Buscando retomar seu espaço, Patrick de Paula completa 22 anos

Patrick de Paula durante jogo-treino do Palmeiras no Allianz Parque.
Cesar Greco

Em uma temporada e meia no profissional, Patrick de Paula foi de “herói do titulo” ao afastamento por quebra de protocolo

Comemorando 22 anos de idade nesta quarta-feira, Patrick de Paula pode dizer que já viveu de tudo um pouco em mais de um ano e meio no profissional do Palmeiras. De “herói do título” ao afastamento por quebra de protocolo sanitário (por conta da Covid-19), Patrick busca agora uma sequência tranquila para voltar a brilhar pelo Verdão.

Considerado uma das maiores promessas do clube quando subiu do Sub-20 para o time principal, em janeiro de 2020, o meio-campista rapidamente correspondeu às expectativas e foi um dos destaques da equipe no título Paulista do ano passado – convertendo, inclusive, o último pênalti na disputa de cobranças alternadas, na final contra o SCCP.

Deyverson e Patrick de Paula em treino do Palmeiras na Academia de Futebol.
Cesar Greco

O gol sobre o rival fez Patrick ter seu nome cantando por milhares de torcedores na rua Palestra Itália em vídeo que viralizou nas redes sociais.

Entretanto, a sequência pós-título não foi positiva para o atleta. Entre o final da passagem de Vanderlei Luxemburgo, a transição feita por Andrey Lopes e a chegada de Abel Ferreira, o camisa 5 teve uma queda de rendimento e passou a frequentar o banco de reservas – em algumas oportunidades, sequer foi relacionado.

Assim que chegou no Palmeiras, Abel Ferreira falou abertamente da situação: “O Felipe Melo está muito bem, não facilita uma. O Danilo treina muito, sabe o que quer e tem essa chance. O Patrick só tem que fazer isso: nos treinos tem que mostrar que quer jogar, estar dentro. Só há uma forma de me convencer: nos treinos”, disse o comandante em novembro do ano passado.

Primeira volta por cima

Passada esta fase ruim, Patrick de Paula conseguiu ser reerguer e, no dia 4 de janeiro de 2021, foi escalado como titular, ao lado de seus companheiros de base Danilo e Gabriel Menino, na histórica vitória do Palmeiras por 3 a 0 sobre o River Plate, em Avellaneda, pela semifinal da Libertadores de 2020.

Willian, Zé Rafael e Patrick de Paula em jogo-treino do Palmeiras no Allianz Parque.
Cesar Greco

O camisa 5 voltou a ser opção constante de Abel Ferreira, mesmo que não tenha garantido a vaga de titular. Dos 24 jogos que o Verdão fez – contando a partir do jogo contra o Ceará, em novembro passado (quando Patrick retornou ao time), até o duelo diante do Santos, na final da Libertadores – o jogador foi a campo 14 vezes.

Da conquista do bi da América até o título da Copa do Brasil, o meia continuou na mesma toada e terminou sua primeira temporada no profissional com 52 jogos disputados e cinco gols marcados.

Temporada 2021: início forte e nova queda

Integrante do ‘grupo 3’ no início da temporada 2021, Patrick não saiu para o recesso de férias e permaneceu jogando as primeiras partidas do Campeonato Paulista. Isso fez com que o camisa 5 ganhasse pontos na preferência do treinador. Nos jogos mais importantes desta retomada, incluindo as primeiras rodadas da fase de grupo da Libertadores, foi titular e decisivo.

Patrick de Paula e Rony em treino do Palmeiras na Academia de Futebol.
Cesar Greco

Na goleada em cima do Independiente Del Valle por 5 a 0, o meia anotou um gol e participou diretamente de outros dois. Além disso, durante a primeira fase do torneio continental, teve boas atuações, destacou-se nas roubadas de bola no campo adversário e, ao todo, distribuiu sete passes decisivos em cinco jogos.

Outro problema, contudo, fez o jogador retornar algumas casas em sua trajetória. No jogo entre Palmeiras e América-MG, em 20 de junho, Patrick entrou em campo com um piercing na orelha e desfalcou a equipe por sete minutos até conseguir tirar a peça.

Para piorar, na mesma noite, quebrou o protocolo de saúde imposto pelo clube e foi flagrado por torcedores na saída de uma balada em São Paulo, sem máscara. O desdobramento dos dois episódios foi uma multa e o afastamento pela direção.

Nova volta por cima

Patrick de Paula subindo ao gramado do Allianz Parque para o jogo-treino do Palmeiras.
Cesar Greco

Reintegrado ao elenco uma semana após o ocorrido, Patrick vem, desde então, recuperando seu espaço. Nas quartas-de-final da Libertadores, contra o SPFC, foi o responsável por fazer o gol que deu o empate ao Verdão no primeiro jogo e, consequentemente, um placar mais favorável no duelo decisivo. No segundo jogo, anotou mais um gol e outra boa atuação ajudaram o Palmeiras a passar sobre o time do Morumbi e chegar às semifinais da competição.

“Enquanto eu for treinador do Palmeiras, não desistirei de nenhum atleta. Ele [Patrick de Paula] fez o gol e não quis responder aos críticos, mas sim comemorou com a equipe. É isso que me deixa com alegria”, elogiou Abel Ferreira após a classificação.

Figurando novamente entre os jogadores mais importante do elenco, Patrick vem trabalhando para manter uma sequência mais “tranquila” e continuar evoluindo em sua já vitoriosa carreira. Pela equipe profissional, já fez no total 84 partidas e marcou 8 gols.