Planejamento de pontos: fim do primeiro quartil

A vitória sobre a Ponte Preta marcou a décima partida do Palmeiras pelo Brasileirão, o que representa o fim do primeiro quartil do campeonato – hora de verificar o planejamento traçado neste post, feito antes do campeonato começar.

Primeiro QuartilO Palmeiras ficou cinco pontos abaixo da projeção, resultado de uma largada muito ruim. Nos cinco primeiros jogos, conseguimos apenas quatro dos onze pontos previstos – as derrotas contra Chapecoense, SPFC e Coritiba, que aconteceram num momento em que Cuca ainda buscava firmar a dinâmica de jogo ao elenco, foram desastrosas.

Na segunda metade do quartil, o Palmeiras até superou as expectativas – confirmou a previsão nos jogos 6 a 9, e recuperou dois pontos ontem, ao vencer um jogo em que o esperado seria um empate – até pela proximidade do jogo de mata-mata, contra o Cruzeiro.

Se mantiver a previsão do início do campeonato, para chegar aos 77 pontos, ainda precisará recuperar cinco pontos no próximo quartil, quando terá quatro partidas de mata-mata às quartas-feiras em que a dificuldade de virar a chavinha pode atrapalhar muito, embora não seja o que tenhamos visto ontem.

Ajustes para o segundo quartil

Planejamento para o segundo quartilA partida do próximo sábado, contra o Grêmio, no Pacaembu, tende a ser bem mais difícil do que imaginávamos no início do campeonato. A derrota dos gaúchos ontem para o SCCP em casa não os torna um time frágil – foi uma partida em que erros individuais graves, um pênalti perdido e um frangaço, determinaram o resultado. O Palmeiras provavelmente vai poupar titulares pensando na partida da quarta-feira no Equador – a boa notícia é que o Grêmio também viaja, já que joga na terça contra o Godoy Cruz e também deve deixar alguns atletas de fora. Devemos buscar a vitória apostando na maior qualidade de nosso elenco e na evolução do grupo como um todo, algo que tivemos uma bela demonstração no jogo de ontem.

Após o jogo em Guayaquil, exausto, o Palmeiras vai jogar no Mineirão contra o Cruzeiro e uma derrota não será nada anormal. Antes do próximo mata-mata, o time terá mais quatro jogos só de Brasileirão, e será neles que deverá recuperar os pontos perdidos no primeiro quartil – a começar pelo Derby, no dia 12. Vencer o SCCP será fundamental para que o Palmeiras se mantenha vivo na competição – é nos Derbies que se muda o rumo de um campeonato; uma vitória com autoridade faz estragos muito maiores do outro lado do que num jogo comum.

Zerando o saldo

Nos três jogos seguintes, temos a obrigação de vencer o Vitória em casa, plenas condições de arrancar um empate do Flamengo (recuperando mais um ponto) e de vencer o Sport, que não vem jogando bem, fora de casa (recuperando mais dois pontos). Se cumprirmos este roteiro, estaremos de volta à previsão inicial.

Com as contas zeradas, uma vitória contra o Avaí em casa, um empate contra o Botafogo fora e uma vitória em casa contra o Atlético-PR (às vésperas do segundo jogo contra o Barcelona) nos permitirão fechar o turno com os 36 pontos planejados.

Ainda dá?

É uma trajetória bem difícil. E mesmo chegando à meta estipulada, teremos ainda duas dificuldades enormes pela frente no segundo turno: mais jogos decisivos pela Copa do Brasil e Libertadores, e um líder que vem tendo, por enquanto, um aproveitamento muito acima da média, o que pode fazer com que mesmo os 77 pontos idealizados no planejamento não sejam suficientes. Nosso rival não parece estar se importando muito com a Sul-Americana e vai focar apenas no Brasileirão. Resta saber se o elenco vai aguentar a pressão mental e física, já que as peças sobressalentes estão muito abaixo do time titular. A ver.

Mas antes de nos preocuparmos com os adversários – Grêmio e Flamengo também constituem ameaças reais – temos é que fazer a nossa parte, a partir do próximo sábado. Tudo isso, sempre mantendo em mente que temos duas copas para conquistar. VAMOS PALMEIRAS!