Gustavo Gómez entra em acordo com o Palmeiras e renova o vínculo

César Greco/Ag.Palmeiras

Depois de uma desgastante negociação, o zagueiro Gustavo Gómez chegou a um acordo com o Palmeiras e renovou seu contrato até junho de 2024, com valores ajustados. A informação é do portal globoesporte.com.

Os representantes do jogador interpretavam o texto do contrato de forma diferente do clube e pleitearam ajuste nos vencimentos do atleta baseando-se na forte variação cambial registrada entre a assinatura do primeiro contrato e os dias atuais.

Depois de várias rodadas, finalmente as duas partes entraram em acordo. A assinatura deve ocorrer ainda na tarde desta terça-feira e o contrato precisa ser registrado na CBF até as 19h. A correria deve ter sequência rumo à FPF, para efetuar o registro até as 23h59.

Caso a operação seja bem-sucedida, Gómez terá condições de jogo para a fase final do estadual, até mesmo para o jogo de amanhã, contra o Santo André. Por conta deste desencontro, o paraguaio desfalcou o Verdão nas últimas duas partidas.

Mercenário?

Gustavo Gómez
César Greco/Ag.Palmeiras

Parte da torcida demonstra revolta com a postura do zagueiro. A torcida espera que os atletas tenham o mesmo amor à camisa de quem está nas arquibancadas e sofás, algo que não acontece no mundo dos profissionais.

O termo “mercenário” é provavelmente uma herança dos tempos do futebol amador, antes de 1933. Hoje, todos os jogadores são mercenários. Todos defendem clubes que os pagam e vão atrás da melhor oferta financeira.

Quem ama a camisa somos nós, torcedores. Os atletas podem até demonstrar muito respeito e carinho por um clube, mas são, antes de tudo profissionais. A maioria absoluta deles entrega os rumos de suas carreiras a agentes especializados, figuras isentas de vínculos emocionais no momento de discutir os interesses de seus clientes.

A ausência de vínculos emocionais não dispensa caráter, claro. Temos diversos exemplos de empresários que não demonstram o menor escrúpulo nas negociações, rompendo a barreira do razoável no relacionamento com os clubes. O mesmo se verifica com advogados, no momento de fazer cobranças nem sempre devidas.

Bruno Henrique e Gómez
Cesar Greco/Ag.Palmeiras

No caso de Gustavo Gómez, pela falta de informações, não se sabe ao certo se o que os empresários estavam pleiteando era algo justo, levando-se em consideração não apenas o escrito, mas também todo o contexto que levou a essa variação.

De qualquer forma, pedir não é feio. Colocar a faca no pescoço, sem razão, é. Usar a imprensa para ameaçar ir à Fifa para rescindir o contrato é uma jogada cuja validade está no limite das regras do jogo. Ou talvez um pouco além.

Felizmente, no final houve o entendimento, o que atenua as agruras da negociação. O preço final pode ter sido o Gil subindo sozinho e fazendo o gol no Derby. Gómez talvez sinta algum reflexo disso em forma de cobrança nos primeiros jogos, mas nada que a retomada de suas grandes atuações não resolva.

Que nossa torcida não resolva queimar mais um grande jogador por causa das atitudes de seus empresários. Não sabemos o quanto o contrato original lhes dava razão. Não sabemos nem o quanto o próprio zagueiro não influenciou na flexibilização das demandas, que possibilitou o acordo. Sem dados concretos, nossa obrigação é jogar a favor do clube, e não causar mais efervescência.

Que o tempo mais uma vez faça seu papel e a torcida volte a gritar o nome do jogador. A não ser que novos fatos venham à tona. VAMOS PALMEIRAS!


O Verdazzo é um projeto de independência da mídia tradicional patrocinado pela torcida do Palmeiras.

Conheça mais clicando aqui: https://www.catarse.me/verdazzo.

  • Mais um episódio para marcar a trágica administração Galliote, umas das piores – senão a pior, dado o contexto em que pegou o clube e que o entregará – da história do clube.

  • Acho que fácil entender, chegaram pra ele há 2 anos atras : “venha jogar no brasil, pagamos pra vc 400 mil por mes” o cara converteu pra dolar e deu 100 mil dolares, e aceitou. Hoje os mesmos 400 mil valem por exemplo 80 mil, o cara iria renovar por menos pq nossa economia é uma porcaria? Esses numeros sao um exemplo, mas acho q a ideia é por ai, eu tb nao renovaria pra ganhar menos, mas tb acho que o cara deve ter pedido um reajuste que somando tudo ficou algo inviavel… mas se estava em contrato, nao da pra chamar de mercenario, é só fazer o gol do titulo que ta tudo perdoado 🙂

  • Uma excelente noticia, Gomez é um ótimo zagueiro e fez muita falta no Derby, a dupla Felipe Melo e Vitor Hugo na minha opinião não passa confiança, gosto muito do Vitor Hugo mas ele ainda não é nem de longe o mesmo zagueiro que foi na primeira passagem, Gomez é titular absoluto e o Vitor Hugo vai pro banco mesmo.

  • Pelo menos um sopro de vida nesta diretoria e presidência. Já perdemos o Dudu, perder o Gomes nosso único zagueiro confiável seria um absurdo. Domingo quando os atacantes partiam para cima do “pitbul” era um apuro danado. Imagine ele marcando o Bruno Henrique por exemplo. A linha de zaga tem que ser o V Hugo e o Gomes.