0
X
4

19/02/2017 - 17:00

Pré-Jogo

Linense x Palmeiras - Pré-jogo

Depois de espantar os problemas com a vitória sobre o São Bernardo, o Verdão vai a Araraquara para enfrentar o Linense, em partida válida pela quarta rodada do Paulistão. Parabéns para FPF, que marcou uma partida dessas no fim de semana e um Derby na quarta à noite. São muito burros. Menos mal que será lá no Itaquerão.

DESFALQUES:

Lesionados: Tchê Tchê e Fabiano
Poupados
: Edu Dracena e Guerra
Não relacionado: Vinicius
Não inscritos: Borja, Daniel Fuzato, Arouca e Hyoran

RELACIONADOS:

Goleiros: Fernando Prass e Jailson
Laterais: Jean, Egídio e Zé Roberto
Zagueiros: Mina, Thiago Martins e Vitor Hugo
Meio-campistas: Felipe Melo, Moisés, Michel Bastos, Raphael Veiga, Thiago Santos e Vitinho
Atacantes: Alecsandro, Dudu, Erik, Keno, Barrios, Roger Guedes, Rafael Marques e Willian Bigode

Eduardo Baptista terá a volta de Egídio entre os disponíveis, mas teve que poupar Edu Dracena e Guerra, desgastados. Depois da péssima partida na quinta-feira, é de se esperar que Roger Guedes perca o lugar entre os titulares – Michel Bastos aparece como grande favorito para ocupar seu lugar. Mina deve, finalmente, fazer sua estreia na temporada, o que deve melhorar sensivelmente nossa saída de bola. E na frente, torcemos pela escalação de Barrios, para já começar a emular um time que conte com Borja na frente.

O mais provável, no entanto, é que o professor mantenha Willian Bigode na frente, sabe-se lá por quê. Enfim, vamos ver no que dá, com este time: Fernando Prass; Jean, Mina, Vitor Hugo e Zé Roberto; Felipe Melo; Michel Bastos, Moisés, Raphael Veiga e Dudu; Willian Bigode (Barrios).

ADVERSÁRIO

O Linense alimenta o sonho de avançar à próxima fase do campeonato – luta contra Red Bull e Ferroviária pela segunda vaga no grupo do SPFC. O técnico Guilherme Alves (aquele, ex-centroavante que começou no Marília, com passagens por sete times de camisa grande) tem uma dúvida: o atacante Thiago Santos vai ser avaliado após um desconforto muscular e pode perder a vaga para Gabrielzinho.

Na meia, Thiago Humberto ganha a vaga de Diego Felipe. Assim, o time deve ser Edson Kolln; Bruno Moura, Bruno Costa, Rodrigo Lobão e Thiago Carleto; Caíque, Tássio, Zé Antônio e Thiago Humberto; Tatá e Thiago Santos (Gabrielzinho).

RETROSPECTO

Depois de surgir para o futebol na década de 50, quando disputou o Paulistão entre 1953 e 1957, o Linense voltou à cena principal no início desta década. Neste intervalo de tempo, enfrentou o Palmeiras 16 vezes: foram 12 vitórias verdes, um empate e 3 vitórias do Elefante, com um saldo de 46 gols contra 18.

A Fonte Luminosa já foi palco de 53 jogos do Palmeiras: vencemos 23 vezes, empatamos 19 e perdemos 11 partidas; marcamos 83 gols e sofremos 62;

Luiz Flávio de Oliveira apita um jogo do Palmeiras pela 21ª vez. Até agora, foram 14 vitórias, um empate e cinco derrotas; 30 gols marcados e 18 sofridos.

PARPITE

Aos poucos, nosso time começa a dar sinais de entrosamento. Já sem o horário de verão, a parte física não deve atrapalhar tanto. Assim, é de se esperar mais uma boa vitória: 4 a 1, com gols de Felipe Melo, Michel Bastos e Dudu (2). VAMOS PALMEIRAS!

Pós-Jogo

Linense 0x4 PalmeirasCésar Greco / Ag.Palmeiras / Divulgação

Na melhor apresentação do Palmeiras no ano, o time goleou o Linense por 4 a 0 e aumentou a vantagem na ponta do grupo, ficando apenas atrás do Mirassol na classificação geral, após quatro rodadas. O time vai soltando as amarras das férias e os jogadores já se acham em campo com mais facilidade. A lamentar, demais, a lesão de Moisés, que ainda será avaliado. A expectativa, pela forma como aconteceu o lance, é de que os ligamentos do joelho esquerdo foram seriamente comprometidos. Uma perda terrível para o grupo e um castigo muito cruel para nosso camisa dez.

PRIMEIRO TEMPO

Eduardo Baptista escalou o time esperado desde a véspera, com exceção de Zé Roberto, finalmente poupado após cinco jogos seguidos. Michel Bastos melhorou muito a movimentação do time em relação a Roger Guedes, e o Verdão comandou as ações em todo o primeiro tempo.

O Linense não veio para jogar bola. A missão do time do interior era claramente picotar o jogo e fazer cera por noventa minutos, em busca de um ponto. Nos primeiros dez minutos, o time do interior, cheio de gás, disputou todas as bolas como se fossem pratos de comida, dificultando as ações do Verdão. Mas a primeira chance veio logo aos seis: após uma sobra na esquerda, Dudu cruzou de primeira e achou Willian Bigode na área; ele matou a bola mas foi travado na hora da conclusão, que saiu por pouco.

Aos dez, uma enorme tristeza para nossa torcida: num lance sem importância no meio do campo, o volante Zé Antônio chegou com muita força em Moisés, pegando a perna de apoio pelo lado, dobrando o joelho e provavelmente causando uma séria lesão de ligamento. Entrada maldosa e covarde, pois não deu nem a chance a Moisés de se defender. Moisés saiu sentindo demais a lesão e Keno entrou em seu lugar.

Aos onze, Dudu pegou mais uma sobra e chutou rasteiro, sem muita força, mas Victor falhou e quase engoliu um frangaço – a bola saiu a escanteio. Aos 19, a única chance do Linense no primeiro tempo: Thiago Humberto bateu falta da direita, com efeito, ninguém raspou de cabeça e a bola, fazendo curva, quase entra no canto direito de Fernando Prass.

Aos 23, o Verdão abriu o placar: Keno apertou a saída de bola do Linense e a bola ficou viva, sobrando mais uma vez para Dudu, que tentou a finalização mas foi travado; ele mesmo ficou com o rebote e deixou Willian na cara do gol e o camisa 29 não teve problemas para marcar seu primeiro gol com a camisa do Verdão.

Três minutos depois, o segundo: Prass deu o estouro de trás, Willian escorou para Dudu, que devolveu para Willian, que enxergou Raphael Veiga fechando pela esquerda – Keno também era opção pela direita. Raphael Veiga aproveitou o passe açucarado e bateu firme, cruzado, ampliando o placar.

Após a parada para hidratação, como é praxe, os times diminuíram o ritmo do jogo. Mas o Verdão ainda teve fôlego para criar três chances: aos 34, Dudu foi lançado em velocidade pela direita; fez o breque, levantou a cabeça e cruzou por elevação para Raphael Veiga, que pegou um sem pulo de canhota, mas Victor defendeu. Aos 41, no escanteio curto pela esquerda, Egídio levantou no segundo pau e Vitor Hugo quase fez o terceiro de cabeça. E aos 43, Willian voltou na intermediária para articular a jogada e fez um lindo passe para Keno, que infiltrou em diagonal e bateu forte – Victor desviou a escanteio. O primeiro tempo terminou com 2 a 0 no placar.

SEGUNDO TEMPO

Com o jogo praticamente resolvido, o Palmeiras voltou cadenciando mais o jogo no segundo tempo, sobretudo porque o time do Linense estava claramente a fim de dividir todas as bolas sem se preocupar com as consequências. Aos 4, Willian roubou a bola no ataque e tocou para Dudu, que devolveu para Willian, que emendou no canto esquerdo de Victor, que fez boa defesa – o bandeira deu impedimento, erradamente.

Aos oito, Zé Antônio fez falta desleal em Egídio na ponta esquerda. Dudu cruzou, o próprio Zé Antonio desviou e tirou toda a defesa da jogada, e Michel Bastos fechou no segundo pau para aumentar a vantagem: 3 a 0.

Aos 16, Eduardo finalmente mandou Lucas Barrios a campo e o paraguaio entrou cheio de vontade, contagiando todo o time, que voltou a buscar o gol com mais interesse. Aos 24, Raphael Veiga fez ótima abertura para Jean, que apoiava em velocidade; o lateral aproveitou o passe em profundidade e emendou uma bomba, exigindo ótima defesa de Victor.

Um minuto depois, Barrios recuou e lançou Keno em profundidade; o ponta fez a jogada na área, enxergou Barrios vindo de trás e rolou; o paraguaio bateu de chapa visando o canto direito de Victor, que esticou a perna para desviar a escanteio.

Aos 32, o Linense quase diminuiu: nossa marcação afrouxou e Thiago Humberto recebeu um passe bem fraco na cara do gol; inteiro, ele bateu e Fernando Prass abafou; no rebote Thiago Santos (o deles) tocou pro gol mas Vitor Hugo salvou em cima da risca. Grande recuperação de nossa defesa, a melhor do campeonato.

Aos 36, Barrios foi recompensado com o gol: Egídio bateu lateral para o camisa 8 dentro da área; ele girou em cima do zagueiro, tocou atrás para Dudu e correu; Dudu deu o tapa e deixou o paraguaio na cara do goleiro, aí foi só tocar no canto e correr pro abraço. Daí até o fim, foram 9 minutos de olé e o juiz terminou o jogo sem acréscimos, para evitar mais lesões.

FIM DE JOGO

Aos poucos os jogadores se acham em campo com mais facilidade. Dudu mais uma vez foi um grande termômetro do time; ligado a mil, arredondou todas as bolas e arrebentou com o jogo.

Foi, de longe, a melhor partida do Palmeiras no ano. A excelente apresentação, no entanto, não “serve para calar” nenhuma corneta: o Linense é um time muito fraco e não serve de parâmetro algum. Assim como as outras partidas, ruins, também não justificavam tamanha cobrança. Estes jogos de início de temporada servem apenas para verificar a evolução do time, e o saldo deste jogo foi positivo, descontando, claro, a terrível perda de Moisés. Que os exames mostrem que não foi tão grave quanto parece, e que ele possa voltar o mais rápido possível. Estamos torcendo!

FORÇA MOISÉS! VAMOS PALMEIRAS!

Ficha Técnica

Linense

GOL
Victor
GOL
Bruno Moura
GOL
Lucas Silva
GOL
Magno Alves
GOL
Rodrigo Lobão
GOL
Bruno Costa
GOL
Thiago Santos
GOL
Caíque
GOL
Zé Antônio
GOL
Thiago Humberto
GOL
Diego Felipe
GOL
Giovanni
GOL
Felipe Pereira
GOL
Gabrielzinho
TÉCNICO
Guilherme Alves

Notas


Jogador
Descrição
Nota
Fernando Prass
Finalmente uma boa partida, sem erros. Goleiro depende de ritmo mais que qualquer outra posição.
7
Jean
Mais solto, apoiou com tranquilidade.
6.5
Mina
Um dos grandes motivos do jogo ter fluído mais foi a saída de bola muito mais precisa do colombiano. Joga muita bola.
8
Vitor Hugo
A salvada em cima da risca dá um moral absurdo para a sequência da temporada.
8
Egídio
Jogou muito bem, fazendo poucas escolhas erradas. Se fosse sempre assim...
8
Felipe Melo
Aos poucos vai achando seu lugar no campo. Muita experiência pra não cair na pilha do Linense.
7
Thiago Santos
Jogou pouco.
0
Michel Bastos
Bem fisicamente, rápido e inteligente, ocupou muito bem o setor direito.
7.5
Moisés
Que tristeza, profeta!
0
Keno
Ótima partida, já lembrando as grandes atuações pelo Santa Cruz. Roger Guedes está coçando a cabeça oxigenada.
8.5
Raphael Veiga
Não dá nem pra dizer que trata-se de uma grata surpresa, ele já vinha jogando muito bem no Coritiba. Mas se desse uma pipocada com o peso de nossa camisa, seria normal. Pois está tirando de letra.
7.5
Dudu
Partida monstruosa. Parecia ter um ímã no pé, todas as bolas espirradas procuravam seus pés, e ele deixou os companheiros na cara do gol diversas vezes. Olha o apertão do Felipe Melo aí.
9.5
Willian
Sua movimentação confundiu a defesa do Linense e nosso ataque deitou e rolou.
7.5
Barrios
Entrou com o jogo já decidido e aproveitou bem a defesa do Linense em rotação mais baixa. Chamou o time para o jogo e foi recompensado.
7.5
Eduardo Baptista
Eduardo Baptista
Aí sim, professor. Sem inventar, leu bem a evolução do time e escalou bem - talvez apenas tenha faltado o Barrios no jogo desde o início, para emular a entrada do Borja.
7.5