Knockdown: o juiz abre a contagem mas o Palmeiras se levanta

BenedettoFoi uma pancadaça. Os dois gols do maledetto Benedetto jogaram o Palmeiras na lona e ainda zunem na cabeça de milhões de palmeirenses, dos quais boa parte jogou a toalha. Já perdemos, acabou o ano. Fora este, fora aquele. Manda todo mundo embora. Etc etc etc.

Neste segundo dia as coisas começaram a ficar mais claras. As ideias ainda estão meio confusas, mas já é possível ver com alguma clareza que não tem nada perdido. Mata-mata é diferente de pontos corridos, todos sabemos. Precisamos de 3 a 0 e um gol no começo do jogo pode abreviar bastante essa caminhada. O Palmeiras já protagonizou viradas incríveis e você já leu entre ontem e hoje um apanhado de textos palmeirenses professando a fé eterna e por que desistir não faz parte de nosso vocabulário. Aquela coisa toda.

E de fato, se tem um treinador que personifica essas viradas, é Felipão. Se tem um clube com um elenco forte o suficiente para conseguir essa reviravolta, é o nosso. Se tem um estádio que, combinado com sua torcida, apavora os adversários e conspira para que isso seja possível, é o Allianz Parque. Talvez deixemos a desejar apenas nos bastidores – mas que é plenamente possível, é; se alguém pode protagonizar mais uma história épica de Libertadores, é este Palmeiras.

Mas não é do jogo contra o Boca que este texto trata.

Amanhã tem jogo-chave

MaracanãA Terra continua girando e não há muito tempo para contar passarinhos. O foco tem que ser ajustado rapidamente, porque amanhã temos um jogo-chave contra o Flamengo, no Maracanã. Se o Palmeiras não perder, terá dado um passo gigantesco para o décimo campeonato brasileiro. E já vimos o Verdão reagir bem após outras pancadas – após a eliminação na Copa do Brasil, o time engatou uma excelente sequência de cinco vitórias.

Acredito na reação imediata e numa vitória revigorante amanhã. Mas o jogo será difícil; o Flamengo vem em ascensão, a torcida recuperou a empolgação e sabemos o quanto nosso adversário de amanhã conta com ajudas paralelas. A derrota é um resultado perfeitamente possível.

E aí, e se perdermos de novo? Nocaute?

Nada disso.

Animais de rapina

O Verdão iniciou uma sequência duríssima em Buenos Aires, mas decisão mesmo, só na partida de volta. A derrota na Bombonera não decidiu nada, tampouco uma derrota amanhã nos tira de briga nenhuma.

Uma vitória flamenguista amanhã significará apenas uma dificuldade maior para chegar ao objetivo – exatamente como o revés em Buenos Aires. Continuaremos líderes ao fim da rodada, aconteça o que acontecer.

Se a segunda derrota seguida vier, os animais de rapina nos cercarão rapidamente. Trolls nos trollarão; a mídia clubista, declarada ou não, decretará nosso fim – tudo para minar a confiança de nossos jogadores e de nossa torcida.

Não podemos passar o recibo. Teremos quatro dias para nos reerguer de um eventual segundo knockdown e focar novamente em como furar rapidamente a defesa argentina e incendiar o jogo. Vocês sabem como estará o Allianz Parque. O Boca vai passar um apuro dos infernos.

Se acontecer uma derrota no Maracanã, apenas não teremos mais gordura no Brasileiro – e  para quem estava oito pontos atrás no início do returno, a coisa não parece tão ruim. Nada, absolutamente nada estará perdido. É muito importante que, por mais difícil que seja para muitos torcedores lidar com a derrota, não reverberar o mau sentimento nas redes sociais. Quanto mais confiança e apoio nossa torcida demonstrar publicamente, melhor será para nosso elenco recobrar as forças. Vamos fazer nossa parte. VAMOS PALMEIRAS!


Verdazzo é um projeto de independência da mídia tradicional patrocinado pela torcida do Palmeiras.

Conheça mais clicando aqui: https://www.padrim.com.br/verdazzo