“Futebol é momento”: trabalho de Mattos não pode depender da Libertadores

Alexandre MattosTítulo brasileiro incontestável. O maior patrocínio. A maior renda. O maior programa de sócio-torcedor. O melhor estádio. O melhor elenco. Finanças em dia.

Tudo conspirava a favor do Palmeiras no início de 2017, a não ser por um fato, que está longe de ser apenas um detalhe: Cuca, o comandante do ênea, estava de saída para um período de apoio à família. Isso já havia sido acordado entre Cuca e Alexandre Mattos antes de sua chegada, em abril de 2016. Mattos apostou que, com a futura conquista do Brasileiro, Cuca mudaria de ideia. Perdeu e teve que refazer o plano para 2017, contratando Eduardo Baptista.

Vamos voltar um pouco mais no tempo: a inoperância de Marcelo Oliveira na virada de 2015 para 2016 mereceu duras críticas, já que era o momento do então treinador planejar e executar a evolução do time campeão da Copa do Brasil. Marcelo dormiu sobre os louros da conquista e jogou a Libertadores de 2016 pelo ralo, o que culminou com sua demissão.

Um time chega à maturação no segundo ano de trabalho de um técnico. O Palmeiras perdeu a chance de atingir esse estágio em 2016 e também em 2017. Com Cuca se tornando uma carta fora do baralho, Mattos teve que virar a página e iniciar um novo projeto, do zero. Eduardo Baptista não tem o perfil nem um pouco parecido com o de Cuca, apontam alguns críticos. Mas a bem da verdade, ninguém é parecido com Cuca, nem o Cuquinha.

Apêndice: a montagem do elenco

Alexandre Mattos é criticado pela forma com que montou o elenco para a temporada de 2017. Por ser uma análise razoavelmente extensa, disponibilizamos um texto em separado que serve de apoio ao tema principal. Consulte a análise completa das movimentações do elenco neste link.

O uso do dinheiro

Mattos e BorjaMattos não conseguiu evitar a rejeição de boa parte da mídia por ser o artífice de um projeto que envolve cifras extraordinárias. Mesmo desprezado pelo Governo Federal (via Caixa) e pela RGT, que em momento algum valorizaram a força da camisa do Palmeiras, o clube conseguiu recursos para sanar suas finanças e ter o maior orçamento do futebol brasileiro. E usa tais recursos de forma agressiva, como deve fazer um bom competidor.

Essa agressividade é uma ameaça real a todos os outros clubes – assim, a mídia dita imparcial, mas hipocritamente clubista, trata de distorcer os fatos e vilanizar o Palmeiras, usando Mattos como personificação do inimigo, aproveitando ainda que há alas da política interna do clube que também têm interesse em enfraquecê-lo, vazando informações com esse intuito. Até o ano passado, tal vilanização era projetada em Paulo Nobre.

Mattos tinha um orçamento e o usou para montar um elenco muito, muito forte. E parte dos contratados são investimentos de longo prazo, para serem nossos titulares em 2019 ou 2020. A intensa movimentação no mercado, que aparentemente é sua marca registrada, foram necessárias nestes três anos em que montou nossos elencos – cada ano com sua característica própria. A tendência é que em 2018, finalmente mantendo o treinador, o projeto seja apenas aperfeiçoado, com uma ou outra contratação pontual, sem medo de investir quantias vultosas em poucos, mas ótimos reforços.

O aparente tiro n’água dado com Borja não pode ser analisado de forma isolada. O colombiano, como qualquer jogador, faz parte de um grande pacote, uma espécie de balança que envolve todas as compras e todas as vendas. Um eventual prejuízo com Borja, a ser realizado apenas quando se souber o preço de sua venda, é facilmente neutralizado com um ou dois “Vitor Hugos”. E a coleção de sucessos comerciais de Mattos é muito maior que a de equívocos.

O all in na Libertadores

O jogador Borja, da SE Palmeiras, disputa bola com o jogador Bianchi, do C Atlético Tucumán, durante partida válida pela fase de grupos, da Copa Libertadores, no Estádio Monumental José Fierro.
César Greco / Ag.Palmeiras

De forma simplista, definiu-se que o Palmeiras abriu mão do Brasileirão para ganhar as copas. A eliminação da Copa do Brasil, atrelada à derrota em Guayaquil dá uma perspectiva de fracasso total em caso de eliminação da Libertadores. Tal perspectiva é equivocada. A estratégia do Palmeiras não é para uma temporada. O ano de 2017 foi muito prejudicado em seu início, a despeito de tantas condições positivas elencadas no início do texto. Para piorar, um desempenho atípico do principal rival coloca uma lente de aumento em todas as decepções do ano.

O Palmeiras em momento algum abrir mão do Brasileirão deliberadamente; escalar times alternativos em partidas que antecedem decisões pelas copas foram soluções que deveriam ser suficientes para não perder esses pontos diante da força do elenco – mais uma vez, o atraso no desenvolvimento do time fez com que esses preciosos pontos nos escapassem. Mesmo assim, fechamos o turno com 32 pontos, apenas 4 abaixo do considerado suficiente para uma campanha campeã – de novo é preciso destacar que o desempenho irreal do rival tornou o planejamento insuficiente, e é isto que força o clube a dar o chamado all in na Libertadores. Mas o mundo não acaba em dezembro e os investimentos feitos em 2017 seguirão sendo muito úteis em 2018.

Sempre de olho

Cuca conversa com Maurício Galiotte e Alexandre Mattos
César Greco / Ag.Palmeiras

Alexandre Mattos não está acima do bem e do mal. Ele pode e deve ser avaliado a cada passo que dê, diante da importância de sua função.

Mattos apostou errado que manteria Cuca ao final de 2016. Mas sem essa aposta, não teríamos sequer conquistado o ênea.

A lateral esquerda se tornou, de fato, um enorme problema. Difícil, mas não impossível, de ser detectado no início do ano.

Felipe Melo foi uma aposta errada; seu histórico apontava para uma boa chance de problemas, embora sua qualidade técnica e seu perfil guerreiro dentro de campo fossem tentadores para quem tem na Libertadores o principal objetivo da temporada. Deu errado, mas a correção de rota foi rápida e veio antes até da dispensa, com Bruno Henrique.

Borja custou muito dinheiro para ter um desempenho tão abaixo do esperado. No campo, com atraso, Deyverson chegou para compensar o problema, e o tempo ainda dirá o tamanho do prejuízo (ou do lucro) financeiro. Talvez Mattos tenha entrado de forma amadora no oba-oba da torcida e da imprensa em cima do colombiano, talvez pudesse ter detectado que ele teria tantas dificuldades. Não se tem notícias, no entanto, de nenhuma sugestão concreta de como essa tendência seria de fato detectada. E nem se questiona isso, afinal, “ele é quem ganha rios de dinheiro e tem obrigação de saber isso”.

Futebol não é momento

Alexandre Mattos
Cesar Greco / Ag.Palmeiras

Ser o diretor de futebol do Palmeiras, com o maior orçamento do futebol brasileiro, desperta a vigilância permanente dos olhos da imprensa, da torcida e de diretores e conselheiros. Estar nessa função por três anos é mergulhar num coquetel difícil de ser resumido em poucas linhas, dado que a tendência no futebol é sempre analisar o todo pelo instante. Detratores ficam à espreita do fracasso para bombardear o profissional, apoiados numa frase que, de forma incrível, ainda persiste no futebol brasileiro: “futebol é momento”.

Para qualquer planejador, essa verdade é a maior mentira do mundo. Por exemplo: o Palmeiras perdeu para o Atlético-PR, com o time reserva, para aumentar as chances de se classificar na Libertadores. Há quem diga que a derrota, pelo placar mínimo num jogo equilibrado, decreta que o “elenco forte” é uma falácia – mais uma vez, visando minar o planejamento do elenco.

O Palmeiras viverá na noite desta quarta-feira um jogo fundamental para as pretensões do time em 2017. Em caso de sucesso, o time segue muito forte rumo à conquista idealizada no início do ano. Em caso de derrota, seja amanhã, seja nas fases posteriores, o ano não é perdido: passará apenas a ser um ano lamentavelmente sem conquistas, o que são coisas diferentes. Planejamento não é mais um conceito que se encerra ano após ano; é um processo contínuo.

Eventualmente sem a Libertadores, um 2017 sem conquistas será a base de um 2018 em que, novamente, o Verdão entrará muito forte em todas as disputas, graças a uma enorme conjunção de fatores que envolvem o que hoje é a gigantesca Sociedade Esportiva Palmeiras – e um dos mais importantes deles é a atuação deste gigantesco Alexandre Mattos, que entre acertos e erros, é o profissional mais competente do mercado na função. Sorte nossa de tê-lo trabalhando pelo Verdão. Isso enquanto não conseguem derrubá-lo.


O Verdazzo é patrocinado pela torcida do Palmeiras.

Aqui, o link para se tornar um padrinho deste site: https://www.padrim.com.br/verdazzo

  • Renan B. Baroni

    Belo texto! Obrigado Conrado.

  • Didi

    Eu confesso que me preocupo do dia que o Mattos sair do Palmeiras e voltarmos ao amadorismo.

    • Renan B. Baroni

      Quem pede a cabeça do Mattos está diretamente pedindo isso.

  • Gustavo Arthuzo

    Ao meu ver, Mattos cometeu 3 erros relevantes no início da temporada: lateral esquerda (MUITO previsível); Felipe Melo (um pouco previsível); e Borja (nada previsível).

    • Burn

      E em relação a LE ninguém imaginaria a preguiça do MB de jogar por ali

    • Bruno P. Scheurer

      A lateral direita pra mim também, o Jean ja dava sinais claros de decadência física e de marcação.
      E tem o caso do EB com ideias totalmente diferentes do Cuca e previsivelmente cru pra ser o Técnico do time com a camisa mais pesada do Brasil e ainda com uma cobrança extrema devido ao alto investimento.

      Isso não quer dizer que demitir o Matos caso aconteça algo errado na liberta seria certo na verdade seria um absurdo pela competência que ele mostrou nos últimos 3 anos.

  • Antonio Frederico

    Vamos nos dar ao direito de guardar as pedras, porque pode ser que em 3 jogos o Borja vire artilheiro e herói de uma Libertadores e Mattos o gênio que enxergou o que ninguém enxergava. Futebol de certa forma é momento sim. Mas planejamento vai além do agora e graças a Deus temos gente olhando bem à frente desse momento.

  • renato

    A hora em que os estatutários puserem às mãos nesse dinheiro estamos fritos.

  • MonacoParmerista

    A análise do post está corretíssima e dá conta do que interessa a quem realmente interessa: NÓS PALMEIRENSES.

    De todo que vem envolvendo os fatos recentes do PALMEIRAS, a pergunta que não quer calar é: O QUE É QUE ESSE MONTE DE INTROMETIDOS TÊM A VER COM NOSSO DINHEIRO, NOSSOS JOGADORES, NOSSO DESEMPENHO?

    Vão cuidar de suas vidas que vcs ganham mais e deixem a gente em Paz.

    #ForzaMattos
    #VamosPalmeiras

  • Bruno P. Scheurer

    O Keyrrison foi contratado pelo Barcelona, as vezes, nem os melhores conseguem detectar as farças do futebol. No saldo geral o Matos tem muito crédito ainda.

    • Renan B. Baroni

      Melhor exemplo!

  • Bruno Silva

    Excelente texto, deixou bem claro o que a torcida deve pensar: Mesmo que não sejamos campeões esse ano, o que foi feito em 17 faz parte do planejamento do trabalho que dará frutos nos anos seguintes. Estamos no caminho certo com Mattos, podemos até não levantar taças esse ano mas voltamos ao protagonismo do futebol brasileiro.

  • Décio Sant Anna

    É por essas e muitas outras que acesso o verdazzo todo dia, não comento muito, mas leio todos os posts. Excelente texto, coerente, realista e muito esclarecedor. Parabéns pelo texto e por manter o site sempre em alto nível. No momento estou sendo assaltado pela ex, mas, assim que der, prometo que viro padrinho.

    • Bruno Silva

      Vale muito a pena mesmo acessar o verdazzo, além dos textos os comentários também são muito bons.

  • Bruno Silva

    Acho que a maior infelicidade da era Mattos em questão de montagem de elenco foi a não contratação do Lucas Pratto no começo do ano, mas não por culpa dele. As galinhas de minas preferiram liberar o jogador pros bambis por um valor inferior ao q o palmeiras oferecia. Se ele tivesse sido contratado pelo palestra teria caído com uma luva no esquema do Cuca, estaria arrebentando no time e consequentemente não teria sido gasta aquela grana absurda pelo Borja.

    • Rafael Capelini

      Não foi só as galinhas que impediram o negocio de andar.

      O próprio Louça não demonstrou interesse nenhum de vir. Se tivesse feito um mínimo de esforço, o Mattos fazia o resto junto das galinhas.

      • Penhaman

        Exato Rafael… O próprio jogador disse que preferia o bambi… e o galo preferiu tmb pelo modo que os bambis negociaram o pagamento. Resumindo: todo mundo se deu mal nessa história.

    • O Pratto foi uma pena, era um jogador de retorno certo, com características semelhantes ao GJ.

      • Rafael Capelini

        repare que ele não tá essas coisas todas na vila sônia também não…

        • Bruno Silva

          kkkk Acho que lá na vl. sonia, dificilmente hj algum jogador estaria “essas coisas todas”. O time deles é uma verdadeira bagunça da defesa ao ataque. Parecem um bando de índios tentando jogar futebol.

    • Fernando Piason

      Tenho certeza que o Pratto também acha que sua não contratação pelo Palmeiras foi a maior infelicidade da era Mattos. Pra ele. Mas entendo seu ponto de vista, acho que vc tem razão, mas ainda não perdi as esperanças no Borja.

    • Saulo Tuchê 9X

      O que dizer de um time que NUNCA foi bi de nada??? Pega essa crise aí, galo depenado! O melhor deles é o “planejamento” com um time com média de idade de 74 anos kkkkkkkk

    • Marcos Aurélio Bardini

      O Pratto fez 5 gols nos 19 jogos do 1º turno. E olha que ele é titular absoluto. Deve ter jogado todos os jogos e nunca é substituído. Perde vários gols, perdeu pênalti no clássico contra as sardinhas… se fosse aqui no Palmeiras estaria sendo criticado também.

  • MonacoParmerista

    Pra ter-se uma ideia do que pode significar um “2017 sem título” e o potencial reflexo em 2018, basta lembrar de 1995 e o reflexo em 1996.

    Em Jan95, tínhamos recém faturado bi paulista, bi brasileiro e rio spaulo. Fizemos umas trocas e chegamos às quartas de final LIBcontra o GRE com a seguinte escalação (falando de memória, convido correções de quem tiver dados à mão): Sérgio, Cafu, Antonio Carlos, Cleber e Roberto Carlos; Mancuso, Amaral, Valber, Rivaldo, Muller e Alex Alves. Todos lembramos bem dos 0x5 lá, os 5×1 aqui, a elimin

    • Barba

      Esse 5 a 1 foi a última vez que chorei com futebol. Engasgo só de lembrar, rebaixamento foi nada perto daquela tristeza.

      • Rafael Capelini

        Pow cara, meu sentimento no fim do jogo foi de imenso orgulho!!Triste pela eliminação, sim. Mas o orgulho falou muito mais alto.

      • Saulo Tuchê 9X

        Me lembro que no outro dia fui com o manto pra escola. Ao invés de zoação, 100% dos colegas parabenizaram pelo resultado. A semana pós 5×0 foi uma das mais difíceis da minha vida! Mas nada se compara às quedas….

        • Rafael Capelini

          Eu sai na rua com o Manto a semana inteira depois dos 5×0. Algo me dizia que tinha que demonstrar que aquilo não ia me afetar. Os 5×1 lavaram minha alma, apesar da tristeza da eliminação.

    • Rafael Capelini

      E não esqueçamos 97 sem título preparando os mágicos anos de 98 e 99…

    • Ralf Olbertz

      Sobre o 5 a 1, eu lembro de ouvir o jogo na rádio, junto com meu pai. C

      Essa eliminação é o que chamam de “caímos, mas caímos de pé!”

    • Penhaman

      5×1, dia 02 de agosto de 1995. Está entre os 5 melhores jogos que vi no estádio na minha vida de quase 500… Fomos assaltados no sul e aqui retribuimos na bola. Fui com um amigo bambi que perdeu uma aposta pra mim, e esse foi o jeito que ele encontrou de pagar. No final do jogo, tava chorando que nem criança, kkkkkkkk… Fala até hoje que foi o melhor jogo que já viu na vida, e que o bambi nunca proporcionou algo nem parecido pra ele. Inesquecível.

  • Ricardo

    Só o Palmeiras tem um planejamento para 2, 3, 4 temporadas. E isso se deve muito ao Mattos.
    E não aceitar os valores $$$ absurdos do volante Gabriel foi um dos maiores acertos que Mattos teve.

    • Rafael Capelini

      Gabriel ainda vai cair em desgraça!!!

      TODOS que foram FDPs com a SEP se fouderam, não vai ser esse babaca que vai se safar.

      Toda vez que vejo a imprensinha babando o ovo dele só lembro do Rogério Pedalada.

      Também traírou, também foi pras galinhapreta, também teve um começo elogiadíssimo. E pro resto da vida será lembrado como o cara que levou as pedaladas do Robinho 17 aninhos numa final de BR.
      E depois simplesmente SUMIU.

      Destino semelhante aguarda o Gabriel Pitbitoca.

  • AlexTala

    O time campeao do ano passado relaxou depois da conquista (comum acontecer isso).
    Com a saída do Cuca perdemos a nossa solução de continuidade (foi inevitável).
    A chegada de Eduardo Batista nos fez sonhar com um novo Wanderley Luxemburgo.
    A eleição de Galiote deu-nos a impressão que tudo continuaria como antes e melhorando.
    O dinheiro aos montes da Crefisa aumentou nossa segurança nos fez relaxar mais um pouco.
    Com o ressurgimento do sapo boi perdemos o foco em questões importantes para o futebol como a blindagem do centro de treinamentos.
    A contratação de medalhões como Borja, Guerra e F. Melo, mais uma vez aumentou nossa segurança e nos deixou mais relaxados.
    Isso não fez bem para o time, comissão técnica, diretoria e torcida.
    Aumentamos muito nossas expectativas e vivemos todos alguns momento de frustração, usados pela imprensa marrom para vender matérias mal feitas, tendenciosas e apocalípticas.
    As correções de rumo foram feitas, Cuca voltou e Matos mostra que tem o domínio do seu setor, continuamos contratando com agressividade e nos preparando para o momento e para o futuro!
    Merecemos e se os deuses do futebol quiserem seremos campeões mais uma vez este ano!

    • Saulo Tuchê 9X

      Discordo de você, amigo. A saída do GJ, Moisés, a queda de rendimento de peças chave de 2017 como Prass, TT e Jean, além do “até logo” de Cuca foram fundamentais para a queda no início do ano. Sobre o Moisés, deu pra ver nitidamente como a cadência do futebol e sua diferenciada inteligência fazem o time ter um equilíbrio ataque-meio-defesa. Aí vão aparecer cornetas dizendo: “mas não pode depender de 1 jogador!!!!!”, embora eu tenha citado 5 acima, só pra resumir, além do Cuca que não tem nada parecido no mercado brasileiro. Não culpo nenhum planejamento por terem trazido o EB, pois era o que tinha disponível, embora eu sempre o achei meio gambá e nunca curti seu estilo (retranca qdo treina times pequenos) qdo ficou perdido tendo uma Ferrari à mão.

      O que vejo hoje como “erro fatal”, se é que podemos chamar assim, a contratação do FM. Nada mais.

      Agora minha segunda maior esperança no ano é ver Guerra e Moises no nosso meio, provavelmente num futuro próximo, em jogos em casa! A primeira maior é hoje, às 22h!!!

      • AlexTala

        Voce mesmo escreveu, “a queda de rendimento de peças chave de 2017” isso para mim foi fruto de falta de foco e concentração que acontece quando voce dorme nos louros da vitoria, ou seja, relaxamento!

        • Saulo Tuchê 9X

          Na vdd, com a saída do Moisés automaticamente o TT caiu. Conseguimos confirmar isso com a volta do Moisés em campo, como melhorou o futebol do TT. Não que justifique, mas é um fato. Prass ter caído não chamo de “relaxamento”, mas é a idade cobrando os reflexos que ele pode não ter mais. Jean tem uma lesão que aparentemente tem que ser operada e estão tentando resolver com paliativos.

          Agora, o que eu acho realmente que caiu em, no mínimo 1/3 do nosso ofensivo e defensivo é nosso poder de fogo na bola aérea.

  • Rafael Capelini

    SE o pior acontecer…

    …e o Galliote ceder as pressões e demitir o Mattos, tem que ser escorraçado em praça pública como
    “O MAIS FROUXO presidente da HISTÓRIA da SEP!!!” passando a ser Devidamente chamado de ‘galinhote frouxo’ todos os dias até que contrate um Diretor Profissional Remunerado Melhor do que ele (good luck with that!)

    Mas vai ser fácil, fácil achar um substituto a altura né, afinal…

    o Brasil está ‘REPLETO’ de ‘EXCELENTES’ gestores de futebol.

    Por isso que todos os times estão ‘extremamente bem administrados’, com ‘elencos sólidos e bem montados’, ‘projetos que contemplam anos na frente e não só meio semestre’, ‘contas em dia’, ‘clubes DANDO LUCRO!!! independente de quanto INVESTEM’

    Ah Não!!! Peraí!!! estamos falando de BRASIL!!! Onde os únicos com trabalhos REALMENTE PROFISSIONAIS e PLANEJADOS com ‘um mínimo’ de sucesso são o Caetano (que administra bem, mas na base de ir montando uma seleção no LONGOoooooooooo prazo, e o… MATTOS!!!!

    E daí que ele gasta mais???

    Com seus investimentos também gera MUITO MAIS RECEITA!!!

    Ou você é daqueles que acredita que com investimentos modestos geraria a mesma receita??
    ….ia ter Avanti e renda bombando??
    …Patrocinador FELICÍSSIMO com a exposição botando cada vez mais dinheiro (e aparecendo cada vez mais)??
    …Acredita em Duendes também???

    Olha os gambas líder disparadíssimo, ‘Ano Mágico’ e não chega nem aos pés da receita que o PALMEIRAS gera.

    CLUBE de MAIOR LUCRO do Brasil e ‘neguim’ reclamando de GASTAR DEMAIS é o Fim…

    • Saulo Tuchê 9X

      Gambás entrando no 3º ano no vermelho, com direitos de imagem atrasados, a CBF fingindo não ver, pois não quer colocar o “fair play financeiro” pra funcionar logo com um dos flhotes mais amados! PLANEJAMENTO. Uma palavra que nós, administradores criamos úlceras ao ver pseudo repórteres repetirem sem ter a mínima noção da profundidade do termo que estudamos (e não vemos) sendo aplicados em 1% das empresas espalhadas pelo país.

      Hoje, temos um Centro de Excelência com fisiologia, medicina e todo aparato que visa prevenir problemas do que saná-los. A recuperação do MoiDEZ é algo que deveria estar reverberando eternamente, mas nós somos o patinho feio! Somos tudo o que não querem ser (como dizem), mas se mordem por saberem que NUNCA SERÃO! Deve ser muito ruim se remoer e ter que viver a realidade de outrem e tentar, com todas as forças, minimizar a realidade para tentar não morrer de dor de cotovelo.

      Enfim, desse mal nunca sofremos, pq só o que sempre pedimos, foi uma gestão séria. Sempre soubemos do nosso potencial, mesmo quando estávamos por baixo. Presidentes que adoram politicagem, conselheiros vazadores de mentiras (e verdades) para a imprensa lixo, presidentes que vão à praia após tragédias… No fundo, sempre soubemos que com gente competente o gigante voltaria a se mover. E nossa movimentação incomoda muito. Que rasguem os cus hoje e sempre!

      #rumoaoBI
      #rumoaoDECA
      #scoppiachelavittoriaènostra

      • Penhaman

        “Somos tudo o que não querem ser (como dizem), mas se mordem por saberem que NUNCA SERÃO!” — Cara, que frase duca… Vou ter que usar pra algumas coisas na minha vida agora, kkkkkkkkkkk…

        • Saulo Tuchê 9X

          Fique à vontade irmão. A frase é NOSTRA! Somos FAMÍLIA!!!!

          #FORZAPALESTRA

  • Edinog

    Acho importante a manutenção do Mattos e um planejamento para 2018. Entendo como fracasso a eliminação precoce no Paulistão e Copa do Brasil, ou seja e mais uma vez, com o elenco que temos, existe sim o obrigação de disputarmos todos os campeonatos até o fim, chegar a uma final e ganhar ou perder, pode ser sim uma questão de momento ou 30 minutos ruins, afinal são 11 contra 11 no período de 90 minutos em que tudo pode acontecer. Tivemos realmente algumas falhas de planejamento, contratamos muito e não tivemos a capacidade de encontrar dois bons laterais, concordo que realmente não existe muita qualidade no mercado, porém, tínhamos em nosso elenco dois garotos(João Pedro e Victor Luis) que se não são os laterais dos nossos sonhos com certeza, não ficam a dever para o Mayke, Fabiano, Egídio e a idade avançada do Zé Roberto, tá certo que ao empresta-los para o Botafogo e Chapecoense, teriam a oportunidade de jogarem a Libertadores e retornarem com mais experiência para 2018. Ou seja, o mundo não vai acabar hoje por volta da meia noite, só vamos ter a chegada do dia 10/08 e caso tenhamos mais uma desclassificação prematura, que sirva de lição à nossa Diretoria visando um melhor planejamento futebolístico para 2018.

  • Wilfrido Paredes

    Conrado, concordo com tudo que você escreveu, parabéns, mas fiquei preocupado com o texto.

    Por acaso vocês que frequentam as alamedas do Palestra tem alguma informação sobre uma possível queda do Mattos.

    Para mim, se isto fosse só ventilado como uma possibilidade, seria um absurdo.

    Quanto a lenda que o Mattos contrata muito, isso também é um absurdo. O pessoal faz a conta somando os 3 anos de gestão, mas se vocês separarem pelos anos, verão que mais de 50% das contratações foram feitas no primeiro ano, onde tivemos que montar um elenco novo e foram contratados 25 jogadores, pois não dava para ficar com aquele elenco de 2014.

    Os demais anos, foram contratações pontuais e oportunidades de negócio.

    Quanto ao elenco deste ano, o erro foi nas laterais direita e esquerda, estamos à pé, mas nada que não possa ser corrigido no ano que vem…

  • Ralf Olbertz

    A questão é a seguinte, falar em ano decepcionante é ridículo, porque só não estamos lutando pelo título porque o SCCP está fazendo um campeonato absurdo, coisa que ninguém imaginava em Janeiro, eu mesmo pensei que com técnico tampão, jogadores medianos e as dívidas se acumulando (7 meses em atraso já) o time seria rebaixado!

    Copa do Brasil caímos por um detalhe, uma bola maldita que não entrou, acontece, é futebol!

    Libertadores é mata mata, se pegarmos a história da libertadores grande parte das vezes o melhor time não ganhou, muitas vezes por roubalheira descarada da Conmebol, esse ano mesmo, o que foi a mudança das regras no meio do jogo, autorizando que 6 jogadores poderiam ser trocados, justo quando o Boca teve 7 jogadores pegos no antidoping???

    Hoje não acaba nada, temos que parar de sermos mimados e 4º lugar no brasileiro, com 32 pontos, não é fracasso nenhum!

    Sobre o Borja, nem sei se o Mattos fazia tanta questão dele, fico na dúvida que na pressão da torcida, a Senhora Crefisa (com candidatura questionável e eleição marcada para o sábado seguinte) junto com a Diretoria não exigiram o Borja e agora deixam na conta do Mattos.

    Sobre a continuidade do Mattos, fico pensando se com essa encheção de saco de aguentar conselheiro incompetente todo dia dando palpite, falando mal e vazando informação, se chegar uma grande proposta de outro clube ele não cai fora.. Nós somos Palmeirenses, ele é profissional, se achar outro ambiente de trabalho mais saudável e que pague o mesmo, ou até mais, vai cair fora..

    E pior que as raposas velhas das alamedas sabem disso, deixam o ambiente conturbado de propósito.. Se o Mattos sair por decisão sua, vão poder dizer que “não mandamos ninguém embora, ele que nos traiu, viu só, se fosse um conselheiro no lugar dele isso não aconteceria”..

    Outra questão muito importante citada no texto, PN chamava para si a responsabilidade, quando dava errado ele dava a cara a tapa, cada o MG?
    Deixa no rabo do contratado, pq se der errado manda o Mattos embora (com aval de parte da torcida) e ameniza os ânimos políticos, se mantendo no poder, mesmo sendo omisso!

    Não vamos cair nessa galera, erros todo mundo comete, agora dizer que o Palmeiras não está bem é jogar contra, vamos com calma, hoje vamos passar, mas isso não quer dizer nada, não seremos campeões hoje e nem seremos fracassados hoje!

    VAMOS GANHAR PORCOOOOOOOO!

    • Renan B. Baroni

      O doping foi no River acho.

      De qualquer forma, seu comentário foi excelente. Onde já se viu terminar o turno em 4° com 32 pontos ser considerado um fracasso? Só a gente e só por causa da campanha do pessoal da ZL.

      Cheirinho ano passado, salvo engano, não tinha 32 pontos ao fim do turno, tinha menos. Foi chamado de fracasso?

      • Ralf Olbertz

        Exato, river.. é que odeio tanto o Boca que saiu sem pensar.. hahahah

  • Hugo

    belo texto, parabéns

  • Marcos Aurélio Bardini

    Concordo plenamente que se não ganharmos nada em 2017 não será o final do mundo e que em 2018 continuaremos sendo fortes e competitivos. O time que é competitivo sempre irá beliscar um ou outro campeonato.

    A única coisa que eu irei contestar caso o time seja eliminado hoje será a forma precoce com que o time foi eliminado em todas as competições do ano. Uma coisa é não ganhar, outra é não chegar nem perto de ganhar. Com o elenco que temos, o time tinha a obrigação de ir mais longe nas competições e correr o risco de amanhã, 10/08 já estar de férias é frustrante.

    Mas… isso é apenas uma opinião baseada no “SE” for eliminado.
    Acho que o time tem tudo a seu favor para vencer bem o jogo hoje. Tem um melhor elenco, um melhor time, um melhor técnico, terá 40 mil vozes empurrando… Tem tudo nas mãos para se classificar.
    E olha… esta Libertadores está “mamão-com-açúcar” pra se vencer. O Gambá que vêm jogando o melhor futebol do Brasil nem entrou, o Boca Júniors nem entrou, o “Cheirinho” já deu adeus, o Galo e as Sardinhas estão bem instáveis… O Gaymio que para mim é o time mais organizado da competição está por um detalhe para perder o seu melhor jogador, Luan.
    Se o Palmeiras passar por hoje, terá todas as condições para ganhar esta Libertadores e terminarmos o ano radiantes de felicidades.

    AVANTI PALESTRA!!!!
    É HOJE, CAZZO!!!!

    • Renan B. Baroni

      Que férias? Tamo garantido no g4 já? Isso é papinho da imprensa!

      • Marcos Aurélio Bardini

        Me refiro a títulos.

        • Renan B. Baroni

          Desculpa ser chato, mas usou o termo errado então. Termo falado pela imprensa a semana toda pra por na cabeça da torcida que se perder o mundo acaba hoje.

    • Wilfrido Paredes

      Que história é essa de melhor futebol do Brasil do Gamba ? Mas tá bem longe de ser o melhor futebol praticado no Brasil…

      • Marcos Aurélio Bardini

        Quais os times estão melhor organizados taticamente?
        Quais os times estão sendo mais competentes tecnicamente?

        • Wilfrido Paredes

          Taticamente o jogo deles funciona bem.

          Mas vir a falar que é o melhor futebol do Brasil é uma distância bem grande.

          O Grêmio, por exemplo, jogo muito, mas muito mais bonito que o Gamba.

          Essa história de futebol de resultados que ocorre desde 1994 dá nisso. O que vale é o resultado e não a beleza em jogar futebol…

          • Marcos Aurélio Bardini

            Respeito sua opinião, mas não concordo.
            Fica difícil contestar a invencibilidade e os 47 pontos em 19 jogos (82,5%). Fica difícil não achar bonito o bate-pronto do Arana, a chapada de curva do Rodriguinho… enfim, eles tem feito belos gols com infiltrações, profundidade…
            Me dói na carne, mas…

          • Wilfrido Paredes

            Olha Marcos, também respeito a sua.

            Mas discordo deste ponto “de melhor futebol”.

            Mas sigamos em frente, acima de tudo, o que mais importa é nosso Palmeiras…

            Abraço

          • Marcos Aurélio Bardini

            Com certeza.

            Abraço!

  • Boboris

    Sensacional, como quase sempre, Conras!

  • O maior Campeão Brasileiro

    Clap, Clap, Clap……Parabéns!

  • O maior Campeão Brasileiro

    Olha é um Colírio ver uma análise realmente inteligente e coerente.

    É como um Oásis no deserto.

    Peremptoriamente Parabéns Conrado!

  • Gagliardi

    Bom texto mas Cuca também tem parcela de culpa pela desclassificação da copa do Brasil, e domingo não era dia de polpar os titulares, todos os outros envolvidos na libertadores jogaram com seu time titular, e tem outra coisa ele muda constantemente o time, cada jogo é um time diferente desse jeito não há como entrosar, mas hoje temos que acreditar é difícil mas não impossível, o problema é que não sabemos fazer gols.

    • Saulo Tuchê 9X

      Seria apenas uma juntada de “SEs” imaginar o que aconteceria se tivéssemos os titulares no último domingo. Agora vou jogar outros “SEs”: já imaginou SE jogadores que podem decidir hoje (Mina, Dudu, Guerra, Guedes, Deyverson ou qq outro) se lesiona e fica fora de hoje?? Ou se matasse no domingo e hoje estivesse meia bomba pro jogo e perdêssemos a classificação?? Cuca seria crucificado em praça pública por mandar os titulares num jogo qq, abrindo mão do “jogo do ano”… É complicado. Um cobertor curto!

  • Thiago Sturzenegger

    A única questão que eu gostaria de fazer a esses jornalistas que estão querendo colocar a corda no pescoço do Mattos é a seguinte: você, sendo presidente da Inter, já teria deminitido o diretor de futebol pela contratação do Gabigol? Se o PSG não ganhar a Champions, você, presidente do clube, demite o diretor de futebol?

  • Czar_SP

    Somos (quase) todos contaminados com a cultura imediatista que desde sempre infesta o futebol brasileiro.

    Os anos 80 deixaram profundas marcas na memória do palmeirense, pois sabíamos que com o planejamento (ou a falta de) adotado naquela década o resultado teria que chegar no “bumba meu boi” e naquele campeonato em andamento, qualquer que fosse. Caso contrário, nunca mais.

    Os times eram desfeitos a todo momento e técnicos demitidos como passatempo por dirigentes ávidos por demonstrar poder.

    Hoje vejo somente o Palmeiras com a chance de mudar paradigmas no futebol brazuca ao profissionalizar a estrutura do futebol e conseguir (até agora, pelo menos) tornar perene o ciclo virtuoso (time forte + patrocínio forte + torcida presente + superavit).

    Falta também trabalhar a nossa cabecinha teimosa e corneta.

    • Wilfrido Paredes

      Czar, eu que vivi a infância e adolescência nos anos 70 e 80 e a fila de 16 anos e nove meses fico inconformado com a reação da nossa torcida por um possível insucesso em 2017.

      E o que mais me assusta não é comportamento dos mais jovens e sim dos mais velhos, com mais de 40 anos, que passaram por tudo isso…

      • Czar_SP

        Exato. É até possível perdoar a impetuosidade da molecada que quer ver o time ganhando a todo custo.

        Mas é triste ver isso vindo da parte da torcida (40+) que tem todos os motivos para apreciar e comemorar esta perspectiva de ver o time ainda mais forte em 2018.

      • Renan B. Baroni

        Exatamente. Molecada ser imediatista até da pra entender. Mesmo eu que tenho só 32 e peguei apenas o final da fila tenho mais paciência que alguns por ai que viram a fila inteira.

  • Luciano – Apuca

    Muito bom o texto, por isso é bom analisar e tecer comentários com frieza, na hora da emoção não enxergamos bem essa lógica de raciocínio que é a correta, mas com os nervos no lugar, esse é a realidade que vive o VERDÃO hoje e convenhamos, infinitamente superior do que a alguns anos atrás e o que é melhor, c/ boas chances de se perpetuar novamente como o maior ganhador de títulos também nesse novo século. Tenho fé no time e nesse jogo de hoje, mas acima de tudo tenho a certeza que voltamos a ser o time a ser batido e c/ uma base muito sólida para no mínimo em 10 anos, ganharmos pelo menos uns 7 a 8 títulos, isso é que é o mais importante, por isso é fundamental proteger e apoiar o profissionalismo dentro do nosso clube, pois foi muito duro chegar até aqui para dar brecha para a corja que espera que o cluebe volte a retroceder… AVANTIIII VERDÃO !!!! HOJE E SEMPRE !!!!!

  • Igor Eugenio

    Só falo uma coisa: os mesmos que detonam o Borja hj são os que encheram o saco para o Palmeiras contrata-lo a todo custo, a qq preço…. e se o Mattos não o trouxesse seria apedrejado!!!!

    • Wagner Santos

      Fataço! E outra, o problema do Borja é o mesmo que tiveram Barrios, Alecsandro e Cristaldo: a bola não chega, o time não tem tabelas nem jogadas de infiltração, só chuveirinho na área e jogadas esporádicas…

    • Tiago Moraes

      Se o time jogar com dois volantes e dois meias, você pode colocar um homem de referência fixo no miolo da zaga. Agora, se você joga com três volantes, aí o time vai ter que jogar com dois pontas e concentrar a ofensividade pelos lados, com um falso 9 no meio, jogando mais recuado e próximo ao aos segundos volantes do time. O Borja é um centroavante 9-9, ele não vai jogar nunca nesse esquema 4-3-1-2 fazendo a função de falso 9. E o Cuca vai lavar as mãos porque não foi ele quem pediu o Borja e não vai mudar o time inteiro por causa de um único jogador. O problema é de falta de planejamento mesmo, um time não pode gastar dinheiro e chegar ao cúmulo de ter até 04 centroavantes no elenco, como foi o caso do Palmeiras em 2016 e, ao mesmo tempo, contratar um treinador que não gosta de jogar com centroavantes.

  • Tiago Moraes

    O fato é que o trabalho do Mattos no Departamento de Futebol foi o que tirou o Palmeiras da fila. Agora, isso não significa que ele deve ficar imune a críticas. Acredito que ele perdeu eficiência em relação ao seu trabalho no Cruzeiro. A causa disso foi a diferença de orçamento, o maior plus financeiro e o cheque em branco da Crefisa fizeram Mattos ser menos criterioso nas contratações e a arriscar mais. No Cruzeiro, por conta das limitações de orçamento, Mattos se via obrigado a ser mais criterioso na busca por jogadores, resultando em um elenco enxuto e eficiente que foi bicampeão brasileiro. Esse é o caminho, ele precisa ser cobrado para ser mais criterioso nas contratações.