Edu Dracena aceita convite do Santos e não é mais assessor técnico do Palmeiras

Kaylan e Edu Dracena conversam durante treinamento do Palmeiras, na Academia de Futebol.
Cesar Greco

Em suas redes sociais, Dracena, que ocupou o cargo por quase dois anos, se despediu e agradeceu ao Palmeiras

O ex-jogador Edu Dracena, zagueiro do Palmeiras entre os anos de 2016 a 2019 e que ocupava o cargo de assessor técnico, aceitou o convite da diretoria do Santos para fazer parte da organização alvinegra e deixou o Verdão.

Dracena assumiu o cargo de assessor técnico assim que se aposentou como atleta, no final de 2019 – ele chegou para suprir a vaga que foi desempenhada por Zé Roberto no ano anterior.

O ex-atleta tinha a função de “auxiliar a parte técnica, com o Anderson e Cícero, conversando sobre planejamento, sobre contratações”, como disse em entrevista no ano passado.

Além disso, Dracena também era responsável por intermediar a relação entre a direção e o vestiário. “Parece simples [ser o elo], mas você lida com personalidades diferentes, comissão técnica, tenta no diálogo orientar, passar as experiências que tive como 20 anos de profissional. É não deixar um problema pequeno, uma chateação, virar briga ou um desconforto no futuro”, declarou na mesma coletiva.

Com o ex-zagueiro na diretoria, o Verdão teve um dos seus melhores anos em relação a títulos; foram três conquistas: Paulista, Copa do Brasil e Libertadores. Como jogador, Edu foi duas vezes Campeão Brasileiro, em 2016 e 2018.

Edu Dracena usou as redes sociais para se despedir do Palmeiras

Na tarde desta terça-feira, Edu Dracena utilizou seu perfil do Instagram para se despedir e agradecer o Palmeiras. Confira:

O ex-zagueiro deve se juntar à diretoria do Santos já nesta quarta-feira.

Gustavo Scarpa chega a 18 assistências na temporada

Gustavo Scarpa durante treinamento do Palmeiras na Academia de Futebol.
Cesar Greco

“Foi fantástico”, disse Abel sobre a atuação de Gustavo Scarpa

O meia Gustavo Scarpa novamente foi decisivo na vitória do Palmeiras sobre o Sport com suas assistências para gol, assim como vem acontecendo durante toda a temporada do Verdão.

Atleta que mais vezes entrou em campo pela equipe na temporada, com 48 jogos, Scarpa deu seu 18º passe para gol no duelo contra os pernambucanos. Colocado em campo no intervalo, o camisa 14 cobrou o escanteio que achou Luiz Adriano no meio da área para empatar a partida, aos 8 minutos do segundo tempo.

Contabilizando os sete gols anotados, o meia chega a 25 participações diretas em gols na temporada – disparado, o líder neste quesito entre os atletas do elenco.

“O Scarpa fez um jogo fantástico, foi fundamental para sermos mais agudos”, comentou Abel Ferreira sobre a partida do meia contra o Sport.

Para Abel, falta Scarpa aprimorar o jogo sem bola para ser “completo”

Gustavo Scarpa do Palmeiras em disputa com Mendoza do Ceará, durante partida válida pela décima nona rodada do Brasileirão, no Castelão.
Cesar Greco

Apesar dos impressionantes números, Gustavo Scarpa não tem o posto de titular no Palmeiras de Abel Ferreira, pelo menos no momento. Durante um período do Brasileirão, o meia era escalado entre os onze, ao lado de Raphael Veiga.

Entretanto, desde o retorno de Dudu que o meia vem sendo o “12º jogador”. Para o comandante, uma das principais diferenças entre Scarpa e Veiga é o jogo sem bola, no qual o camisa 23 entrega mais.

“Gosto de jogar com três tipos de médios: um 5, 8 e um 10. Temos dois “10”, o Veiga e o Scarpa. Só posso escolher três [no meio-campo]. Quando preciso de uma equipe mais aguda, precisamos de jogadores do banco que fazem isso. O Scarpa nos dá isso”, explicou.

Contratado em 2018, Gustavo Scarpa tem 166 partidas pelo Palmeiras e 30 gols anotados. Rei das assistências em 2021, o meia só perde para Dudu no retrospecto geral; enquanto o camisa 4+3 tem 80 em 326 jogos, Scarpa tem 35.

Palmeiras bate recorde de finalizações em uma partida no Brasileirão contra Sport

Raphael Veiga do Palmeiras durante partida contra o Sport, válida pela vigésima oitava rodada do Brasileirão 2021, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Ao todo, foram 36 chutes a gol contra 6; para Abel Ferreira, o Palmeiras poderia ter feito “meia-dúzia” de gols

O Palmeiras derrotou o Sport por 2 a 1, na noite da última segunda-feira, e alcançou os 49 pontos no Brasileirão. Depois de levar o gol do uruguaio Barcia, a 3 minutos de jogo, o Verdão encurralou o adversário até conseguir a virada.

Ao final do jogo, as estatísticas apontaram 36 finalizações para o Palmeiras, sendo 15 na direção do gol; o Sport, por sua vez, deu apenas 6 chutes. Nenhum time do Campeonato Brasileiro até o momento finalizou tanto como o Verdão diante dos pernambucanos.

Outra estatística curiosa que também mostra como os comandados de Abel Ferreira foram agressivos é a quantidade de escanteios. Nada menos do que 23 tiros de canto foram cobrados pelo Palmeiras, contra nenhum do adversário.

Os dois gols da equipe vieram dessa jogada; o segundo gol aconteceu após uma sequência de três escanteios batidos por Gustavo Scarpa.

Produção ofensiva do Palmeiras foi destaque na coletiva de Abel

Para fins de comparação, em outras partidas no Brasileirão em que a equipe viveu um cenário parecido (sofrer um gol no início) ou teve que correr atrás da virada, dentro do Allianz Parque, o Palmeiras teve:

  • 15 finalizações (3 no gol) contra o Juventude;
  • 15 finalizações (6 no gol) contra o América-MG;
  • 19 finalizações (8 no gol) contra o Bahia;
  • 20 finalizações (2 no gol) contra o Fortaleza.

Os jogos mais próximos foram contra o Cuiabá e CRB (Copa do Brasil): 31 e 34 chutes, respectivamente.

A produção e o volume ofensivo contra o Sport fizeram com que o treinador Abel Ferreira elogiasse o time na coletiva de imprensa e também rebatesse o rótulo de equipe “defensiva” desenhada por grande parte da mídia tradicional.

“Hoje enfrentamos um adversário que se defende bem, mas com poucos recursos ofensivos. Tínhamos que ter a bola e, no último terço, sermos criativos, driblar, finalizar, fazer coisas. E foi isso que eles [os jogadores] fizeram e foram perfeitos. As 36 finalizações demonstram a agressividade da equipe, que contradiz alguns que quer nos catalogar como ‘um time que se defende’. Pena que foram apenas dois gols, poderíamos ter feito 6”, declarou.

Felipe Melo marca o gol 400 do Palmeiras no Allianz Parque

Felipe Melo comemora seu gol pelo Palmeiras contra o Sport, durante partida válida pela vigésima oitava rodada do Brasileirão 2021, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Aos 38 anos e com o contrato acabando, Felipe Melo retomou o posto de titular

O Palmeiras engatou a terceira vitória consecutiva ao vencer o Sport na noite desta segunda-feira, no Allianz Parque, por 2 a 1. Autor do gol que deu a vitória ao Verdão, Felipe Melo foi o responsável também por fazer o tento de número 400 do time no estádio, inaugurado há quase sete anos justamente numa partida contra o Sport.

“Feliz de mais uma vez entrar na História do clube com o gol 400 [do Palmeiras no Allianz Parque]. Agradeço ao grupo maravilhoso que temos, à minha família, à torcida e ao histórico treinador Luiz Felipe Scolari, que falou comigo antes do jogo e me disse que eu iria fazer um gol. Estava há tanto tempo sem marcar, que não poderia deixar de não dedicar a todos que são importantes pra mim”, declarou em entrevista após o jogo.

Os outros gols históricos do Allianz Parque foram anotados por: Henrique Dourado (1º), Lucas Barrios (100º), Willian (200º) e Raphael Veiga (300º).

Felipe Melo foi titular em 7 dos últimos 10 jogos

Aos 38 anos e perto do fim do seu contrato com o Palmeiras (o vínculo vai até 31 de dezembro), Felipe Melo vem sendo uma peça de confiança de Abel Ferreira. Dos últimos dez jogos do Verdão, foi titular em sete oportunidades.

O volante aproveitou a lesão de Danilo e a suspensão de Zé Rafael para mostrar desempenho e ajudar a equipe na retomada das vitórias no Brasileirão.

“Muito importante essa vitória, independentemente se fui eu quem fez o gol. Por muitas vezes a gente se dedicou em campo, mas a vitória não veio. Hoje, saímos atrás do placar, mas demonstramos toda a nossa superioridade, força da equipe e a humildade. Seguimos focados, na luta e sonhando bastante. Grandes coisas estão por vir”, dissertou.

Em sua quinta temporada no clube, Melo contabiliza 222 jogos, 13 gols e quatro títulos: Campeonato Brasileiro, Paulistão, Copa do Brasil e Libertadores.

Abel elogia desempenho da equipe e afirma: “poderíamos ter feito 6 gols”

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o Sport, durante partida válida pela vigésima oitava rodada do Brasileirão 2021, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Abel aproveitou a coletiva também para rebater críticas da imprensa

O Palmeiras recebeu o Sport na noite de ontem, em jogo válido pela 28ª rodada do Brasileirão, e venceu a equipe pernambucana por 2 a 1, de virada. Luiz Adriano, aos 8 do segundo tempo, e Felipe Melo, aos 35, foram os autores dos gols.

Após a partida, em entrevista coletiva, o técnico Abel Ferreira elogiou o desempenho do time, principalmente na parte ofensiva – o Verdão finalizou 36 vezes (16 certas) contra o gol de Mailson, recorde de chutes de um time no Campeonato Brasileiro desde 2013.

“Vimos uma equipe com uma força mental muito forte, além da organização tática e coletiva. Mantivemos a ordem, disciplina e, principalmente, a intensidade. Para mim futebol moderno é isto: ser vertical, chutar 36 vezes a gol. E para que isso aconteça, é preciso que a equipe esteja descansada. Foi o que aconteceu. Muitas vezes o resultado não reflete o que foi o jogo, mas hoje sim”, resumiu.

“Gosto de estudar futebol, faço isso todos os dias. Meu foco é total em continuar evoluindo como treinador e os meus jogadores sabem o que tem de fazer dentro de campo. Hoje enfrentamos um adversário que se defende bem, mas com poucos recursos ofensivos. Tínhamos que ter a bola e, no último terço, sermos criativos, driblar, finalizar, fazer coisas. E foi isso que eles [os jogadores] fizeram. As 36 finalizações demonstram a agressividade da equipe, que contradiz alguns que querem nos catalogar como ‘um time que se defende’. Pena que foram apenas dois gols, poderíamos ter feito 6”, acrescentou.

O comandante revelou também que a conversa no intervalo foi no sentido de os atletas manterem a calma, além de realizar alguns ajustes táticos, com a entrada de Gustavo Scarpa no lugar de Danilo.

“Passei exatamente isso: calma, tranquilidade. As palavras foram nesse sentido. Lógico que fizemos ajustes táticos, tornamos a equipe mais agressiva com a entrada do Scarpa. Mantivemos a largura, os movimentos interiores e o time manteve a disciplina”, declarou.

“Gosto de jogar com três tipos de médios: 5 (Felipe Melo ou Danilo Barbosa), 8 (Patrick de Paula ou Danilo) e 10 (Scarpa e Veiga). Só posso escolher três. Quando preciso de uma equipe mais aguda, precisamos de jogadores do banco que fazem isso. O Scarpa nos dá isso, ele fez um jogo fantástico, foi fundamental para sermos mais agudos. A função enquanto treinador é olhar para o jogo, ver o que ele está pedindo e dar a melhor reposta”, prosseguiu.

Abel afirma que grupo está fechado com ele

O triunfo contra o Sport foi o terceiro consecutivo do Palmeiras depois de a equipe passar por um momento turbulento. No período em que o Verdão ficou cinco partidas sem vencer, muito foi dito sobre Abel Ferreira ter “perdido o grupo”, mas o comandante fez questão de rebater:

“Muitos disseram que o treinador perdeu o vestiário. Quem está com eles todos os dias, os treinam, sofrem com eles, somos nós da comissão técnica. Eu não grito com os jogadores. Quando sentir que perdi o grupo e eles não estiverem mais fazendo o que eu peço, serei o primeiro a ir embora. Se estou aqui é porque há trabalho a se fazer, porque eles me seguem e fazem o que o treinador diz. Quando os critico publicamente, é para ser algo construtivo, de pai para filho”, enfatizou.

“Há o jornalismo feito de forma honesta, mas há o que é feito do ódio, inveja, crítica barata. As pessoas não me conhecem como homem, pai. Podem me criticar como treinador, mas quando parte para ofensa, mostra o caráter de quem está do outro lado”, concluiu.

O Palmeiras terá seis dias de trabalho até o próximo confronto, que será contra o Grêmio, em Porto Alegre. Com a vitória, o Verdão retomou a segunda posição do Brasileirão, com 49 pontos.