Piquerez se recupera e pode reforçar o Palmeiras na Libertadores

Piquerez durante treinamento do Palmeiras na Academia de Futebol.
Cesar Greco

Desfalques nos últimos dois jogos, Piquerez havia sofrido um trauma no ombro direito na final contra o SPFC

O Palmeiras entra em campo nesta terça-feira, no Allianz Parque, para enfrentar o Independiente Petrolero (BOL), em duelo válido pela segunda rodada da Fase de Grupos da Libertadores. Na semana passada, o Verdão estreou na competição com goleada sobre o Deportivo Táchira, na Venezuela, por 4 a 0.

Para o duelo, a comissão técnica pode ter o retorno do lateral-esquerdo Piquerez, desfalque da equipe nos últimos dois jogos. O uruguaio se recuperou de um trauma no ombro direito sofrido no segundo jogo da final do Paulistão, diante do SPFC.

No treino de ontem, Piquerez foi a campo e participou normalmente de todas as movimentações comandadas por Abel Ferreira e seus auxiliares. O grupo realizou uma atividade técnica em campo reduzido e o lateral serviu de ‘coringa’, auxiliando na troca de passes das equipes.

Jorge foi o titular nas duas partidas em que Piquerez ficou de fora. Contra o Táchira, o camisa 6 ficou em campo por todos os 90 minutos; já diante do Ceará, saiu no intervalo. A sequência de jogos a cada três dias tem sido uma dor de cabeça para Abel Ferreira. Na última entrevista coletiva, ao ser perguntado se o Palmeiras terá que priorizar algum campeonato na temporada, o comandante afirmou: “vamos ter que pensar muito bem quais são os tiros que temos que dar”.

“Terça-feira estaremos aqui outra vez. Este é o nosso destino: jogar de dois em dois dias, três em três dias. O problema é que é consecutivo. Já demos três tiros, acertamos em dois [Recopa e Paulistão] e falhamos um [Mundial de Clubes], e agora temos mais três para dar [Brasileiro, Copa do Brasil e Libertadores]. Não sei se vamos ter balas para atirar para todo lado”, completou.

Piquerez volta; Luan segue lesionado

Com Piquerez novamente à disposição, Luan é o único jogador ainda sem condições de ir a campo pelo Palmeiras. O zagueiro lesionou a coxa logo após o Mundial de Clubes e há dois meses não joga. O camisa 13 segue fazendo trabalhos em campo e na fisioterapia do Centro de Excelência.

Atualmente, o Palmeiras conta com 24 jogadores no elenco principal. Para ajudar o time na maratona de jogos, atletas do Sub-20 estão integrando os treinamentos e sendo convocados para as partidas. No último sábado, Giovani e Vanderlan foram relacionados, enquanto na quarta-feira passada Fabinho, Garcia e Jhonatan também estiveram com a delegação na Venezuela.

Por desempenhos no Mundial, Danilo e Dudu são elogiados em relatório da Fifa

Por desempenhos no Mundial, Danilo e Dudu são elogiados em relatório da Fifa.
Reprodução

Vice-campeões com o Palmeiras, Danilo e Dudu receberam as Bola de Bronze e Bola de Prata, respectivamente, ao final da competição

Após a disputa do Mundial de Clubes, o meio-campista Danilo e o atacante Dudu foram elogiados em relatório divulgado pelo grupo técnico da Fifa, composto pelos ex-treinadores Steve McClaren, da seleção inglesa; Alberto Zaccheroni, que dirigiu os principais clubes italianos; e pelos ex-jogadores Pascal Zuberbühler, da Suíça, e Roy Aitken, da Escócia – o registro foi divulgado inicialmente pelo Uol Esporte.

Os quatro profissionais foram responsáveis por definir os melhores jogadores do Mundial e redigiram o relatório para justificarem suas escolhas. De acordo o inglês, Danilo, eleito o Bola de Bronze (terceiro melhor jogador) da competição, é “um meio-campista moderno box-to-box e faz o trabalho duro, mas também tem visão e técnica para jogar”.

“Danilo chamou a atenção em sua atuação na semifinal contra o Al Ahly pela forma como protegeu seus quatro defensores. Demonstrou paciência quando era preciso manter sua posição e bom senso para saber quando ir ao ataque e se comprometer ofensivamente e, por isso, muitas vezes foi peça-chave no início de ataques e contra-ataques do Palmeiras”, completou McClaren.

Zaccheroni também enalteceu a capacidade do camisa 28 de ser ofensivo e defensivo na mesma intensidade. “Atacou e defendeu. Na final mostrou iniciativa e foi o meio-campista de destaque do Palmeiras na hora de iniciar o ataque. Foi ele quem tentou encontrar seus atacantes”, pontuou o italiano.

Dudu é “um atacante eletrizante”, apontou o relatório

Sobre Dudu, escolhido o Bola de Prata, Steve McClaren o definiu como um atacante “eletrizante e empolgante”.

“É um atacante eletrizante. Ele foi criativo e acendeu os ataques de sua equipe quando estava com a bola. Na semifinal, foi uma constante ameaça aos zagueiros adversários. Gostava de correr com a bola, tinha ritmo e tecnicamente podia jogar criativamente com um toque. A bola passou rápido quando ele a teve”, iniciou.

“Na final, o Palmeiras adotou uma postura defensiva, por isso foi obrigado a atuar em posições muito mais profundas. Essa não é sua força. É um jogador de ataque empolgante e foi excelente na semifinal. Foi a única ameaça real do Palmeiras na final quando conseguiu avançar, mostrou vislumbres do que é capaz”, concluiu.

O brasileiro Thiago Silva, do Chelsea, foi o eleito como Bola de Ouro.

Passada a disputa do Mundial de Clubes, o Palmeiras já tem outra decisão para disputar: a Recopa Sul-Americana. Na noite desta quarta-feira, a equipe fará o primeiro jogo contra o Athletico-PR, na Arena da Baixada; a volta está programada para acontecer no próximo dia 2 de março, no Allianz Parque.

Em vídeo de bastidores, Weverton cita lição aprendida no Mundial de Clubes; confira

Weverton durante partida entre Palmeiras e Chelsea, válida pela final do Mundial de Clubes da FIFA 2021, no Mohammed Bin Zayed Stadium, em Abu Dhabi-EAU.
Fabio Menotti

Weverton foi o único dos jogadores considerados titulares que iniciou a partida contra a Ferroviária, na última quarta-feira

O Palmeiras divulgou na noite de quinta-feira o vídeo dos bastidores da vitória sobre a Ferroviária por 2 a 0 (gols de Murilo e Breno Lopes), em Araraquara.

Além das já tradicionais imagens no vestiário e o discurso final de Abel Ferreira aos jogadores, quando sempre termina em um entusiasmado ‘Avanti Palestra’, destaca-se a fala de Weverton aos companheiros antes da equipe subir ao gramado da Fonte Luminosa.

O goleiro, que foi o único dos titulares a iniciar o jogo entre os onze contra a Ferroviária, comentou sobre uma lição aprendida no Mundial de Clubes: “Uma coisa que eu aprendi com esse Mundial e está muito forte no meu coração é: fazer o que for preciso, não o que eu quero fazer. É fazer o que for preciso para a equipe, para não sofrer gol, para ganhar o jogo”, disse o camisa 21.

Na competição intercontinental, o Palmeiras venceu o Al Ahly na semifinal por 2 a 0 e perdeu a decisão para o Chelsea por 2 a 1, com o último gol sofrido nos minutos finais do segundo tempo da prorrogação.

De volta ao campeonato estadual, o Verdão, líder do Grupo C com 13 pontos, encara neste sábado o Santo André, às 16h, no Allianz Parque.

Veja o discurso de Weverton e todo os bastidores da vitória palmeirense sobre a Ferroviária:

Nas redes sociais, Luan agradece ‘apoio incondicional da torcida’ após Mundial de Clubes

Luan durante partida entre Palmeiras e Chelsea, válida pela final do Mundial de Clubes da FIFA 2021, no Mohammed Bin Zayed Stadium, em Abu Dhabi-EAU.
Fabio Menotti

Além da torcida, Luan também recebeu palavras de apoio de Gómez e Abel Ferreira

O zagueiro Luan realizou uma postagem em seu perfil no Instagram, na tarde desta segunda-feira, agradecendo o apoio “incondicional” que recebeu dos torcedores do Palmeiras após a disputa do Mundial de Clubes.

Apesar de ter sido o principal personagem no lance em que foi assinalado pênalti para o Chelsea (a bola no chute de Azpilicueta acabou acertando seu braço), o atleta foi recebido na Academia de Futebol, ontem à tarde, por centenas de palmeirenses que o apoiaram e gritaram seu nome.

Confira a mensagem de agradecimento do defensor:

Em Abu Dhabi, Gómez e Abel saíram em defesa do zagueiro

Não foram só os torcedores que demonstraram apoio a Luan. Ainda em solo árabe, seu parceiro de zaga, Gustavo Gómez, e o técnico Abel Ferreira também deram suporte ao camisa 13 e elogiaram seu desempenho na decisão.

“O futebol é assim, pode acontecer com qualquer um. O Luan é maduro, sabe que jogou pra caralho, tem nosso apoio. A bola podia pegar em qualquer um”, declarou o capitão palmeirense, enquanto Abel também enalteceu Luan fora dos gramados:

“Grande jogador e um grande homem. Gosto muito dele, tem muita qualidade. Tem bola para jogar na Europa. O jogo tem fatores que a gente não controla, como foi o pênalti. Temos que seguir em frente”, disse.

Além disso, na própria postagem feita pelo defensor, diversos jogadores do atual elenco palmeirense mais o ex-goleiro Marcos manifestaram apoio ao jogador.

Abel se diz orgulhoso da equipe e pede que jogadores celebrem o segundo lugar

Abel Ferreira durante partida entre Palmeiras e Chelsea, válida pela final do Mundial de Clubes da FIFA 2021, no Mohammed Bin Zayed Stadium, em Abu Dhabi-EAU.
Fabio Menotti

Há pouco menos de um ano e meio como treinador do Palmeiras, Abel Ferreira disputou sua sétima final

O técnico Abel Ferreira está orgulhoso de seus jogadores. Após o revés do Verdão para o Chelsea por 2 a 1, na final do Mundial de Clubes, o comandante concedeu entrevistas na saída do gramado e na sala de imprensa do estádio Mohammed Bin Zayed e elogiou a performance dos atletas.

“Sabíamos que ia ser um jogo difícil. Acima de tudo, orgulho do meu time. Parabéns a quem ganhou, [sinto] orgulho do nosso trabalho. Esse ano ficamos em segundo, contra uma grande equipe, o jogo é decidido em detalhes. Fizemos um trabalho tremendo”, iniciou Abel.

“Nós conseguimos superar, e muito, aquilo que é a qualidade individual do nosso adversário. Conseguimos ser corajosos, valentes, atacar nosso adversário, que tem muita qualidade individual e igualamos com nosso jogo coletivo. O jogo foi decidido nos detalhes. O Weverton não fez grandes defesas e fomos muito competitivos dentro dos nossos recursos. Tivemos transições que poderíamos ter tido mais calma, mas aprender com o que vivemos. No futuro vamos lembrar disso e seguir em frente”, acrescentou.

Além de enaltecer os atletas, Abel fez um pedido aos jogadores: celebrem o segundo lugar.

“Sou muito novo, tenho cinco anos de futebol profissional de alto nível. Temos construído muito em pouco tempo no Palmeiras. Meu coração, hoje, vou curar o que estou a sangrar por dentro. Mas vou dizer isso: vou proibir meus jogadores de não comemorarem o segundo lugar. Ai deles, que não cheguem no hotel, não tomem cerveja, no avião também. Vou ser o primeiro a obrigá-los a celebrarem o segundo lugar”, disse.

Abel fala da torcida palmeirense em Abu Dhabi

Abel alogia a torcida do Palmeiras durante partida contra o Chelsea, válida pela final do Mundial de Clubes da FIFA 2021, no Mohammed Bin Zayed Stadium, em Abu Dhabi-EAU.
Fabio Menotti

Ao final, o treinador destacou a presença dos palmeirenses em Abu Dhabi.

“Foi brutal. Brutal, fantástico o que fizeram. Estamos há 15 horas de viagem de avião e ter o estádio cheio… para quem não conhece o Palmeiras e a torcida, ficou bem evidente a grandeza do nosso clube. Nós, tanto quanto eles, queríamos ganhar. Somos avaliados todos os dias e queríamos ganhar e partilhar esta alegria”, concluiu.

Abel e o Palmeiras têm outra final de campeonato para disputar nos próximos dias: a Recopa Sul-Americana. A equipe enfrentará o Athletico-PR nos dias 23/02 (ida) e 02/03 (volta).