Manipulação da tabela ajuda, mas não faz milagre: o Palmeiras assume a ponta

Willian Bigode
Cesar Greco/Ag.Palmeiras

A vitória sobre o Cruzeiro ontem no Pacaembu devolveu a liderança do Brasileirão ao Palmeiras depois de um ano e nove meses – a última vez que o Verdão esteve no topo da tabela havia sido na última rodada do campeonato de 2016, quando conquistamos o eneacampeonato.

A escalada na classificação sugere que o Palmeiras vive um momento de alta, seja pelas mudanças propostas por Felipão, seja pelo momento técnico dos jogadores. Mas um fator passa despercebido: a tabela de jogos, confeccionada de forma, no mínimo, marota, vai mostrando sua face complementar e a verdade do campeonato fica cada vez mais evidente.

Em maio o Verdazzo propôs esta live; onde o padrinho do site Lucas Galli elaborou um estudo em que evidenciou que a confecção da tabela do Brasileirão visava beneficiar dois clubes: o SCCP e o Flamengo. Assistam ao vídeo e vejam a explicação detalhada.

Com uma sequência de jogos muito favorável a esses clubes no início do campeonato, a ordem dos jogos visava impulsionar os queridinhos para que, eventualmente, pegassem o embalo e ficasse difícil alcançá-los – a exemplo do que aconteceu com o SCCP em 2017. Ao mesmo tempo, montou a tabela do Palmeiras cheia de pedreiras logo de cara, o que tem um potencial imenso de semear crise. O plano funcionou o início, mas não existe milagre.

Na prática, não rolou

Mauricio BarbieriDentro de campo, os times não corresponderam à expectativa. O Flamengo até que surfou na liderança por várias rodadas. A ordem dos jogos permitiu aos cariocas fazerem vários jogos seguidos na ponte Rio-Brasília e, mesmo com um futebol apenas razoável, liderou a competição até a rodada 16.

Já o SCCP foi pior. Com um elenco esvaziado, manteve-se entre os três primeiros graças ao mingauzinho que a tabela lhes reservou até a rodada 8, mas a verdade começou a aparecer e o time hoje tem que se preocupar em manter uma margem segura da zona do rebaixamento.

O Palmeiras teve a missão inversa. O início do campeonato teve uma série de partidas complicadas e os tropeços aconteceram. Os problemas de Roger Machado em desenvolver a identidade de jogo do Palmeiras ficaram mais evidentes e o time oscilou bastante.

Algo que reforça a tese é verificar que na Libertadores as campanhas foram inversas: enquanto o Palmeiras ia de vento em popa, SCCP e Flamengo faziam contas para se classificar. Hoje, o Verdão está muito próximo das semifinais e os concorrentes já estão eliminados.

Da Copa para cá, a verdade apareceu

Últimas 15 rodadasCom um bom acúmulo de pontos, SCCP e principalmente o Flamengo criaram um bom clima para trabalhar. Mas as limitações de seus times determinaram até onde poderiam ir: a ORCRIM de Itaquera naufragou rapidamente; os cariocas, graças ao impulso inicial, ainda se mantêm no G4, mas com um futebol bastante irregular.

A tabela ao lado mostra o desempenho dos clubes nos últimos 15 jogos, que é a classificação aproximada (devido ao ritmo irregular dos jogos, causado por alguns adiamentos) do Brasileirão após a Copa do Mundo. Notem como despencou o desempenho dos favoritos da CBF em relação à classificação pré-Copa.

Esses números nos permitem especular que se a tabela tivesse sido confeccionada de forma equilibrada, o Palmeiras talvez tivesse alcançado a liderança muito antes da rodada 27.

O Verdão foi muito feliz na correção de rota; Felipão deu o encaixe perfeito na base montada desde o início do ano. Podia não ter acontecido – e a chance desse encaixe acontecer com a temporada em andamento costuma ser pequena.

Por outro lado, também é possível imaginar que a correção a que o Flamengo se impôs na semana passada pudesse ter vindo antes se as dificuldades tivessem ficado evidentes mais cedo. A tabela fácil do começo escondeu as limitações do sistema de jogo desenvolvido por Mauricio Barbieri, interino que foi efetivado. Descobriram tarde demais, quando a fase reversa da tabela chegou, e agora rezam para que Dorival Júnior repita na Gávea o encaixe que Felipão conseguiu no Palmeiras.

Desta vez deu ruim, parceiro

Sede da CBFDiante de toda essa salada de números, é possível concluir que, desta vez, a manipulação da tabela não foi suficiente para direcionar o campeonato. As forças dos elencos e as correções de rotas impostas só evitaram a liderança do Palmeiras até a rodada 26.

É claro que as tendências podem se reverter; o Verdão pode ser derrotado no sábado, perder a liderança e não recuperá-la mais. Existe alguma chance do fenômeno se repetir: Dorival Júnior pode dar um estalo e fazer o bom elenco do Flamengo desenhar uma arrancada para o título. Mas se isso acontecer, terá sido jogando bola e não pelo efeito da tabela mastigadinha que foi preparada.

Ironicamente, deixaram uma sequência de jogos bem tranquilos para o Verdão nas cinco rodadas finais, calculando que o time já fosse carta fora do baralho. Erraram, e se quiserem mudar o viés atual do campeonato, é bom que o façam antes da rodada 33.

Hoje, as maiores preocupações do Palmeiras são a dupla gaúcha e, quem diria, o SPFC. O SCCP se preocupa com o rebaixamento e o Flamengo, tudo indica, vai ficar mais um ano só no cheirinho. Sigam o líder!


Verdazzo é um projeto de independência da mídia tradicional patrocinado pela torcida do Palmeiras.

Conheça mais clicando aqui: https://www.padrim.com.br/verdazzo