Raio-X do Grupo 8 da Libertadores

Taça LibertadoresA chave do Palmeiras na Libertadores ainda não está totalmente definida, mas tende a ser uma das mais chatas dos últimos tempos.

Já confirmados através do sorteio realizado ontem à noite na sede da Conmebol estão o Boca Juniors-ARG e o Alianza Lima-PER. O último adversário sairá da chave que tem o Montevideo Wanderers-URU, Olímpia-PAR, Carabobo-VEN, Guaraní-PAR e Junior-COL.

A tabela dos confrontos é a que segue:

01/03 – Quinta – 21h30: G4 x Palmeiras
03/04 – Terça – 21h30: Palmeiras x Alianza Lima
11/04 – Quarta – 21h45: Palmeiras x Boca Juniors
25/04 – Quarta – 21h45: Boca Juniors x Palmeiras
03/05 – Quinta – 21h30: Alianza Lima x Palmeiras
16/05 – Quarta – 21h45: Palmeiras x G4

Boca Juniors

Boca JuniorsO Boca Juniors é um velho conhecido dos brasileiros. Atual líder do campeonato local, perdeu recentemente seu melhor atleta, o atacante Darío Benedetto, que rompeu o ligamento cruzado do joelho direito. Mesmo assim, segue ponteando a tabela com 10 vitórias em doze jogos.

O time argentino é um velho rival de Libertadores. As finais de 2000 e as semifinais de 2001 tiveram quatro empates – o time argentino levou a melhor nos pênaltis nas duas vezes. Impossível esquecer o assalto operado pelo árbitro paraguaio Ubaldo Aquino na partida de ida da semifinal de 2001.

Da mesma forma, é impossível apagar da memória os 6 a 1 na fase de grupos de 1994, com show de Mazinho sob uma chuva torrencial. Coube ao Boca Juniors a honra de encerrar a História do velho Palestra Italia num jogo amistoso em 2010.

Buenos Aires– fica a 2h40 de voo, ao nível do mar

Alianza Lima

Alianza LimaO Alianza Lima é treinado pelo uruguaio Pablo Bengoechea e tem como jogador mais importante o uruguaio Luis Aguiar, que passou pelo Vitória em 2014. A equipe lidera o campeonato peruano com 11 vitórias em 15 jogos.

O time peruano foi um dos adversários mais recorrentes do Palmeiras na década de 60. O Verdão fazia excursões ao Peru com freqüência, e o Alianza, como um dos times mais tradicionais do Peru, era sempre um dos times que recebia o Palmeiras – normalmente perdia. Os dois times se enfrentaram também na Libertadores de 1979, e o Palmeiras de Jorge Mendonça e Baroninho enfiou 4 a 2 lá e 4 a 0 aqui, no Palestra.

Lima – fica a cerca de 5h de voo, ao nível do mar.

O quarto elemento

Montevideo WanderersMontevideo Wanderers: tem sete participações na Libertadores e terminou o Clausura em 13º lugar.

Montevidéu fica a 2h30min de voo, ao nível do mar.


OlímpiaOlimpia: tem 38 participações, é tricampeão e o favorito para ocupar a vaga. Vice-campeão paraguaio.

Assunção fica a 2h de voo, a 45m de altitude.


Júnior de BarranquillaJunior: Talvez a maior ameaça à vaga do Olímpia, já jogou a Libertadores 12 vezes. Vem de uma boa campanha na Sul-Americana, sendo eliminado na semifinal pelo Flamengo. Terminou em primeiro na fase de classificação do Clausura, mas foi eliminado no mata-mata pelo América de Cali. Seus principais destaques são os atacantes Chará e Teo Gutierrez.

Barranquilla não tem voo direto e a viagem dura cerca de 8h. Fica ao nível do mar.


CaraboboCarabobo: terceiro colocado no campeonato venezuelano, foi fundado há apenas 20 anos e disputou sua primeira Libertadores no ano passado.

Valencia não tem voo direto e a viagem dura cerca de 10h. Fica a 618 metros de altitude


GuaraníGuaraní: Já jogou a Libertadores 5 vezes, e numa delas eliminou o SCCP no Itaquerão. Foi semifinalista em 2015, perdendo para o River Plate. No campeonato local, terminou em terceiro lugar.

Assunção fica a 2h de voo, a 45m de altitude.

Retrospecto

O Palmeiras ainda não enfrentou o Carabobo e o Montevideo Wanderers. Clique nos escudos abaixo para ver o retrospecto contra todos os outros adversários da Libertadores – possíveis e confirmados. O Verdão não leva desvantagem contra nenhum.

Alianza Lima

Boca Juniors

Guaraní

Júnior de Barranquilla

Olímpia


Verdazzo é um projeto de independência da mídia tradicional patrocinado pela torcida do Palmeiras.

Conheça mais clicando aqui: https://www.padrim.com.br/verdazzo

  • Pegamos o Olímpia em 2 campeonatos. Mercosul 98 e Libertadores 99. Nesta, foi o ultimo jogo do Velloso antes de dar lugar pra um tal de Marcos. Não preciso mais motivos pra torcer pra eles virem pro nosso grupo outra vez.

  • Grupo difícil mas se o time ganhar liga ninguém segura. E coisa linda seria se o Boca ficasse pelo caminho na primeira fase, é o time fora do Brasil que mais odeio desde Roubaldo Aquino.

  • o Celso Roth técnico do Palmeiras naquela libertadores 2001 disse que o Ubaldo Aquino no final do jogou falou pra ele “calma professor, se o Palmeiras ganha não teria como ir embora, o empate foi bom pra tdos” e o mais bizarro que mesmo sendo um ladrão declarado ele ainda foi pra Copa do Mundo de 2002, e apitou jogos importantes , inclusive um jogo das oitavas Suécia x Senegal

  • Se jogar a Libertadores como em 16 e 17, não passa da 1a. fase. Se jogar com o potencial de Palmeiras, passa sem sustos.

  • Acho que provavelmente vem o Olimpia pro nosso grupo, time de tradição e copeiro, Defensores del Chaco é um caldeirão e vai ser difícil jogar la, tão difícil quanto o La Bombonera, sem duvida estamos no grupo da morte, o bom é que se passar o time ja fica cascudo e ganha cancha de libertadores

    • Eu já arrisco no Jr. Barranquilla. Tem uns anos que eles vão bem na Sulamericana (caíram pra Chape em 2016, nas quartas, e pro cheirinho na semi desse ano).
      Mera opinião pessoal.

  • Eu achei excelente pegar o Boca Juniors logo de cara. A maior força deles é quando avançam de fase, onde meio que “acordam” e viram aquele time nojento e encardido de sempre. O Boca e o River, salvo exceções, são times que sempre “brincam” na fase de grupos e quase dançam e não classificam, depois, acordam e vira aquela nojeira que a gente já conhece. Me preocupa pegar um time que seja longe, onde a viagem é desgastante. 5h pra enfrentar o Alianza Lima tá ótimo, não precisa de mais do que isso. O negócio era pegar um dos paraguaios (Guarani ou Olímpia) e já era. O Montevideo seria ótimo também. Daria pra jogar com titular nos jogos do Paulista/Brasileirão e também na Libertadores, sem precisar de rodízio, poupar, e perdermos um caminhão de pontos por causa disso.

    • Concordo. Eu só achava que o primeiro jogo fosse o da Bombonera. Agora que pude ler o post e me informar melhor.
      No mais, esse grupo é ótimo pra ver o que o Palmeiras vai fazer: se vai cair logo na primeira fase (BATE NA MADEIRA quando ler isto), ou se vai embalar pra chegar até as finais.

  • Grupo osso , acho que deve vir o Olimpia ou o Junior …O negócio é fazer o trabalho de casa e arrancar pontos fora…Fui naquele 6×1 diante do Boca , saudades daquele tempo…Vai Verdão !!!!

  • Uma dificuldade é a ordem dos jogos… em 2009, 2016 e 2017 jogamos o 1o turno com 2 em casa… e só ano passado ganhamos as 2… com gols depois dos 50! Acaba sendo muita pressão, e se perde ponto fica muito difícil jogar para ganhar fora…

    • Se jogarmos como PALMEIRAS, não temos nada a temer. Agora se jogarmos como jogamos a maioria dos jogos de 2017, fica complicadíssimo! Principalmente tomando 2, 3 gols em poucos minutos…

  • Espero que sirva de lição o que o gremio fez este ano, nada de jogar retrancado igual
    aquele jogo contra aquele pessimo time do Barcelona, tomamos um gol de forma bisonha, pq o ficaram os 11 dentro da área….temos que jogar pra cima….temos um puta time para isso…e que venha o Boca sem ajuda de juiz

  • Sempre lembrando dos erros de 2017, nada de priorizar uma competição em detrimento da outra. E que venha o Olímpia!

  • É sabido que, quem ganha uma libertadores geralmente tem uma base construida em torno de de 2 anos de trabalho. Acho que, para quem visa ganhar a libertadores nós mudamos demais desde 2015 (essa nova era rica do verdão). Temos alguns remanescentes que viraram ídolos mas a espinha dorsal do time atual não tem dois anos de entrosamento. O time que “geral” especula para o verdão tem muitas mudanças e infelizmente ainda não tem entrosamento de campeão da libertadores. Aliás, até o técnico é novo, para variar. Novamente, temos mais chances no Brasileirão, campeonato que premia quem faz um bom começo de ano (pré temporada e estadual).

  • Grupo duro. Tem que começar a competição ligado e pontuando. Mas, sobretudo, tem que parar com esse papo de obsessão e concentrar em jogar bola (principalmente fora de casa).

    • Essa é a chave: jogar fora como jogam contra nós na nossa casa. Jogar de forma inteligente e não se preocupar com cartões por cera, pq peças de reposição temos a rodo. O grande lance é o time ter a “liga” de trocar peças e não perder em constância. Abs

  • Gostei do Grupo, difícil e cascudo, vou torcer para o Olímpia se classificar pois assim serão jogos grandes! em 2016 foram Nacional e Rosário, em 2017 foi só o Peñarol e dois times sem muita tradição na América do Sul.

  • Estava lá em 94, debaixo do placar eletrônico. Que partida o Mazinho fez, que partida que o Palmeiras fez.

    Maior goleada que o Boca já levou em Libertadores.

    Gostei muito do nosso grupo, que venha o Olímpia também…

  • Com relação ao 4º time do grupo, seria interessante jogar no Uruguai ou Paraguai pela maior facilidade na viagem.
    O Olímpia é um time tradicional e costuma ser competitivo, não sei se chega na fase de grupos, mas se chegar, pode dar um certo trabalho.
    O Wanderes seria em tese o melhor adversário.

    Espero mais futebol do que nas duas ultimas Libertadores, onde mesmo em casa o Palmeiras não conseguiu controlar os jogos.

  • A boa notícia, é que não teremos jogo(s) na altitude. Poupa-nos de ficar a semana inteira ouvindo as mesmíssimas histórias de como deve ser a preparação para esse tipo de jogo; quantos dias de antecedência o time deve viajar; gente que passou mal ao descer do avião etc. Uma chatice sem tamanho!

  • E novamente a galinhada rabuda pega um grupo fraco o que pode ser ruim para um time retranqueiro como o deles, vamos bora lá quem quer ser campeão não pode escolher adversário, é melhor pegar adversário forte e manter fortalecido até o final do que pegar um grupo baba e ficar de fora nas oitavas ou quartas.

  • Não tem essa de escolher adversário. E jogar um grande clássico contra o Boca Juniors é bom para o clube e para os jogadores. Que encarem esse jogo com a importância que ele tem. AVANTI PALESTRA

  • Prefiro que seja assim: com um grupo difícil. Se passarmos bem nessa primeira fase, mostramos que seremos capazes de bater qualquer adversário de lá pra frente.

  • Para o time que estamos montando e para as nossas pretenções, não podia ter grupo melhor. Com algumas facilidades logísticas e adversários duros, dará ao grupo o ritmo necessário para cadenciar nosso futebol no nível certo. Pena que temos copa do mundo e a libertadores agora dure o ano todo. Por outro lado é bom, não temos que focar na libertadores, é tentar manter o nível em todas as competições. Pra isso serviu esse ano de lições.