Cuca poupará oito titulares em Chapecó e roda o elenco

A escolha de Cuca por um time alternativo para enfrentar a Chapecoense amanhã em Chapecó, divulgada há pouco pela imprensa, repete a metodologia usada em 2016, quando o treinador usou e abusou da qualidade do elenco para administrar a condição física dos jogadores.

O jogo se mostrava propício para esse recurso: é fora de casa, antecede uma partida fundamental da temporada e o adversário já sinalizou que vai recorrer a reservas, já que também terá um jogo decisivo pela Libertadores – a Chape enfrenta o Zulia na terça-feira, em casa, às 19h30 – um dia a menos de descanso que nossos jogadores, portanto. Nossos titulares serão poupados da partida em si e da viagem, sempre desgastante.

As escolhas de Cuca

Cuca comanda treino na chuva na Academia de Futebol
César Greco / Ag.Palmeiras

Jean, Mina, Edu Dracena, Zé Roberto, Felipe Melo, Guerra, Dudu e Borja ficarão na capital paulista, recobrando as forças. Cuca divulgou o time com Fernando Prass; Fabiano, Antônio Carlos, Juninho e Michel Bastos; Thiago Santos e Tchê Tchê; Róger Guedes, Raphael Veiga e Keno; Willian Bigode.

No gol, o treinador manteve Fernando Prass, priorizando o ritmo de jogo, fundamental para a posição. Já a dupla de zaga titular foi toda poupada; Edu Dracena fez 19 dos 25 jogos desta temporada até agora e Mina, embora tenha jogado menos – o colombiano fez um intenso trabalho de fortalecimento no início da temporada – vem numa sequência de nove jogos seguidos. Foi a deixa para recorrer a Antônio Carlos e a Juninho, que fará sua estreia.

Jean também fez 19 jogos, vem de seis partidas seguidas e dá lugar a Fabiano, que correspondeu todas as vezes em que foi solicitado. Já do lado esquerdo, a escalação de Michel Bastos (19 jogos) parece ter muito mais a ver com decisão técnica: Zé Roberto tem razoáveis 17 jogos e Egídio tem 12; nenhum deles vem de uma larga sequência.

No meio campo, a escolha de Thiago Santos provavelmente tem a ver com a suspensão de Felipe Melo na Libertadores – Cuca deve estar pensando em dar ritmo de jogo ao substituto, que entrou em campo em apenas uma das últimas seis partidas. Tchê Tchê vem de nove partidas seguidas mas foi mantido – com apenas 16 jogos em 2017, o insaível tem lenha para queimar ainda.

Na linha de três, a juventude de Roger Guedes o escalou – mesmo com 20 jogos na temporada, segue prestigiado – Erik teria sido a escolha mais coerente. Raphael Veiga ocupa a vaga de Guerra, que vem de oito partidas seguidas, e Keno, que também tem 20 jogos na temporada, fará o lado esquerdo no lugar de Dudu, que tem 22 – o tempo total de Keno em campo é menor, já que tem começado no banco.

Na frente, Willian Bigode fará sua 25ª partida no ano, todas seguidas – ele só ficou de fora da estreia na temporada, justamente contra a Chape, no amistoso em janeiro. Para poupá-lo, o único que poderia jogar seria Borja, que vem de nove jogos seguidos. A situação escancara, mais uma vez, a necessidade de um reforço na posição. Willian, embora tenha um físico apropriado, leve, já tem 30 anos e sua presença pode ser um risco, além de não ser um centroavante nato.

Ranking

Abaixo, a lista completa de jogos disputados pelos atletas do Palmeiras este ano:

Fernando Prass – 24
Willian Bigode – 24
Dudu – 23
Felipe Melo – 21
Roger Guedes – 20
Jean – 19
Edu Dracena – 19
Michel Bastos – 19
Keno – 19
Zé Roberto – 17
Tche Tche – 16
Thiago Santos – 15
Guerra – 15
Borja – 15
Yerry Mina – 14
Vitor Hugo – 14
Fabiano – 12
Egídio – 12
Raphael Veiga – 10
Alecsandro – 8
Erik – 7
Antonio Carlos – 4
Vitinho – 4
Jailson – 3
Thiago Martins – 2
Moisés – 2
Hyoran – 2
Rafael Marques – 2
Barrios – 2
Mailton – 1
Arouca – 1
Juninho – 0
Mayke – 0
Vinicius Silvestre – 0
Daniel Fuzato – 0
Luan – 0