0
X
0

Pré-Jogo

Na tarde deste domingo, a Sociedade Esportiva Palmeiras recebe a Chapecoense no Allianz Parque em jogo válido pela terceira rodada do Brasileirão. O Verdão, depois da redentora partida contra o Boca pela Libertadores, agora foca no Brasileirão e tem um compromisso com a vitória, para não repetir o frustrante começo de campeonato de 2017 e para não deixar ninguém descolar na frente.

Palmeiras

DESFALQUES
Tapetada:
Gustavo Scarpa
Trabalho físico:
Artur
Lesionado:
Guerra

Pendurado: Felipe Melo

O time para entrar em campo esta tarde seria, teoricamente: Jailson; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Felipe Melo e Bruno Henrique; Dudu, Lucas Lima e Keno; Borja. Mas Roger Machado acenou na tarde de sábado com mudanças de ordem física, diante da dura sequência que o time enfrentará até a parada para a Copa do Mundo.

Além de disputar jogos duas vezes por semana sem descanso por dois meses direto, o Verdão ainda tem, por ordem das coincidências de tabela, quatro jogos seguidos fora de casa. Por isso, o departamento de fisiologia deve vetar dois ou três jogadores para a partida, mas Roger não deu nenhuma pista de quem poderá ser poupado.

Chapecoense

Na Chape, apenas Luiz Antônio é desfalque, após lesão na coxa sofrida no jogo contra o Vasco. Cheio de assombrações para nossa torcida, o time de Gilson Kleina pode formar com Jandrei; Apodi, Rafael Thyere, Douglas e Bruno Pacheco; Amaral, Marcio Araújo, Elicarlos e Canteros; Wellington Paulista e Arthur.

Lei do Ex

Hyoran veio da Chapecoense para o Verdão no ano passado. Pela Chape, Marcio Araújo, Wellington Paulista e Amaral já estiveram do nosso lado; além dos reservas Leandro Pereira e do lendário Vinishow – de horrores.

Retrospecto

Consulte os links abaixo e faça os cruzamentos com outros dados como preferir:

Chapecoense
Chapecoense
Allianz Parque
Allianz Parque
Igor Junio Benevenuto
Igor Junio Benevenuto
Campeonato Brasileiro
Campeonato Brasileiro

 

Parpite

O Verdão jogará contra um saco de refugos e, mesmo com a necessidade de poupar alguns titulares, tem a obrigação de vencer a partida desta tarde. Com o apoio fundamental da torcida, deve chegar aos trêspontos batendo o time catarinense por 1 a 0, gol de Antônio Carlos, para 20.012 pagantes. VAMOS PALMEIRAS!

Transmissão

PFCPFC (Jota Jr. e Mauricio Noriega)

Pós-Jogo

Palmeiras 0x0 ChapecoenseCesar Greco/Ag.Palmeiras

O Palmeiras empatou sem gols com a Chapecoense esta tarde no Allianz Parque e perdeu dois pontos importantes na caminhada rumo ao décimo título brasileiro. O time esbarrou na forte retranca armada pelos visitantes e na arbitragem, que não marcou um pênalti e anulou um gol legal no último lance da partida. Mesmo com o mau resultado, o Verdão segue no bolo de cima da tabela, ajudado por outros resultados da rodada.

PRIMEIRO TEMPO

O Palmeiras veio para o jogo com novidades, por conta de orientação da fisiologia: Jailson, Edu Dracena e Bruno Henrique descansaram e deram lugares a Weverton, Thiago Martins e Moisés. O Verdão iniciou o jogo forçando pelo lado esquerdo, nas costas de Apodi, mas tinha dificuldades com duas coisas: a boa marcação do esquema com três volantes de Gilson Kleina, e a arbitragem, que picotava demais o jogo marcando falta em qualquer contato.

Aos 10, Felipe Melo interceptou um lançamento, Moisés tocou rápido para Lucas Lima, que enfiou em velocidade para Borja, que tocou por baixo na saída de Jandrei e mandou para as redes, mas o bandeira assinalou impedimento – o colombiano estava na mesma linha que Douglas e o lance foi muito duvidoso. Pouco depois, Felipe Melo sofreu pênalti claro de Apodi, que o empurrou dentro da área numa jogada aérea.

A Chapecoense usava demais o recurso da saída rápida e Felipe Melo se antecipava a várias delas, retomando a posse de bola para o Palmeiras e ligando o ataque – aos 17, desta forma, Keno pegou a defesa da Chape aberta mas adiantou demais a bola, que foi cortada a escanteio. Na cobrança, Thiago Martins testou firme no canto direito e Jandrei se esticou para salvar os visitantes.

Aos 23, Canteros bateu falta da direita e Amaral subiu entre nossos dois zagueiros para testar forte e mandar  bola pertinho da forquilha esquerda de Weverton, que só torceu. Três minutos depois, em nova falta da direita, Canteros suspendeu, Amaral desviou e Rafael Thyere tocou para as redes, mas o bandeirinha corretamente assinalou impedimento – ele demorou demais para levantar o instrumento e causou tensão no estádio.

Aos 33, o Verdão teve nova chance com Moisés, que bateu firme da meia-lua após bola rolada por Dudu, mas a bola foi amortecida na zaga. Aos 36, Arthur Caike bateu de fora e a bola passou perto do ângulo direito de Weverton.

Aos 37, a melhor jogada do Verdão, que furou as linhas do visitante na base do toque envolvente: Felipe Melo, Lucas Lima, Borja e Moisés trocaram passes e a bola caiu com Dudu, dentro da área, por trás da zaga; o capitão ajeitou no peito e tocou para o gol, mas Jandrei fechou o ângulo e impediu a marcação do primeiro gol. Aos 40, Borja perdeu um gol feito, ao aproveitar mal uma bola espirrada na área após falta batida por Lucas Lima.  Com o Palmeiras superior em campo, mas incapaz de transformar a posse de bola em gol, o primeiro tempo chegou ao fim.

SEGUNDO TEMPO

Sem mudanças, os time voltaram com as mesmas propostas do primeiro tempo. Mas logo com três minutos, Felipe Melo precisou sair após sentir o calcanhar esquerdo e Thiago Santos entrou em seu lugar. Aos cinco, Dudu tabelou com Keno, invadiu a área pela direita e cruzou por baixo, com perigo, mas Jandrei encaixou.

Aos 11, Dudu bateu escanteio da direita e Borja testou forte, sobre o gol. A Chape seguia com uma linha de 4 e outra de 5 e o Verdão tinha problemas sérios para furá-las. Aos 17, o colombiano saiu para dar lugar a Deyverson, numa alteração equivocada de Roger Machado. Thiago Martins subiu ao ataque e bateu de fora aos 22, sem perigo.

Aos 24 Deyverson ajeitou de peito; Keno acionou Dudu que invadiu pela direita e bateu forte, cruzado, e Jandrei mandou a escanteio. Na batida, Lucas Lima pegou a sobra da bola espirrada e concluiu por cima. Pouco depois, o camisa 20 deixou o campo e deu lugar a Willian Bigode.

Bandeirinha Felipe Alan Costa de Oliveira ri de Antônio Carlos após anular seu gol legítimo
Bandeirinha Felipe Alan Costa de Oliveira ri de Antônio Carlos após anular seu gol legítimo

Aos 33, Dudu cruzou duas vezes para a área; a defesa afastou; Moisés recolocou no bolo e Thiago Santos chegou na pequena área para finalizar, mas foi desarmado em cima da hora por Elicarlos.  Aos 38, Dudu aproveitou bola disputada por Moisés e emendou um chute cruzado de direita, que assustou Jandrei.

Aos 43, Dudu sofreu falta frontal. Com a barreira dentro da área, Willian Bigode bateu na barreira; no rebote, bateu de novo e a bola explodiu em Dudu. Aos 45, a bola ficou viva dentro da área e o Palmeiras teve várias chances de empurrar para dentro, mas falhou. No último lance da partida, Dudu cruzou no segundo pau e Antônio Carlos cabeceou no canto de Jandrei, mas o bandeira Felipe Alan Costa de Oliveira anulou o gol erradamente marcando impedimento. Era o parpite do pré-jogo se concretizando, mas que acabou invalidado porque as marcações só voltam neste país se forem para um determinado time.

FIM DE JOGO

Faltou inspiração para os jogadores e para o treinador. Talvez um treino mais específico para furar a já esperada retranca da Chapecoense tenha feito falta – o calendário apertado impede que o time tenha esses luxos nesta fase da temporada e dependemos das individualidades que, desta vez, não sobressaíram.

Mas mesmo com esses problemas, tudo teria sido resolvido se o bandeira tivesse validado o último lance do jogo, quando Antônio Carlos fez o gol da vitória que nos foi negada. Ninguém aguenta mais falar da arbitragem. As pessoas vão começar a largar o futebol desse jeito, estão matando o esporte.

Mas nós seguimos resistindo. VAMOS PALMEIRAS!

Ficha Técnica

Palmeiras

GOL
Weverton
LAD
Marcos Rocha
ZAG
Antônio Carlos
ZAE
Thiago Martins
LAE
Diogo Barbosa
VOL
Felipe Melo
VOL
Thiago Santos
VOL
Moisés
MEI
Dudu
MEI
Lucas Lima
ATA
Willian Bigode
MEI
Keno
ATA
Borja
ATA
Deyverson
TÉCNICO
Roger Machado

Chapecoense

GOL
Jandrei
LAD
Apodi
ZAG
Rafael Thyere
ZAE
Douglas
LAE
Bruno Pacheco
VOL
Marcio Araújo
VOL
Amaral
VOL
Elicarlos
MEI
Canteros
ZAG
Luiz Otávio
ATA
Wellington Paulista
ATA
Leandro Pereira
ATA
Arthur Caike
ATA
Guilherme
TÉCNICO
Gilson Kleina

Notas


Jogador
Descrição
Nota
Weverton
Não precisou fazer nenhuma defesa.
6.5
Marcos Rocha
Atento nos contra-ataques, não levou nenhuma bola nas costas. Mas podia ter sido mais incisivo no ataque.
6.5
Antônio Carlos
Perdeu uma bola pelo alto, na disputa com Amaral. No mais, boa partida e um gol anulado.
7.5
Thiago Martins
Mostrou mais personalidade que o normal, arriscou até um chute de fora.
7
Diogo Barbosa
Apoiou bastante, mas não acertou nenhum bom cruzamento.
6
Felipe Melo
Estava comandando o meio-campo e ditando o ritmo do jogo, até sentir.
7.5
Thiago Santos
Compensou a deficiência no passe com boa presença dentro da área.
7
Moisés
mesmo sendo um dos mais inspirados do time, não conseguiu a jogada que desequilibrasse o jogo.
7
Dudu
Afobado, tentou investidas sem nenhum sucesso - com exceção da jogada do gol anulado.
6.5
Lucas Lima
Outro que até tentou um ou outro passe decisivo, mas sempre parava nas linhas do adversário.
6
Willian Bigode
Só vontade, sem nenhuma coordenação.
5.5
Keno
O pior do time, errando tudo: domínio, passe, drible...
4
Borja
Muita luta e pouca técnica. Perdeu um gol feito dentro da pequena área.
5
Deyverson
Vai queimando suas chances de se recuperar com a torcida com partidas pífias.
4.5
Roger Machado
Roger Machado
Faltou um pouco de ousadia para furar as linhas de Kleina, arriscando enfiar Willian ao lado de Borja e sacrificando um pouco a defesa.
5