Elenco 2018: a barca, quem fica, os reforços, os emprestados e a base (parte I)

A postura do Verdazzo em relação a especulações e listas de dispensa, os leitores já estão acostumados, é bastante reticente. A linha deste site é a de preservar os atletas do elenco atual e não alimentar as especulações veiculadas pela imprensa.

No entanto, diante do atual momento da temporada – a dois jogos do fim, com os próprios jogadores já em ritmo de férias, já é possível fazer o tradicional exercício de fim de ano: montar a barca de dispensa e especular as posições que precisam ser reforçadas. Bora?

GOLEIROS

O goleiro Fernando Prass, da SE Palmeiras, em jogo contra a equipe do C Jorge Wilstermann, durante partida válida pela primeira fase, da Copa Libertadores, na Arena Allianz Parque.
César Greco / Ag.Palmeiras

Tendo à disposição Fernando Prass, Jailson, Vinicius Silvestre e Daniel Fuzato, a única mexida possível seria trazer um goleiro para chegar e jogar. As especulações, no entanto, apontam para Weverton, que é um atleta que brigaria, no máximo, por um lugar no banco.

A especulação em torno do goleiro do Atlético-PR tem base e parece muito mais ser fruto do faro comercial de Alexandre Mattos, que detectou o goleiro em final de contrato com a possibilidade de vir de graça – trazê-lo para o Palmeiras significaria, além de uma boa economia, evitar que algum rival se reforce sem custos. Tecnicamente, entretanto, Weverton claramente não cabe no atual elenco e obrigaria a dispensar Jailson ou Vinicius Silvestre. Um passo bastante equivocado.

LATERAIS

Claramente o ponto fraco do Palmeiras nesta temporada. No lado direito, Jean sofreu com problemas físicos e nem de longe lembrou o lateral forte e regular que foi um dos destaques da conquista do eneacampeonato. Fabiano, apesar de ter marcado dois gols emblemáticos, jamais mostrou bola para ser algo além da terceira opção. Os dois poderiam mudar de ares em 2018 – seria bom para todos.

Rafinha
Leon Kuegeler/Reuters

Mayke foi contratado em regime de urgência no meio do ano e segurou as pontas, com oscilações, mas pode ser mantido para disputar um lugar no banco com João Pedro, que evoluiu na Chapecoense em 2017 – apesar de uma grave lesão. Para a titularidade, no entanto, o Palmeiras ainda precisa de um atleta indiscutível – Rafinha, em processo de desligamento do Bayern, é a opção principal e seu nome já foi mencionado várias vezes nas especulações da imprensa – o Cruzeiro e o Flamengo também estão na parada.

Pelo lado esquerdo, Zé Roberto vai se aposentar e Egídio só fica se a diretoria quiser provocar a torcida. Diogo Barbosa chega para tomar conta da posição e Michel Bastos, pelas últimas partidas, mostrou que pode continuar sendo opção, se estiver a fim de jogo. Victor Luís seria muito bem-vindo para compor o elenco e tem todas as condições de disputar a vaga no banco.

ZAGA

Mattos contratou Emerson Santos do Botafogo, em agosto – mais uma aquisição aparentemente levada adiante apenas pela disputa com rivais, já que o SCCP estava próximo de contratá-lo. O atleta era reserva no Botafogo e seu melhor momento foi em 2016, quando foi titular na campanha que levou o time à Libertadores de 2017. Emerson provavelmente chega para repor a saída de Antonio Carlos, cujo contrato vence no fim deste ano e não deve ser renovado, já que foi uma indicação de Eduardo Baptista que não teve destaque suficiente.

Thiago MartinsJuninho foi uma contratação cara que aparentemente não vingou. O Palmeiras precisa aprender a lidar com essas situações e realizar a perda – emprestá-lo ou mesmo vendê-lo, mesmo que a valores inferiores ao da compra, poderia acabar sendo melhor que arcar com seus salários por vários anos. Para repor sua saída, Thiago Martins, que está emprestado ao Bahia, pode ser um atleta cuja valorização tende a compensar as eventuais perdas no zagueiro que veio do Coritiba.

Mina segue sendo imbatível como titular para o lado direito da zaga – Luan, que já demonstrou ser um zagueiro muito bom mas que problemas quando joga do lado esquerdo, pode esperar até a Copa do Mundo para assumir a vaga. Do lado esquerdo, Edu Dracena pode continuar com titular. Pedrão, da base, vem forte e tem todas as condições para completar o setor.

Sempre é bom lembrar que na janela da Copa outros ajustes, para a zaga ou para qualquer outra posição, podem ser feitos – um certamente será necessário, já que Mina estará de saída para Barcelona.


RESUMO:
Barca: Jean, Fabiano, Zé Roberto, Egídio, Antonio Carlos e Juninho
Ficam:
Fernando Prass, Jailson, Vinicius Silvestre, Daniel Fuzato, Mayke, Michel Bastos, Mina, Luan e Edu Dracena
Chegam: Diogo Barbosa, Emerson Santos e um LD titular (especulado: Rafinha)
Voltam de empréstimo: João Pedro, Thiago Martins e Victor Luís
A base vem forte: Pedrão

GOLEIROS: Fernando Prass, Jailson, Vinicius Silvestre e Daniel Fuzato
LATERAIS DIREITOS: (?)Rafinha(?), Mayke e João Pedro
ZAGUEIROS: Mina, Edu Dracena, Luan, Thiago Martins, Emerson Santos e Pedrão
LATERAIS ESQUERDOS: Diogo Barbosa, Michel Bastos e Victor Luís

Amanhã seguiremos com o exercício, abordando os volantes, meias e atacantes (publicado, confira aqui). Se no setor defensivo, mesmo com uma ou outra divergência, não há motivos para discussões acaloradas, o meio e o ataque certamente vão provocar algumas tretinhas nos comentários. Até !