Brasileirão 2022: planejamento de pontos

Calculadora - planejamento de pontos

Começou no último final de semana mais uma edição do Campeonato Brasileiro e quem tem mais, tem dez. O Palmeiras parte em busca do hendecacampeonato e, como já é tradição no Verdazzo, lançamos pela sétima vez nosso planejamento de pontos para servir de referência no decorrer da competição.

Temos no panorama teórico três clubes com mais potencial que os demais: Palmeiras, Flamengo e Atlético-MG, como já aconteceu no ano passado. Não por coincidência, os três clubes acabaram a disputa nas três primeiras posições.

Este ano, outros times menos cotados correm por fora, como Red Bull Bragantino e Athletico-PR, além dos tradicionais rivais da capital paulista que lutam, no entanto, com seus próprios problemas. E o calendário inédito que posicionou a Copa do Mundo para novembro espremeu demais as datas, deixando poucas semanas livres para quem avançar nas copas. Diante disso, é possível projetar que o vice-campeão não chegue a 80 pontos.

Lembrando sempre que este exercício apenas projeta os pontos de acordo com uma relação de forças subjetiva. No decorrer da competição, ao fim de cada quartil, a projeção será reajustada com base no que terá de fato acontecido.

Primeiro quartil

A campanha deveria ter começado com uma vitória, mas o Ceará surpreendeu e nos roubou três pontos dificílimos de serem recuperados. Tão difíceis, que para chegar ao fim do quartil com 25 pontos, o Palmeiras precisará vencer 8 das próximas 9 partidas.

É verdade que a tabela ajuda e o único jogo em que se tolera um tropeço é o confronto no Rio contra o Flamengo – o empate é fundamental para tirar pontos de um concorrente direto. No mais, partidas em casa contra o SCCP (em Barueri), Fluminense, Bragantino e Botafogo são perfeitamente ganháveis; bem como os jogos fora contra Goiás, Juventude e Santos.

A chave do quartil é o jogo contra o Atlético, no Allianz Parque, na nona rodada – lembrando que ela ocorre numa data FIFA na qual certamente estaremos desfalcados de Weverton e talvez de Kuscevic e Gómez, mas ocorre após uma raríssima semana sem jogos.

Uma enorme dificuldade deste período será virar a chavinha sem parar – serão nada menos que 12 mudanças de competição de um jogo para outro até o dia 8 de junho, quando concluiremos a décima rodada.

Segundo quartil

Com o fim da fase de grupos da Libertadores e após passar pela Juazeirense na Copa (assim esperamos), o Palmeiras terá no segundo quartil oito viradas de chave, para os jogos de oitavas das duas competições. A meta é encerrar o primeiro turno com 45 pontos, classificado para as quartas-de-finais da Libertadores e da Copa do Brasil.

Nestes 9 jogos será preciso fazer 20 pontos – 6 vitórias e 2 empates, permitindo até uma derrota no Morumbi.

As vitórias precisam vir nos jogos em casa contra Atlético-GO, Athletico-PR, Cuiabá e Inter, e nos jogos fora contra Avaí e América. O jogo contra o Inter terá a dificuldade extra de ser logo antes de um possível jogo pelas quartas da Copa do Brasil.

Empates fora de casa contra Coritiba e Fortaleza completam a projeção, lembrando que o Palmeiras não costuma ter bons retrospectos no Couto Pereira e no Castelão.

Terceiro quartil

A janela do mercado se reabre em julho e é possível que o Palmeiras tenha reforços prontos para jogar a partir deste ponto. Os jogos de oitavas, tanto na Copa quanto na Libertadores, não costumam eliminar o Palmeiras; embora o CRB esteja com a mão levantada neste momento, a tendência é o Verdão passar destas fases, o que implicará na necessidade de uma chavinha mais resistente, porque ela não vai parar até a rodada 23.

E caso o Palmeiras avance nas duas, o mesmo se repetirá até a rodada 27, quando finalmente todos os times terão 10 dias livres, numa data FIFA incrivelmente respeitada pelo calendário da CBF. Nesse panorama insano, teremos 7 partidas do Brasileirão antes de jogos de mata-mata, já no funil. Lembrando que o problema não atinge apenas o Palmeiras, mas todos os clubes que seguirem avançando.

Pensando em conquistar tudo, seremos obrigados a dosar as energias e pontos poderão ficar em cima da mesa. Até a rodada 26, serão 7 jogos, com vitórias obrigatórias em casa contra Goiás e Juventude. De resto, serão necessários mais 3 pontos (1 vitória ou 3 empates) nos difíceis jogos fora de casa contra Ceará, SCCP, Fluminense e Bragantino, mais o jogo em casa contra o Flamengo.

Passado esse tornado, precisamos vencer o Santos em casa, não podemos perder para o Galo no Mineirão (após os 10 dias livres da data FIFA), e enfim vencer o Botafogo em casa, para fechar o terceiro quartil e entrar na reta final do campeonato com 61 pontos, e preferencialmente classificados para as finais da Copa e da Libertadores.

Quarto quartil

Estar vivo em todas as competições tem vantagens e desvantagens. As nove rodadas finais podem contar com força total, ou o Palmeiras pode escalar times mistos nas partidas contra Atlético-GO, SPFC e Athletico-PR – e quem sabe contra o Avaí.

Caso o Palmeiras tenha sido eliminado de uma ou das duas competições, aí vamos com força total para ganhar todos os jogos. Nesta projeção, no entanto, vamos manter o otimismo e contar com o calendário cheio.

O Palmeiras precisará marcar 19 pontos em 9 jogos – para isso, serão 6 vitórias e um empate, deixando os três pontos na mesa exatamente nas partidas que antecedem as finalíssimas, contra SPFC e Athletico-PR.

Precisamos vencer em casa o Coritiba, o Avaí, o Fortaleza e o América, e fora de casa o Atlético-GO (possivelmente com time misto) e o Cuiabá, para assim depender de um empate no Beira-Rio na rodada derradeira.

Conclusão

Abel já bateu no calendário incontáveis vezes, mas para este ano, não adianta mais. O elenco, pelo menos até o fim do primeiro turno, será de apenas 24 atletas mais alguns moleques da base que podem subir.

A campanha proposta para se chegar ao título é de 80 pontos, com 24 vitórias, 8 empates e 6 derrotas. E para chegar nesta conta, teremos tarefas dificílimas para cumprir, caso sigamos avançando nos mata-matas.

Fazendo este tipo de exercício nos últimos seis anos, acompanhamos dois títulos rodada a rodada, e em quatro edições ficamos pelo caminho. Mas o campeonato fica mais divertido de acompanhar. Manter a referência viva ajuda a encarar os pontos perdidos com mais serenidade.

Retomaremos o tema na segunda semana de junho, ao final do primeiro quartil. Até lá, boa sorte pra nós e VAMOS PALMEIRAS!


O Verdazzo é um projeto de independência da mídia tradicional patrocinado pela torcida do Palmeiras.

Conheça mais clicando aqui: https://www.catarse.me/verdazzo.

  • Temos clássicos sempre encavalados entre jogos de mata-mata, os confrontos contra o Atlético Mineiro são os posteriores ao descanso, bom pra nós mas bom pra eles tb, q ao q parece estão se juntando a Cheirinho, SCCP e SPFC como aqueles amigões do apito, jogarem algum jogo nosso pra essa janela pra pegarmos eles mais cansados não é nada impossível.

  • A gente tem jogo contra os gambás, depois tem 4 dias pra jogar no Equador, depois 3 dias pra voltar pra casa e jogar na copa, depois 3 dias pra ir pra altitude da Bolívia, e 3 dias pra jogar contra o campeão carioca que nesse meio tempo só vai viajar até Curitiba… Caras, adoro acompanhar essa projeção, mas 100% em casa de agora em diante, com esse calendário, não é realista. Até lá, feliz aniversário Endrick, e contamos com você!

  • Conteúdo inigualável, Parabéns ao Verdazzo!

    Dificilmente brigaremos pelas 3 competições, mas caso briguemos esta aí o caminho das pedras