Roger Machado é o técnico a ser demitido pelo Palmeiras em 2018

Roger MachadoO título, claro, é uma provocação. No decorrer desta rápida leitura vocês entenderão o porquê.

O Palmeiras acertou com Roger Machado para dirigir o time na temporada 2018. A informação é do repórter Tossiro Neto, do portal globoesporte.com, e encerra uma novela que ameaçava se arrastar e atormentar nossa ansiosa torcida.

Muito mais importante que amainar os ânimos entre os palmeirenses, é claro, foi definir o treinador para assim dar um norte nas contratações que devem ser feitas para reforçar o time.

Com o treinador definido, os jogadores a firmarem contrato com o Palmeiras preencherão as necessidades técnicas de acordo com o planejamento tático que Roger vai implantar. Mas isso é pouco, como veremos a seguir.

Perfil do novo treinador

Roger MachadoRoger Machado mostrou em seus dois trabalhos mais relevantes – Grêmio (entre maio de 2015 e setembro de 2016) e Atlético (entre novembro de 2016 e junho de 2017) algumas qualidades interessantes:

  • Treinos curtos e intensos
  • Jogo ofensivo, propositivo
  • Rapidez na recomposição das compactas linhas defensivas e nas saídas para o ataque
  • Amplitude das linhas com a posse de bola, alargando o campo
  • Não se prende a um esquema específico

No Grêmio, em 2015, usou o 4-2-3-1, com Luan jogando com falso 9 – foi o responsável por compreender as características do menino e lançá-lo para o futebol com sucesso. O Grêmio, com um time de moleques comandado por Douglas Pança-de-Cadela, chegou em terceiro lugar no Brasileirão daquele ano.

No Atlético, preferiu o 4-1-4-1, com Rafael Carioca flutuando entre as duas linhas e Danilo, lateral de origem, formando a linha de 4 mais alta junto com Elias, Cazares e Otero – o melhor momento do Atlético na temporada.

Um de seus maiores problemas em ambos os trabalhos, de onde saiu com aproveitamento em torno de 60%, foi a fragilidade defensiva nas bolas aéreas. Para que seu trabalho apoiado em alta intensidade surta efeito, o físico dos atletas é bastante exigido – assim como era com Cuca, por razões diferentes.

Um clube que não sabe o que quer

Alexandre Mattos e Mauricio GaliotteO Palmeiras bateu na porta de Abel Braga, mas acabou ficando com Roger Machado. Perfis tão distintos sobre a mesa mostram que a diretoria está completamente perdida em relação ao que pretende para o Palmeiras no ano. Tudo o que sabe é que trará um treinador competente e que acredita em seu trabalho. A escolha foi boa, mas o clube não sabe bem a razão.

É essa falta de ambição para se criar uma filosofia de trabalho que faz com que, na primeira ou segunda oscilação – e elas virão – o técnico seja o bode expiatório de mais uma crise. Não importará se Roger, que é uma boa escolha, ainda estiver queimando as pestanas em meio ao desenvolvimento tático do time, algo que demanda muitos, muitos meses: se não vencer o Paulista provavelmente será um Eduardo Baptista reloaded: demitido, porque o Palmeiras não o contratou para executar um projeto do clube, e sim um projeto idealizado por ele mesmo que hoje provavelmente está apenas na fase de rascunho.

Por algumas circunstâncias – por exemplo, a conquista do título paulista – talvez sobreviva e chegue até a Copa do Mundo, mas se o time não estiver dando chocolate nos adversários em meados de agosto ou setembro, bastará um tropeço em casa contra um pequeno após uma derrota num clássico e a demissão se consumará.

Fica aqui registrado o desejo profundo para que a “profecia” não se concretize. Que Roger tenha tempo para implantar sua filosofia e respaldo da diretoria para, no mínimo, chegar até o fim do ano, para só então ser reavaliado – não em função de conquistas de títulos, mas do estabelecimento de um padrão convincente de jogo, em busca do tão sonhado resgate da identidade para nosso clube.

Seja bem-vindo, Roger Machado.

  • Muito já se falou aqui do Roger, q eu acho uma boa contratação. Só voltando um pouco atrás, um dos fatores levaram a queda do EB, foi a maneira q o time foi derrotado pela Ponte em Campinas. Mesmo q Roger não ganhe o Paulista, basta não ser uma eliminação vexatória, como foi a desse ano que ele não cai. O outro fator em comparação com o Eduardo Baptista, q o Roger leva uma enorme vantagem: caso aconteça alguma tragédia parecida, como a do Paulista, ele não terá a sombra de um ex-técnico campeão brasileiro, adorado e pedido pela torcida a cada momento de instabilidade

  • Alguém sabe como está a carga de ingressos pra molecada da base no Allianz? Não sou sócio (ainda) e queria levar minha filhotinha pra conhecer o estádio (e comemorar título, caso venham).

    • Pelo que eu li, tem horários específicos pra retirar o ingresso na bilheteria da R. Palestra Itália. Lá, dois ingressos por cpf e pede a apresentação de doc. com foto no ato da retirada (não ficou claro se era o documento de cada portador do ingresso ou só de quem foi retirar).

      Vi no face ontem, e como tô no serviço (Disqus permitido, felizmente) não consigo puxar corretamente pra ti.

  • Volto a tocar num ponto q tem sido muito discutido, a tal falta total de critério da diretoria na busca por técnico. No começo, a diretoria, claramente, procurou um técnico experiente, com perfil de administrador de vestiário e pára-raios de crises. Tentou o Mano, ele preferiu continuar no cruzeiro. Tentou o Abel, ele tá indeciso. Pois bem, quais outros treinadores no Brasil tem esse perfil? Que eu saiba, nenhum. A não ser q se queira regredir a Luxa, C. Roth, Muricy… Então a diretoria foi atrás do Roger e choveram críticas: não tem critério, não tem perfil etc., etc. Mas não tinha jeito, por falta de opção no mercado tinha q partir pra outro perfil mesmo. E desses novos treinadores acho q o Roger é a melhor aposta. Já era esse ano, mas a diretoria demorou e ele foi pro galo. Dessa vez, pelo menos, agiu rápido.

  • Me incomoda muito quando põem um “prazo de validade” pra passagem do Roger no Palmeiras. Assim como foi feito com EB. Muitos acham que pra ser bom tem que ser medalhão. E vejam, estavam pedindo Scolari e até Luxa!!!! Se for analisar, o time do EB jogava mais que o do Cuca na segunda passagem (idolatrado e depois escorraçado num piscar de olhos). O Grêmio, que provavelmente será o campeão da Liberta, tem muito do Róger. Então precisamos aprender a ver o futebol além de nomes e resultado. Times argentinos, colombianos, na maioria das vezes mais limitados que os brasileiros, porém organizados e aplicados taticamente chegam longe.

    • É pena que uma boa parte dos torcedores prefiram técnicos pela grife.

      Nossa diretoria agiu assim quando procurou Mano e Abel.

      Eu, embora não veja títulos como o principal fator para avaliar trabalho, vou torcer muito por título, pois só assim conseguiremos ver um trabalho durar mais tempo…

    • Verdade. O que eu levo em conta a favor do Roger dessa vez é a falta de sombra pra ele. Eduardo deu o azar (ou era sabido) de ter uma rejeição só pela linhagem, somado à volta do Cuca assim que tivesse cuidado de suas questões particulares.

  • A cornetada tá sendo grande pro Roger, mas fiquem vendo. Ele vai ganhar o Paulista, vai animar a torcida e embalar o time. Vamos ser campeões da Copa do Brasil, Libertadores e Brasileirão. O Brasil todo vai nos odiar mais ainda, pq vamos ganhar todos os títulos em 2018.
    E no fim vamos ver que o Roger foi uma baita surpresa.

    • Paulista não vou contar. Agora, se o time for protagonista em todos os outros campeonatos, a moral dele vai começar a subir.

  • Eu pessoalmente fiquei decepcionado com a contratação do Roger. Vou apoiar, mas na minha opinião é limitadíssimo tática e tecnicamente, além de não ter um perfil de liderança que eu acredite ser forte o suficiente para se manter no cargo.
    Não diria nem que é uma profecia de tão óbvio que está pra mim a sua demissão nos primeiros meses do ano. Espero estar completamente errado.

  • Os técnicos brasileiros são ruins. Os gringos não conhecem os clubes locais. Tudo bem, muitos concordam com isso. Me preocupa o Palmeiras estar queimando treinadores que amanhã se provarão fodões na concorrência. Empatite era bom, todos sabiam, e foi defenestrado como um qualquer.

  • MonacoParmerista,
    Sobre o item 1 e 2, pode ser feito um Road Map, onde pode-se colocar o estagio atual, o estagio que se pretende chegar e criar etapas intermediárias para chegar onde precisa. Este procedimento é feito para parte física, técnica, sistema de ataque, sistema de defesa, de recomposição, etc.
    Sobre o item 3, hoje os jogadores jogam e treinam com GPS e monitor cardiaco. É a ferramenta usada para mapear e comparar as atuações dos atletas em treinos e jogos.
    No 4° depende do quando nos sentimos afetados pelos adversários quando eles falam, e isto não me preocuparia.
    O quinto é o mais complicado. Brasileiro é imediatista e tem dificuldade de ver a longo prazo, mas temos de aprender, temos de melhorar.

    Sou da opinião que deveríamos ter um pensador planejando. Talvez um Fernando Diniz ou Rene Simões. Alguém que faça o que o Antonio Lopes faz no Botafogo, e trace um planejamento que passa deste a seleção dos treinadores, incluindo a base, um padrão de jogo para todas as categorias. Tirar das mãos do Mattos a definição dos reforços e trazer jogadores identificados com a proposta de futebol que se pretende.

    Uso como exemplo o Borja, que quando usado de uma determinada forma vai bem e passou quase um ano num time que não praticava o futebol que tirava o melhor dele.

    Roger não é um nome de consenso, mas agora é o nosso treinador e torço pelo seu sucesso, que é o sucesso do Palmeiras, e ca entre nos, se repetir os 60% de aproveitamento, para o Brasileirão não dará nem para o cheiro, mas num mata-mata, seria uma vitória e um empate a cada dois jogos, que para mim esta ótimo.

    • “Talvez um Fernando Diniz ou Renê Simões” … Acho a mesma coisa, existe uma linha definida de filosofia de trabalho para os times desde a base? Alexandre Mattos é agressivo para contratar mas, precisamos saber se são jogadores necessários para as posições carentes e o nível dos jogadores precisam ser pelo menos equivalentes. Acredito que agora não é necessário contratar por termos $ e muito menos para não deixar jogador livre para os adversários, podemos nos dar o “luxo” de escolher o melhor para a cada posição que necessitarmos. Outro dia ouvi um “analista” dizer que o Verdão é “predador no bom sentido” ora, a palavra predador que eu saiba, por si só significa “nocivo”, “destruidor”, “ruim” mas até alguns anos atrás jogadores “meia boca” se recusaram a vir jogar no nosso time e nos contentamos com o que era possível inclusive indo 2X para a série B.
      Hoje toda a mídia especula aos 4 ventos quem será contratado e qquer peladeiro é alvo de fofoca e “monitorado” pelo Verdão em primeira instância, dá licença, que droga!
      O que lamento mesmo é que a Sra. Leila bateu de frente com o ex-presidente Nobre e todos sabemos que ambos são verdadeiramente Verdão até a raiz. Não sei lá fundo o que levou ambos à rota de colisão mas fico imaginando (e sonhando) se pudessem voltar a se entender pelo bem do Verdão! Como diz o velho ditado “juntar a fome com a vontade de comer”. O casal de patrocinadores administram muito bem (obrigado) suas empresas e Nobre simplesmente tirou o Verdão daquela verdadeira desgraça em que o afundaram e o levou a clube de nível A em 2 anos e a 2 títulos nos 2 anos seguintes. Contra fatos não há argumentos.
      Avanti VERDÃO!!!

  • Técnico promissor e com características que agradam a torcida, como bem destacado no texto. O que pesa contra é o fato de ser mais jovem e não ter tanto lastro pra peitar medalhões do elenco ou resistir a conselheiros cornetas. E é aí que entra o respaldo da diretoria, do Mattos, do Galiote. Espero MUITO uma atitude diferente da diretoria nesse próximo ano. Blindem a academia!!! Dêem respaldo pro treinador fazer seu trabalho. O último parágrafo do texto é perfeito e representa bem o que penso e almejo pro futebol do Palmeiras.

  • Eu vou torcer para o trabalho do Roger dar certo e o Alexandre acertar a mão na próxima temporada, pois o câncer enraizado no Palmeiras, o chamado Mustafá Contursi, já se encontra na linha do retrovisor, com um exército de cartolas igualmente retrógrados engrossando suas fileiras do atraso alviverde. Ele ganhou força nos últimos meses com o fato do time passar em branco na temporada, mesmo com o time mais caro do país.

    Eu acho que o Alexandre perdeu algo que ele mostrou no Cruzeiro, muito por conta das diferenças de orçamento. Com um orçamento limitado, ele era obrigado a ser mais criterioso e analítico nas contratações e isso permitiu-lhe montar um plantel bicampeão nacional com poucos recursos. No Palmeiras, com o enorme orçamento de um clube alavancado pelas receitas de um estádio novinho em folha, pelo mais bem sucedido programa de sócio-torcedor do país e pelo “cheque em branco” da Crefisa, ele meio que se perdeu e passou a ter um perfil mais apostador nas contratações. Quem sabe a pressão por 2018 o faça ter uma postura mais rigorosa.

    • Mas será que foi o Mattos quem montou o elenco do Cruzeiro? Aqui eu sei que ele trouxe Borja e Felipe Melo, que podem render ainda, mas foram contratações mal calculadas.
      Que eu saiba, a função do Mattos deveria ser negociar e fechar as contratações. E não indicar jogadores. Isso quem faz é o técnico. A chegada do Róger é justamente pra evitar esse tipo de ação por parte do Mattos. Nessa questão, ponto pra diretoria até agora.

  • sobre o técnico, quando ele tva no gremio fez um bom trabalho era considerado um técnico revelação do futebol brasileiro , depois foi pro galo e foi meia boca ja não era mais considerado tão bom depois deu uma sumida e agora é ja é encarado como uma aposta, eu continuaria com o Valentin

    • Vendo os números, não estava tão mal assim no Atlético, foi campeão estadual e o melhor time da fase de grupos da libertadores, demitiram ele por causa do Brasileirão que estava em 11 lugar, porem depois que o demitiram aquele time não jogou mais nada a ponto de ser eliminado da libertadores, e no Brasileiro continua se arrastando.

  • Eu não tenho muito a dizer sobre o Roger, pois não acompanho outros times, então não sei como ele é.

    Posso dizer que fico muito satisfeito em saber que não fica preso em um único esquema tático, o que pode fazer com que aproveite melhor as peças do time, sem ficar tentando moldar jogador ao seu esquema.

    Por óbvio que tbm gosto de time com a bola no pé, que sabe propor o jogo.

    Continuo concordando que devemos estabelecer um padrão de jogo e focar nele, até mesmo na hora das contratações.. A diretoria não faz a menor ideia disso, pois além do Abel, foram atrás do Mano tbm..

    Espero que a diretoria dê o respaldo necessário ao Roger e que assim ele tenha vida longa aqui!

  • Eu gostei bastante da contratação.
    É muito bom que venha um técnico novo, sem estar previamente induzido a definir um time com os famosos “titulares absolutos”, como aconteceu com o Cuca na segunda passagem e com o Valentim durante o período que ficou a frente do grupo.
    Todos devem estar na mesma balança e quem treinar melhor, joga. Acho que no atual elenco só o Dudu tem bola para que, mesmo em fase ruim, continuar acima do nível dos demais.

  • Prefiro ele ao Abel.
    Abel deu sorte de estar no Inter na hora certa pra ser campeão, parece mais técnico de pelada.

  • Vou apoiar o Roger Machado, ele tem potencial, fez um bom trabalho no Grêmio, mas eu teria efetivado o Alberto Valentim, entendo que ele merece uma chance!

  • Eu penso que o problema é bem mais do que perfis de treinadores. É falta de opção msmo. O Palmeiras queria Abel pela experiência, mas na falta dele, trouxe um com um bom potencial. Quem você chamaria para o lugar de Abel? Ou quem para o lugar de Roger. A verdade é que no Brasil não se tem muitas opções. Pedir mais de um treinador por perfil e com reais chances de assumir um time como o Palmeiras é quase impossível. No fim. Achei uma boa escolha. Que deem tempo e boa sorte Roger!

  • Sinceramente, é impossível não compará-lo ao novo Eduardo Batista… Espero realmente que cale a minha boca e de muitos que estão receosos com sua contratação.

    A maior preocupação é ver que ele sucumbiu com o elenco milionário e cheio de medalhões do Atlético-MG… Imagina no elenco como o nosso cheio de jogadores difíceis de lidar como Dudu, F. Melo, Borja, Roger Guedes e outros mais!

    Ao seu favor em comparação ao EB é que ele não terá a sombra de Cuca, o que pode fazer com que ele fique por mais tempo no cargo (acredito que até meio do ano) mesmo que perca o campeonato Paulista.

    Boa sorte Roger e que você traga muitos títulos pro nosso Verdão!

    • A diferença básica entre nós e o Patético/MG é que eles têm, no máximo 1 time e nós um elenco recheado. A segunda e última diferença é a média de idade dos dois times.

      Sobre os “jogadores-problema” citados por você, nem sabemos quem continua e quem sai em 2018. Cada coisa de uma vez e chegaremos lá! Abs

  • Bem vindo, Roger. O seu sucesso vai depender de suas qualidades, que são sucintamente atestados pelo excelente texto do Verdazzo.
    Agora é melhorar e equilibrar o elenco. Minha opinião. Não precisamos de goleiros para 2018, Jaílson e Prass jogam ainda em alto nível e suprem com sucesso essa posição.
    Com a contratação de D. Barbosa, ainda falta um LD. Tem no mercado bons jogadores como Zeca e Rafinha.
    Mais um meia e um atacante de excelente nível.
    O que eu acho complicado é gastar muito com jogadores com números e performances abaixo do que realmente falam que valem. Caso de Lucas Lima e de Wewerton. Pena que nesse negócio não exista 3 meses de avaliação. Esses jogadores são um baita ponto de interrogação.
    O fato é que com muito dinheiro em caixa, deve-se investir em atletas já consolidados, sem restrições quanto à sua capacidade dentro de campo. O termômetro popular é sempre um bom indicativo e nunca deve ser totalmente descartado.
    Sempre se falou esse ano em contratações pontuais. Estão certos. Quantidade nunca foi sinônimo de qualidade. Espero que os disparos realmente acertem nas asas da mosca.

    • Concordo não precisamos de goleiro, vai preparando alguem da base, Esse Lucas LIma ai, ta é querendo mesmo ir pra Europa, se vier pode ate dar certo, mas ele me passa, que sempre vai estar com a cabeça na europa, tenho muitas duvidas se vai ser uma boa pra nós te-lo aqui. Estamos com a base muito bem, tem que haver alguem que podemos ir preparando, até o menino que esta no Londrina, que parece ser bom jogador

    • o setor mais importante na minha opinião vc acabou não citando, que é a zaga, a nossa parece uma peneira senior..

  • O contrato de ano deve ser porque, vai ter troca de presidente no fim de 2018, então atitude correta, o resto é esperar e apoiar sempre. Agora a diretoria podia aproveitar que é o ultimo jogo em casa do ano, promover a apresentação dele e baixar o preço do ingresso, quanto as criticas em relação ao Roger, isso é normal, afinal temos o sangue de italiano, vamos estar sempre brigando pela vitoria. queremos sempre vencer

  • Assistindo ao penúltimo jogo da libertadores17 uma constatação, o time do Lanus tecnicamente é infinitamente pior que nosso Palmeiras, mas ao mesmo tempo esmagadoramente superior em termos táticos , de entrega e aplicação dentro de campo. Técnico não vence partidas, jogadores comprometidos sim! Temos muito a evoluir ainda…

    • Também não ví nada de mais nesse time do Lanús, são aplicados tecnicamente, são raçudos e como todo time sulamericano que joga a Libertadores, são catimbeiros!
      Mas o grêmio não fica atrás também, pq eles tem a dupla Jailson e Jael, além do Cícero, do Edilson barriga de cadela e do “monstro” Marcelo TV Palmeiras Oliveira…quem salva naquele time é o goleiro (Palmeiras deveria contratar ele depois que o Prass for embora), o Geromel, o Luan e o Everton. Mas realmente temos muito a evoluir ainda pra entender o verdadeiro espírito de Libertadores!

      • O Lanus tem um volante lá que é brincadeira a tranquilidade com que ele joga! Ontem parecia jogando com um bando de garotos num campo de pelada, sem um pio da torcida. Se não me engano, era o camisa 50

  • Se confiam tanto no trabalho deste técnico estudioso e tático, porque não deram um contrato maior pra ele ?
    O cara não era nem Plano A e nem plano B, isso mostra como a diretoria anda perdida.
    2017 nos jogos decisivos fomos eliminados por tomarmos muitos gols, contra ponte no 1º jogo, contra o cruzeiro no 1º jogo, contra os gambá no segundo turno, espero muito que ele consiga resolver esse problema da nossa zaga, mas não consigo ser otimista com Edu Dracena na zaga.
    Enfim, boa sorte Roger, vai precisar..

    • talvez, como já foi comentado por outro Fratello aqui, o prazo tenha a ver com o fim do mandato do atual presidente.

        • Alguns técnicos fazem contrato com multas caso forém demitidos antes do fim de seus contratos.
          Muito complicado essa questão de confiar em treinador.
          Independente do cara ser competente ou não, tem que dar liga com o elenco e ter resultados.
          Sem resultados, dificilmente alguém fica.

  • Como já comentaram não havia muitas opções.
    O correto é o técnico montar o elenco em conjunto com a diretoria, ele provavelmente fará escolhas nesse elenco, tanto de dispensas como de alguma (s) possível contratação.
    Acho que o diretoria nesse momento não está errada. É dar tempo ao tempo e lembrar que se a diretoria não for firme parte da torcida demite o treinador.

  • Bem, o mercado não oferecia tantas alternativas. Acho que a diretoria deve ter um bom motivo para não ter fechado com o Abel, que era o preferido de todos. Acredito que Abel não estava disposto a negociar enquanto não se decidisse com o fluminense, embora ainda se coloque em cheque a real vontade dele em continuar sendo treinador, pela idade e pelo trauma que passou esse ano.
    A diretoria viu que precisava definir urgentemente o comando do time para definir chegadas e saídas de jogadores, o que é prudente.
    Não achei a escolha ruim, que justifique tamanha rejeição, acho melhor até do que técnicos medalhões que vivem do passado. Diferente das outras opções, o Roger já pode começar o planejamento desde agora, sem ter que esperar o fim do campeonato e o desligamento com outro clube, como seria o caso do Abel e do Jair. Lembrando que no inicio do ano, o Roger era um forte nome no mercado pelo belo trabalho no Grêmio, hoje tem essa rejeição pelo trabalho mediano que fez no atlético MG que, por sinal, fez uma campanha ruim com todos os técnicos que passaram por lá esse ano.
    Acho que a torcida nesse momento tem que mostrar apoio ao novo treinador, esperar o cara trabalhar, parar de disseminar hashtags já pedindo sua demissão.
    No mais, boa sorte ao Roger.

  • Palmas e mais palmas para o texto!
    Para contribuir na discussão vou neste caminho.

    Por que Roger e Eduardo Baptista não chegam em condições iguais?

    a) Roger não terá uma sombra gigantesca do Cuca sobre ele.
    A torcida pedia Cuca, conselheiros pediam Cuca, parte da imprensa citava Cuca a todo o tempo apenas para tumultuar e a patrocinadora fazia entrevista rasgando elogios ao Cuca.

    b) Roger não é filho de nenhuma “persona non grata”.
    Era estúpido, mas muitos queriam o Baptista fora simplesmente por ele ser “filho do Nelsinho”, isso era usado como argumento mortal. E depois que o cara foi demitido algumas pessoas ainda escarneceram falando um “eu disse”.

    c) Não somos os atuais campeões de nada.
    Apesar de todo investimento (parece mantra ruim), protagonismo e pressão que continuará existindo, Roger não chega num clube que eleva suas expectativas ao mundial, que chegou muitas vezes a parecer que desprezava outros torneios que não fossem libertadores. Ao Baptista era cobrada a Taça Libertadores, ao Roger um paulista e uma copa do Brasil já não parecerá fracasso.

    d) Roger jogou bola, jogou em time importante e ganhou títulos grandes!
    Ele nunca jogou num gigante como o Palmeiras, mas sabe o que se passa em campo em decisões. O currículo fora de campo é praticamente igual ao de Eduardo Baptista (formado em Educação física, auxiliar, cursos e licenças CBF, estudos no exterior). É verdade que tem menos tempo como treinador que o “filho do Nelsinho”, mas em compensação treinou dois times grandes e tem até título em um deles. No entanto, jogou até em seleção, entende como funciona a coisa dentro de campo e considero isso importante, apesar de não ser fundamental.

    Sorte ao novo treineiro.
    Avanti!

    • Concordo com todos os itens, menos ao desmerecer o Grêmio. É um gigante do futebol nacional também. Abs

  • Dadas as opções, acho q foi uma boa escolha. A verdade é q o futebol brasileiro vive uma fase de transição no q diz respeito a técnicos, com o fim de carreira de medalhões como Muricy, Felipão, Luxemburgo etc. e o surgimento de uma nova geração q ainda não se firmou.
    Com relação a falta de critério da nossa diretoria, concordo em parte. Não aceito esse massacre q a imprensa esportiva adora promover qdo o assunto é Palmeiras. Realmente, a diretoria começou com uma proposta: técnico experiente, q saiba controlar vestiário e q sirva de pára-raios para o elenco. Procurou Mano, não deu. Procurou Abel, não deu. Quem mais temos com esse perfil? Luxa. C. Roth? Faça-me o favor!!! Teve q mudar de perfil mesmo, questão de falta de opção no mercado! E, sinceramente, entre apostar no Roger ou no Abel, prefiro o Roger.

  • Roger é praticamente a única escolha sensata que sobrou.

    Não acho que ele precisa ganhar o Paulista pra continuar no time. Mas não pode perder de time pequeno. Se perder, perca pros grandes, fora de casa. Perder na semi pros grandes rivais, blz. Agora levar três da Ponte como o EB levou não pode ser tolerado.

    Na Copa do Brasil, esse time tem a obrigação de ir pelo menos até a semi-final (Pq aí já serão 7 meses de trabalho). Brigar até a última rodada pelo Brasileirão, se perder, perder na última rodada. E não perder pra time pequeno na Libertadores. Não são metas absurdas, não precisa ganhar tudo, mas se cair, cair jogando um futebol digno. Sem fazer a torcida passar vexame. São metas plausíveis pra qualquer técnico.

  • Particularmente gostaria da permanência do Valentim, mas a partir de agora o Roger Machado terá o meu total apoio.
    Espero que ele faça esse time jogar bola, crie um padrão de jogo, e que em 2018 o Palmeiras possa conquistar títulos.

  • Boa sorte Roger. Terá um elenco bom na mão.

    Fugindo um pouco do assunto, muito me assusta a provável chegada do Lucas Lima. Fez corpo mole no Santos, soltou várias vezes nos últimos anos que estaria negociando com X ou Y para forçar renovação e aumento salarial. Essa postura me lembra, e muito, o Valdívia e o Kléber (Judas). Virá para tumultuar o ambiente. Tomara que não venha e esteja usando o Palmeiras, mais uma vez, para buscar visibilidade no mercado.

    • O Santos poderia ter negociado ele muito antes com o exterior e não fez isso. Faltando 6 meses para terminar o contrato, ele não iria mais colocar a canelinha em risco. Se o cara se quebra, o Santos não renova contrato e tchau pra ele. Ele é bom jogador, sim. É um mala. Mas jogador de futebol e mala é quase sinônimo.

    • LL é bom de grupo, nunca aprontou no Santos, simplesmente não quis renovar com eles, qual jogador hoje não quer vir para o Palmeiras. Quem tumultua o time é o Felipe Melo, este precisa ser dispensado.

  • Bom , passado o susto da contratação do Roger , querendo ou não até aqui no texto foi exemplificado isso , como nossa diretoria , com o senhor cabeça de ovo , esta perdida , pois queriam o Abel e acabaram fechando com o Roger , estilos totalmente diferentes , o negócio é apoiar e ver no que vai dar …pelo menos não vai ter a sombra de um outro treinador como o Eduardo teve a do Cuca…só espero que o ano dele não termine em Abril , que até lá o time tenha feito partidas consistentes e que se não vencer o Paulista que pelo menos tenha saído dessa nhaca que esta sendo este ano…sinceramente não achei muita graça , um trabalho no Grêmio onde saiu brigado e não terminou e um no Galo onde foi campeão mineiro ( lá tanmbém só tem dois times , quando muito três ) e sucumbiu na Liberta…veremos…

    • Se vai dar certo vai depender muito do material que terá pra trabalhar. Se continuar com jogadores inúteis no estilo de Juninho, Mayke, Bruno Henrique, Roger Guedes, Luan e mais alguns, será bem difícil. Pelo menos a certeza da saída do Egídio já é uma esperança.

  • A vantagem do Roger em relação ao Eduardo Batista é que não tem a sombra do Cuca, já que o amor da torcida por ele acabou. Então é menos um item de pressão. #forzaRogerMachado

  • Há algumas semanas atrás, um post detalhado explicando as razões para que Alexandre Mattos não seja demitido. Hoje, um post que detalha o quanto a diretoria, em que o mesmo Alexandre Mattos é o cabeça na montagem do elenco, está completamente perdida e sem rumo. Isso é Palmeiras. Torcer para esse time não é pra qualquer um.

  • Muito boa a análise.
    Roger não era o meu nome preferido para dirigir o Palmeiras. Acho que não estaria nem entre os 5.
    Porém é um treinador que não traz o cheiro de mofo e vícios do pessoal das gerações anteriores.
    Exigir resultados antes da Copa do Mundo seria uma insanidade.
    Merece o nosso crédito, como merecia Eduardo Batista, que não teve.
    Fechar os ouvidos e os portões para os torcedores de branco nas arquibancadas é fundamental. Afinal na estréia de Eduardo Batista eles já pediam pela volta de Cuca.
    Nosso novo técnico merece apoio e paciência. Nada mais do que isso.
    Nosso Palmeiras tem a melhor estrutura do país. Contas em dia. Programa de sócio torcedor vitorioso.
    Temos todas as condições para que o trabalho renda frutos, títulos e alegrias.
    Forza Roger. Seja muito bem vindo.
    Scoppia che la vittoria è nostra!

    • Eduardo Baptista não mereceu crédito nenhum, pois só tinha no currículo trabalhos razoáveis em clubes pequenos tipo Sport ou Ponte Preta, e fracassado num baita time que tinha o FluminenC, com apoio da patrocinadora. Também não sou a favor da contratação, mas ao menos o Roger trabalhou em clubes grandes como Grêmio e Galo com bons trabalhos.

      • EB = técnico acostumado a montar retrancas. Qdo precisou propor o jogo tomou de 3×0 para seu estilo conhecido. Mostrou bug mental

  • Quem é palmeirense faz tempo deve ter xingado até as tampas quando Paulo Nobre trocou Barcos por uma “baciada” vinda do Grêmio. A torcida espumou de raiva. Mas era o preço a se pagar porque o Palmeiras não tinha dinheiro. Custou caro, mas foi necessário, talvez alguns dirão de não, que não precisava ser assim. Mas o Paulo Nobre tinha uma coisa: convicção.

    Passado algum tempo, as coisas mudaram. Claro que teve o Allianz, Avanti e tudo mais, mas a verdade é que o clube hoje é rico. E dá as cartas no futebol. Porque em algum momento alguém lá sabia o que estava fazendo.

    Pois bem, dito isto, corroboro com as palavras do Conrado e espero que tenham aprendido alguma coisa com tudo que se passou esse ano e entendam que para se chegar a algum lugar é preciso ter convicção do que se está fazendo.

    Quem tenta pegar 2 coelhos acaba ficando sem nenhum.

    • Eu fui um quem xingou ele pra caramba, mais passou, depois vi que não tinha muita saida, e por tudo que ele fez depois, isso apagou. Qto ao Roger e aguardar e ver o que ele vai mostrar de bom, bom elenco ele vai ter, só vai depender dele. pelos numeros de quando dirigiu o gremio foi de razoavel pra bem, vamos aguardar

      • Eu tambem xinguei muito, inclusive aqui mesmo no Verdazzo, é claro que o PN podia ter evitado algumas coisas, como o episódio do Alan Kardec, por exemplo, mas o importante aqui é destacar que ele tinha um plano, tinha convicção do que queria fazer no Palmeiras. Espero que mesmo meio “perdidos” tenham a convicção da escolha que fizeram e a sustentem o suficiente para este trabalho dar frutos.

        • O episódio “Kardec” foi mais um exemplo da convicção do PN. Acertou valores com o atleta, que veio com uma contraproposta de valores de diferença mínima, mas PN não arredou o pé. Corretamente, a meu ver. A única “concessão” feita por PN foi com GJ, que no final deu no que deu.

  • Blz tempo para trabalhar ele vai ter, então não sera desculpa se o time não fizer um bom paulistão. agora temos a liberta tbem. vamos esperar pra ver., Que tenhamos boa sorte

  • Só digo uma coisa. Time que joga sem um bom sistema defensivo, pode fazer gols a vontade, que não vai adiantar. Técnicos ofensivos não ganham mais nada porque não tem tempo de treinar e impor seus esquemas táticos. Propostas ofensivas de jogo causam derrotas humilhantes para times de série D. Espero que neste período fora o Roger Machado tenha estudado bastante um José Mourinho da vida.

  • Nenhum técnico seria unanimidade…
    Veremos como vai ser sair… e vamos apoiar o cara e o time!!!
    Salvo engano acho que ele já trabalho com o Dudu não?
    #AvantiPalestra

  • Bom dia.
    Entre Batistas e Valentins, Roger machado tem mais bagagem, resta saber se vão dar tempo ao cara, o meu receio é a zaga do Verdão e isso é uma deficiência do seu estilo de jogo, com Gremio e Galo fazia muitos gols, mas levava também, espero que aprimore isso no verdão, bos sorte pra ele.

  • meu irmao me disse uma vez que treinadores deveriam ser avaliados por meta: o time define as metas no comeco do ano, se o cara conseguir, renova, se nao conseguir, manda embora NO FIM DO ANO. deixa o cara ficar pelo menos uma temporada inteira pra ver o que acontece

  • Do jeito que ficou podre o calendário, ganhar o Paulista virou obrigação. O resto do ano vocês escolhem o que é mais importante. Pra mim seria o decacampeonato.

  • É estranha estas opçőes antagônicas de perfil de técnico que o Palmeiras estava procurando.

    Das opções que existiam, Roger Machado foi a melhor escolha pela característica de jogadores que temos e pelos dois trabalhos realizados por Eduardo Batista e Alberto Valentim.

    Também vi o jogo do Pacaembu em 2016 contra o Grêmio de Roger Machado onde vencemos por 4 x.3. E vi naquele time do Grêmio um futebol muito bonito de se assistir.

    Para 2018 a minha única expectativa é que Roger consiga fazer o Palmeiras jogar bem, impondo o jogo, tanto dentro como fora de casa…

    • Foi bem ofensivo o Grêmio naquele jogo, e bem roubado também. SNME uns 2 gols irregulares pra eles. Mas foi lá e cá.

  • Time pra 2018 (sem contar reforços não anunciados)

    4-4-2

    Time 1:
    Jailson; Jean, Mina, T Martins, D Barbosa; Felipe Melo, Moisés, Lucas Lima e Guerra; Dudu e Borja.

    Time 2:
    Prass; Mayke, Dracena, Luan e Michel; T Santos, Tchê Tchê, Hyoran e Veiga; Keno e Deyverson.

    Ter dois times bem definidos e com ritmo de jogo é o ideal. Em semanas com dois jogos cada time joga um. Assim evitamos lesões e os reservas estão sempre bem entrosados e com ritmo de jogo, o que melhora o desempenho deles quando chamados pra entrar no decorrer do jogo em que o outro time esteja jogando. Temos um elenco forte e temos que fazer proveito disso. Não tem por que dar chance pra brigas de ego e estourar jogador por causa do péssimo calendário fazendo os caras jogarem 3 jogos em 8 dias. Elenco é pra isso. Conseguir aplicar esse sistema de rodízio total é complicado mas factível e os benefícios são muitos.

      • Minha visão: Bigode é um ótimo coringa, caberia em qualquer um dos dois times. Mas não sou muito fã dele começando os jogos. Gosto pessoal, só.

      • … Esqueci totalmente dele.De qualquer forma ele entra no lugar do Keno ou do Deyverson no segundo time. No primeiro caso o time fica mais letal. No outro fica mais rápido.

    • Pra rodar o time, o treinador precisa ter muito peito! Gosto da ideia, mas seria necessário convencer muito bem os jogadores e domar seus egos.

  • É difícil entender porque nossa direção não se abre aos conceitos expostos ontem e hoje aqui no Verdazzo.

    A argumentação de ontem e a análise de hoje teriam de ser “cartilha básica” do comando do futebol. (independentemente deles os terem lido aqui. Aliás, conhecer bem essas coisas teria de ser condição pra estar no comando do clube)

    E, claro, tão importante quanto: a TORCIDA tem de entender seu papel; NÓS temos de reconceituar “o torcer”.

    Pontos a serem desenvolvidos por nós torcedores:

    1. temos de entender o que tem de acontecer pro time atingir o estágio que queremos,
    2. temos de aprender a identificar a fase do desenvolvimento em que o time está na busca desse estágio
    3. temos de distinguir bem entre o mau desempenho e o corpo mole dos jogadores.
    4. temos de parar de fazeer o jogo dos adversários que querem apenas desacreditar nosso modelo de administração e financiamento.

    #ValeuVerdazzo

  • Agora que passou o baque pela contratação, a torcida já está mais calma nas redes sociais. Vamos torcer pro Roger fazer um belo trabalho e começar a construção da nossa identidade de jogo.
    Vantagens do Roger Machado em relação ao Eduardo Baptista: não vai ter a sombra do Cuca e não vem carimbado como “filho do Nelsinho”.

  • O que mais me causa preocupação para 2018 é a atitude da torcida quanto ao Roger Machado.

    O que fizeram com o Eduardo Baptista este ano foi absurdo. O time podia ganhar ou perder, jogar bem ou jogar mal, que ele era sempre criticado. A pressão era insuportável.

    Que com o Roger seja diferente!

    Que 2017 tenha mostrado ao palmeirense que não existe elenco invencível, planejamento infalível ou técnico perfeito.

    No final do ano passado tínhamos a lamentar a interrupção do trabalho do Cuca. Este ano não existe técnico ideal, não há unanimidade. Talvez isto ajude a acalmar os ânimos da torcida.

    Tudo o que NÃO precisamos agora é pressão.

    Em 2016 vi um jogo espetacular contra um grêmio do Roger Machado que jogava um futebol de primeira, com toque de bola e velocidade. Tinha um problema com a bola parada, que só foi resolvida com a chegada do Renato Gaúcho, é verdade, mas isso não justifica de maneira nenhuma uma campanha “Fora Roger Machado”.

    Vamos apoiar! Ele irá indicar os jogadores, fará a pré-temporada, e teremos um 2018 com títulos! Não tenho dúvida!

  • Vai ser igual esse ano, se não ganhar o paulista e não golear na fase de grupos da libertadores a torcida vai pedir a cabeça dele. Ele vai ter menos tempo de pré-temporada que o Eduardo Batista, o paulista ja começa em 17 de Janeiro se o time se reapresentar dia 5 da à ele apenas 12 dias de trabalho de pré-temporada, então a torcida tem que ter paciência e esperar até a copa onde ele terá um tempo maior pra treinar.

  • Eu normalmente não comento, mas eu quero muito estar enganado quanto ao Roger ser o novo Eduardo Baptista… Boa sorte Roger! Vamos Palmeiras!

  • Sobre o Abel Braga… nunca senti simpatia dele pelo Palmeiras. Já ouvi umas 2 entrevistas em que isso ficou evidente, mas a mais marcante foi neste ano quando da demissão do Eduardo Batista. Ele criticou pra caramba a nossa Diretoria.
    O filho dele que agencia sua carreira já esté em Porto Alegre desde ontem para negociar com o Inter. Pra mim, ele nem quis conversa com o Palmeiras, portanto, apoio a Roger Machado que já era nosso plano A no final de 2016.

  • Pessoal tem memória fraca e não lembra que o Roger Machado era a primeira opção para a saída do Cuca pós-título do Brasileiro. Está vindo na hora certa: sem a sombra do Cuca e depois de uma temporada em que tivemos três treinadores que não renderam. Mesmo que tenha pressão para derrubá-lo (torço muito pra que não tenha, mas ou é ter pressão ou trocar de time) não teremos opções melhores.
    Bem vindo, Roger Machado! Que você seja nosso treinador em dezembro e que tenhamos motivos para renovar com você!
    Avanti Palestra e DALEPORCO!

  • Boa sorte ao Roger Machado, que faça um excelente trabalho e nos dê muitas alegrias!
    O pança de cadela era o lateral Edilson do GFPA. Ele recebeu essa homenagem quando jogou nos gambás.

  • 2017 deixou bastante explícito que ficar trocando de técnico não resolve nada. No final das contas o melhor aproveitamento de pontos foi de Eduardo Batista, o 1º técnico demitido. EB deixou o time com a classificação garantida para a 2ª fase da Libertadores e com um desastre em Campinas. Desastres que voltariam a ocorrer também com os 2 técnicos seguintes, afinal isto é inerente a trabalhos de curto espaço de tempo.

    A postura adotada pelo Palmeiras em 2017 foi digna de equipes que lutam desesperadamente contra o rebaixamento.

    Acho que ficou claro de que não adianta ter saúde financeira, investimentos pesados em elencos fortes, se não se der tempo para o técnico implantar e encaixar as peças e montar um time de verdade.

    Portanto, caros colegas, tenhamos paciencia, nada de imediatismo em 2018 e não criemos pressão destrutiva. Tenhamos 2017 como experiencia e apoiemos este contrato de 01 ano feito com o Roger Machado.
    Lembremos de um determinado time que foi eliminado pelo Tolima numa Pré-Libertadores e mesmo assim confiou no trabalho do seu técnico.

    BOA SORTE, ROGER.
    SEJA BEM-VINDO A FAMIGLIA.

    • Concordo e ainda digo mais: o amadorismo das escolhas relacionadas às trocas de técnicos nesse ano influenciaram e vão influenciar ainda mais (espero que não!) bilheteria, novas adesões e provável fuga de Sócios Avanti, que claramente foi turbinado pelos títulos de 15 e 16. Termos profissionais sabendo o que fazem balanceiam essas ótimas fontes de renda .

  • preferia o abel mas ele tava de rosca… dos nomes disponíveis e viáveis era um dos melhores. Não adianta, não existem mtos nomes… e sinceramente tecnico é loteria, cuca foi chamado de mestre num ano e burro no outro. tem que dar sorte do time encaixar. vemos andrade,carille ser campeão brasileiro e arsene wenger ser hostilizado. que ele tenha essa sorte e o time voe ano que vem.

    • É isso aí, Victor. Esses técnicos medalhões, ganham muito e também não param em time nenhum. Luxemburgo, Oswaldo Oliveira, Mano Menezes, Dorival Junior… esses caras não param em time algum.
      O momento é da nova geração, Zé Ricardo, Jair Ventura, Fabio Carille… e quem sabe até o Alberto Valentim não poderia dar certo depois de 01 ano inteiro de trabalho.

  • Abelão está com o emocional abalado, e talvez nem volte a ser o grande técnico que foi. Os outros nomes que falavam também não iam servir. Roger é novo, trabalhador e tem a maior chance da vida neste momento. Vai dar certo, vamos apoiar. Bem vindo ao maior do Brasil, RM!

  • Já vimos que ficar trocando de técnico não adianta, então uma vez escolhido vamos torcer. Não dava para ficar esperando o Abel decidir o que quer da vida. Não era o meu preferido, mas não vou ficar criticando e acredito que é um nome ideal para o estilo de jogadores que temos. Se não inventar (defesa alta, ligação direta, etc. etc..) temos boas chances. Não acho que devemos fazer uma limpa e contratações só para titular ou repor

  • O problema é que o Roger já chega com aquele carimbo de demitido na testa, porque não vai ter respaldo, e a maior prova disso é o contrato de só um ano. Dá toda pinta de ser o novo Eduardo Baptista. 2018 deveria ser o ano da realização e não de mais experimentos. O projeto do Palmeiras é grande e o Roger hoje não está a altura dele. Temo que ele não vá suportar a pressão, que aqui a gente sabe que é potencializada.

    No texto foi observado que é um técnico que gosta de jogar pra cima, mas tem deficiência s na defesa. E isso é um problema crônico no Palmeiras esse ano. Precisaríamos hoje de um técnico que começasse o trabalho fortalecendo a defesa, já que o ataque não é problema. Contratamos um técnico que não possui esse perfil, que tem dificuldade de impor padrão, que é o que mais precisamos hoje. Caiu no Atlético justamente por isso.

    Espero estar completamente errado. Também sabemos que no futebol muitas vezes é de onde menos se espera que sai uma surpresa positiva e um bom trabalho. Mas a princípio, é uma decisão bastante equivocada da diretoria, que realmente parece estar perdida, com muito dinheiro, mas pouco planejamento e administração.

  • A torcida vai cornetar o técnico alguma hora (e eu me incluo nisso) mas cabe a diretoria em 2018 agir mais com a razão do que por impulso. Tem que manter o técnico do início ao fim do ano e só em dezembro de 2018 ver se o trabalho dele deu ou não certo. Demitir técnico no meio do ano já vimos que não funciona e dessa vez a diretoria escolheu pelo menos um técnico que já deu certo em outro time grande (Grêmio). Nem se compara ao EB, que nunca teve sucesso num clube grande.

  • Agora é fazer um limpa nesse elenco e ver quem quer honrar o manto ou tá ali só pra fingir que joga futebol. Espero que o elenco feche com o técnico e tenham ambição por títulos.

  • Bom, agora nossa parte é apoiar, torcer e acreditar. E ter paciência, muita paciência até ele encaixar o time. E muito importante também é o presidente bundão blindar o ambiente de trabalho dos jogadores. Que ele tenha aprendido as lições desse ano pra não ser taxado definitivamente de B3.

    Boa sorte Roger Machado!

    Acorda Galiotte

  • Se o trabalho do Roger tiver continuidade, seremos campeões. Pra isso, é necessário muito respaldo da diretoria para evitar ou suprimir as pressões que virão das múmias que assombram o clube. Além disso, acredito que a pressão (por parte do presidente) deve ser mais direcionada para os jogadores, visto que nesse ano tivemos 3 técnicos e poucos mantiveram-se compromissados durante o ano todo.

  • Com a falta de técnico que estamos no pais,só tenho a parabenizar o Roger por ter concordado em assumir essa bomba que é o Palmeiras,talvez tenha entrado só para ganhar uns salários,já sabendo que será demitido se não vencer o paulista,mina opinião e que deveria ser mantido o Valentim,mas boa sorte ao Roger,é um técnico promissor,e espero que seja mantido,e faça um bom trabalho,que o Palmeiras seja seu divisor de águas da carreira.

  • Pois é, Conrado. Roger é um bom nome, melhor que Felipão, Abelão ou Luxa. É um técnico jovem e com ele podemos sair da mesmice de nomes que pipocam todos os anos.
    Acho que o Roger Machado se diferencia do Eduardo Batista (outro técnico novo no Brasil) pela maior experiência que possui comandando o Grêmio e o Atlético-MG. Inclusive dando ao Galo a melhor campanha da 1a fase da Libertadores desse ano.
    Mas a principal diferença do Roger em relação ao EB é que não haverá a sombra do Cuca. Eduardo Bastista já chegou demitido ao clube. Foi um treinador-tampão por 5 meses até o Cuca reassumir o cargo. Acredito que dessa vez isso não acontecerá. A não ser que o Guardiola (ou Mancini, ou Antonio Conte) esteja disponível em Abril/Maio.
    Como vc mesmo vem escrevendo, dando tempo ao novo treinador, o Palmeiras tem a chance de fazer um bom 2018!

  • SENSACIONAL! Como pode alguém escrever tão bem, sintetizar algo de uma forma tão clara e brilhante. Como a torcida palmeirense está perdendo tempo em não ter você 100% dedicado ao Palmeiras. Boa sorte ao Roger Machado, que considero um ótimo técnico, com ideais novas e que foge daquele grupinho de medalhões.