O confuso Cuca contra a nauseabunda tendência de jogar sem a bola

Xavi e IniestaA essência do futebol é fazer mais gols que o adversário ao final de 90 minutos: ganhar por 7 a 1, por 10 a 9 ou por 1 a 0 é a mesma coisa, principalmente quando a cultura das torcidas, sustentada pela crítica, é resultadista.

Há alguns anos, Pep Guardiola assombrou o mundo com um futebol que privilegiava a posse de bola. Contando com jogadores muito dotados tecnicamente, com toques curtos e rápidos, fazia seu Barcelona manter a posse por quase 80% do tempo de bola em jogo. Ganhou tudo e estendeu a filosofia à seleção espanhola de Del Bosque, que conseguiu pela primeira vez na História levantar uma Copa do Mundo.

Em menor escala, outros técnicos reproduziram o tal de tiki taka, que deixou o futebol muito agradável de se ver por alguns anos: “A bola está comigo, então você não vai fazer gol. Farei pelo menos um de tanto insistir e ganharei o jogo”. A lógica parecia invencível. Até que os ferrolhistas apareceram com um antídoto.

O contra-ataque

LeicesterDiego Simeone inventou e Claudio Ranieri consagrou. “Então vocês querem a bola? Fiquem com ela. Mas não a percam, senão vocês vão tomar”. Com um esquema defensivo espartanamente montado e com uma capacidade de contragolpear surpreendente, o Atlético de Madrid esteve a segundos de conquistar a Champions League e bateu de frente com todos os grandões da Europa. Jogando da mesma forma, o Leicester conseguiu vencer uma Premier League com um orçamento cerca de cinco vezes menor que o de seus principais concorrentes. E o tiki taka morreu, sendo substituído por um horroroso, mas muito eficiente jogo de contra-ataque.

As TVs transmitem os jogos para todo o mundo e hoje é fácil assimilar e aplicar as tendências vencedoras no futebol em qualquer canto do planeta. Com uma boa dose de disciplina tática, qualquer time de jogadores medíocres consegue bater um time estrelado que não saiba furar esquemas defensivos bem postados e/ou que não consiga atacar sem estar bem guarnecido para os velozes e mortais contra-ataques.

E por aqui?

SCCP 0x1 VitóriaTite armou o SCCP desta forma há alguns anos. Carille vem fazendo o mesmo. Mas este final de semana tivemos uma surpresa: Vagner Mancini deu a bola para o SCCP. Recusou-se a ter a posse. Percebeu que a força do líder do campeonato estava apenas na capacidade de contra-atacar e reduziu suas chances de marcar um gol. Venceu. Um dia depois, o goleiro Jandrei, da Chapecoense, repunha a bola direto nas mãos de Fernando Prass. O time catarinense se recusou a jogar e venceu por 2 a 0.

Outros times notoriamente técnicos estão tendo problemas nesta temporada. Atlético-MG e Flamengo, tidos como prováveis rivais do Palmeiras em busca de todos os títulos no início da temporada, também sofrem na mão de times bem arrumadinhos que saem rápido para o ataque.

É claro que nem sempre o recurso de jogar a bola para o outro lado funciona. O Palmeiras amassou o Avaí no primeiro tempo do jogo realizado há algumas semanas mantendo a posse de bola. Posicionou uma linha de cinco na frente e furou as linhas do adversário – mas isso só funcionou porque os atacantes avaianos não eram velozes e foi possível jogar exposto.

Em busca do equilíbrio

Cuca não consegue se armar contra times que jogam  no contra-ataque.
César Greco / Ag.Palmeiras

Os times mais técnicos precisam encontrar novamente o equilíbrio entre ataque e defesa. As técnicas de se montar um ferrolho estão bastante desenvolvidas, com linhas próximas e coordenadas. Mas a forma de armar um contra-ataque continua igual à de 30 anos atrás e dois atacantes podem envolver uma linha de quatro defensores, desde que tenham precisão e velocidade.

O futebol precisa encontrar uma nova alternativa a esta tendência eficiente, mas horrorosa, de jogar sem a bola. Estamos em busca de uma maneira de postar o time de forma segura ao mesmo tempo que quatro ou cinco jogadores superiores tecnicamente consigam envolver duas linhas de quatro jogadores ultradisciplinados que parecem um muro.

Enquanto isso não acontece, a bola vai para o outro lado sem a menor cerimônia. Na próxima rodada teremos Avaí x Chapecoense e Coritiba x Vitória. Vai parecer jogo de volêi, os dois times vão insistir em dar a bola para os adversários por toda a partida e provavelmente o uniforme dos meio-campistas nem precisarão ser lavados.

Cuca aparentemente não descobriu ainda uma fórmula para usar o elenco qualificadíssimo que possui para se impor. Ainda confuso, nosso treinador vive um momento de estudo e desenvolvimento do elenco, finalmente completo e com semanas livres para treinamento. É hora dele mostrar que sabe se reinventar e usar o elenco qualificadíssimo que tem nas mãos. Se eu fosse treinador, adoraria ter esse tipo de desafio pela frente. Hora de trabalhar!

  • Danilo Diniz

    Eu fui um dos que defendeu e comemorou a volta do Cuca. Porém, a impressão é que o time jogava melhor com EB. Cuca tem que mostrar mais

    • Lucas Dalmáz

      Essa impressão se dá por causa da diferença dos esquemas: com Cuca é muito perde-ganha, bolas divididas e perdidas e jogadas sem finalizações. Com o EB as jogadas tinham início, meio e fim, mas todas meio manjadas e sem muita roubada de bola.

      • Danilo Diniz

        Pode até ser, mas em termos de resultado, é praticamente a mesma coisa.

  • Lucas Dalmáz

    Time e elenco do Palmeiras são ótimos pro videogame, dá pra escalar uns 3 times bons… Manter todos motivados, organizados e atentos em todos os lances numa partida é que está sendo difícil.

  • John Ross

    Cuca vai trabalhar e o time vai mostrar mais.

  • Victor

    Obrigado por contribuir com o meu vocabulário Conrado. Fui direto no dicionário ver o significado de “nauseabundo” ahhahahahha

  • Marco Aurelio Venturini

    Discordo elenco qualificadíssimo. Não temos:
    – lateral esquerdo bom
    – zagueiro bom mesmo ficou apenas o Mina, não deveria ter vendido o Vitor Hugo
    – não temos um volante que saiba jogar, deveria tem comprado o fdp do Gabriel
    – temos apenas um bom armador que é o Moisés, considerando que o Dudu faz o terceiro atacante
    – não temos nenhum atacante que resolva a parada

    No início do ano nos iludimos com as contratações. Nem sempre contratação é reforço.

    Agora é ter paciência, classificar pra Libertadores e o Cuca montar o time para 2018, pois em 2017 o Mattos foi incompetente, até pq o EB não tem cacife pra montar time gigante como o Palmeiras

    • Saulo Tuchê 9X

      Vitor Hugo estava completamente perdido nos jogos e estava sendo expulso como se não houvesse amanhã! Os gols de cabeça secaram e não tinha mais porquê seguir no time. De resto, concordo contigo.

      • Marco Aurelio Venturini

        Foi apenas uma fase ruim dele, fruto do EB estar perdido na época. Vitor Hugo joga muito

        • Saulo Tuchê 9X

          Me desculpe mas o VH ficou em 2016! Não jogou NADINHA em 2017. Um sujeito extremamente humilde que fatalmente tremeu as pernas qdo viu que poderia ficar rico em uma tacada só

  • Matheus Fabiano

    Iniciamos a pré temporada caros amigos. Temos que ver esse time jogando bem no inicio do paulista. Até lá eu não ajudarei a implantar crises..

    • Marcos Aurélio Bardini

      Mas não podemos perder a única coisa que nos resta na temporada que é garantir uma vaga na Libertadores e do jeito que o time jogou nos 3 últimos jogos do Brasileiro dá medo.

  • amilcarparada

    Conrado, concordo 100% com o que você escreveu, perfeito! Todos os times que contra-atacam têm vencido, como eram os bambis do Telê durante muitos anos. Infelizmente (ou felizmente) no futebol nem sempre o time mais forte ganha ou é campeão. Soma-se a isso a bagunça protagonizada pelo sr. Cuca e Mattos, que acharam que as férias prolongadas do primeiro não teriam efeito negativo no desempenho do time, vez que “temos o melhor elenco da América”. Pagamos caro por essa cagada, não tivemos tempo de treinar pra furar estes bloqueios antes de nos custar as eliminações e as conquistas em 2017. Por increça que parível eu ainda confio no título Brasileiro de 2017, talvez seja o único ou um destes palmeirenses, mas a partir da derrota de ontem a chance baixou ainda mais. Não pelos pontos de diferença mas muito mais pelo estado anímico do elenco e treinador. Não faltou vontade no segundo tempo, mas no primeiro parece que o time estava despreocupado com o resultado. Sobre furar os ferrolhos e minha opinião é que o que não consegue-se com toque de bola tenta-se com bola alçada TREINADA e com bons cabeceadores. Ano passado fizemos vários gols de escanteios e cabeceios, mas nesse ano ficam com essa merda de cruzamento balãozinho na área, parece que não treinam nada. Se tá difícil por baixo mete o Borja e o Deyverson juntos na frente, tira um dos atacantes de lado, fortalece o meio e libera os laterais pra irem até a linha de fundo. Esses dois “pontas” do atual sistema do Cuca estão jogando escondidos atrás dos defensores adversários, não vai dar certo nunca. Precisamos de um time que venha em bloco do meio ao ataque com a bola dominada e faça ultrapassagens, o que é muito diferente de postar 4 ou até 5 atacantes lá entre os defensores adversários e deixar os zagueiros responsáveis por fazer a bola chegar lá. O Curica tá jogando nos contra-ataques mas quando não conseguem eles têm coordenação nos movimentos de ataque, não ficam todos lá na frente, eles avançam em sincronia com a bola dominada e chegam JUNTOS com a bola na área adversária. No caso da SEP os atacantes ficam lá esperando a bola, tá errado isso!

  • juliano

    O Cuca está tentando um esquema que com esses jogadores não dá,keno e Guedes são dribladores e corredores,mas não sabem cruzar nem finalizar direito, Guerra precisa de alguém com qualidade para jogar junto a ele,vamos ver com o Moisés,mas é difícil uma análise,pois o elenco individualmente e bom,as vezes me parece falta treino,e vontade,ou talvez não gostem do Cuca.

  • maurorodrigues

    Eu também adoraria o desafio, desde que não houvesse 20 milhões de cornetas na minha orelha.

    E outra, espero mesmo que ele tenha identificado e se animado com o desafio, pra mim o Cuca parece desanimado/desmotivado e se for assim isso vai nos prejudicar lá na frente.

    • Saulo Tuchê 9X

      As cornetas fazem parte do pacote! E ele conhece esse pacote, não é de hoje não!!! É o mesmo que um jogador dizer que perdeu um gol por conta da torcida que cantava muito alto! Não é desculpa e ele que se resolva logo pra não perder o emprego, algo que sou completamente contra!

  • Helder Gonzales

    Boa análise, Conrado. Acho curioso que o time campeão de 2016 era criticado justamente por jogar sem a bola e definir em contra-ataques rápidos ou bolas paradas. Por que será que esse ano esse estilo “sem a bola” não encaixou no Palmeiras? Uma possibilidade é a grande queda de produção do nosso setor defensivo: frequentemente saímos atrás no placar e ficamos fadados a jogar a maior parte do jogo no esquema ataque contra defesa, que é tudo que nossos adversários querem.

  • Wilfrido Paredes

    No começo deste ano, parecia realmente um elenco qualificadíssimo, mas o tempo nos mostrou o contrário.

    Infelizmente temos muitos jogadores já em final de carreira com declínio físico e/ou técnico.

    Momento oportuno para Cuca reformular o elenco para 2018…

  • ESQUADRAO 1996

    Ótima análise Conrado, apenas lembrando que nosso mestre Cuca não terá muito tempo de estudo em caso de novas derrotas!! Embora eu o veja como um dos melhores em atividade, começo a identificar uma apatia e falta de coerência que ele não possuía em 2016…o mesmo se diga em relação a certos jogadores medalhões que nada produziram este ano; só nos resta torcer (e muito) por um final de 2017 melhor para alavancar em vitorioso 2018. AVANTI!

  • clluiz

    Na entrevista coletiva de ontem ele não me pareceu confuso. Falou que SE estivesse errando seria o primeiro a reconhcer. Ou seja, acha que as cagadas que está fazendo estão certas.

  • Rubens Lopes

    Corretíssimo. Só falta o Sr. Cuca ter a humildade de reconhecer que está redondamente enganado em suas convicções.

  • Saulo Tuchê 9X

    “Hora de trabalhar”. Então segura essa segunda-feira livre, torcedores trouxas!!!

  • André Tisi

    O momento, por mais difícil que possa parecer, é de paciência. Tem muita gente pedindo cabeça de treinador e de jogadores. Não é hora para isso!
    Temos que aceitar que 2017 já acabou e utilizar o resto do ano como preparação para 2018.
    As pretensões para o ano que vem dependerão muito da manutenção da comissão técnica. Deixa os caras trabalharem e continuarem a fazer os testes necessários. Somente assim teremos ao final do ano uma lista de dispensas de jogadores justa e, com certeza, começaremos o ano com os reforços pontuais para, de fato, reforçar o elenco.

    • Rubens Lopes

      A gente até deixa eles trabalharem. O problema é que essa semana vai começar na quarta-feira a tarde?

      • Carlos José Da Silva Xavié

        Os caras trabalham sábado e domingo, não se esqueça disso.

        • Rubens Lopes

          Vc tem dois dias e meio de folga? Eu não…

      • Wilfrido Paredes

        Pelo que escutei, amanhã eles retornam…

  • Luca Botelho

    E Conrado desse jeito o Verdazzo vai mudar de nome pra Paizazzo rs, vc ta passando mto a mão no verdão como um todo. Opinião é individual, claro, mas aparentemente o momento é de declinio técnico e não de estudo e desenvolvimento. Eu acompanho diariamente a midia palestrina e tenho notado que a coisa é muito “Nós contra todo mundo”, não me parece que seja realmente o cenário que se desenhou. O Palmeiras está muito mal esse ano e pronto, é isso. Eu queria ter essa visão igual a sua e me livrar da vontade de mandar o Cuca pra china com toda a má vontade que ele aparenta rsrs, fala ai com vc faz isso?!?!

    • Luca Botelho

      Mas em relação a análise, concordo plenamente. Jogar sem a bola é muito mais facil e o estilo do Cuca foi mais pra jogar sem bola do que com ela em 2016. O mundo ideal seria ter um tecnico que pudesse jogar com a bola e fazer o time jogar. Com a diferença tecnica do nosso elenco eu acho que um time muito bem treinado nao teria dificuldades com as retrancas nacionais. Um coisa é uma retranca da Juve/ Atleti / BvB…..outra é a retranca da Chape, BAM, Avai……

      • Jean Nunes

        Será que as retrancas de Chape e Vitória não são tão boas quanto a retranca do Leicester? Acredito que sim….

        • Matheus Rodrigues

          Retranca é retranca em qualquer lugar né? 2 linhas de 4 são a mesma coisa em qualquer lugar do mundo. O que pode apenas mudar é a qualidades dos jogadores. Enfim, já venho pensando a um tempo, que no Brasil não tem técnico que saiba furar retranca. Todo time sofre demais quando pega uma pela frente.

        • Marcos Aurélio Bardini

          Se fossem assim tão boas, então não estariam na zona de rebaixamento.

  • Carlos José Da Silva Xavié

    O q o comando do Palmeiras tem q decidir é se vai com Cuca para o ano q vem, e aí é se reunir com ele para planejar 2018, ou se vai mudar tudo, e então tem q começar a se mexer para definir qual perfil de treinador interessa. De qq forma, qq uma dessas opções tem q ser independente dos resultados atuais. O ano já tá perdido, não tem volta, vai ser uma foda fazer o elenco focar no Brasileirão (não me pareceu faltar empenho ontem, mas foco, concentração). Eu, particularmente, manteria a aposta no Cuca.

  • Ferracini

    Brilhante análise Conrado.
    Acho que neste cenário, o “volante de contenção” estará com os dias contados…os ferrolhos são desmontados com a transição rápida entre a defesa e o ataque e para isso o bom passe é uma premissa.
    Os volantes além de marcarem pra cacete têm que saber sair jogando bem, com bom passe.
    Mas parece-me que essas duas características são mutuamente exclusivas…ou é Tchê-Tchê ou é Thiago Santos.

  • Leal

    Precisa treinar fundamentos tbem, tivesse Willian matado aquela bola na cara do goleiro, tudo deveria ser diferente, não é só Borjas que esta mal em nosso time.

    • Rubens Lopes

      Já disse várias vezes. Esse esquema de jogo do Cuca faz camisa 9 passar fome e sede. Nem Evair ou Oséias dariam jeito.

    • rato_ verde

      Keno também perdeu um gol incrível !

  • rato_ verde

    O dor de cabeça passou , vou lá domingo !

    • Fernando Piason

      Eu também. Continuamos no G4 e jogamos os bambis pro Z4. Vendo desse jeito a dor passa mais rápido.

  • Ana

    Ontem um VERgonhAZZO! Mas domingo todos no Allianz por favor!

  • Marcelo Dos Santos Baptista

    Concordo em partes com a analise feita , mas no todo ela pareceu , pela menos na minha opinião , que o Verdão vem jogando bem e que não esta conseguindo furar as retrancas , se tiver enganado me desculpe ,mas o que vi ontem foi um primeiro tempo de um time sem um minimo de pegada , parecia que o Verdão é que tinha acabado de chegar do Japão e um segundo tempo com um pouco mais de pressão mas na base do abafa , pra mim esse time esta mal treinado ou os jogadores não estão nem ai pro treinador…Cuca esta muito mal esse ano , essa desculpa que não teve tempo pra treinar não cola mais …

  • MonacoParmerista

    Estamos todos afetados pela “nauseabundância” do “jogo sem bola”.

    só torço pra que a direção não sucumba à tentação de “agradar a gregos e a baianos” e sacrifique alguns nomes pra dizer que “algo está sendo feito”.

    qualquer mudança — corte, substituição ou adição — tem de ser reflexo de CONVICÇÃO de dirigentes.

    #JuízoPresidente
    #ForzaCuca

  • rato_ verde

    Teóricamente sabemos a causa e efeito do jogo sem bola , o que esta faltando então ?
    Eu insisto , contratamos mau , gostaria de estar errado ……..

  • Belmiro

    A solução pra esse problema é simples: qualidade no passe e finalização certeira. Afinal . Kenno, dayverson, Borja, entre outros precisam ter mais dedicação e entender que jogar no Palmeiras e receber bem e em dia não é o suficiente pra estar no Verdão.

  • Galdino

    Todas as análises táticas e técnicas são relevantes, porém não posso aceitar meu time jogando tão mal assim este ano. Há algo de podre no reino da SEP. Faltam vontade, gana, vergonha na cara, comprometimento. E acima de tudo, respeito com os torcedores. Simples assim. Por exemplo: temos os 2 melhores jogadores da América do ano passado. Pergunto: os caras esqueceram o que sabem? Não me conformo, tem coisa aí.

  • Marco

    Não acho nada disso, cada time tem sua proposta de jogo, dependendo do adversario. O vitoria e a chape sabiam que não poderiam encarada de igual pra igual, então resolveram segurar o jogo e aguardar na defesa. o que faltou no nosso time foi inteligencia e eficiencia dos jogadores. Os meias,os laterais foram maus, a defesa falhou e o ataque não criou nada. Nem triangulações conseguiram fazer.

  • Lucas Paraizo

    Acho que time pequeno jogar fechado fora de casa é uma estratégia que existe desde sempre, a novidade é com os grandes mesmo, caso dos exemplos europeus citados no texto e do Curintia, que montou um time que joga por uma bola. O Palmeiras desde o Paulistão mostrou que tem sérios problemas jogando contra times totalmente fechados, é só ver a própria partida com o Curintia (aquela derrota por 1 a 0 com um jogador a mais)…

    Parece que falta entrosamento nesse time, talvez resultado do fato de estarmos em agosto o Palmeiras não ter um “time titular”. Ontem deu pra ver tabelas, triangulações, ultrapassagens, coisas que fazia tempo que o time não tentava tanto, mas ainda faltava o passe final ser bom, faltava um posicionamento decente dentro da área. Falta um jogador com coragem de fazer a jogada diferente, não apenas se livrar da bola. Gente pra isso temos, falta esses caras baterem no peito e chamarem a responsabilidade.

  • André_Verdão

    Ainda acho que esse time num 4-4-2 renderia. A defesa ficaria mais protegida e o ataque criaria mais. Queria ver o meio campo com Thiago Santos, Bruno Henrique, Guerra e Moises.

  • Excelente análise do futebol atual.

  • Felipe Vila

    O Cuca já pediu para sair, está lá mas não tem a mínima vontade. Ele não se entende e nem se faz a entender, vale a pena insistir?

    • Verdazzo

      torcedores que tem a fantástica máquina de entrar na mente dos técnicos

    • Bruno Silva

      Se pediu ou não, não sabemos. Se ele quer sair ou não, tampouco. O que deve ser feito é conversar, e se ele quiser ir embora que vá, e que já encaminhem e pensem em alguém para substituí-lo e suas indicações de possíveis reforços, pois o planejamento para 2018 deve ser feito para ontem.

      • Antonio Frederico

        Não acredito que o Cuca faça isso, tenho como certo que ele quer ficar e quer reverter tudo isso que está acontecendo. Porém, mesmo que seja verdade, nossa diretoria já saberia o que fazer e já está se arrumando para 2018. Ou seja, em qualquer um dos casos, tudo dará certo. Fique tranquilo.

        • Bruno Silva

          Com certeza, sou otimista que dará certo, mas de qualquer forma não acredito e nem desacredito quanto ao desejo do treinador em permanecer ou não.

    • Saulo Tuchê 9X

      Cuca não é um fracassado que vai jogar a toalha na “primeira crise”. Digo primeira, pq realmente é o primeiro momento de grande turbulência que passa desde que chegou aqui, no ano passado. Apesar da imprensa querer muito que ele saia (eles sabem quão longe podemos chegar e sabem tbm que nossa glória está atrelada a um cara que entende de futebol e que é palmeirense), ele NUNCA foi de passar recibo ou ser passivo nessas situações. Olha o rojão que segurou no botafogo por tanto tempo… Pensem um pouco. Não estou pedindo para se tornarem Einsteins da bancada verde, mas só raciocinem para não serem massa de manobra dessa imprensinha lixo que temos por aí

  • Daniel

    Boa, Conrado!

  • Claudinei José de Oliveira

    Pramim, foi tudo milimetricamente calculado: jogar os bambis de volta ao z4. Dom
    ingo serão afundados ainda mais. Simples assim.

    • Bruno Silva

      A tendência é os bambis afundarem sozinhos, e se não caírem pouco importa, talvez seja melhor que fiquem na primeira com sua soberba sendo putinhas de todo mundo, do que caírem e o clube descer do salto e acordar pra vida.

      • Nada, o inter sofrendo aos montes na segunda, a torcida murchou e não fala mais m****, eles precisam cair SIM!

    • Foi o que eu falei, ainda que perdemos da Chape, q ajudou a afundar os bambis.

  • Daniel

    Entendo que seja assim mesmo.

    Mas independente da filosofia, quando a fase não é boa, é sempre cauteloso fechar a casinha e atacar na segurança.

    Com os resultados, o ambiente vai ficando mais leve.

  • Danilo Peressim Pinto

    Ficando ou não, um alívio, a sombra do Sr. Alexi Stival como único e salvador da patria não existe mais! Nunca aceitei esse rótulo pregado pela imprensa e por parte da torcida, somente após seu retorno teríamos essa paz, conseguimos, agora, que definam logo quem trabalhará no Palmeiras em 2018 e agarrem esse projeto!

  • Bruno Silva

    Jogadores rápidos e dribladores com Keno e Dudu não podem se limitar apenas a ficar levando a bola para o fundo e cruzando na área. Já passou da hora de implantar um 4-4-2 com, com dois volantes e Moisés e Guerra na armação. Cuca está há tempos dando murro em ponta de faca e com isso Carilles da vida vão aproveitando.

    • Andre Alves

      4-4-2 sería uma ótima. Esse esquema de 3 atacantes, que chegam a linha de fundo ( quando chegam..) pra cruzar para nossos péssimos cabeceadores está muito manjado.

  • Antonio Frederico

    O q

    • Gaetano

      Você tem razão,mas como aguentar a torcida, numa situação dessa?

      • Antonio Frederico

        Mas a partir do momento em que a vitorias começarem a vir a torcida vai junto. Atualmente já sofremos até o fim, o que mudaria se fosse assim?

    • É complicado, pq ano passado ganhamos exatamente assim, lembra da saída de jogo? bola pra traz, alçada para o Vitor Hugo tocar para um atacante e tentar o gol logo a segundos depois do inicio. O futebol que o Cuca quer é esse, pressão, ataque constante, sufocar adversários, sem tomar bola nas costas, nos acostumamos isso no ano passado, por isso acho dessa falta de paciência.

  • Marcelo Mussarelli Corghi

    Periscazzo de hoje vai render….

  • Felipe

    Falar de tática neste momento é tocar violino no titanic

  • Saulo Tuchê 9X

    Uma coisa que me surgiu aqui agora: não seria sensato “fecharmos a casinha” com 2 linhas de 4 em jogos considerados “difíceis” fora de casa? Ou até mesmo em todos os jogos…

    Acho que treinar esse tipo de situação seria, no mínimo, saudável para pelo menos conhecermos (e estarmos treinados) com relação a times que não vem pra jogar futebol. De groja, teríamos uma variação de posturas defensiva e ofensiva para utilizarmos qdo fosse possível.

  • Czar_SP

    Por mais forte que seja a vontade de chutar o balde, não dá para fugir dos fatos.

    Acho mesmo que o elenco é forte e que Cuca tem muita competência.

    Mas com a globalização das culturas do futebol ficou muito fácil montar um time ruim e equilibrar o jogo contra um adversário bem superior.

    Já há muito tempo digo que um dos mais fortes sinais de que um time será campeão é quando este time despacha adversários pequenos nos jogos em casa. Nunca é tão fácil como parece. É conseguir jogar quando tudo o que o adversário quer é não jogar. O famoso “quando um não quer, dois não brigam”.

    Estamos diante de um paradigma que poderia mudar com mudança de regra. Algo como proibir o empate. Ou seja, sem pênaltis, sem nada. Acabou empatado é zero pontos para os dois clubes. Poder-se-ia até valer um ponto para cada lado em caso de empates com dois gols ou mais.

    Iria acabar com a festa do antijogo.

    • Samir Campos Daneu

      Rapaz… A ideia do empate não computar pontos seria genial.

      • Verdazzo

        até o dia que dois times fariam um conluio para cada um ganhar um jogo em cada turno e assim garantirem 3 pontos cada um. ou voce duvida que isso pode acontecer?

        • Samir Campos Daneu

          Nada impede de combinar isso atualmente.

          • Verdazzo

            sim, mas o custo não é tão grande agora; dois empates = 2 pontos.
            se você dá zero pontos pelo empate, 2 empates = 0 pontos, e a tentação do conluio fica muito maior.

          • Czar_SP

            Verdade.

            Mas ainda acredito que uma mudança de regra pontual pode salvar o espetáculo.

            Assim como a proibição do recuo de bola com os pés mudou para melhor a dinâmica do jogo.

          • Lucas Dalmáz

            Sobre o recuo, o goleiro deveria ter limite de tempo de posse de bola com os pés também. Se não fica aquela palhaçada de esperar um atacante ir pressionar. Com as mãos é 06 segundos na regra, mas na prática o pessoal permite quase uns 10 seg. Podiam prever uns 12-15 seg desde que ele fez a defesa, sem dar chance de fazer gracinhas. Mas executar a regra, senão só serve pra irritar…

          • Saulo Tuchê 9X

            Eu sempre apoiei a ideia de a torcida começar a contar os segundos a partir do momento que o goleiro segurasse a bola com as mãos. Ia ter função dupla: o goleiro seria “forçado” a repor a bola em jogo, o que poderia fazer de qq jeito, entregando a bola pra gente e fazer o trabalho do árbitro, forçando ele a tomar uma atitude, mesmo que só depois da reincidência dentro de um mesmo jogo! Mas a torcida prefere gritar “bicha” qdo o goleiro vai bater o tiro de meta…

        • Lucas Dalmáz

          Se é que já não acontece atualmente! hehe Aliás, é o mínimo de pontos que deveríamos conquistar contra todos adversários no Brasileirão e conseguimos 4 contra o Vasco e ZERO contra a Chape.

      • Bruno Silva

        A estratégia dos imundos iria por água abaixo

    • Lucas Dalmáz

      Passou da hora do futebol sofrer mudanças de regras gerais, está muito engessado do jeito que está. Em campeonatos de turno e returno, pegando sua ideia, ia ser legal o time visitante só ganhar pontos caso vença, no empate um ponto pro mandante, assim, só iriam se defender aqueles que pretendem apenas tirar pontos, mas não ganhariam nada de bônus.
      Outra coisa legal seria retornar o 3º jogo em mata-mata caso resultados iguais e sem gol qualificado.

    • Saulo Tuchê 9X

      Perfeito seria!

    • Antonio Frederico

      Teve um brasileirão que quando terminava empatado, o ponto extra era decidido nos penaltis. Lembra do finado Gaucho pegando penaltis contra o Flamengo quando Zetti fraturou a perna e nosso atacante foi pro gol?

      • Wilfrido Paredes

        Acho que era a Copa União…

      • Czar_SP

        Isso foi épico, impossível esquecer.

        O problema é que aquilo foi bom somente para a audiência. Aquela regra também era atraente para o time que praticava o antijogo.

  • Victor Polydoro

    acho que mais preocupante que o catado mostrado ontem, foi a entrevista do Cuca… se isentou dos problemas do time e se mostrou muito irritado com os jogadores… lembrando aquele Cuca pavil curto de antigamente. Soma-se a isso esse presidente bunda mole, os bastidores que voltaram a pegar fogo e as eliminações recentes… tudo isso pode minar a confiança do treinador e do elenco também… precisamos reagir urgente e nada como um clássico em casa para ajudar! Eu acho que se a vitória não vir contra o bambi, a diretoria não vai ter culhão para segurar o Cuca…

  • Samir Campos Daneu

    Muito bem resumido o contexto do futebol atualmente.

    Para mim, as armas para vencer este tipo de estratégia, são:

    * Chutes de média e longa distância.
    * Paciência.
    * Toque de bola com qualidade.
    * Forte bola parada.
    * Preparo físico em dia.
    * Arriscar dribles

    Os chutes devem ser treinados à exaustão, pois é muito mais fácil abrir um espaço a média e longa distância para disparar um chute. O que acontece, é que não vejo ninguém com bom chute de fora da área.

    O time tem que ter paciência, e tocar a bola com qualidade sem se desesperar. O fato de ter que se movimentar o tempo inteiro para abir espaços desgasta muito, e quem estiver com o preparo físico melhor pode se beneficiar, principalmente no segundo tempo.

    Bola parada faz uma grande diferença para quebrar defesas. Alguém com a qualidade de um Marcos Assunção faria uma grande diferença em qualquer time hoje em dia. Tanto nos gols quanto nos cruzamentos. Não existe ninguém no Brasil com essa qualidade hoje em dia.

    Dribles para mim são a melhor arma para desmontar defesas… Se um jogador dribla dois, foi-se o esquema defensivo. No Palmeiras, o único que tem essa habilidade é o Keno, mas ele dribla um, e cruza para a área. Talvez, fosse necessário arriscar mais um drible, cortar para dentro ao invés de cruzar com os olhos fechados.

    Acredito que um time de boleiros teria dificuldades em encarar um sistema tão defensivo, mas uma hora ou outra, furaria uma dessas defesas… Dribles e passes de qualidade tá em falta hoje em dia. Não vejo ninguém que drible como o Edmundo driblava hoje em dia. Não vejo ninguém com o passe do Djalminha hoje em dia…

    • Andre Alves

      Vc tocou em uma coisa que eu tava pensando bastante desde a nossa eliminação. O Palmeiras não chuta de longe! Quando se chuta a gol, por mais que seja mais difícil de marcar, vc assusta os caras. E contra defesas bem
      Fechadas, talvez seja a única chance de marcar.

      • Samir Campos Daneu

        Se você tem bons chutadores, assusta mesmo. Mas não tem que ter um só cara bom de chute, porque aí os caras fecham o espaço dele.

        • Breno Henrique

          Cara, o pior é que temos mais de um bom chutador. Bruno Henrique sempre foi conhecido por finalizar bem de fora da área, me lembro do ano passado ficar até meio bravo com o Moisés as vezes por chutar de longe quando dava pra tocar, Michel Bastos também é conhecido por ter uma boa finalização de média/longa distância, nosso ultimo bom jogo (contra o Avaí) o primeiro gol saiu de uma finalização de fora da área. Então temos esse recurso mas não utilizamos e quando utilizamos é no desespero e assim fica mais difícil.

      • O único bom chutador que o time tem é o Bruno Henrique, que ainda não acertou o gol.

    • Bruno Silva

      * Tabelas e triangulações.

      Esses tempos eu tenho assistido partidas de várias equipes e dificilmente vejo tabelas e passes rápidos para entrar na defesa adversária. Nosso time tem tudo pra isso e tbm não faz.

      • Samir Campos Daneu

        Sim, tabelas e triangulações também. Nível técnico tá bravo!!! Não é fácil fazer tabelas e triangulações.

  • Will Palestrino

    Excelente post, mas não creio que o problema do nosso Verdão neste momento não sejam as retrancas adversárias…….

    Não sou treinador, apenas um torcedor, que como milhares de torcedores, acham que podem ser melhores que o cara que fica a frente do banco durante o jogo, desta forma, vão os meus pitacos:

    Creio que temos o melhor treinador do brasil, ele é o mais criativo, é o que tenta algo diferente e acredito que devíamos apoia-lo mais, até para que ele tenha confiança de mudar.

    Eu particularmente gosto de modificações, gosto de pensar fora da caixinha ( adoro ver o Mina indo pro ataque), odeio defesa, odeio “volante”, gosto de ver o time rondando a meta do inimigo, tocando a bola, de encurralar o adversário. Quem fica se defendendo uma hora leva o gol. A Bola castiga!

    Ontem foi triste, mas vi alguns toques lúcidos do Guerra, Moisés e T² inclusive triangulações.
    Gostaria de ver o Verdão num 4-4-2 ofensivo, meio de campo com Dudu, Moises, T² e Guerra, ataque com Willian ( Deyverson) e Borja.

    Sempre que vejo as formações táticas, odeio a linha de quatro ou três defensores….não poderia existir um 2-6-2? Com meias que cobrissem os laterais?

    As coisas só mudam se fizermos algo diferente, gostaria de ver uma 4º academia!

    só para refletir:

    Carrossel Holandês;
    Seleção Alemã;
    “Campo de futebol não é loteamento. Ninguém é dono de lote, de posição fixa.” João Saldanha
    “Futebol é muito simples: quem tem a bola ataca; quem não tem defende.” Nenem Prancha
    “Joguei muita bola em uma rua estreia e com duas metas menores que 1m. 5 jogadores para cada lado e saia muito gols, toque de bola é tudo” Will

    Se virá Cuca, quebra a roda! Avanti!

    • Lucas Dalmáz

      2-6-2:
      Jaíson
      Mina e Luan
      Mayke – Tchê Tchê – Bruno Henrique – Moisés – Guerra – Michel Bastos
      Dudu e Borja

      Seria a mesma coisa que o 4-4-2… só se fizesse uma loucura tipo:
      Jaíson
      Mina e Thiago Santos
      Roger Guedes – Tchê Tchê – Bruno Henrique – Moisés – Guerra – Keno
      Dudu e Borja

      hehe, se desse certo um time assim… com uns 3 meses de treino talvez… hehe

      • Will Palestrino

        Gostei da primeira formação, menos do MB, Dudu no lugar do MB com o bigode ou Deyverson ao lado do Borja?

        Tem 3 ingredientes importantes ai, coragem do treinador, treino e paciência da torcida….o ultimo é o item mais difícil hahaha

        • Lucas Dalmáz

          Acho complicado Deyverson e Borja juntos, sou mais o colombiano!
          Com Dudu no meio, dá até pra ser o Roger Guedes… ele mais perto do gol acho que iria render mais. Tinha colocado o Dudu no ataque justamente por isso, gosto dele perto da área, toda bola que recebe é perigo!
          Coragem e tempo de treino o Cuca até tem, a questão é se ele tem proteção da diretoria de fazer isso e não saírem divulgando que ele vai fazer…
          E paciência temos que ter com a paciência da torcida hehe

    • Wilfrido Paredes

      Olha Will, também gosto da ousadia e de esquemas táticos diferenciados dependendo do adversário.

      Mas aí perde uma partida, já viu né o que acontece.

      Começam as cornetas de professor pardal…

  • Grão de Pimenta

    discordo, infelizmente não temos um elenco qualificadíssimo, é um time no maximo mediano, male má bom, se fosse tão qualificado teria ao menos passado pelo Barcelona na libertadores, e não seria eliminado do Paulista da maneira que foi, não temos esse timaço, no começo do ano tdo mundo achou q o Palmeiras tinha uma seleção com a contratação de varios jogadores de nome, como o Borja por exemplo que até agora não jogou nada não vingou, sem falar de outras que foram pura decepção tipo Felipe Melo, Michel Bastos, até o Guerra parou de jogar bola

    • Saulo Tuchê 9X

      Apanhando como o Guerra tem apanhado, com a conivência dos apitadores fica meio complicado jogar bola de fato… Ontem eu parei de contar na 3ª entrada por trás que ele levou

    • Gaetano

      Porque o nosso elenco não é qualificado? Os goleiros não o são? Jean e Egidio que foram campeões em seus clubes obtendo premios de melhores laterais em 2015 e 2016, são ruins?. Mina não é qualificado? Edu Dracena, campeão em quase todos os clubes que jogou. Guerra, melhor jogador da Libertadores de 2016, Borja – o rei das Américas, Keno, artilheiro com o modesto Santa Cruz, Veiga o melhor jogador do Coritiba, pretendido por TODOS os nossos rivais. Dudu é mediano? Moisés é medíocre? Eu discordo. O nosso elenco é muito bom. Precisamos de um esquema que coordene todos esses talentos e este é que ainda não existe. O Conrado tem razão quando afirma, com excelente visão, que é preciso uma maneira de neutralizar o futebol feio que se pratica hoje, que valoriza a marcação em relação a criatividade, fazendo com que times criativos sejam neutralizados. E isso é visão e responsabilidade de treinador. Como o Parmerista diz, é preciso que o nosso comandante,que inegavelmente é bom, perceba isso e, humildemente, abra mão da forma de jogar que o consagrou o ano passado, para se adaptar a essa nova realidade.

      • Wilfrido Paredes

        Olha Gaetano, ele até poderia ser qualificadíssimo, desde que nossos atletas não estivessem em final de carreira com decadências técnicas e/ou físicas.

        Se isto não estivesse acontecendo neste ano, realmente ele seria qualificadíssimo…

        • Gaetano

          São pontos de vista, claro. E vejo que sua colocação não deixa de ser inteligente, mas eu não vejo como jogadores com decadências técnicas, mesmo porque não se desaprende a jogar. O que pode ocorrer é o “correr errado”. Vejamos alguns exemplos: O Borja é fazedor de gols e tem explosão muscular. Não se pode pensar em alguém assim buscando jogo ou fazendo recomposição. Borja no tem decadência técnica, mesmo porque é obvio que não é um jogador técnico. Outro exemplo é o posicionamento dos volantes e, nesse caso, devemos dar a mão a palmatória para o Felipe Mello. O futebol de hoje exige mais posicionamento do que marcação homem a homem. Esta última faz com que um treinador inteligente, lance um “boi de piranha” para que o marcador acompanhe e abra espaços para o adversário, faça jogadas já prevendo esse tipo de marcação. Nesse ponto o esquema (sem avaliar a qualidade) do Eduardo Baptista era melhor. Enfim, sem muito aprofundamento, é preciso mudar a forma de jogar e colocar o talento de cada um a prova usando-o de forma correta. No meu ponto de vista, os jogadores que temos são excelentes e estão entre os melhores. Basta faze-los jogar. Cabe aos comandantes fazerem melhor leitura. Valeu Wilfrido. São pontos de vista. O importante para todos nós – e é o nosso diferencial – que somos torcedores do mesmo clube e queremos o melhor para ele, acima de nossas opiniões pessoais.

          • Wilfrido Paredes

            Concordo quanto ao esquema tático do Eduardo Batista ser mais apropriado ao elenco que foi formado. Quanto ao Borja, também concordo com sua opinião.

            Mas em relação aos atletas Jean, Zé Roberto, Michel Bastos, Felipe Melo, estes fisicamente já não conseguem entregar ao Palmeiras o que o time precisa.

            Outros tecnicamente não estão bem esse ano ou nunca estiveram e fazem parte do elenco. Fora os meninos que foram contratados e ainda estão sendo preparados.

            Na minha opinião, jogadores que estão neste contexto de qualificadíssimo são Dudu, Mina, Guerra e Moisés.

            Os demais, são bons jogadores.

            E sem dúvida Gaetano, apesar das divergências, o importante é que sempre queremos o melhor para o Palmeiras…

      • Grão de Pimenta

        acho que pra um elenco ser qualificado vai muito alem do que simplesmente ter bons nomes, vc citou bons jogadores e alguns medalhões tipo Dudu, Moises, Mina, mas pra ser qualificado vai alem disso, é ter padrão de jogo, é ganhar classicos (não ganhos nenhum no BR até agora) e claro ser campeão, perdemos um paulista pra ponte preta de maneira vexatória tomando um sonoro 3×0, fomos eliminados da libertadores pelo fraco barcelona do equador tivemos 90 minutos pra fazer apenas 2 gols e nada, e caímos na copa do brasil pra um cruzeiro que esta longe de ser um primor de time, pra mim elenco qualificado não é apenas bons nomes, é resultado, se não der resultado e perder tudo, na minha opinião não tem nada que qualifica um time desse…

  • Marcos Aurélio Bardini

    ALGUMAS ARMAS PARA FURAR AS “2 LINHAS DE 4” E GANHAR JOGOS:

    1- Laterais que tenham força e velocidade para chegar no fundo e que tenham o mínimo de senso de cruzamento. Com laterais cansados que jogam com sacos de areia nas panturrilhas fica complicado (Jean, Fabiano, Michel Bastos, Zé Roberto);

    2- Drible. É essencial para desestabilizar um sistema defensivo. É importante que sejam dribles curtos, não esticadas de 1 km que são facilmente interceptadas pela cobertura (Roger Guedes);

    3- Bons cobradores de faltas que possam furar o bloqueio numa bola parada, seja mandando direto ou fazendo um cruzamento venenoso (Alguém lembra do último gol de falta que fizemos?);

    4- Projeção dos volantes como elemento de surpresa (Thiago Santos para isso não serve);

    5- Bons chutes de média e longa distância (Quando foi nosso último gol com um belo chute de fora da área?).

    6- Força Aérea pesada para aproveitar a grande quantidade de escanteios que estes jogos proporcionam. Ano passado Mina e Vitor Hugo decidiram diversos jogos a nosso favor (Será que o Dracena vai conseguir fazer um gol antes de se aposentar?).

    BEM… ACHO QUE HÁ MUITO POR SE FAZER.
    VAMOS AO TRABALHO.

    • Wilfrido Paredes

      Eu concordo Marcos, nossos laterais não tem mais vigor físico. Como é que nos queremos furar estas duas linhas sem utilizar o vigor dos laterais ?

      Projeção dos volantes e chutes a média e longa distânciaa, provavelmente apenas Bruno Henrique e Moisés tem estas características.

      Quanto as bolas aéreas, sem Vitor Hugo e Mina fica complicado mesmo utilizar este tipo de arma…

      • 9 – MARQUINHO

        O Jean mesmo chega a dar dó de ver ele fazendo força pra chegar. Se ele sobe e o time leva um contra-ataque, o time adversário finaliza e ele nem aparece na câmera da TV ainda. Lento. Só toque de lado. Qualquer um que vai pra cima dele passa como quer e pra piorar nem pra sair com a linha da zaga pra deixar atacante impedido ele consegue mais.
        É gritante a sua falta de condicionamento físico.

    • Luciano – Apuca

      Muita boa sua análise, mesmo pensamento, só acho que por exemplo num esquema mais defensivo, c/ 4 meias, essa vulnerabilidades vão diminuir, bem como o espaçamento entre as linhas, o que vai diminuir os erros e a necessidade de longos lançamentos ou chutões, e nesse momento em que não dá pra mudar o elenco, tem que se adequar o jeito de jogar c/ o que temos, pra mim tanto o 4-4-2 (c/ TS-BH-Moises-Guerra ou RV ou Hyoran) ou o 3-5-2 (se o Mina tivesse apto) seriam bem melhores e mais seguros pra gente esse ano em que nossos laterais ou apoiam ou marcam, e se tem que fazer as 2 coisas não tem a mínima condição física. Mas o Cuca parece burro empacado, e olha que acho ele um ótimo treinador, mas tb um dos maios teimosos que já vi. Aguardar e torcer..

    • Breno Henrique

      Perfeito!!!

      Roger Guedes serve pra contra ataques apenas.
      Eu acho um absurdo jogar com Thiago Santos em casa, lembro-me bem do ano passado onde jogavamos com Tche Tche e Moises como volantes e isso melhorava muito a saída de bola e velocidade na transição da defesa com o ataque e a bola chegava com mais qualidade na frente. Como o Tche Tche está em péssima fase eu entraria com Bruno Henrique e Moises como volantes e Guerra na frente dos dois.

      Temos o Bruno Henrique que é bom batedor de faltas, tem boa chegada ao ataque(sempre fez isso) e bom arremate de média/longa distância.

      E a força aérea não funciona mais porque os escanteios(absurdamente) não são mais cobrados pra área, sempre escanteios curtos que não dão certo. O ultimo escanteio longo que cobramos saiu gol, foi contra o Sport, gol do Bruno Henrique.

    • Daniel Stellin

      Parabéns cara !!

    • Matheus Alves

      2 – O Keno tem uma habilidade de drible muito boa. Só precisa treinar (e muito) o último passe e a finalização.

      3 – Se não estou enganado, nosso último gol de falta foi do Jean, contra o Santa Cruz no ano passado.

      5 – Foi contra o Bahia, um do Keno e outro do Willian… temos bons chutadores, mas eles raramente chutam…

  • Daniel

    Eu jogaria domingo com o Juninho no lugar do Luan, com o Dracena, Mike e Bastos;

    Bruno Henrique, Tche2 (ou TS), Moisés e Guerra;

    DV e Willian.

    • Luciano – Apuca

      Só mudaria o Luan no lugar do Dracena, na minha opinião o Luan tem alternado muito nos jogos e quando ele joga c/ o Dracena que é extremamente lento, ele acaba muitas vezes preocupado em sair dar cobertura no setor dele, além do que ele joga melhor pela direita, e no fundo é o futuro da nossa zaga ao lado do Juninho, tem tudo pra forma uma boa zaga. Ele tem errado bastante, assim como o Juninho, mas quem está jogando bem de verdade nesse time, acho que a sequência tem que ser c/ os 2 na defesa, ambos tem boa velocidade e força, c/ o Dracena passando experiência tendem a evoluir muito e outra c/ 2 volantes é outra vida pra defesa, mas tb é só um ponto de vista.

      • Chokos

        Dracena deu liga com Antônio Carlos ao lado. O AC sempre no primeiro combate ali..

      • Daniel

        Legal sim…o Luan e o Juninho. Mas o Luan precisa se ligar mais. Talvez o Juninho ajude, mas precisa treinar mais essa zaga e a defesa nas bolas paradas. Um ponto ruim é que o Palmeiras está sem jogadores altos no time…por isso o posicionamento deve ser ainda mais treinado.

    • Chokos

      Bruno Henrique e Jean deu muito certo como volante.. Moisés armando e Rafael Veiga ou Zé como terceiro volante.. No ataque Bigode e Borja.

      • Daniel

        Chokos, eu não abriria mão do Guerra.

        No ataque, poderia ser qualquer desses aí: Wilian e DV; DV e Borja; Willian e Borja.

        Já mudaria a forma de jogar.

        • Chokos

          Pode ser isso também.. O certo que até a torcida está batendo cabeça com escalação do Palmeiras…

  • Rodrigo Porcão

    Qualificadíssimo ? Tiago Santos não acerta um mísero passe , Roger Guedes é burro nível Maikon Leite . Sem jogadores inteligentes e com o mínimo de técnica não se fura retrancas . Qual jogador do Palmeiras hoje pega uma bola na meia lua e bate de forma inapelável no gol ?

  • Marcelo Paiva

    Eu gostaria de ter seu otimismo. Sempre vendo o copo meio cheio. Mas começo a acreditar que o título do ano passado foi um ponto fora da curva em relação ao Cuca.

  • Dalton Trevizan

    Eu insistiria nesse time até o final do ano (com todos em condição, exceção feita ao Mina que só volta ano que vem):

    Prass
    Mayke, Luan, Juninho e Egídio
    Bruno Henrique, Moisés e Guerra
    Dudu, Guedes e Borja

  • Charles

    Futebol hoje em dia muda muito rapidamente, antigamente, todos os times jogavam praticamente da mesma maneira, a partir da década de 70, começaram a surgir novidades táticas, principalmente depois da Holanda de 74. E quando surgia algo novo, a novidade durava por muitos anos e era gradativamente substituída.
    Hoje, com o advento da internet e com jogos ao vivo na televisão de segunda a segunda, as mudanças acontecem numa velocidade espantosa e são disseminadas quase que instantaneamente, como bem descreveu o Conrado no caso do Barcelona / Atlético de Madrid.
    O uso de tecnologia, aprimoramento da parte física e o uso de dados estatísticos tem papel central nessa nova realidade. Os técnicos hoje em dia são são estudiosos e dissecam o time em destaque para encontrar o antídoto ideal para superá-lo.
    Hoje em dia, um esquema vitorioso em uma temporada não é garantia de sucesso na próxima. E acho que é exatamente isso que está acontecendo com o Palmeiras. O Cuca tenta emplacar a forma de jogar do ano passado, mas não consegue, seja porque talvez o elenco não tem os jogadores com o perfil necessário, apesar que boa parte já estava aí, seja porque seu esquema já está manjado e os adversários desenvolveram os “anticorpos” necessários para neutralizá-lo.
    Penso que, em função dos motivos acima, o Cuca precisa repensar o esquema tático do time, propor algo diferente, buscando superar essa nova forma de se jogar sem a bola, principalmente já pensando no ano que vem e ele conta com um trunfo, tempo, já que tem 5 meses para estudar.

  • Douglas

    Opaaa

  • Pizzy #3Days5H3

    Compre o Fifth Harmony e deem views em dowm no YouTube

  • Marcos Aurélio Bardini

    Para pegar as bibas:

    ………………………..PRASS…………………………….
    …………………………………………………………………
    ……………LUAN…………………….JUNINHO…………
    MAYKE…………………………………………….EGÍDIO
    ……………………..BRUNO HENRIQUE……………….
    ………………………………………………………………….

    …………..TCHÊ-TCHÊ…………………..MOISÉS……
    ………………………………………………………………….
    ……………………………GUERRA……………………….
    ………………………………………………………………….
    ……………………………………………….WILLIAN……..
    ……………………….BORJA……………………………….

    • Danilo Peressim Pinto

      Talvez seja tudo culpa desse pessimo momento mas achei esse time acima horroroso, Luan, Egídio, Bruno Henrique, Tchê² e Borja não… E olha que tive boa vontade com Juninho, Prass e Guerra!

      • Marcos Aurélio Bardini

        Minha intenção foi dar uma rejuvenecida no time para melhorar a intensidade e a velocidade ofensiva, visto que tecnicamente está osso achar um time titular (rsrsrs).
        Jean (31) está de arrasto;
        Edu Dracena (36) é muito lento e não ajuda ofensivamente nos escanteios, Luan é destro e vêm quebrando galho na esquerda, enquanto o Juninho (22) é canhoto nato;
        Michel Bastos (34) é tão desanimador de lateral quanto Egídio (30);
        Bruno Henrique seria para melhorar a saída de bola e chutes de média distância;
        Tchê-Tchê eu acho que cresce ao lado do Moisés;
        Borja só vou criticar quando o Cuca der uma sequência digna como titular para o cara recuperar a confiança que tinha no ano passado. Tipo estes 7 jogos que ele deu para o Deyverson sem ser substituído. Enquanto ficar entrando aos 30, aos 46 minutos do 2º tempo só em barca furada quando o time está perdendo prefiro pegar leve.

        • Danilo Peressim Pinto

          Faz sentido sim, como citei acima, estou anestesiado pelo pessimo 2017 apenas … haha, sorte pra nós domingão!

          • Marcos Aurélio Bardini

            Pelo menos pra ver a desgraça dos bambis. hahahaha

    • Wilfrido Paredes

      Acho que essa é a melhor defesa que podemos colocar até o fim do ano, só entraria Jailson depois de recuperado…

      No meio, não consigo ver Bruno Henrique fazer bem o papel de primeiro volante. Ele faz bem como segundo volante.

      Quanto a Guerra e Moisés, sem dúvida, não dá para tirar.

      No ataque, é uma boa alternativa. Cuca precisava dar à Borja a mesma sequência que deu a Dayverson…

      • Marcos Aurélio Bardini

        Jailson se recuperando, tem que voltar a titularidade urgente. Se o homem está no gol o Palmeiras não perde e o Prass, coitado, por mais que não falhe, está numa fase que chama o gol.

    • Fernando Castro

      Essa formação eu acho a mais viável pro Palmeiras atual. Em determinados jogos, trocaria Bruno Henrique por Thiago Santos. Em condições normais, teríamos:
      – Laterais que possam subir sem medo, por ter cobertura enquanto voltam;
      – Zagueiros mais rápidos pra cobrir o lateral que subiu;
      – Tche Tchê e Moisés pra aproximar defesa e ataque, rodando a bola enquanto a linha de frente encontra espaços;
      – Guerra pensando e distribuindo o jogo, do jeito que esperamos dele;
      – Um atacante “flutuante” e outro mais centralizado, que serviria tanto pra puxar a marcação como pra referência e pivô.

      Entretanto, meu gosto pessoal é o 3-5-2. A partir do esquema acima, trocaria o Bruno ou o Tchê pelo Mina (Dracena não encaixa, pra mim), e em determinados jogos entraria o Thiago pra dar uma proteção maior.

  • Gabriel Paes Bernardinelli

    Muito boa análise, o que falta para o Palmeiras e ao Cuca é convicção em um esquema ou modelo de jogo. Vejo o time perdido e sem uma proposta definida, o futebol tem inúmeras formas de se vencer, com a bola, sem a bola, com velocidade, com técnica, com força e até na catimba como vimos na libertadores. Mas o primeiro passo e saber como vamos fazer para ganhar, sinto que falta isso na SEP.

  • Fernando Castro

    Pode ser exagero meu, mas acho que nosso time joga muito pouco pelo chão. Em muitos lances vejo os caras tentando colocar bola alta pra jogadores baixos. Complica, desse jeito! O próprio Barcelona do tiki taka usou disso; não tinham jogadores pra bola aérea e optaram por aperfeiçoar os passes no chão. Por mais que a bola aérea seja uma ótima arma, na falta de jogadores pra torná-la letal precisaremos de outras alternativas.

  • Bruno Silva

    Eu vejo muitas pessoas aqui com opiniões iguais e outras parecidas, só o sr. Aléxi Stival continua insistindo no seu 4-3-3. Está lembrando o Scolari (pela teimosia).

  • Anderson diassis

    O próprio cuca gosta desse estilo de jogo, ano passado o time fazei o gol nos primeiros 15 minutos com um forte pressão, depois se recuava e jogava no contra-ataque.

  • 9 – MARQUINHO

    Pela 1ª vez desde que retornou ao Palmeiras, eu senti firmeza numa entrevista do Cuca.
    Agora acho que vai.

  • Old and Wise

    Agora começou o alarido das torcidas ” organizadas”… mais uma na conta desse presidente fraco e omisso. Plantou ventos…vai colher tempestade. Volta Nobre!!!!!!!