1
X
0

Pré-Jogo

Pré-jogo Ponte Preta x Palmeiras

O Verdão encerra a participação na fase de classificação do Paulistão visitando a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli. Já garantido como líder geral e com o mando na volta nas quartas-de-finais, a partida ainda pode valer para garantir a mesma vantagem nas semifinais – e dependendo dos outros resultados, pode nos deixar muito próximos do mando também nas finais.

Palmeiras

Desfalques

Lesionados: Jean, Thiago Martins, Arouca e Moisés
Convocados:
Mina, Guerra, Dudu e Borja
Suspensos: Tchê Tchê e Thiago Santos
Não inscrito: Daniel Fuzato

A comissão técnica finalmente resolveu parar de escancarar o time e deixou de divulgar os relacionados. O treino desta terça também foi fechado, e a única dica que se pode ter do time que entra em campo foi a escalação do time que treinou na segunda: Vinicius; Fabiano, Edu Dracena, Vitor Hugo e Zé Roberto; Felipe Melo; Roger Guedes, Hyoran, Raphael Veiga e Erik; Willian Bigode.

Se Eduardo Baptista optar por escalar o que tem de melhor, Michel Bastos tem grandes chances e pode ocupar a vaga de Hyoran, bem como Fernando Prass no gol. Outra possibilidade é Dudu, que não deve chegar desgastado de sua passagem pela seleção da CBF. Mistério!

Ponte Preta

O técnico da Ponte, desde a última rodada, é Gilson Kleina. O comedor de pastel estreou vencendo o São Bento, fora de casa, e também garantiu a classificação – o time ainda luta pelo mando no confronto que fará contra o Santos.

Seo Gilso pode poupar seus dois pendurados, Fernando Bob e Yago – Naldo e Kadu estão de sobreaviso. William Pottker volta de suspensão e reassume a posição – Ravanelli volta para o banco. Sem meias, o time tende a ser Aranha; Nino Paraíba, Yago (Kadu), Marllon e Jeferson; Jadson, Fernando Bob (Naldo) e Elton; William Pottker, Lucca e Clayson.

Lei do Ex

Aranha pode subir à área no desespero para tentar um golzinho no final. Convenhamos: Antônio Carlos, saindo do banco, tem mais chance de fazer o seu pelo Verdão. Keno, Alecsandro e Rafael Marques também já jogaram pelo time campineiro.

Retrospecto

Aproveite todas as funcionalidades do Almanaque do Verdazzo. Consulte os links abaixo, e faça os cruzamentos com outros dados como preferir:

Ponte Preta
Ponte Preta
Moisés Lucarelli
Moisés Lucarelli
Leandro Bizzio Marinho
Leandro Bizzio Marinho
Taça Campeonato Paulista
Campeonato Paulista

 

Parpite

O jogo tende a ser morno. Sem valer classificação, com os jogadores preocupados em se preservar fisicamente, os dois times devem entrar em baixa rotação. Mesmo assim, os gols podem sair em jogadas de inspiração ou nas bolas paradas. Placar baixinho: 1 a 0 para o Verdão, com gol de Erik, para 7.654 pagantes. VAMOS PALMEIRAS!

Pós-Jogo

Ponte Preta 1x0 PalmeirasCésar Greco / Ag.Palmeiras

Desmotivado, sem nenhuma inspiração, o Verdão até jogou melhor, mas acabou derrotado pela Ponte Preta no Moisés Lucarelli, pelo placar mínimo. O jogo foi marcado pela total sonolência com que nossos jogadores disputaram as jogadas, desrespeitando nossa torcida que compareceu em bom número no estádio campineiro.

A derrota não influencia no mando dos jogos das quartas-de-finais, mas permite aos rivais uma aproximação perigosa na classificação geral, o que pode significar a perda do mando numa eventual fase final. A diferença para o SCCP caiu para um ponto e não há mais gordura para ser queimada.

PRIMEIRO TEMPO

Com Dudu na meia, por dentro, e Roger Guedes e Erik abertos, o Verdão dava a impressão que iria pra cima com tudo. Mas as circunstâncias da partida realmente não ajudaram e os dois times praticaram um futebol bastante sonolento no primeiro tempo.

A Ponte, ainda tomando ciência do estilo que Gilson Kleina quer impor, esperou o Palmeiras em seu campo, apostando em lançamentos longos para Pottker e Lucca; o Verdão mantinha a posse, rodava a bola à exaustão, mas conseguiu o espaço para armar suas jogadas uma ou duas vezes.

A primeira boa chance veio só aos 15: depois da bola passar por quase todo nosso time, ela chegou aos pés de Raphael Veiga, aberto pela direita. Ele fez a jogada simples: puxou para dentro e soltou a sapata; a bola encobriu Aranha e explodiu no travessão.

A Ponte parecia que estava apenas esperando o Palmeiras dar o primeiro chute a gol para tentar o seu: Clayson bateu de fora, mas Prass caiu no canto direito para fazer a defesa. E o time da casa, ao que parece, não estava botando muita fé em Fernando Prass: tentou oito chutes de fora em todo o primeiro tempo, quase todos para fora e/ou sem força.

O Verdão dominava completamente o jogo, mas não conseguia chegar com perigo na área campineira. Erik estava com dificuldades em não ultrapassar a linha de zagueiros da Ponte e caiu algumas vezes em impedimento. Veiga e Dudu não acharam a melhor distância entre si e toda vez que a bola caía no pé de um ou outro, ia logo em direção aos homens de frente – nossos meias não trocaram passes entre si para tentar envolver a defesa da Ponte.

Fabiano até que tentou apoiar pela direita, mas não recebeu nenhuma bola em boa condição. Já é Roberto se limitou a chegar, no máximo, na intermediária. Com tanta sonolência, a segunda e última chance do Palmeiras veio só aos 39: Felipe Melo deu uma de suas famosas esticadas por baixo; Erik chegou em boas condições dentro da área mas Aranha saiu bem, fechando o ângulo e dividindo com nosso camisa 17. E foi assim, sem maiores emoções, que terminou o primeiro tempo.

SEGUNDO TEMPO

Os dois times voltaram aparentemente com um pouco mais de vontade de proporcionar um bom espetáculo. A bola ficou mais viva, os toques saíam com mais rapidez dos dois lados. Mas as defesas seguiam levando a melhor sobre os ataques e os goleiros estavam apenas assistindo ao jogo.

Prass só foi participar do segundo tempo aos 15 minutos: Nino Paraíba lançou Pottker pela direita, ele ganhou facilmente de Vitor Hugo e cruzou para trás, para a batida de Ravanelli, que obrigou nosso goleiro a fazer boa defesa.

Aos 17, um lance emblemático: Dudu levou um rapa de Elton e levantou sorrindo animadamente depois da rápida resenha com o volante da Ponte. Nunca que Dudu, com o jogo empatado, teria essa postura em condições normais. Estava claro que não havia nenhuma motivação para se esforçar e ganhar o jogo. Se Dudu estava em baixa rotação, imaginem os outros.

Um minuto depois, Dudu sofreu nova falta, desta vez de Nino Paraíba, e bateu rasteiro, exigindo boa defesa de Aranha. Foi quando Eduardo Baptista tentou a primeira mexida: Keno no Erik. E o camisa 27 entrou cheio de gás: Roger Guedes fez a jogada pela direita e cruzou rasteiro, a bola passou na frente do gol mas nem Willian, nem Dudu, conseguiram escorar; Keno pegou a sobra do lado esquerdo, cortou para o meio e soltou a perna – Aranha fez ótima defesa.

Um minuto depois, Roger Guedes acionou Willian Bigode, que enfiou linda bola para Dudu, que invadiu a área e podia ter chutado, mas preferiu devolver para Willian, que não conseguiu escorar. Essa sequência foi o melhor momento do Palmeiras no jogo. Ironicamente, foi quando a Ponte chegou ao gol.

Aos 26, Pottker fez mais uma jogada pela direita, desta vez em cima de Zé Roberto; ganhou, foi em direção à área, e o camisa 11 tentou roubar a bola duas vezes, sem sucesso; na terceira, se emputeceu e deu uma voadora nas pernas do atacante, cometendo pênalti e levando o segundo amarelo – foi expulso. Pottker bateu o pênalti no canto direito alto; Prass foi bem para a bola, mas não dava pra chegar.

Eduardo corrigiu a defesa mandando Egídio no Raphael Veiga; para manter o time com articulação colocou Hyoran no Dudu. Mas não houve resposta. Os jogadores não estavam nem um pouco motivados, e apenas na base da técnica criaram uma chance de empatar, aos 46: Keno puxou o contra-ataque pelo miolo, tocou para Roger Guedes que deu um lindo passe de calcanhar para Hyoran, que bateu buscando o canto direito, na saída de Aranha – o goleiro da Ponte se esticou e salvou o gol de empate, que estava desenhado. Leandro Bizzio Marinho, na sequência, terminou o jogo.

FIM DE JOGO

A Ponte não fez nenhuma força para ganhar o jogo e achou o gol num surto psicótico de Zé Roberto. O Palmeiras não conseguiu transformar sua leve predominância e enorme superioridade técnica em chances de gol, e acabou castigado. A torcida segue com paciência, na mesma proporção que o time tinha pontos de vantagem para os rivais: acabou a gordura; acabou a paciência.

Qualquer resultado que não seja a vitória em Novo Horizonte vai significar a volta da encheção de saco, e será com razão: o Palmeiras pode perder pontos e ser eventualmente derrotado, mas tem que haver luta. Um revés como este, carregado de apatia e desinteresse, é praticamente um pedido por críticas. A reação tem que ser imediata – até porque, agora é mata-mata. VAMOS PALMEIRAS!

Ficha Técnica

Ponte Preta

Aranha
Nino Paraíba
Marllon
Fábio Ferreira
Jefferson
Reynaldo
Jadson
Elton
Ravanelli
Wendel
Clayson
Lins
William Pottker
Lucca
Gilson Kleina
TÉCNICO

Notas


Jogador
Descrição
Nota
Fernando Prass
Nenhuma defesa difícil.
6
Fabiano
Tentou apoiar sobretudo no primeiro tempo, mas não funcionou, como quase todo o time.
5.5
Edu Dracena
Um dos poucos que não comprometeu durante o jogo.
6.5
Vitor Hugo
Acorda, rapaz!
3.5
Zé Roberto
Além de ser nulo no apoio, perdeu de novo várias jogadas na velocidade e teve um instante de psicopata que custou o resultado.
2
Felipe Melo
O melhor do time, disparado. Não se deixou contaminar pelo resto do time e honrou a camisa.
8
Roger Guedes
Fez o mínimo para não colar a tarja de desinteressado em sua testa. Correu, voltou para marcar, tentou construir, mas sem brilho.
6
Raphael Veiga
Vaga-lume. Aparece em momentos específicos, brilha, e some por longos períodos.
5
Egídio
Entrou com 15 minutos para o fim e não apareceu.
0
Dudu
Já o vimos bem mais vibrante no campo. Estava ainda com a seleção na cabeça.
4
Hyoran
Esse não tinha como entrar com o pé mole. E quase saiu como heroi do jogo.
6.5
Erik
Antes de tentar qualquer jogada, tinha que sair do impedimento.
4.5
Keno
Até que tentou, de seus pés sairam duas ou três jogadas perigosas para Aranha, em pouco mais de 20 minutos.
6.5
Willian
Centroavante sempre tem a desculpade ficar isolado quando o time todo joga mal.
6
Eduardo Baptista
Eduardo Baptista
A apatia dos jogadores, ao contrário do que se possa pensar, tem sim a participação do comandante. Faltou pilha.
5





  • Positivo deste jogo Hyoran. Zé Roberto não dá mais como lateral ,deixa o Egídio e o Fabiano pela direita que marca melhor que o Jean e vai atrás de um reserva .

  • Não é um jogo para cornetagem. Nosso time fiz mais ou menos… aquilo que se esperava. Infelizmente, a vitória escapou. Entre as lições que poderíamos tirar desse jogo, acrescentaria uma, pecamos ao deixar o adversário ficar com o bola. Incrível como conseguiram trocar passes, até com uma certa tranquilidade.
    No mais, tudo tranquilo e favorável. Avanti palestra!!!!!

  • Jailson falhou no gol de cobertura, faltou velocidade. Mas nada que diminua sua nota. Temos um bom reserva.

  • Achei o resultado justo. O Audax não mereceu a derrota e na minha opinião não merece cair também.
    Eles jogam um futebol legal de se ver e não é pior que muito time que está a sua frente.
    Vamos fazer um jogo bom contra a Ponte e acabar com a conversa!

  • Gostei desse empate pq expôs algumas de nossas deficiências, bem listadas pelo Conrado.

    Espero que o nosso treinador observe isso também – ou leia o Verdazzo! – e trabalhe para corrigir esses erros.

  • Na minha opinião a segunda linha de 4 deveria ser tche tche – dudu (centralizado) – R. Guedes e William.

  • Eu tenho dito: Egídio e ZR são bons para jogar na frente.

    E parece que EB não tem interesse nas formações 3-5-2 ou 3-4-3.

    Jogar com dois zagueiros e sem LE não dá.

  • O Eduardo Batista tem que achar um lugar para o Willian no time titular. Ele é rápido, voluntarioso, raçudo e está metendo gol direto.
    Quanto ao elenco. Estamos muito bem de zagueiros, muito bem de volantes, muito bem de meias, muito bem de atacantes. Já as laterais acredito que seja o elo mais fraco do elenco. Não digo que são ruins, mas certamente falta a intensidade de marcação e de apoio ao ataque de um time que tem a Libertadores e o Mundial como sonhos. Certamente com estes laterais vamos disputar os títulos de todos os campeonatos nacionais, mas seria a função a ser reforçado no futuro.

    • Concordo que o Bigode está muito bem.

      Mas o desempenho dele entrando DURANTE o jogo é sempre bem superior do que entrando no início.

  • Detectei o mesmo erro que ocorreu contra os Gambás, ou seja, deixar o Zé Roberto correr atrás do atacante adversário no contra-ataque…
    No jogo de ontem, estávamos ganhando; então pergunto: pra que os dois zagueiros irem à área adversária no escanteio? Tem necessidade disso?
    Aí, desguarnece lá trás e toma gol do ex-jogador “Jô” (brincadeira, né?)

  • Há muito tempo está na cara que vai chegar um dia que o Zé, pela idade, vai simplesmente para de jogar.

    Uma das únicas críticas ao planejamento desse ano é não terem ido atrás de laterais titulares e reservas.

    • Perfeito! É oque venho dizendo… Na próxima janela precisamos correr atrás disso URGENTE! Agora porque não testar o Michel na lateral esquerda?

    • Na Pré temporada, o MITTOS até cogitou uma contratação para a LE. Ficou só cogitamento mesmo.

    • Acredito que o Palmeiras está observando o mercado e na janela do meio de ano deve resolver esse problema..

      Nós precisamos no mínimo de 2 jovens promessas, um pra cada lateral!

      O Mais correto seria um LE titular e um LD promissor.

  • Hyoran tinha que ser escrito no Paulistão, deu lugar ao Vitinho, que deveria ser emprestado pra ganhar experiência, colocando o moleque agora só vai queima- lo.
    Parabéns ao Eduardo Baptista,dando chance a todos no elenco e o mais importante o Palmeiras ta jogando muito bem.

    • hyoran está escrito no paulista no lugar do arouca que precisou de outra cirurgia no pé. Nesses meses fora o mlk disse que ganhou 5 kg de massa muscular… veremos

    • Concordo com você Alexandre, o Vitinho precisa ser emprestado para ganhar experiência e aprender a soltar mais a bola ou devemos comprar uma só para ele.

  • Tchê Tchê – Partida apenas OK, abaixo do seu nível habitual – talvez por isso o Audax tenha ficado tanto com a bola no pé.

    Já faz um certo tempo, não?

    • tche tche é volante, saida de jogo, dai joga na linha de 4 que é mais criação do que contenção, menos saida com a bola… acho que vai um tempo até ter o destaque que vinha tendo

  • mesmo sem ter ganho o jogo a melhor campanha ja esta quase confirmada, podemos empatar com a Ponte em Campinas que garantimos a liderança, e tambem se o gamba perder ou empatar com os bambis amanha ai ja era, não alcança mais o Palmeiras, estamos com 25 pontos e eles 20

  • Jogo hoje valia só pra rodar o elenco, não fico nem um pouco chateado por não termos vencido e sim satisfeito de o time ter chegado numa condição tão favorável ao fim do campeonato que permita dar oportunidades a todos os jogadores. Nestes testes já vimos que temos mais um excelente zagueiro (Antonio Carlos) e que o William é realmente bom jogador. No mais espero que o EB continue a rodar o elenco para o último jogo e aproveite a grande oportunidade de ir testando outras opções pro time.

  • bom, pra mim nesse testes de reservas só foram aprovados o antonio carlos e bigode…o resto merece estar no banco sim…perdemos pq deixamos o ZR atras no contra ataque, nao pode deixar um cara de 43 anos para uma possivel corrida com o atacante mais rapido do outro time…paciencia

  • Esse alecgordo infelizmente não tem condições de jogar no palmeiras… o bigode em 5 minutos fez mais que ele o primeiro tempo e a metade do segundo… Bigode jogando muito bem, só achei que deveria ter posto o Veiga no lugar do Michel e não o vitinho, o muleke errou tudo.. e só pra não deixar passar batido que merda de reporter foi aquela que deixou o Erik no vácuo pra entrevistar o torugo, falta de respeito ali…

    • Vitinho só joga os dez minutos finais, nem dá tempo de sentir o clima da partida. Talvez seja tática pra ir se adaptando sem sentir a pressão, foi a tática usada com GJesus e deu certo. Alecsandro é o que é, acho que tá bom pra ser a terceira opção pra centroavante. E realmente foi falta de noção total da reporter.

    • Cara, essa de deixar o Erik no vácuo foi foda. Repórterzinha insignificante, sem contar que é chata pra burro. Mas também ele não esperou, se mandou para o vestiário rsrs.

  • o Hyoran não pode jogar hoje já que ta inscrito no Paulistão agora? Queria ver o futebol do menino

  • ganhando com time alternativo e convencendo o medo do antis só tende a aumentar. Por fim, acredito nos 3×1 lembrando que Jailsão da massa segue invicto na meta do Verdão

  • precisamos urgente abrir o placar, dai a vitoria sera facil… mas se sairmos atras, com alecsandro no ataque será dificil virar o jogo. espero que a torcida tenha paciencia hj. acho que iremos ganhar sofrido 2×1 com um gol do vitinho aos 47 do 2o tempo

  • além da natural expectativa de uma nova vitória, um personagem do pré-jogo chama minha atenção: Pedro Carmona.

    Lembro em 2011 quando — segundo se noticiou — até fugiu da concentração do Criciúma pra apressar/encaminhar a transferência pro Palmeiras. Os vídeos dele por lá davam uma ótima impressão de um canhotinha típico com grande potencial.

    Por alguma razão, o jogo dele não apareceu aqui.

    Esse é um dos mistérios que a história dos clubes um dia poderia revelar.

    Vai ser interessante vê-lo hoje.

    #AvantiPalmeiras

  • Hoje eu aposto em 4 a 0. 1 gol RG, 1 gol VH e Keno 2 goles.
    Pena o Arouca não estar bem. Seria jogo importante para ele pegar ritmo.
    Avanti Palestra

  • 2×0, gols de Tche Tche e Rafa Marques, com Palmeiras confirmando a melhor campanha e o time do Vampeta rebaixado

  • Time tem que entrar 100% concentrado para não dar chance pro azar. 2×0 com Tche Tche e Alecsandro pra 23762 pagantes.