Alecsandro deixa o Palmeiras e libera a camisa 9

AlecsandroO centroavante Alecsandro acertou sua saída do Palmeiras na manhã desta quarta-feira. Depois de 62 jogos disputados desde sua chegada, em junho de 2015, nos quais marcou 14 gols, o atacante ruma para o Coritiba. Foi no Couto Pereira que seu pai, Lela, mais brilhou em sua carreira, sendo um dos destaques do time que conquistou o Brasileirão de 1985.

A passagem de Alecsandro pelo Verdão pode ser considerada positiva. O atacante de 36 anos, vice-artilheiro do time em 2016, sempre foi considerado um atleta para completar o elenco. Ter jogado cerca de 50% dos jogos no período em que foi atleta palmeirense, poucos deles durante os 90 minutos, com uma média de gols de 0,23 por partida, é uma marca expressiva.

Teve uma experiência terrível, ao ser flagrado num exame antidoping com resultado falso positivo, o que lhe rendeu uma suspensão preventiva pesadíssima. A defesa do Palmeiras provou sua inocência e a suspensão absurda foi revogada, mas os 16 jogos em que ficou impedido de jogar foram um prejuízo irrecuperável. Mesmo assim, permaneceu inabalável na disciplina nos treinamentos. Sua postura profissional sempre foi exemplar.

Nossa torcida, no entanto, nem sempre reconheceu essa postura. Sua compleição física peculiar sempre sugere que ele está acima do peso, embora os membros da comissão técnica nunca tenham tido que se preocupar com isso. Alecsandro chegou a postar recentemente nas redes sociais uma foto em que exibe ótima forma e ainda reclama, com certo bom humor, da pegação no pé. Coisas da torcida do Palmeiras.

Instagram Alecsandro
Alecsandro exibe boa forma no Instagram e ironiza críticos (Imagem: Reprodução)

Fica uma lacuna

Eduardo Baptista recorria a Willian e até a Roger Guedes para jogar como centroavante em caso de necessidade; Alecsandro entrou em campo apenas 8 vezes este ano, o que pode ter precipitado sua saída, mesmo com a chegada de Cuca.

A camisa 9 volta a ficar disponível; é bem provável que Borja herde o número, jogando com a 12 apenas na Libertadores. Mas Alecsandro era o único atleta além do colombiano a ter a característica de jogar como NOVE-NOVE. O novo treinador pode não querer abrir mão de um centroavante de ofício na falta de Borja, presença recorrente nas convocações da seleção de seu país. Não será surpresa se Alexandre Mattos aparecer com um substituto nos próximos dias.

Que Alecsandro tenha boa sorte na sequência de sua carreira. Sai do Palmeiras pela porta da frente e de cabeça erguida. Valeu Alecgol!