Palmeiras finaliza preparação para enfrentar o Flamengo

Dudu durante treinamento do Palmeiras, no Estádio Gran Parque Central, em Montevidéu.
Cesar Greco

Após o treinamento, Raphael Veiga, um dos três jogadores do Palmeiras que pode ser eleito melhor jogador da Libertadores, projetou a decisão

Após fazer o reconhecimento do estádio Centenário, a delegação do Palmeiras treinou no Gran Parque Central e encerrou a preparação em campo para a final da Libertadores contra o Flamengo, que acontecerá neste sábado, às 17h (horário de Brasília).

Com todo o elenco à disposição, a comissão técnica começou o dia propondo uma atividade de passes e marcação, em campo reduzido. Na sequência, os jogadores trabalharam o posicionamento e as marcações específicas nas bolas paradas.

Para finalizar, os atletas praticaram cobranças de faltas, batidas de pênaltis e finalizações da entrada da área.

Após último treino do Palmeiras, Raphael Veiga falou sobre a final

Renan, Victor Luis, Mayke, Raphael Veiga e Rony durante treinamento do Palmeiras, no Estádio Gran Parque Central, em Montevidéu.
Cesar Greco

O meia Raphael Veiga, que concorre ao prêmio de melhor jogador da Copa Libertadores ao lado de outros cinco jogadores, falou com a TV Palmeiras/FAM após o treinamento sobre a final diante do Flamengo.

“Jogar contra o Flamengo sempre é difícil, a gente sabe que eles têm bons jogadores, decisivos. Mas a final é um jogo à parte, os detalhes definirão a partida. Estamos concentrados, vamos competir e ser intensos porque isso é o principal”, disse o camisa 23.

O Palmeiras está pela sexta vez em sua História na final da Libertadores e vai em busca do tricampeonato. Vice-campeão em 1961, 1968 e 2000, o Verdão levantou o troféu na temporada de 1999 e 2020.

Vivendo o auge, Raphael Veiga descarta comparação com Alex

Raphael Veiga do Palmeiras comemora seu gol contra o Atlético-GO, durante partida válida pela trigésima primeira rodada do Brasileirão 2021, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Ambos são canhotos e vieram para o Palmeiras do mesmo clube, mas para Raphael Veiga, colocar-se ao lado de Alex é “muito”

Artilheiro da equipe no ano e eleito o melhor jogador do mês de outubro do Brasileirão, Raphael Veiga vem sendo o grande nome do Palmeiras em 2021. Contratado junto ao Coritiba, em 2017, o camisa 23 é próximo de um meia que marcou História no Verdão: Alex.

“A gente conversa às vezes, ele me dá uns puxões de orelha. O Alex sempre pediu para que eu entrasse na área. Lá em 2017, ele já falava pra eu acreditar e pisar mais na área, arriscar mais. Mas ele não era tão bonzinho assim na crítica”, disse o jogador em entrevista ao SporTV.

Apesar de realizarem a mesma trajetória (sair do Coritiba para o Palmeiras) e da proximidade fora de campo, Veiga descarta qualquer comparação com o camisa 10 da primeira conquista palmeirense da Libertadores.

“Me comparar com o Alex é muito. Tenho um respeito enorme por ele. Na minha posição foi um dos maiores”, declarou.

Alex chegou ao Palmeiras em 1997, teve três passagens pelo clube e marcou 78 gols em 243 jogos, além de conquistar quatro troféus (Mercosul e Copa do Brasil em 1998; Libertadores em 1999 e Rio-São Paulo em 2000). Já Raphael Veiga está em sua quarta temporada pelo Verdão, com 42 gols em 159 jogos e a tríplice coroa conquistada na temporada passada: Paulista, Copa do Brasil e Libertadores.

Raphael Veiga fala sobre mudança na carreira

Os ótimos números do meio-campista na atual temporada (17 gols e 6 assistências) se contrastam com o início complicado no clube: foram 22 partidas e apenas dois tentos anotados em 2017. Por conta disso, Veiga acabou sendo emprestado para o Athletico-PR no ano seguinte e retornou ao Verdão em 2019.

“A minha vida mudou em quatro meses. No começo de 2016 eu estava treinando separado, ganhei oportunidade quando meu contrato estava acabando, com o Kleina, e aí não saí mais do time. Joguei entre 15 a 20 jogos no Coritiba e fui vendido para o Palmeiras. Quando cheguei [no Palmeiras], tudo era muito novo, estava em um vestiário campeão. Vejo que 2017 foi um ano de adaptação pra mim, não só no clube como no futebol”, contou.

“Em 2018 eu precisava jogar e a escolha de ir ao Athletico-PR foi muito boa. O Felipão e o Alexandro [Matos] me ligaram, pediram o meu retorno em 2019. Demonstraram confiança no meu trabalho e isso foi importante, porque sempre tive o interesse de fazer história no Palmeiras. Depois, ganhei uma certa confiança com o Andrey [Lopes]. O Abel chegou, conversou comigo, perguntou em que local do campo preferia jogar e eu continuei com a confiança iniciada pelo Andrey. Acabei me sentindo cada vez melhor”, acrescentou.

Aos 26 anos, Raphael Veiga tem contrato com o Palmeiras até o final de 2024.

Artilheiro do Palmeiras, Raphael Veiga é eleito o melhor jogador do mês no Brasileirão

Raphael Veiga comemora seu gol pelo Palmeiras contra o Atlético-GO, durante partida válida pela trigésima primeira rodada do Brasileirão 2021, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Em outubro, Raphael Veiga disputou 7 jogos, marcou 4 gols e distribuiu 2 assistências

O Palmeiras vem de uma grande sequência no Campeonato Brasileiro. Nos últimos sete jogos, a equipe empatou um e ganhou os outros seis (seguidos). E um dos principais nomes do Verdão neste período é o meia Raphael Veiga.

Artilheiro do Palmeiras na competição (10) e da temporada (17), o camisa 23 foi eleito pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol) o melhor jogador de outubro do Brasileirão – Veiga disputou sete jogos no mês, anotou quatro gols e distribuiu duas assistências.

“Sempre gostei bastante de entrar na área, de chegar à frente. Até porque, quando estamos perto do gol, a chance de marcar aumenta. Fico feliz pelos gols e quero continuar evoluindo”, disse o atleta à TV Palmeiras/FAM.

“Queremos seguir vencendo, porque isso segue coroando o trabalho, o ambiente. As vitórias fazem bem para o grupo. É continuar nessa pegada para crescermos cada vez mais no campeonato e individualmente, porque ainda tem muita coisa para conquistarmos nesse ano”, acrescentou.

Raphael Veiga fala sobre parceria com Scarpa

Raphael Veiga e Gustavo Scarpa comemoram gol do Palmeiras contra o Atlético-GO, durante partida válida pela trigésima primeira rodada do Brasileirão 2021, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Veiga, no entanto, não foi o primeiro palmeirense a receber o troféu de jogador do mês do Campeonato Brasileiro. Gustavo Scarpa, em junho, já tinha sido eleito pela entidade.

Os dois, que são os destaques do Palmeiras no ano, voltaram a atuar juntos na equipe titular na partida contra o Grêmio e desde então vêm jogando lado a lado. No duelo diante do Atlético-GO, na última quarta-feira, Raphael Veiga deu a bola do pênalti para Scarpa bater, apesar de ser o cobrador oficial.

“O Scarpa é um cara sensacional, nos damos muito bem fora de campo e, claro, dentro de campo. Ele tem dado muitas assistências, inclusive pra mim. A gente treina junto as bolas paradas [faltas e pênaltis]. Eu já tinha anotado um gol e ele estava procurando marcar [um gol]. Achei importante dar a bola pra ele no pênalti. Estou contente pelo meu momento e o dele também, porque quem ganha com isso é o Palmeiras”, contou.

A evolução do jogador com Abel Ferreira é notória. Contratado em 2017, Veiga não correspondeu no começo e chegou a ser emprestado por um ano ao Athletico-PR. Quando retornou, em 2019, foi utilizado por Felipão e Mano Menezes, mas ainda assim não conseguia cair nas graças da torcida.

Com Abel, o meia alcançou sua melhor temporada em relação a gols (18 em 2020/2021), atuou em 23 partidas seguidas (recorde da sua carreira) e foi o melhor jogador da Copa do Brasil de 2020.

Com contrato até o final de 2024, o atleta de 26 anos tem 158 partidas com a camisa do Palmeiras, três títulos e 42 gols anotados.

Líder em assistências, Scarpa brinca por Veiga ter o “deixado” bater o pênalti

Gustavo Scarpa comemora com Raphael Veiga seu gol pelo Palmeiras contra o Atlético-GO, durante partida válida pela trigésima primeira rodada do Brasileirão 2021, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Scarpa chegou a oito gols na temporada e 22 assistências

Diante do Atlético Goianiense, na última quarta-feira, o treinador Abel Ferreira escalou novamente o ataque do Palmeiras com Gustavo Scarpa, Raphael Veiga, Dudu e Rony. A formação, que começou a ser utilizada contra o Grêmio, vem trazendo resultados positivos.

Com duas assistências e um gol anotado, Scarpa foi um dos destaques da goleada do Verdão por 4 a 0. Acostumado a dar passes para os companheiros irem às redes, o camisa 14 não marcava desde julho.

Aos 15 minutos do segundo tempo, Marcos Rocha cruzou e Marlos Freitas colocou o braço na bola dentro da área. E quando todos pensavam que Raphael Veiga anotaria o seu segundo tento na partida, o camisa 23 deixou a bola para Gustavo Scarpa bater o pênalti e o meia não desperdiçou.

Depois da partida, Scarpa brincou com o fato de Veiga ter o “deixado” cobrar a penalidade máxima.

“Veiga foi uma pessoa muito gentil em ter deixado eu bater. Como disse pra ele, no lugar dele eu não teria feito. Mas acho que é o mínimo também, né? Tenho dado várias assistências para ele. Veiga é um grande jogador e que está vivendo uma grande fase. Ele sabe que estamos juntos até o fim”, brincou.

Para Abel, o gesto de Veiga ressalta o espírito de “Todos somos um”, sempre citado pelo comandante em entrevistas coletivas. “Para um bom entendedor, uma imagem basta”, comentou o treinador ao final.

Abel comenta jogo de Scarpa

Gustavo Scarpa em jogo do Palmeiras  contra o Atlético-GO, durante partida válida pela trigésima primeira rodada, do Brasileirão 2021, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Jogador que mais vezes atuou com Abel Ferreira (80 jogos), Scarpa vem tendo uma temporada impressionante nas assistências. São 22 em 51 partidas, líder disparado do elenco e também do Brasil neste quesito. Além disso, foi às redes oito vezes e soma 30 participações diretas em gols.

Apesar dos ótimos números, o camisa 14 passou por um período sendo reserva da equipe. De acordo com Abel, ele precisava aprimorar o jogo sem bola para atuar entre os titulares.

Com Scarpa de volta à equipe titular há três jogos, jogando ao lado de Veiga, Dudu e Rony, o comandante foi questionado sobre o meia na última entrevista.

“Ele não era tão utilizado quando eu cheguei, depois comecei a usá-lo na lateral-esquerda. Nesta temporada, disse a ele que concorreria a sua posição original. Mesmo ele jogando na ponta, com bola ele vem pra dentro. Não posso mudar as regras do jogo, só podem começar 11 e entrar mais 5. Eles [todos os jogadores] estão competindo nos treinos e quando há um melhor equilíbrio nas posições, melhor é a competição interna e, consequentemente, melhor é a preparação para o jogo. É isso que o Scarpa tem feito. Ele sabe que tecnicamente é muito bom e está fazendo agora os outros 50%”, comentou.

O Palmeiras conquistou três vitórias consecutivas (Grêmio, Santos e Atlético-GO), anotou nove gols e sofreu apenas um com este quarteto em campo. No próximo domingo, o Verdão enfrentará o Fluminense no Maracanã, às 18h15.

Destaque do Palmeiras em 2021, Raphael Veiga fala sobre chance na Seleção

Raphael Veiga comemora seu gol pelo Palmeiras contra o Santos, durante partida válida pela trigésima rodada do Brasileirão 2021, na Vila Belmiro.
Cesar Greco

Maior goleador do elenco no Brasileirão e na temporada, Raphael Veiga vem mostrando ser decisivo também em clássicos

Raphael Veiga vive uma grande fase no Palmeiras. Artilheiro do time no Campeonato Brasileiro (9) e na temporada (16), o camisa 23 foi o autor do último gol palmeirense na vitória de ontem sobre o Santos por 2 a 0, na Vila Belmiro.

Por conta de seu desempenho em 2021, o jogador foi questionado na saída do gramado sobre ser convocado para a Seleção Brasileira.

“Não sou eu que decido isso. Respeito sempre a decisão do Tite e da comissão técnica brasileira. Meu foco é trabalhar para chegar lá com os pés no chão, aproveitando e desfrutando do hoje. Gastar minha energia com o que eu posso realmente resolver, que é o Palmeiras. A cada jogo, treino, melhorar e seguir evoluindo. Quem sabe, no futuro próximo, eu esteja lá”, disse Veiga.

O treinador Abel Ferreira também foi perguntado, em entrevista coletiva, sobre essa possível oportunidade para o meia.

“Tudo vem no tempo de Deus. O que o Veiga tem de fazer é o que ele controla: dar o melhor de si, ser corajoso com ou sem bola e continuar seu trabalho no Palmeiras, se esforçando nos treinos e nos jogos. O grande segredo dele é o seu jogo sem a bola. Tem muito equilíbrio, é completo. A escolha é do treinador da seleção, não dele. Por isso tem que fazer o que te compete”, falou o técnico palmeirense.

Em 157 partidas pelo clube, o meio-campista tem 41 gols (empatado com Valdívia, Gildo, Paulinho e Mantovani no ranking dos maiores artilheiros da História do Palmeiras), 16 assistências e três títulos.

Raphael Veiga é o “Rei dos clássicos” em 2021

Além da performance e os bons números alcançados na temporada, outro fator de destaque de Raphael Veiga é a sua capacidade de ser decisivo em clássicos.

Contando todo o ano de 2021 (levando em consideração os jogos da temporada passada), o camisa 23 balançou as redes dos rivais cinco vezes, sendo três contra o SCCP, uma contra o SPFC, na Libertadores, e uma contra o Santos.

“Temporada muito boa. A minha competição é comigo mesmo, ser melhor a cada dia. Se no ano passado eu fiz 18 [gols], minha meta para esse ano é fazer mais. Me cobro por isso. Estou muito feliz com os gols que estou fazendo, as assistências, jogos e as vitórias do Palmeiras. Procuro manter a humildade e seguir trabalhando para continuar crescendo”, contou o atleta na saída do gramado da Vila Belmiro.

Depois de passar por altos e baixos dentro do clube, Raphael Veiga vem mantendo a consistência desde a transição de Andrey Lopes para Abel Ferreira e, meses atrás, teve seu contrato estendido com o Verdão.