3
(5)
X
2
(4)

Depois de dois confrontos históricos nas quartas-de-final da Libertadores de 1999, Palmeiras e SCCP se encontraram novamente no ano seguinte, desta vez  nas semifinais. O Verdão, de Luiz Felipe Scolari e São Marcos, repetiu a dose e eliminou o rival nos pênaltis.

No jogo de ida, o SCCP venceu a partida por 4 a 3 e tinha a vantagem do empate no confronto decisivo. Mas o Palmeiras, com muita garra, ganhou no tempo normal por 3 a 2 e nas cobranças de penalidades máximas, fez 5 a 4 para chegar à final.

Marcado por toda tensão que cerca uma partida deste tamanho, mais a polêmica envolvendo Felipão e Edílson na semana anterior, o duelo teve início com o Palmeiras indo para cima. Aos 3 minutos de jogo, Junior tabelou com Alex, mas chutou fraco. Dez minutos depois, o camisa 10 recebeu de Euller, driblou Dida, mas Kléber salvou em cima da linha.

Melhor no jogo, o Verdão abriu o placar aos 34 minutos: Junior cruzou, Adilson não cortou e Euller fez o 1 a 0. Cinco minutos mais tarde, a defesa do Palmeiras falhou e Luizão, sozinho na área, empatou de cabeça. O primeiro tempo acabou em 1 a 1 e o SCCP estava indo às finais.

Na volta do intervalo, o panorama do duelo seguiu o mesmo, com o Palmeiras em busca do gol salvador. No entanto, quem passou à frente no placar foi o rival, novamente com Luizão, aos 6 minutos, após uma sequência de falhas de nossa defesa.

Em desvantagem, o Verdão foi com tudo para o ataque e o gol de empate não demorou para sair: aos 14 minutos, Euller fez boa jogada pela esquerda e cruzou rasteiro para trás; de primeira, Alex encaixou um tapa cirúrgico e encobriu Dida: 2 a 2.

Mas o empate não servia para o Palmeiras, que continuou pressionando. Aos 26, Alex cobrou falta para área e Galeano aproveitou a falta de comunicação da zaga rival para escorar junto ao poste direito e fazer 3 a 2. A metade verde do Morumbi explodiu em êxtase

O rival sentiu a virada; o Palmeiras ainda teve mais duas boas oportunidades com Marcelo Ramos e Asprilla, mas o resultado não se alterou e o jogo foi para os pênaltis.

Na disputa, após quatro cobranças de cada lado, os grandes goleiros Marcos e Dida não conseguiram defender nenhum.

Marcos

Na quinta cobrança, Junior bateu muito mal, mas Dida passou da bola e ela foi às redes. Marcelinho foi o encarregado da quinta cobrança do rival. Segue a narração de José Silvério…

Para o palmeirense, se o Marcelinho perder o gosto será especial…
Porque é do Marcelinho que a torcida queria arrancar o sangue!

Toma distância Marrrrcelinho para a cobrança…
Ele bate muito bem!

Autorizado! Foi pra bola… Bateeeuu… 
DEEEEEEFENDEU MARRRRRCOSS!!!!!!
O PALMEIRAS VAI PRA FINAL DA LIBERTADORES!!!




Ficha Técnica

SCCP

Dida
Daniel Martins
Índio
Fábio Luciano
Adilson
Kleber
Vampeta
Edu
Ricardinho
Marcelinho Carioca
Edílson
Luizão
Dinei
Oswaldo de Oliveira
TÉCNICO

Disputa de Pênaltis

Palmeiras

SCCP

Marcelo Ramos
Ricardinho
Roque Júnior
Fábio Luciano
Alex
Edu
Asprilla
Índio
Júnior
Marcelinho Carioca