Eduardo Baptista está fora; Cuca é o único alvo possível

Eduardo Baptista
Cesar Greco / Ag. Palmeiras

O Palmeiras anunciou no final da noite de ontem a queda de Eduardo Baptista do comando do time. Desde o meio de dezembro à frente do time, o treinador acumulou 23 jogos e teve um desempenho, ao menos nos números, muito bom: foram 14 vitórias, 4 empates e 5 derrotas, com 66,7% de aproveitamento.

Em campo, no entanto, a demora em dar padrão ao time fez com que a pressão por sua demissão vencesse. O clube, desta forma, descarta estes quatro meses de trabalho e parte do zero em busca dos títulos que ainda temos pela frente em 2017. Ou nem tanto do zero assim.

O mais cotado para substituir Eduardo é Cuca, o comandante que nos conduziu ao eneacampenato. É pouco provável que nossa diretoria tenha decidido pela troca da comissão técnica sem ter uma carta na manga. Serão nove dias de hoje até a estreia no Brasileirão, e cada hora de trabalho sem um treinador é uma hora desperdiçada. Se a decisão foi pela falta de padrão, temos que correr atrás disso imediatamente.

Por que “deu errado”?

Seguindo a filosofia que será eternamente defendida no Verdazzo, seria precipitado dizer que o trabalho de Eduardo deu errado. Todo treinador precisa de tempo para implementar seus métodos e sistemas de jogo. Alguns conseguem ter a sorte de contar com um elenco cujas características encaixam bem com seu sistema – este não parece ter sido o caso de Eduardo. Seu erro, neste caso, foi demorar para adaptar seu sistema às peças.

Nossa defesa, tão forte em 2016, desmoronou sob seu comando. A proteção à zaga não funcionou como necessário; a distância entre as duas linhas nunca foi a ideal e o time perdeu a compactação. Como resultado, sofremos muitos cruzamentos em nossa área e nem nossa fortíssima dupla deu conta. Sofremos um número alarmante de gols em bolas aéreas.

No ataque, Borja parece ser a maior causa do desgaste do treinador: um atleta sabidamente extra-classe, mas que não conseguia exibir seu potencial por estar nitidamente isolado. A dinâmica de saída do meio-campo para o ataque poucas vezes mostrou a necessária aproximação entre as peças. Uma das saídas que se mostraram viáveis foi a escalação de Willian e Borja juntos – algo que curiosamente o técnico relutou a colocar em prática.

Não vimos jogadas ensaiadas, tão importantes no futebol contemporâneo. Não vimos vibração em campo de forma constante – nosso time mostrou momentos de apatia inaceitáveis em momentos cruciais, e numa declaração infeliz, Eduardo transpareceu um certo desprezo pelo componente anímico dos atletas.

Tivemos momentos de brilho que sustentavam que poderia haver alguma saída. Mas a oscilação intensa do time quebrou a confiança da maior parte da torcida e da diretoria. No longo prazo, caso os jogadores se mantivessem fechados com o trabalho do treinador, o time tendia a engrenar. Mas a paciência e a ansiedade, no futebol, falam mais alto na maioria das vezes.

A pergunta que ainda paira no ar é: os jogadores ainda bancavam Eduardo, ou conversas reservadas no Centro de Excelência foram determinantes para a saída do treinador? Jamais saberemos a resposta.

E agora?

A perda da confiança por parte dos jogadores é o único fator que justificaria a demissão sem que Cuca, e somente Cuca, já esteja contratado. O comandante do ênea é o único que reassumiria o controle do grupo já com uma parte do caminho percorrida – ele teria apenas que readaptar alguns conceitos aos novos contratados.

Se Cuca decidir por se manter em seu retiro, o Palmeiras terá que recorrer a profissionais que neste momento não parecem estar mais qualificados que Eduardo Baptista – os nomes disponíveis no mercado mais conhecidos são Luxemburgo, Levir Culpi, Ricardo Gomes, Cristóvão Borges e Marcelo Oliveira.

Reinaldo Rueda, sonho fancy de parte de nossa torcida, seria um tiro no escuro – a experiência com Gareca e com vários técnicos estrangeiros que passaram recentemente por outros times brasileiros indica uma tendência de rejeição por parte dos nossos boleiros a quem não entende exatamente a cultura do futebol por aqui. Seria um risco enorme.

Por que tudo isto aconteceu?

Quando Marcelo Oliveira foi demitido, Cuca foi contactado e recusou a proposta do Palmeiras, alegando ter um compromisso familiar de passar um tempo fora do mercado. Mattos insistiu e convenceu o treinador a aproveitar a chance de treinar um elenco forte como o nosso. A oportunidade era rara e Cuca aceitou, com uma condição: sairia ao final do ano. Mattos obviamente não concordava com essa condição, mas apostou na certeza da conquistas: Cuca não largaria o osso numa maré de vitórias como a que se desenhava. Perdeu a aposta.

Esse passo se mostrou uma faca de dois gumes: ao mesmo tempo que nos rendeu um Brasileirão, jogou por terra o planejamento de 2017. Se o plano de Mattos tivesse dado certo e Cuca jamais tivesse saído do Palmeiras, este time atual, reforçado em relação ao do ano passado, estaria voando, demolindo adversários.

Sua volta diminuiria o efeito da interrupção brusca de trabalho e exigiria apenas alguma adaptação – se começar hoje, em nove dias já poderemos ver alguma coisa diante do Vasco.

Boa sorte, Eduardo

A Eduardo, que sai do clube pela porta da frente, só podemos desejar boa sorte. Apesar do trabalho inconsistente, diante de sua seriedade e profissionalismo, daria certo mais cedo ou mais tarde – provavelmente mais tarde. O Palmeiras não consegue esperar.

Seu momento de maior brilho certamente foi a coletiva em Montevideo. Que ele tire de sua curta, mas intensa passagem pelo Palmeiras, lições valiosas para seu desenvolvimento em todos os aspectos para que um dia tenha condições de, quem sabe, terminar o trabalho começado.

  • Boa sorte, EB! Você é um cara do bem e espero que essa passagem pelo maior do Brasil venha lhe trazer boas experiências. Seu grande erro foi não ter tido o timing do projeto.
    Na maioria das vezes os técnicos são contratados para resolver problemas. Substituem técnicos que não estão dando resultado. Nestes casos, precisam encontrar novas alternativas de mudança.
    No caso do EB, sua contratação foi para assumir um time que estava encaixado e havia sido campeão brasileiro. Acredito que tenha faltado um pouco de humildade para ele manter o que estava dando certo e ir “pincelando” aos poucos suas filosofias. O EB quis implementar os seus conceitos de forma muito radical. Quis praticamente começar algo da estaca zero. No entanto, a reestruturação no Palmeiras começou em 2015, foi lapidada em 2016 e neste ano o objetivo seriam ajustes finos para colher resultados. O EB partiu para algo que o Oswaldo Oliveira fez lá em 2015. Este timing acabou o derrubando.
    Foi demais ver um time sólido como o Palmeiras que não tomava nunca mais do que 1 gol em todo o 2º turno do Campeonato Brasileiro, tomar 3 gols da Ponte Preta em 27 minutos, tomar 2 gols do Penãrol (2x), tomar 3 gols do Jorge Wilstermann… Ele desarrumou aquilo que estava arrumado.
    Boa Sorte EB e muito obrigado por aquela entrevista épica!

  • O EB demostrou que não daria certo quando foi eliminado pela Ponte, pois era um clube que ele conhecia, sabia todos os pontos fortes, imagina quando chegasse os jogos decisivos da libertadores, se já não ganhou de um clube que conhecia, como ganharia de um desconhecido.

  • Ele voltou! E como é bom poder tê-lo de volta! Nada contra Eduardo Baptista, pelo contrário, desejo a ele toda a felicidade possível em futuros trabalhos, mas todos nós, nos momentos de oscilações deste time (e foram muitos), pensamos: “e se o Cuca não tivesse nos deixado, como estaríamos agora?”. Com certeza, grande parte da nossa torcida pensava no Cuca e vinha a mente aquele time que nos deu tanta alegria no ano anterior. E detalhe: o elenco não só foi mantido, como foi aperfeiçoado!
    Enfim, ele voltou! Cabe ao novo velho professor simplesmente manter aquilo que começou em 2016 que títulos virão.
    Será que Cuca dará conta do recado? Bom, a julgar pelos resultados do passado ultra-recente, sim! Que ele não frustre milhões!

  • O Eduardo Baptista teria dado certo no Palmeiras, se tivéssemos um time titular pré-definido e poucas opções no banco.
    O Palmeiras foi, de longe, o mais rico e variado plantel que o Eduardo treinou. Ele deve ter ficado deslumbrado e, ao mesmo tempo, temeroso em perder a mão do time. Para manter o controle sobre tantos medalhões e, movido pela sua insegurança de treinador jovem, quis conquistar todo o time dando oportunidades iguais ao maior número possível de atletas. A princípio, o rotacionamento frequente do elenco funcionou no paulista, pela qualidade dos muitos jogadores. Porém, isso veio a um custo de uma equipe sem padrão de jogo e equilíbrio tático.
    O outro motivo foi que o deslumbre do Eduardo com o elenco, o fez não temer mudanças bruscas no estilo de jogo da equipe em jogos decisivos. Daí o fato dele querer inventar justamente onde não deveria: na semi-final do paulista e no jogo fora de casa contra o Peñarol.

  • acredito que um milhão de reais e o maior salario de técnico do pais , tenho duvidas se o salario do tite supera

  • Agora o Palmeiras é o time brasileiro com maior número de gols marcados na Libertadores, com 283 gols em 17 participações.
    Time que não se cansa de bater recordes

  • CUCA !!!!!!!
    Pelo que me disseram Cuca enfiou a faca, para ele e os que vêm junto.
    Crefisa banca a diferença.
    Aliás dizem que um dos que mais pediu a saída do E.B. foi o Lamachia. Tava vendo a grana e o nome dele irem pro brejo com o aprendiz e ele tem canal direto com o Mattos pelo celular e se falou Mattos cumpre na hora e já que pediu Cuca, que banque a diferença.Nada mais justo.

  • bom,agora é oficial esta em tdos os programas e sites o Cuca é o novo treinador da SEP, ele vai ser apresentado na segunda feira quando o elenco voltar as atividades ou ja no sabado pela parte da manha ?

  • Tem q ter uma paciência de Jó nesse mundo futebolístico! Foi só a saída do EB ser anunciada para um monte de gente (jornalistas, técnicos etc.) vir à público demonstrar sua “indignação”. Essas mesmas pessoas q nas vitórias na Liberta ou nas derrotas pra Ponte e JW corriam pra frente do primeiro microfone pra dizer q o “milionário” Palmeiras não estava entregando o q prometia! Na boa, quero q todos esses sabichões VTNC!

    • Imprensa nacional é isso, cara. Também acho que não é o ideal demitir com 4 meses de trabalho, mas ninguém lembra que o Eduardo Baptista deixou o sport na mão no meio de um campeonato e foi para o fluminense né?

      É o mercado do futebol.

      E a imprensinha sempre vai arranjar uma desculpa pra criticar o Palmeiras. Sempre.

    • Verdade, estavam cacetando o Eduardo desde a derrota por 3×0 contra a Ponte Preta. E pegaram ainda mais no pé dele depois do surto na coletiva em Montevidéu.

  • PROVAVELMENTE sua reestreia deve ser já contra o Vasco.. agora e aguardar e ter paciência para o time engrenar ..

  • CUCA É O NOVO TECNICO DO VERDAO..Salários giram em torno de 1 milhao de reais com apoio da Crefisa . foi anunciado agora pela ESPN

  • Espero mesmo que a diretoria tenha engatilhado um acordo com o Cuca. É a única opção do mercado.

    Fiquei triste com a demissão do Eduardo Baptista pelo caráter dele, e a forma como sempre se posicionou, mesmo diante de tantas críticas. Mas realmente estava insustentável. Só o Cuca devolve a paz ao Palmeiras.

    Torcer para que acerte logo. Vamos, Palmeiras!

  • Uma coisa que ficou marcada para mim, e que ratifica o trabalho do Cuca, para não entrar nos méritos da competência (ou falta dela) do EB: no ultimo jogo do Brasileirão 2016, o Palmeiras fez pelo menos 3 jogadas ensaiadas com um time reserva (alguns eram terceira opção), onde uma delas resultou em gol mal anulado e outras duas em grande perigo.
    Aquilo era a consagração de um trabalho bem feito, com muito padrão e obediência tática. Consistência que não víamos há anos, no verdão.

  • Só lembrando, que o Cuca foi o último técnico brasileiro campeão da libertadores, e o Eduardo Batista nunca disputou uma.

    Como disseram, o erro não foi mandar o Eduardo embora, e sim contrata-lo. Foi uma aposta totalmente irresponsável, considerando todo o investimento e ambições do clube para 2017. Por melhor que nossas diretorias sejam no aspecto financeiro, ainda cometem erros infantis em relação ao futebol.

  • Não acho que o EB tenha feito um bom trabalho. Foi médio. E precisava ser bom.
    Seu texto Conrado destaca bem, aspectos que não seriam, a meu ver corrigidos com o tempo. O principal : linhas distantes, resultado de um padrão tático frágil e as vezes, inexistente. Quatro meses deveria ser tempo suficiente para enxergarmos um padrão de jogo. O Carile teve o mesmo tempo nos gambás e montou um time. Não existe time competitivo hj que não tenha, pelo menos 2 linhas compactas na defesa. Olhem o jogo do Real, recheado de estrelas, e veremos claramente as 2 linhas. No Palmeiras tinhamos apenas um linha de 4 , exposta por um meio campo bagunçado, batendo cabeças e sem funções claras. Todos sofreram. O Futebol do tche tche caiu, obrigado a cobrir a lateral, o meio e apoiar o ataque. Dudu, Vitor Hugo, Jean, Zé Roberto foram outros que caíram muito de rendimento. Contra a Ponte, in loco no Allianz, vi um time espalhado no campo, sem fazer superioridade numérica tão necessária para furar defesas. Aliás, furar retranca é uma incapacidade desse esquema que temos hj. Jogadores isolados, por vezes com marcação dupla, tendo que “criar” algo pra resolver a partida. Tempo EB teve, o que não teve foi competência em lidar com a demanda do atual campeão brasileiro. Mas que fique claro que trata-se de um cara que deve ser respeitado. Que sempre vibrou muito na beira dos gramados. Não cabe aqui menospreza-lo. Mas ele não se achou. A troca era necessária.

      • Agora, ou na época que o EB entrou? Eu janeiro, teria ido de Rueda, com a pré temporada, ele teria tempo de ajustar o time. Se ele recusasse, teria ido de Abel Braga. Hoje, se o Cuca não viesse, íria de novo, investir no Rueda, em caso de recusa, Edgar Bauza ou Levir Culpi.

        • Luis, eu também não teria contratado o Eduardo Baptista, mas Rueda? Bauza? Treinador gringo não dá certo aqui no Brasil, seria furada.

          O Abel tava acertado com o fluminense e o Mano dizia que não sairia do cruzeiro.

          Naquela época eu pensei no Roger, mas poderia virar o mesmo que o Eduardo Baptista virou.

          A verdade é que faltam opções. E faltavam naquela época também.

          Se o Cuca não vier, não vejo nenhuma outra opção plausível.

          • Técnico de fora é complicado, mas não esqueça que o Bauza levou o São Paulo SEM as contratações desse ano, até a semi final da libertadores. E perdeu a semi exatamente para o Rueda. Sendo que ambos já ganharam a libertadores.

            O EB, nunca disputou uma liberta sequer. Portanto, ambos técnicos estrangeiros eram duas substituições totalmente validas caso o Cuca não tivesse voltado. Sem essa d que “EB só deveria sair se fosse pra trazer o Cuca”. EB não tem gabarito, currículo nenhum para ser primeira opção frente a Rueda e Bauza.

          • Respeito sua opinião, mas discordo.

            Eu não contrataria nenhum dos dois nesse momento. Com a turbulência que estamos vivendo hoje, trazer dois técnicos que desconhecem totalmente do que é o Palmeiras, seria um tiro no pé.

            Bauza foi bem no Bambi, mas era muito criticado por ser retranqueiro. Rueda começou mal demais a Libertadores, imagina se é no Palmeiras…

            Enfim, pra nossa sorte o Cuca voltou. Bola pra frente!

  • Continuamos “nas bocas” desde ontem à noite. Querendo ou não só falam do Palmeiras.
    Devem estar raivosos com isso!

  • Fico aqui pensando se preferiram o EB ao Abel Braga ou Mano por causa da Multa Rescisória! Luxemburgo sempre fez contratos de 2 anos e uma multa absurda tbm! EB acredito que não, se precisasse demitir, seria mais fácil, foi só perder o Paulista e esperar a primeira derrota na Libertadores e RUA!

    • A demissão não foi por resultados (queda no paulista e primeira derrota libertadores) fosse por isso tava no cargo ainda, foi por péssimo desempenho dentro de campo…

      • Exatamente. Podia-se pensar pelo pouco tempo do EB no cargo e pela derrota na Bolívia que a demissão foi por resultado, como o próprio EB quer defender, quando diz que “pagou o pato”. Mas todos estavam vendo o catadão batendo cabeça faz tempo já. Aliás, nunca vi ele assumir os erros cometidos.

        • Eu só tive paciência de assistir a uma entrevista dele, e foi justamente a que ele deu piti, mas foi graças a virada e a briga que fiquei assistindo até mais tarde, e por sinal, um dos únicos técnicos que não me chamavam a atenção pra ouvir o que ele tinha pra dizer…

    • Não procede isso que você disse. EB sempre foi a quarta opção da diretoria, as 3 primeiras opções eram: 1- Renovar com o Cuca (recusou), 2- Roger ( fechou com o Atl. MG enquanto Cuca ainda era nosso técnico), 3- Mano (não sei se foi procurado), e 4- EB, que aceitou a proposta.

      E a demissão não foi pq perdeu na Bolívia, foi porque em 5 meses, o time não jogou nada., não tem padrão de jogo: você não consegue dizer se o Palmeiras é um time ofensivo, retranqueiro, de contra ataque, de tiki taka, não tem característica nenhuma, e ainda por cima, você também não consegue dizer a escalação titular da equipe.

  • Cara, tomara que feche ainda hoje com o Cuca, pois o F5 do teclado tá gastando já de tanto buscar notícias sobre isso! kkkk
    Pra mim ontem o sentimento foi de alívio e agora de angústia pelo anúncio do novo técnico, mas acima de tudo acredito que se fosse pra trocar tinha que ser agora mesmo, perder mais esses 10 dias antes do brasileiro e perder p/ o vasco em casa(hipótese) aí demitir o EB seria muito pior…Assim sendo o técnico que chegar agora tem uma mini preparação p/ iniciar os trabalhos, se for o Cuca, retomar os trabalhos 🙂

  • Se eu fosse o Mattos eu iria atrás do Abel Braga, claro que eu prefiro o Cuca como tdo mundo, mas caso o Cuca não viesse mesmo, tentaria o Abel

    • Abel acho que não sai do Flu. Tá em inicio de trabalho e tem identificação lá. Parece que o Cuca tá bem encaminhado. A Crefisa topou dividir os vencimentos e a negociação tá evoluindo. Isso saiu agora pouco no Lance. Vai ser o Cuca mesmo… e acho que até já estava costurada essa volta. Tão fazendo essa novelinha pra não dar na cara.

      • então ele vai ter mais ou menos uma semana pra arrumar o time pra estreia no brasileirão e ainda tem mais uns dias ajeitar o time pra estreia na copa do brasil, a libertadores é so dia 25 e podemos empatar pra passar pras oitavas , até la ja creio eu que o time ja vai ta com uma cara, afinal é o cuca e não um estagiário

        • até se perder por apenas um gol passamos na Libertadores, mas vamos ganhar e bem, e os resultados dos outros grupos vão nos ajudar a manter uma boa posição no Geral pois SE DEUS QUISER (e ele há de QUERER) estaremos na final da Liberta, e a mesma será no ALLIANZ!! Amém

  • Lembro que logo nos primeiros dias que o Eduardo havia sido escolhido, o mesmo disse que havia assistido e estudado a todos os jogos do Palmeiras campeão brasileiro. Um time extremamente consistente e entrosado e que manteve praticamente todas as suas peças para o promissor ano de 2017. Então sempre me perguntava: porque esse técnico não tem a humildade e/ou a inteligência de manter esse esquema vencedor e apenas fazer poucos ajustes segundo suas convicções mas de forma lenta e gradativa. Mas não, resolveu mexer drasticamente naquilo que já estava ótimo deixando os jogadores e torcida em parafuso. Jogadores estes que me pareciam determinados a ganhar tudo em 2017 e enriquecerem seus currículos para ou marcar mais suas histórias no clube ou para conseguirem grandes transferências para o futebol europeu/asiático. Eu tinha a convicção que esse trabalho não daria certo desde o início.
    Eduardo Batista teve a grande oportunidade de sua carreira jogada no ralo por pura teimosia e vaidade.

  • Analisando friamente não culpo nenhuma das partes pelas atitudes, acho até normal, vamos lá.

    O cenário:

    O Palmeiras sempre quis que o Cuca ficasse, no entanto, o mesmo havia dito em entrevista que ficaria pelo menos 6 meses fora do mercado por motivos familiares e de saúde.

    Olhando o mercado não havia opções seguras, Cuca é muito melhor que os demais, empregados em algum clube ou não. Logo, apostaram no EB que tinha (e tem) muito potencial, mas não se sabia se já estaria a altura da tarefa, mas todos sabiam, inclusive o Eduardo e o Cuca, que o trabalho do Eduardo já começava no negativo e deveria provar com resultados e bom futebol que merecia o cargo em detrimento do técnico campeão brasileiro.

    Como se viu, o EB não está pronto e fracassou, o backup do Palmeiras o Sr.Cuca volta e vida que segue.

    Todos apostaram, Palmeiras, Cuca e Eduardo Batista.

    Quem ganhou foi Cuca, claramente, o Palmeiras ficou prejudicado com a eliminação do Paulistão, agora o EB foi o grande perdedor, vai demorar muito tempo e se provar bastante para voltar a treinar um time grande.

  • Eu acho que terei dificuldade em me fazer entender por escrever pior do que penso. Eu nao acho que deviamos contratar o Cuca! Quase posso ouvir neguinho falando: ” Como nao? Vai por quem, então?”. É que tenho dificuldade em admitir que o Palmeiras dependa de alguem. Muito mais de alguém que nos demitiu ! Ja sei…acham que é orgulho…e não é nao! É mais uma coisa daquelas que o Paulo Nobre fez com aquele lateral direito – Luis Felipe ou algo assim. É mais aquilo que o Paulo Nobre fez com o Wesley, não deixando que ele fosse maior que um volante preguicoso. Algo como foi feito com o Henrique zagueiro que ia por o Palmeiras no prego. Sei que é dificil,,,mas é que o Palmeiras é gigante e o Cuca é apenas um treinador. O Eduardo Batista foi demitido porque nao apresentou resultado e fizeram bem em demiti-lo. O Cuca largaria na frente de qualquer outro…sei disso também…mas isso me incomoda demais e fico suado em pensar se o Cuca vier e nao funcionar. O Galliote não é o Nobre…sei la..viu!

    • Não tem quem possa assumir esse time além do Cuca. Nomes como Abel ou Mano que fazem bom trabalho esse ano estão empregados e não deixarão seus times na mão. Cuca é o único incontestável disponível. E pelo nível de investimento e aspirações, precisamos de alguém incontestável. Não dá pra comparar os casos do Luis Felipe, Wesley ou Henrique… que foram verdadeiros FDPs. O Cuca já tinha cantado a bola antes de assumir o Palmeiras sobre os problemas familiares. A desavença com Paulo Nobre, em relação ao gramado, me desculpe, mas fico do lado do Cuca, do lado do desempenho dentro de campo. São casos totalmente diferentes. Se vai dar certo ou errado, não temos como prever, mas ao meu ver, é a decisão mais acertada e pragmática.

    • Cara, desculpa mas que comparação esdrúxula entre 2 vermes e 1 mercenário que nunca deram valor ao Palmeiras e sairam daqui pelas portas do fundo, que tentaram se aproveitar de momentos de fragilidade pra colocar time contra as cordas;…

      …com um cara que SEMPRE tratou o PALMEIRAS com respeito e estima. SEMPRE lutou pra HONRAR e Conquistar (E conseguiu) e saiu pela porta da frente carregado nos ombros da galera.

      Não cabe nem no mesmo texto esses 4 nomes…

      • Amigo…avisei antes que teriam dificuldade em me entender. JAMAIS compararia Cuca com esses tres morféticos. Era apenas uma ilustração. Admiro o Cuca. Se comparei algo foi o Nobre com o Galliotte. Deixa quieto!

        • Calma companheiro, eu até entendi, mas são situações beeemmm diferentes, é tipo: o Nobre com limões fez limonada e o Galliote com azeitonas não tá conseguindo fazer azeite kkk

          Mas aí é que está, não é que o Palmeiras ‘dependa’ do Cuca.

          É que ele é disparado o melhor nome!!!
          …e não há nada que o desabone pra vir. Ele não ‘nos demitiu’, ele apenas cumpriu o combinado, e como minha Nonna sempre me ensinou, o combinado NUNCA sai caro!!
          “Ah, mas ele poderia ter mudado de ideia com o Título…”
          Poderia SIM, mas não dá pra crucificá-lo por isso, ainda mais que ele foi cuidar da Família, pow Família é FAMÍLIA!!!

    • Mano, que surreal sua comparação. Cuca desde inicio disse que sairia do Palmeiras e fez por uma causa para lá de nobre, que foi cuidar de sua família. Isso em minha opinião só adiciona pontos, o cara é homem de abandonar um projeto que tinha tudo para dar certo.

  • Escutei um monte de coisas, de vários “expert”, e o que me pareceu mais coerente foi do Milton Neves?!
    EB não foi mal demitido, ele foi mal contratado… ainda é verde pro cargo, faltou bagagem. Tendo a concordar com o cara… e agora? Cuca?? Se não vier, luxisburguer? Tomara que não estraguem um ano altamente promissor…

    • Odeio o Milton Leite, mas nisso ele foi perfeito! EB era o cara errado na hora errada. A torcida acredita muito cegamente na diretoria, mesma diretoria que trouxe uma baciada de técnico tranqueira. As pessoas tem a mania de ler sites falando bem do técnico, e vem o trabalho ruim dele, e em vez de perceberem que a publicação falou groselha, ficam achando que o cara tá mal por mil motivos. Gareca, Kleina, Dorival, Marcelo Oliveira, Oswaldo Oliveira, Eduardo Batista, foram todas escolhas erradas e o pífio trabalho deles não foi porque não teve tempo, porque não se adaptaram, etc, e sim porque são fracos ou medianos mesmo, como ficou claro em suas carreiras pós (e na maioria dos casos pré) Palmeiras.

  • Aos que citam o exemplo do sir Alex Ferguson no Manchester United (27 anos no comando), leiam um pouco a mais sobre a história dele. Quando ele chegou no M.U. tinha sido campeão Escocês 4 vezes (um Campeonato Uruguaio da vida) por 2 times medíocres, além de 4 vezes campeão da copa da escócia, já tinha 12 anos de experiência e quando chegou, teve seu trabalho bancado pelo presidente durante 2 anos. Se o seu E.B. tivesse um currículo como esse, acho que o presidente deveria ter bancado, mas ele só tem 3 anos de experiência, nenhum título decente, fazendo m em cima de m, não tem como manter. O que o Palmeirense tem q botar na cabeça é que treinado aqui só funciona com RENOME. Desde 1996 só ganhamos títulos com treinadores EXPERIENTES, que já tinha história e títulos, foram eles, Felipão, Luxemburgo, Marcelo Oliveira e Cuca, todos eles com no mínimo um brasileiro ou uma libertadores no currículo. Colocar qualquer um que não tenha isso, não vale nem a pena perder tempo!!!!

    • Concordo, um tecnico não vai ficar bom só porque vc deu tempo a ele. Ele primeiro tem que demonstrar potencial e esse potencial tem de aparecer. A comparação Ferguson/Eduardo Batista é risível. Só uma correção, o Luxa não tinha Brasileiro ou Liberta quando veio, mas tinha tido uma campanha surpreendente com o Bragantino, se não me engano foi Campeão Paulista, e o Felipão tinha uma Copa do Brasil com o Criciuma (não sei se ele já tinha títulos maiores no Grémio, acho que uma liberta né? )

  • Já estou até vendo…. “Moisés cobra lateral, Mina desvia e Zé faz de joanete!!!!! Gol do título da liberta!!!!

  • Minha opinião, de forma resumida e direta:

    Palmeiras assinou com o EB tendo uma meta a cumprir: Ser Campeão Paulista, caso fracassasse, sairia do comando do Palmeiras.
    Acho que isso já estava certo desde a assinatura do contrato – daí o motivo da multa ser baixa e apenas 1 ano de contrato.

    Mas porque não demitiu logo após sair perder para a ponte?

    Porque cumpriu tabela contra o J.Wilstermann – durante esse período, a direção já estava negociando com o Cuca e provavelmente ele já sabia disso.

  • Esta noite eu tive um sonho. No sonho, eu via um homem de parcos cabelos encaracolados agachado à beira de um gramado. Este homem usava calças vinho e segurava um terço. Havia um jogo de futebol entre um time de verde e outro de branco. Houve uma cobrança de lateral no jogo para o time de verde. Um homem com o nome Moisés em sua camisa verde joga na área, Mina divide no alto com Carvajal mas consegue desviar de cabeça. A bola cai nos pés de Borja que faz o drible em Sergio Ramos e fuzila, para bela defesa de Navas, que espalma para a esquerda da área. No rebote, Marcelo afasta parcialmente, mas Tchê Tchê recupera e cruza para Fabiano, de cabeça, fazer o gol do título do Palmeiras em Dubai!

  • Alívio foi o que senti, mesmo sabendo dos números e dos riscos que corremos ao demitir um técnico neste momento.

  • Somente para criar polêmica volume mencionar algo em que não acredito, pois acho mera coincidência : só foi darem a mídia para o Mustafa A Coisa começou a desandar. O que mais me preocupa é o bastidor do PALMEIRAS.

  • Esse mesmo blog já tinha dado uma ideia interessante. Deixar o Cuquinha treinando esse time, esperar o tempo que o Cuca precisava pro tratamento da esposa, e ai ele voltaria…. Pena que aparentemente os presidentes do Palmeiras não leram esse post. Agora irão pagar uma multa boa pro EB, além dos salários já pagos (leia-se jogar dinheiro no lixo). Mas tudo bem, antes tarde do que nunca, errar faz parte.

    • Ou o Valentim, o problema é que a imprensa marrom fala que ele fez desafetos lá dentro (leia-se sócios e conselheiros) e uma forma de voltar por cima e ganhar mais moral ainda, seria assim, por isso não deixaram o Cuquinha e nem o Valentim (que o Cuca mesmo falou q seria um bom substituto). Mas para não queimar o filme, o Cuca falou q precisava do “ano sabático”, que pode ser verdade ou não.

  • O Palmeiras precisa de tecnico gabaritado para a libertadores e quais sao as opicoes? Abel Braga seria ja que tem experiencia e ainda esta rendendo. Celso Roth parece ultra passado. MO acabou a gasolina. Cristovao Borges e outra promessa igual ao EB. Algum tecnico extrangeiro mas e um grande risco e por primeiro Cuca cairia como uma luva mas falta o ”sim dele” vamos aguardar.

    • Celso Roth é um dos piores técnicos do mundo. Típico “eu ganhei, nós empatamos, eles perderam.”
      Já passou esporro em jogador em mais de uma coletiva. Todo time dele começa bem e desanda no meio do campeonato, é péssimo gestor de grupo.

  • “O Palmeiras não consegue esperar.” -> frase cirúrgica, perfeita. E é isso. Nada contra o Eduardo Bastista, mas deu. Boa sorte pra ele, q do meu lado já estou comprando uma calça vinho.

  • Outra coisa: vocês tão loucos se acham que o cuca vai vir… De onde tiraram isso? Não há nada que faça ele vir, nem o enea mudou a cabeça dele… Vai vir algum outro aí, mais um tiro no pé… Parabéns, Gru, seu ridículo! Volta Paulo Nobre!

      • Me prova isso. Duvido! Isso é alucinação de quem pedia a cabeça do Eduardo! Ele bão vai voltar, não se iludam. Quero só ver a pressão que o próximo técnico vai ter (seja lá quem for, pq o cuca não vai ser). Vocês reclamaram tanto do Eduardo, quero ver o que vão falar do próximo….. E quero ver mais: quanto tempo aguenta tb essa torcida mimizenta

    • Sem querer ofender, mas você está mal informado. Cuca já saiu do Palmeiras em dezembro dizendo que precisava de 6 meses pra cuidar da familia. Estamos em Maio já… E esse cuidar da familia, não era pra ir pra Disney, mas pq a mulher dele e o irmão estavam seriamente doentes (dizem que no caso sa mulher, era cancer).

    • KKKKKKKKKKKkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKkkkkkkkk…

      • De boa bróder, mas você afirmou com tanta veemência que não teve como não cair na gargalhada, relaxe, que agora vamos comemorar muito ainda esse ano!!

    • Kkkkkk, bom amigo, espero que você aprenda com essa: previsão e bastidores de futebol NÃO são o seu forte.

      Mas sem ressentimento, só quero o bem do Palmeiras, e você vai comemorar tanto quanto eu os títulos que virão com o Cuca!

  • Palmeiras da mt tiro no próprio pé, impressionante… Nenhum técnico vai querer vir treinar o time dps dessa… Pra que? Ser mandado embora dps de 23 jogos e nenhuma – repito: NENHUMA – derrota na arena. Até da ponte ganhamos lá…. A nossa torcida é um pé no saco mimizenta demais…. Triste fim de um promissor 2017

    • Você acha que a diretoria limou o EB só por causa do mimimi da torcida? Menos, né? Seguramente analisaram o desempenho do time e acharam por bem iniciar outro trabalho. E ninguém me convence que o Cuca já estava dando sinais de que queria voltar. Aí é só somar dois mais dois.

      • Com toda absoluta certeza eu afirmo que foi por pressão da torcida. O time tem um desempenho muito bom! Isso de não evoluir é questão de opinião, mas o time esse ano venceu várias no segundo tempo e isso é prova cabal da capacidade do técnico. Dos 29 gols, 23 foram no segundo tempo. Que culpa tem o técnico que Victor Hugo tá uma bosta? Que os jogadores não correm o que precisam para aproximar as linhas? Quem vai trazer que seja melhor? Puta cagada!

        • E o primeiro tempo, amigão? Apenas 6 gols em primeiros tempos indica que o time entrava errado em quase todos os jogos. Baixíssimo número de finalizações, posse de bola inócua sem chutar. Forçando jogadas só pelo lado esquerdo em quase todas as partidas, no primeiro tempo.

          E não é só o Vitor Hugo – que não foi o responsável pela queda do time, porque foi sacado logo. É Tchê Tchê, Dudu, Jean, Egídio, Zé Roberto, Thiago Santos, todos com excelentes atuações em 2016… e o Dracena fez duas partidas PÉSSIMAS contra o Peñarol, então estava embarcando no mesmo caminho. Mina armando o time, conduzindo a bola até depois do círculo central, não uma ou duas vezes na partida, mas ao longo de tempos inteiros.
          Fora os recém-chegados Borja e Guerra, apontados dentre os melhores DO CONTINENTE na última temporada. Se um jogador está mal, a culpa é dele. Se todos estão, o técnico errou.

          “os jogadores não correm para aproximar as linhas”. Ué, então, no mínimo, os treinos estão errados e os jogadores não assimilam o esquema tático corretamente. Má execução de esquema tático é erro do técnico… ou bolou errado, ou comandou errado.

          Torcida tem menos força do que você imagina. Já tem gente xingando o Baptista desde a contratação, ainda em 2016. Se contratação de técnico fosse concurso de popularidade, era melhor contratar o Silvio Santos pra dirigir o time.

          • Esse cara tá pirando… Entende 0 de futebol, aspecto tático, funções e atribuições de treinador, pressão de bastidores, gerenciamento de jogadores…

        • Questão de opinião? Estamos em maio e jogando no bumba meu boi, trocar de técnico agora é uma aposta pode dar errado também mas a evolução do time em 5 meses foi zero (sem contar que nesse esquema do EB alguns jogadores já estavam sendo queimados).

    • Se o objetIvo era ter um elenco cascudo esqueceram de contratar técnico a altura. Passa a régua e paga a conta.

    • Você só pode estar de brincadeira… “Nenhum técnico vai querer vir treinar o Palmeiras” huahua… Na situação atual do Palmeiras, tem fila de jogador e treinador na nossa porta… E como se essa fosse a primeira vez na história do futebol que um técnico (ruim) é mandado embora, e o mundo inteiro ficou “surpreso” com essa novidade… Huahaua

  • Nada contra o EB, apenas não deu certo. Discordo dessa máxima q tomou conta do futebol brasileiro de uns anos pra cá, de que uma gestão profissional tem q bancar a CT independentemente dos resultados e dar “tempo” pro trabalho aparecer. Tudo isso é muito relativo e não pode virar um dogma. É preciso avaliar os rumos q o trabalho está tomando, para então se decidir se vale a pena dar mais tempo ou não. Em alguns casos é nítido q não vai rolar, não adianta qto tempo se dê. Os sinais de q EB não iria conseguir implementar um trabalho consistente, a própria matéria do Verdazzo coloca: o sistema defensivo foi desmontado (não só no aumento de gols tomados, mas tb na quantidade de expulsões) e jogadores chave (tanto da campanha passada, como os novos contratados), não rendiam nem metade do esperado; o time se afundava cada vez mais na falta de padrão de jogo e nada indicava uma reviravolta nesse quadro. Tava na hora de mudar. Esperemos q agora dê certo. Se não der e isso estiver claro, troca de novo! É assim em qq grde empresa, tem q ser assim no futebol tb.

    • Pois é. Dar tempo tem muito a ver com os objetivos traçados na temporada. A galera adora falar do Ferguson, com seus 7 anos sem títulos no MU antes de dominar tudo. O time vinha de uma seca enorme, e o Ferguson já tinha títulos com time pequeno na Escócia, quebrando a hegemonia dos grandes locais. Nessa circunstância, faz sentido apostar num projeto de longo prazo, de reconstrução.

      O Palmeiras não precisava ser reconstruído. Precisava ser incrementado. EB desmontou tudo que havia pra montar de novo, e não era o momento certo pra isso (2015, talvez). Chegaríamos em novembro com a torcida frustrada por ver o time jogando bonito e disputando a quarta posição do brasileiro.

  • Eu fui com a cara do Eduardo, gostava do cara, e o fato de muitos rivais estaduais e nacionais também estarem sob o comando de técnicos pouco rodados e badalados amenizava a pressão sobre ele. Teve um momento que pareceu encaixar, que ia deslanchar, mas as oscilações foram determinantes.

    Eu vibrei quando vi o Palmeiras em campo com três zagueiros diante do Penharol, esta era uma aposta pessoal minha, que fracassou de forma retumbante (talvez apenas por falta de treinamentos ou, quem sabe ,a cabeça de Victor Hugo já estar longe).

    Gostei dele ter mantido o Dudu como capitão; de ter escalado o Michel Bastos como lateral (pra mim deve ser o novo dono da posição, inclusive foi um dos mais lúcidos na ultima partida), achei que, ao menos aparentemente, estava lidando bem o o fator Borja; não me parecia um cara autoritário, e sim, estava mais pro tipo conciliador.

    Talvez o maior problema, digamos assim, que possa ser atribuído a ele, tenha sido a falta de compactação, a distância entre as linhas que tanto prejudicou em determinadas partidas.

    Boa sorte ao profissional, que, pra mim ,sai pela porta da frente, e que contratem um cara unânime (é possível isso no Palmeiras?).

    Que o Cuca seja logo apresentado. Todos vibraremos muito com a chegada do Cuca, será como um título. Além de tudo, é religioso, e eu estou dando uma guinada religiosa em minha vida para vencer o vício da bebida.

    • Eu também apostava muito nos 3 zagueiros, mas qualquer esquema com Egídio não na certo. Ficamos agora na torcida para o Cuca ser contratado, qualquer outros será extremamente decepcionante.

      • Também não é pra tanto. Egídio fez boas partidas pelo Palmeiras. É fraco defensivamente e precisa de boa cobertura, mas EB botava Tchê Tchê pra cobrir a esquerda (não tem esse traquejo de marcador) e Felipe Melo na direita, pra cobrir o Jean que não subia. Matou os dois lados do time.

  • Cá entre nos, 100 días é muito tempo de trabalho. O cara pode ter a sua idea de como praticar futebol, mas kct, o cara pegou o time mais redondo do futebol brasileiro! Contratamos simplesmente os melhores jogadores disponíveis do mercado sul-americano. E o cara em
    Mais de 100 dias não conseguiu nem
    implantar 1 ideia de jogo?!?

    O técnico dos gambás, muito menos “famoso ou estudioso” já implantou um jeito de jogar. Ganhando ou não, Todos sabem como os caras vão jogar. Aqui não.

    Se não for o cuca, eu gosto do nome do Jorginho, que estava lá no vasco. Em 2015, passaram um monte de técnicos por lá e só ele conseguiu dar jeito naquele time horrível do vasco. Dando Bons jogadores na mão dele, acho que poderia dar jogo. E outra, o cara é tetra campeão mundial, quem vai ter mais moral que ele nesse grupo.

    Mas de resto, obrigado Eduardo pelos momentos de raiva! Sinal que meu coração ainda está com saúde!

  • Se fosse só pra colocar alguém pra esquentar banco pro Cuca, era melhor ter deixado o Alberto Valentim… Bola fora da diretoria, na minha opinião. Ainda mais se o Cuca não vier. Nenhum técnico disponível no mercado é muito melhor que EB.

  • O Palmeiras não é o Sítio do Pica-Pau Amarelo para ter Cuca. Já fechamos com o Lisca Doido.
    Mittos, Alexandre.

    Fonte: Arial 12

  • No fim das contas, o que pesou mesmo é o fato de que o Eduardo Batista não tinha mais o elenco nas mãos. Mas tudo isso porque ele se mostra ser um cara estudioso, mas que com certeza não ouve seus comandados. Borja e Dudu são exemplos clássicos de jogadores que não estão rendendo porque o treinador está simplesmente ignorando suas principais características. Enfim, todo o resto já era de se prever. Quem sabe até ele não sabia que o emprego dele era temporário?

  • Imagino que a diretoria se viu diante da seguinte equação: segura o EB e se o time continuar a oscilando como está, poderá no futuro comprometer a Libertadores e começar o Brasileirão e CB de forma inconstante e portanto, insatisfatória, em outras palavras, perderíamos o ano; o outro cenário, troca o treinador agora (e só se justifica se for o Cuca), quando ainda estamos na fase de grupo da Libertadores, com a classificação praticamente garantida e com tempo antes dos mata-matas para ajustar o time e também arriscando apenas algumas rodadas iniciais do Brasileirão e CB antes do time engrenar, mas pelo menos com boas chances de sucesso nas três competições ou em algumas delas.
    Os dois cenários são apostas, mas tinham de decidir qual fariam e desta forma, a diretoria agiu de forma extremamente pragmática, visando manter o planejamento em vigor.

  • Acredito que dispensaram ele já tendo acerto com o Cuca. Não faria sentido se fosse outro. Agora… será que a torcida vai ter mais paciência agora? Porque ano passado também passamos aperto com o Cuca. Não tomávamos muitos gols, mas também não fazíamos. Acho impossível, mas espero que a torcida tenha um pouco mais de paciência com o bruxo. Com ele temos chances reais de ganhar, pelo menos, dois títulos grandes este ano. PACIÊNCIA é a palavra.

  • A diretoria do Palmeiras iniciou conversas com o Joel Santana que deve assinar um contrato de 2 anos.

  • Felizmente, ou não, não havia mais como manter o E.B. no comando.

    Alguns defensores do técnico se apegam ao percentual de aproveitamento.

    Porém, esses números são muito, muito relativos… o aproveitamento despenca, se levarmos em conta times com nível de série A.
    As vitórias na libertadores, na bacia das almas, contra times muito inferiores, provou que um raio pode cair mais de uma vez no mesmo lugar. mas não cai três vezes… haja vista o que ocorreu na Bolívia.
    De qualquer forma, sorte a E.B. na sua carreira

    • Não é pelas derrotas, até mesmo as vitorias dele foram questionáveis. Toda sorte do mundo ao Eduardo Batista, cara do bem, honesto e ético. Que Deus lhe abençoe e, quem sabe um dia né, lá na frente, numa outra fase da vida. As portas sempre estarão abertas.

  • E.Batista sai como uma incognita, tanto pra ele quanto ao Palmeiras. Nao da pra reclamar de falta de resultado, entregou o time na liderança do grupo a um empate da classificaçao. Ele começou bem seu trabalho, montou um time e mesmo com o incomodo dos jogadores a um novo esquema de jogo, as apertadas vitorias vinham.
    A imprensa fazia elogios com reticencias, ja nossa torcida nao consegue segurar e a cornetagem rolou solta, Foi nesse periodo que o EB fraquejou e perdeu a confiança no que vinha fazendo e se sentindo acuado passou a trocar jogadores, acreditando que o esquema e bom e se nao da certo a culpa e de quem executa. Varios comentaristas e torcedores pedindo mais treinamento, aprimoramento, jogada ensaida, bola aerea etc e nosso tecnico perdendo tempo precioso de treino testando jogador X, Y, Z, tres zagueiros, 3,5,2, 3,6,1. O mais curioso foi que a Força estava com o Batista e o destino foi empurrando ele pra frente na marra, mesmo assim o sonso nao percebe nada e nem notou o bom time que ele mesmo montou no segundo tempo no Uruguai, vendo de fora que da pra perceber como funciona o tal ‘conceito de auto sabotagem’.

  • Concordo Conrado, se nao vier o Cuca nao faz sentido a demissao do EB. Nao que ele tivesse fazendo um trabalho otimo, como estamos cansados de saber, mas nao podemos iniciar do ZERO neste momento. O Cuca seria sim uma continuidade…estou torçendo muito que feche com ele logo!! VAMOS PALMEIRAS!!

  • Mesmo com essa bagunça tática dos últimos 5 meses, o time teve 66% de aproveitamento. 14 vitórias em 23 jogos. Fico aqui imaginando o que esse mesmo time poderá render na mão do Cuca.

    Tomara que seja ele.

    • Esses números são muito, muito relativos… o aproveitamento despenca, se levarmos em conta times com nível de série A.
      As vitórias na libertadores, na bacia das almas, provou que um raio pode cair mais de uma vez no mesmo lugar. mas três vezes, não… haja vista o que ocorreu na Bolívia.
      De qualquer forma, sorte a E.B. na sua carreira

      • Exatamente, Flavio. O time conseguiu nesses 5 meses sobressair contra adversários mais fracos, ou mesmo em que o jogo não exigisse uma carga emocional muito grande, mas quando foi necessário que o trabalho do treinador aparecesse pra passar tranquilidade ou empregasse um esquema diferenciado contra times melhores, vimos que o desempenho caiu consideravelmente.

  • Apesar dos bons números o timing das derrotas (gambás com 1 a mais, a semi pra Ponte apatica e o jogo que valeria a vaga com um empate pros Bolivia!) e a falta de padrão do time prevaleceram pra queda do EB… foi aposta errada da diretoria, apesar de ter se mostrado um profissional sério e trabalhador, ainda precisa de rodagem no futebol pra assumir um time do porte do Palmeiras.
    A hora pra troca era essa mesma… vem Cuca!

  • Sinto que o melhor momento de Eduardo foi na goleada de 3 x 0 contra os Bambis! Dominamos a partida amplamente e o Prass foi apenas um espectador. Acho que a decisao foi correta, desde que volte o Cuca, e tambem fico com uma percepcao boa do Eduardo. Um cara extremamente trabalhador, serio e que nao fica de firula. Espero que ele tenho muito sucesso no seu futuro e que consiga espaco em outros clubes grandes para continuar mostrando o seu trabalho. Avanti Palmeiras, avanti EB. Obrigado pelos servicos prestados nestes ultimos 5 meses.

  • A favor de EB:
    Mandar treinador embora porque o time oscila depois de seis meses não é razoável. Afirmo isso pelos exemplos de sucesso que vemos no Brasil e no mundo. O time de Marcelo Oliveira não oscilava. Jogava mal o tempo inteiro. Então acho que uma hora EB ia mesmo engrenar.

    Contra EB:
    O time entrava sistematicamente mal posicionado contra todos os adversários. Todos eles com elencos inferiores. E tomava sufoco em todos os jogos. Em alguns o técnico fez mexidas que faziam o time acordar e ter desempenhos fabulosos, ainda que na bacia das almas. Mas… teria sido mesmo só a mexida? Ou seria uma reação natural vinda exclusivamente dos jogadores que sabiam que seus filmes estavam sendo queimados com derrotas bestas para times ruins?

    Conclusão: não me convenci de que a demissão era a melhor alternativa. A NÃO SER QUE EXISTA A TAL DA CARTA NA MANGA. E essa carta (Cuca?) tem que ser OBRIGATORIAMENTE melhor do que a situação atual.

  • Meu chute é que Cuca já está certo. Eles não iriam mandar o Eduardo embora sem ter uma cartada certeira, pois os demais nomes disponíveis no mercado não podem fazer muito mais do que o Eduardo vinha fazendo.
    Apesar dos números do Eduardo serem satisfatórios, não havia evolução no time do Palmeiras, que vivia de alguns lampejos de bom futebol, talvez mais pela qualidade do elenco do que esquema tático.
    Sem contar que a defesa virou uma peneira, acabaram as jogadas ensaiadas, e as bolas aéreas que eram um grande ponto positivo do Palmeiras já não assustavam mais ninguém.
    De qualquer forma, boa sorte ao Eduardo, que parece ser um cara correto e trabalhador, mas que não era o nome ideal pra essa fase do Palmeiras.
    E que venha o Cuca, pois é o único que já teria um trabalho iniciado nesse time.

  • Sou absolutamente contra a vinda de um treinador estrangeiro. Gareca foi emblemático. 9 jogos 9 derrotas consecutivas. O cara é ruim? Não, muito longe disso, mas o fato de desconhecer todos os jogadores e suas características, colocaram-no em uma posição atrás de um ourtro brasileiro qualquer, que acompanhava frequentemente o futebol brasileiro, seus jogos e seus jogadores. Quando Gareca chegou, F. Menezes esbagaçava nos treinos, e isso o levou a pensar que fosse um jogador acima da média. Mal sabia ele a tragédia, mas nós sim. E vimos a catástrofe de sua passada por aqui.

    • Concordo em termos.

      Técnico estrangeiro é um paradigma que precisa ser mudado, para o bem do futebol brasileiro. Existe mesmo um.conflito de cultura. O jogador brazuca normalmente é muito mais insolente, arrogante e inculto. Tem uma resistência gigantesca para apreender conceitos táticos diferenciados.

      Mas não podemos esquecer que no período Gareca tinhamos um elenco ruim e apenas Fábio no gol. E a performance trágica daquele nosso jovem goleiro derrubaria qualquer técnico em qualquer clube do mundo.

    • Concordo. Treinador estrangeiro tem que vir e ser BANCADO e muito bancado pela diretoria. Até o cara conhecer o futebol brasileiro, vai uns 2 anos.

  • Se não for o Cuca, será um baita tiro n’água. A não ser que a diretoria nos surpreenda com algum gringo top.

  • Eduardo Baptista é um técnico promissor! Não falo isso por pena, mas o seu conceito de futebol justifica a minha esperança em relação ao treinador. Todavia, entendo que o mesmo tentou dar um salto maior que a perna, tinha que ir galgando espaços em clubes “menores”, mas com estrutura digna para trabalhar. Deveria ter ficado mais tempo no Sport, que hoje é um clube estruturado, ou até mesmo na ponte. Depois se quisesse ir para um clube “grande” acha que deveria optar por clubes de pouca torcida como Santos, Atlético Paranaense, Coxa ou Bahia! O Palmeiras é gigante e em razão disso um faísca vira explosão! Pra se ter uma ideia, a demissão do EB foi o terceiro assunto mais comentado no twitter no mundo !!! Enfim, sorte para você EB, levante a cabeça e vá estudar mais e mais! Só não vale ficar choramingando em programas esportivos. Qualquer demissão é dolorosa, mas não carece de tamanha humilhação, vide o “choro” pós pé na bunda do FluC. Sobre Cuca, entendo que é o “cara” para dar jeito na tiriça de jogadores como Dudu, Tchê Tchê e Vítor Hugo, assim como é o cara perfeito para limpa o elenco, que hoje tem “estrelinhas” demais falando pelos corredores. Avanti!

  • Acho que a principal razão da queda do Eduardo Batista foi a sua maneira de pensar futebol. Técnico de futebol pode ser separado do mesmo jeito que investidor do mercado financeiro. Existem os de perfil conservador, que correm poucos riscos e consequentemente têm poucos resultados – (Kleina, Muricy, Mano Menezes, Oswaldo Oliveira e EB quando chegou ao Palmeiras), os moderados, que correm um pouco mais de risco com os resultados bons vindo mais do que vêm para os conservadores porém com os prejuízos acontecendo mais também e doendo muito pela falta de hábito ao risco – (Marcelo Oliveira, Levir Culpi, Autuori, Felipao, Tite, Oswaldo Oliveira e EB agora que nos deixa) – e, por fim, os agressivos, como Gareca, Luxemburgo, Renato Gaucho e Cuca. O Palmeiras, por sua filosofia de jogo, deve sempre contratar treinadores agressivos. Não me refiro a este elenco, mas sim à toda história do clube.

    • Não sei se botaria Kleina, com meia dúzia de títulos em estaduais pequenos no mesmo bolo de Muricy (tetra brasileiro e campeão da Libertadores, o que não dá pra definir como ‘poucos resultados’), Mano Menezes (Copa do Brasil) e Oswaldo (títulos em quase todos os times que passou, Palmeiras foi uma das únicas exceções). Oswaldo, inclusive, monta os times MUITO ofensivos e raramente joga pra empatar (na semifinal do Paulista tirando os gambás isso foi bem marcante), mas falta-lhe pulso e capacidade motivacional.

      Felipão corre pouquíssimos riscos (o esquema tático dele é praticamente o mesmo há décadas, com um falso terceiro zagueiro e pontas de velocidade), mas ganhou títulos a rodo. Marcelo Oliveira não corre risco algum nunca (o esquema dele é ‘deixe os jogadores escolherem como jogam’, dependendo muito mais de entrosamento pessoal do que tática – perdeu o time aqui porque era necessário um algo a mais).

      • Muito bom! Voce fez excelentes ajustes ao meu comentário.Tentei trazer à tona um assunto que falamos pouco aqui no Brasil que é o da importancia da filosofia do clube na hora de buscar um treinador.
        O Palmeiras precisa mapear os treinadores, distribuindo-os num quadrante onde x=agressividade e y=resultados. O cara pro Palmeiras e x= alta, y=alta

      • Acho que ele está falando de perfil “a priori”, não de histórico pessoal. Gostei da analogia do Rafael Burnese.

  • Meu Deus que ansiedade…apoiei muito o EB e desejo toda a sorte do mundo pra ele, que seja feliz em outro lugar bem longe do Palmeiras! Cuca por favor assina logo um contrato de 2 anos!

    • Que assine logo um contrato vitalício, e pare de nos fazer sofrer como viemos a sofrer nesses últimos 5 meses.

  • Hora de ostentar o poderio financeiro e trazer o Cuca, caso não consiga, traga o Albelão ou Mano, os dois estão fazendo ótimos trabalhos com elencos limitados.

    EB não conseguiu fazer o BÁSICO.

    • Cruzeiro não tem elenco limitado não. Agora não adianta comparar desempenho destes técnicos pelos campeonatos estaduais, mineiro e carioca são torneios muito fracos, vide o vasco e o américa mg terem sido campeões e rebaixados no mesmo ano. É claro que a experiência do Abel e do Mano são indiscutíveis, mas tenho receio deles por não terem identificação com o Palmeiras.

  • Que venha o Cuca então. A única justificativa plausível é essa. Ricardo Gomes, Cristóvão Borges, Luxa… Meu Deus, que falta de opções.

  • Se o Cuca realmente estiver contratado ainda vá lá, mas se não for isso, o Palmeiras novamente fez uma tremenda besteira em relação a demissões de técnicos, que aliás não é a primeira.
    Tomara que não tenhamos que passar novamente por testes com Egídio como titular, Zé Roberto no meio…Deus nos ajude!!!

    • Mas Felipe Melo de zagueiro e Tchê Tchê cobrindo a lateral esquerda são testes válidos?
      Baptista parecia estar sempre testando o time, às vezes dentro de um mesmo jogo. O desempenho péssimo em quase todos os primeiros tempos da temporada mostra que ele não tinha noção alguma do time que entrar em campo a cada jogo. Muitas vezes, corrigia no segundo e a coisa parecia que ia engrenar – apenas pra performar horrivelmente no jogo seguinte.

      Demitir técnico não é necessariamente a pior coisa do mundo, é preciso contextualizar: o time fechou como meta do ano ganhar a Libertadores e disputar o mundial (conforme entrevistas diversas de presidente e diretor de futebol). Era preciso que o técnico mostrasse consistência rapidamente em seu trabalho. Baptista talvez até valesse a pena, mas o ano de 2017 provavelmente não renderia nada, e o time estivesse encaixado só em 2018.

      Logo, a escolha de treinador não foi coerente com o objetivo da temporada. Num ano como 2015, sem pretensões, talvez tivesse sido uma excelente escolha. Atualmente, com um dos elencos de maior potencial em quase 20 anos, era preciso um trabalho melhor.

      • Cara, o Cuca já estava fora e qualquer outro técnico que assumisse teria seu tempo de ajustes. O EB sai deixando o Palmeiras como líder na sua chave da Libertadores e com quase 67% de aproveitamento em sua passagem.
        Não gostava de algumas mexidas dele também (dentre elas não por o Bigode e o Borja mais vezes juntos em campo), mas todos os técnicos que assumissem depois do Cuca iam dar suas cabeçadas.
        De novo, se for o Cuca que está na manga, beleza! Se não, foi cagada!

        • Não dá pra se agarrar única e exclusivamente ao aproveitamento como defesa do técnico. Aproveitamento de 67% ganha Brasileiro, mas em campeonato mata-mata, a coisa é mais complexa. O aproveitamento de Oswaldo Oliveira era próximo do de EB. Kleina beirava os 60%. Mereciam eles tempo a mais para adaptação? Gareca ficou em 33%, mas tem torcedores que lamentam a saída dele até hoje, dizendo que montou um time de “pernas de pau, mas muito bem posicionados”.

          A derrota para a Ponte mostrou um time taticamente perdido, bastando forçar o jogo nas laterais pra matar nosso jogo – até o Jorge Wilstermann, 10o colocado num Boliviano com 12 times, percebeu isso. O aproveitamento de praticamente TODOS os destaques do time em 2016 caiu vertiginosamente. Jogadores se reuníam no centro do gramado no meio de partidas (gambás, JW esta semana). O time tomou tantos gols nos últimos 5 jogos quanto nos outros 17 do ano, indicando que a defesa está uma completa zona.

          Insisto: EB demoraria mais uns 6 meses, talvez mais um ano, pra dar certo. Seria um trabalho de longo prazo. A diretoria decidiu que este ano *necessariamente* ganharíamos a Libertadores pra disputar o mundial. Esse objetivo é de prazo BEM curto.

          EB pegou uma base montada e “transformou” em um trabalho iniciado do zero, parecia que vários dos jogadores ali nunca jogaram juntos, e o posicionamento errado de várias peças (TT na esquerda, FM sozinho no meio, William de CA isolado, Dudu na direita etc.) indicam que ele não conhecia bem as características dos jogadores, e fazia seus testes pra aprender isso – ainda que às custas de um declínio técnico IMENSO de vários jogadores que foram *protagonistas* no ano passado.

          Até aí faz parte. Mas EB parece ter feito o time regredir em aspectos motivacionais e emocionais. Dudu voltou a ser um chiliquento que briga com juiz. Vitor Hugo voltou a ser um estabanado sem tempo de bola, igual quando chegou há dois anos. Thiago Santos brigando com preparador físico. Time fazendo rodinha no meio de campo pra se acertar (contra gambás e JW), indicando que as instruções do técnico simplesmente não deram certo. Na mão dele, a Libertadores desse ano seria perdida – após gastar MUITO dinheiro e tornar o time MUITO mais forte que o já bom time do ano passado – e não precisa me pedir número de mega sena pra isso.

  • “Se Cuca jamais tivesse saído do Palmeiras, este time atual, reforçado em relação ao do ano passado, estaria voando, demolindo adversários”…não sei como você pode ter tanta certeza.

    • Eu tenho certeza absoluta disso também. O ponto fraco do time era CX10 que foi trocado pelo craque da libertadores, precisamos repor o Jesus e o fizemos com o melhor jogador das Americas. Ainda trouxemos um extraclasse para jogar na frente da defesa quando fosse necessario e todos os destaques e promessas do ultimo brasileiro. Foi a melhor reformulação de elenco que já vi no Palmeiras e é por isso que EB deixa o time mesmo com 67% de aproveitamento. Esse time deveria superar o de 1996.

    • Fazendo aquela citação clichê: A única certeza da vida, é a morte.

      Convenhamos que o time desse ano é BEM MELHOR que o do ano passado, certeza que estaríamos melhor eu não tenho, mas as possibilidades…

  • Não acho que demitiriam o EB se pelo menos não tivessem falado com o Cuca… Não faria sentido algum. Outro técnico não faz sentido nenhum, a não ser que o Palmeiras tenha cacife pra tirar alguém do comando de outro grande clube…

  • Espero que o Cuca venha… e que consiga repetir o que fez ano passado…. duvido que a gestão do Palmeiras daria um tiro no escuro de demitir o treinador sem ter outro engatilhado….
    Mas acho que o Cuca sair no final do ano, não deu ao Palmeiras muitas opções de mercado… seria EB ou o ex-técnico do Grêmio (não lembro o nome agora) que também viria como aposta…
    Só quero pensar que tudo foi calculado pela diretoria… que teria um “interino” até o final da “frescura sabática” do Cuca….
    Se não tiverem todo este planejamento milimetricamente traçado…. aí a coisa pode desandar…

  • Tempo ele teve, 5 meses com pré temporada acho que é suficiente, tbm acho que a diretoria não iria demitir sem ter uma carta na manga, Tem que ser o Cuca não tem outro mais apropriado. Tem pendo que o Galiotte, Mattos e a Leila, são inteligentes e profissionais, não agem por impulso, são decididos, mas sabem tbem que futebol é dinamico e decisões precisam ser rapidas

  • O Eduardo foi uma aposta e o ano do Palmeiras não comportava apostas. Como ele mesmo disse, “em 2016 existia expectativa de que se ganhasse algo, e em 2017 a torcida tinha certeza”. Acontece que ele ainda não é um treinador vencedor.
    Treinar o Palmeiras já não é fácil, pior ainda com este nível de exigência. Por isso que desde o começo a torcida torceu o nariz para a escolha. Deu no que deu.

  • Agora fica as dúvidas, qualquer treinador que chegar, será que a equipe vai pra frente? ou ano perdido cujo o principal objetivo é a Libertadores? Caraca! Vamos acreditar AVANTI !!!!

      • O objetivo é ganhar, mas só de ver jogadas ensaiadas (como escanteios curtos, inicio de jogo com bola longa, lances de falta ensaiadas, laterais de bola longa (mas não toda hora)) e o time ter um padrão de jogo já anima a torcida. Eu cito por exemplo, ano passado, se perdêssemos o título para o Flamidia ficaríamos mais p*** por causa dos 22 anos e não por causa do treinador.

  • O Eduardo não era o cara certo pra esse momento. Poderia ter sido o cara para comandar uma reconstrução, lá em 2015, por exemplo. Hoje o Palmeiras precisa entregar rápido, para fazer frente às altas expectativas e investimentos projetados para o elenco de 2017. Espero que o Cuca volte, qualquer outra solução enseja dificuldades evidentes!

  • EB chegou para substituir um comandante que estava dando muito certo e só um sucesso imediato tiraria a pressão. Treinador honesto que cometeu alguns erros normais como todos poderiam fazer. O investimento foi alto e a diretoria deve ter enxergado risco de não ganhar nada ou simplesmente o Cuca responder whatsapp que estaria saindo da aposentadoria. Bola pra frente e não adianta contratar esses medianos que o Conrado citou. Só acho que foi correta a demissão se chegar alguém do naipe do Cuca.

  • Nossa Conrado, tu acha mesmo que cedo ou tarde o time ia engrenar? Depois de 5 meses e partidas pífias foi dado tempo para ele, muito tempo, tempo demais. Se a diretoria mantém ele seria um ano perdido.

    • Só aqui no Brasil se pensa futebol assim. Muito tempo é, no minimo, 2 anos pra dizer que nao deu certo. Aqui no Brasil que time é “obrigado” a ganhar, só ganhar importa e que se dane desenvolver o time e a base.

      • É porque aqui no Brasil o tempo de permanência de um bom jogador no mesmo clube é também muito breve.
        Quem se destaca fica 1, no máximo 2 temporadas (salvo exceções).

        O Palmeiras com Eduardo iria desperdiçar esse elenco, visto que esse plantel provavelmente não se manterá o mesmo por estes “mínimo 2 anos” como é feito na Europa.

      • Essa visão da Europa é equivocada. É válida apenas para times médios e pequenos. No Real Madrid técnicos caem no meio da temporada. Mourinho foi demitido do Chelsea após ter sido campeão da Premier League meses antes. Moyes foi demitido do United em menos de um ano. Time gigante precisa de resultado em curto prazo.

        • Exatamente isso! Time grande entra pra ganhar todos os campeonatos e não apenas participar pensando em ser o time da temporada que vem.

          • Entrar pra ser protagonista e disputar é obrigação. Ser campeão de tudo, não. Porque como sabemos, futebol não é ciência exata.

          • Mais exceções que duraram menos de um ano então: Frank de Boer na Inter, Seedorf e Mihajlovic no Milan, Hodgson no Liverpool. E tem mais.

      • Amigo Renan, vou ter que discordar.
        Infelizmente o futebol brasileiro não comporta essa história de 2 anos poque a cada 6 meses em média a maioria dos elencos é mudada, ai quebra esse lance de continuidade de trabalho.
        O Palmeiras foi um ponto fora da curva em manter o elenco quase todo, e mesmo assim, com dinheiro em caixa, o bombardeio pra desfazer e desmanchar é constante, os adversários já não são os mesmos, e por aí vai. Não tem como esperar que um técnico só dê certo a partir do segundo ano, sendo que todo o contexto de uma temporada pra outra já mudou. O cara tem pouco tempo pra encaixar e já chega com consciência disso. Tudo bem se há uma evolução, um desenrolar, um processo se ajustando já em andamento, mas quando o cara não consegue dar uma sequência após vitórias épicas, fica muito díficil defender que ele consiga uma sequência num prazo que dê pra salvar uma temporada. Você sabe que eu sou dos mais ponderados, e que defendia continuidade enquanto deu, mas um outro amigo que acredita em permanencia até mais do que eu deu a letra ANTES do jogo em cochabamba, quando ele viu a escalação sem a dupla Borja/William, que tinham salvado a pele do Eduardo em Montevideo, ele falou+/-: “Agente até tenta defender, mas O Eduardo não se ajuda”

        • Porque todos queriam continuidade com o Cuca então? Continuidade é sim segredo do sucesso. Não disse era fácil.

          • Querer a continuidade do sucesso é uma coisa…

            Aí é bem diferente, o Cuca em 2 meses montou um time vencedor e o manteve até o fim do ano cada vez melhorando… Aí claro que todos querem continuidade, mas se ele não tivesse conseguido isso, se no meio do ano passado o Palmeiras tivesse no meio da tabela sem conseguir engrenar, muitos estariam pedindo a cabeça dele.
            Ele, estressado com é já estaria de saco cheio de certas críticas injustas… e por aí vai.

            Não tem jeito no Brasil o cara tem que no máximo mostrar um serviço MUITO BOM nos primeiros meses de trabalho, não precisa conquistar nada, mas no mínimo ser extremamente convincente, senão não tem futuro.
            Ou faz como alguns, acha uma zona de conforto onde o time vai mais ou menos (sem chances nenhuma de nada sério, mas também sem dar vexames) e consegue manter-se alí, mas nunca arriscando dar um passo maior, pra não correr o risco de perder a longevidade (estilo o Wenger) que no Palmeiras não cola.

    • As midias kfuras da vida metiam o pau no Palmeiras pela forma de jogar. Agora que dispensaram o batistinha estão falando que foi precipitado

  • “Alguns conseguem ter a sorte de contar com um elenco cujas características encaixam bem com seu sistema”. Não é o elenco que tem que se adaptar as idéias do treinador. É o treinador que tem que entender o elenco que tem nas mãos e buscar a melhor formação possível. Treinador não pode ter esquema de estimação. Eduardo caiu por causa da insistência absurda com esse 4-1-4-1.

    • Tirou uma frase do contexto pra ser corneta. Seguindo o mesmo parágrafo: “Seu erro, neste caso, foi demorar para adaptar seu sistema às peças.”

      Palmeirense é tão chato que corneta até nossa mídia independente. Merecemos Nicola, Kfouri, Neto e cia.

      • Não tirei a frase do contexto só pra cornetar o texto. É que vejo muita gente falar isso, não aqui no Verdazzo.