Com 35 atletas no elenco, Verdão inicia os trabalhos em 2019 com ótimas perspectivas

Treino na Academia de Futebol.
Cesar Greco/Ag Palmeiras

Os jogadores do Palmeiras se reapresentaram ontem à tarde na Academia de Futebol para os primeiros trabalhos de avaliação física. Depois de 30 dias de férias, o elenco campeão brasileiro retornou sem nenhuma perda em relação ao ano passado – embora todos devamos rezar para a permanência de Dudu, ainda incerta.

Vitinho e Pedrão, apesar de terem se reapresentado, estão com negociações avançadas para serem emprestados e não farão a pré-temporada na Academia de Futebol.

O time de 2018 conta com os reforços de cinco jogadores contratados na janela atual, mais o retorno de cinco jogadores que estavam emprestados.

Matheus Fernandes, Zé Rafael, Carlos Eduardo, Felipe Pires e Arthur Cabral são as caras novas, contratados ainda em 2018.  Fabiano, Juninho, Raphael Veiga, Erik e Allione voltam de empréstimo e lutam para permanecer no elenco.

Panorama atual

Goleiros 2019

No gol, nosso trio recebeu a sinalização que um rodízio será implantado em 2019. Fernando Prass, Weverton e Jailson terão a chance, em princípio, de jogar mais de 20 jogos na temporada. Preocupa a ausência do quarto goleiro, que pode ser importante em situações específicas. Vinicius Silvestre, que esteve emprestado para a Ponte Preta, poderia ser uma opção, mas acabou emprestado ao CRB. A expectativa é que Mateus Teixeira ou Gomes sejam incorporados a partir de março, quando voltarem das férias.


Defesa 2019

Na zaga, as duplas de 2018 seguem intactas, embora a parceria entre Antônio Carlos e Edu Dracena tenha dado sinais de inconsistência. Juninho ocupa a vaga de Pedrão, será reavaliado pela comissão técnica e tem chances de ser efetivado, embora tenha demonstrado sérios problemas em lidar com pressão.

Nas laterais, temos duas duplas que poderiam jogar em qualquer clube do Brasil, mas preocupa a falta da terceira opção. Na direita, Fabiano, com todas as suas limitações, parece ser a escolha atual do clube, mas o Inter tem bastante interesse em renovar o empréstimo. Seria uma excelente oportunidade para lançar Matheus Rocha, que foi muito bem no sub-20 e estourou a idade, mas concorre com Jean, que também pode fazer a função.

Na esquerda, a não ser que se recorra a Luan Cândido, que tem apenas 18 anos, a terceira vaga por enquanto é de Juninho, que assim aumenta suas chances de ser reincorporado.


Meio de campo 2019

A chegada de Matheus Fernandes cobre a lacuna que o elenco tinha no ano passado: a de um volante marcador para brigar com Thiago Santos e Felipe Melo. Matheus chega não apenas para ser a terceira opção, mas para lutar por um espaço de destaque no time.

Moisés, diante da fartura nas meias, deve definitivamente ser alocado na função que mais gosta: a de segundo volante, jogando de frente para o jogo, marcando e apoiando. Ele faz companhia a Bruno Henrique e a Jean, deixando o setor bem abastecido.

Como meias centralizados, temos a permanência de Lucas Lima e Guerra, mais a chegada de Raphael Veiga, que brilhou no Athletico em 2018. É mais que suficiente.


Ataque 2019

Como meias de beirada, Gustavo Scarpa e Hyoran ganharam as companhias de Zé Rafael e Allione. Há um excesso, e provavelmente teremos uma liberação entre Allione e Hyoran, dependendo da avaliação de Felipão.

Fartura mesmo temos na posição de atacante de beirada: o craque Dudu ganhou a concorrência de Carlos Eduardo e Felipe Pires, além de Erik e Yan. Os dois últimos podem acabar emprestados, a não ser que se destaquem bastante nos primeiros meses da temporada. Não podemos perder de vista que Willian Bigode tem a volta prevista para julho. E sigamos com as orações para que Dudu permaneça no Verdão.

No comando do ataque, Borja e Deyverson ganham um concorrente que promete dar trabalho: Arthur Cabral tem números muito interessantes pelo Ceará e um estilo que, historicamente, agrada a Felipão.

Perspectivas

Não se sabe exatamente como Felipão vai tratar o campeonato paulista. Em tese, os nove jogos contra as equipes menores podem servir como vestibular para os atletas cuja permanência no restante da temporada é incerta. Os clássicos precisam ser tratados como tal, e também servirão para dar ritmo aos principais jogadores. A Libertadores começa na primeira semana de março.

A manutenção do time principal (já mencionamos as rezas para Dudu não ser vendido?) e da comissão técnica foi o grande reforço nesta virada de temporada. Enquanto nossos principais concorrentes reformulam elenco e trocam de técnico, o Verdão já está algumas casas na frente. Enquanto os outros tentam entrosar suas peças e desenvolvem um sistema de jogo do zero, o Palmeiras faz a manutenção e busca sistemas alternativos ao que já está dando certo.

Dudu
Cesar Greco/Ag Palmeiras

Essa vantagem provavelmente será visível no primeiro semestre: no mata-mata do estadual e nas primeiras rodadas do Brasileiro e da Copa do Brasil. No segundo semestre, depois da parada da Copa América, é bem possível que algum de nossos concorrentes acerte o time e se posicione para brigar conosco pelos principais troféus da temporada.

Sem soberba, apenas constatando: somos o time a ser batido. Ninguém está confortável com essa situação e todos estão se coçando para poder nos tirar do favoritismo. Ao Palmeiras, cabem duas coisas: seguir trabalhando forte para ampliar o domínio estabelecido, e segurar o Dudu.


O Verdazzo é um projeto de independência da mídia tradicional patrocinado pela torcida do Palmeiras.

Conheça mais clicando aqui: https://www.padrim.com.br/verdazzo