da outra semana; quem seguir em frente pode pegar um enorme embalo para o Brasileirão e o eliminado pode enfrentar uma turbulência irrecuperável.

Essas incertezas fazem com que as projeções acima, mais do que nunca, sejam meras referências, que certamente precisarão de novos ajustes ao fim da rodada 28, quando teremos um horizonte bem mais nítido para a projeção do último quartil deste campeonato.

O Brasileirão 2021, apesar da bagunça no calendário e as palhaçadas envolvendo a liberação da volta das torcidas aos estádios de forma não igualitária, segue sendo um dos mais disputados e empolgantes – ao menos do ponto de vista da marcha dos pontos.

Palmeiras, Flamengo e Atlético estão cumprindo o que deles se esperavam no início do campeonato e estão com um aproveitamento elevado, já se destacando do resto do pelotão nos pontos perdidos. O “trielo” até o fim da disputa promete ser acirrado, ponto a ponto. Manter-se dentro desta projeção de pontos é fundamental para que o Palmeiras chegue nas rodadas finais ainda em condições de pleitear o título.


O Verdazzo é um projeto de independência da mídia tradicional patrocinado pela torcida do Palmeiras.

Conheça mais clicando aqui: https://www.catarse.me/verdazzo.