0
X
3

Pré-Jogo

Pré-jogo Atlético-GO x Palmeiras

Na tarde deste domingo, a Sociedade Esportiva Palmeiras visita o Atlético-GO, em partida válida pela 12ª rodada do Brasileirão.

Vindo de seis triunfos – cinco pelo campeonato nacional – o Verdão joga para alcançar o recorde de vitórias seguidas sob o comando de Abel, para se manter na liderança da tabela e, se possível, começar a acumular gordura para queimar na fase mais aguda da temporada.

Palmeiras

PalmeirasDESFALQUES
Lesionados:
Luiz Adriano, Rony e Luan Silva
Transição física: Gabriel Veron e Pedrão
Suspenso: Jailson
Não inscrito: Matheus Fernandes
Olimpíada: Gabriel Menino

Depois de finalmente conseguir afirmar sistemas de jogo distintos, com linhas de três, quatro e cinco na última linha, Abel pode seguir diversificando o padrão ofensivo. As chegadas de Matheus Fernandes e Dudu lhe darão mais alternativas para pensar novas formas de agredir os adversários.

Dudu, aos poucos, vai pegando ritmo e se encaixando nos modelos propostos pela comissão técnica. O camisa 43 ainda deve iniciar a partida no banco de reservas, mas é muito provável que receba mais uma chance de entrar durante o jogo. Outro que pode ganhar alguns minutos é Gabriel Veron, voltando após longo período de recuperação física.

Caso não tenha nenhuma recomendação em contrário da fisiologia, Abel deve manter o time que venceu a última partida em Santiago. Uma possível alteração, de ordem técnica, seria a entrada de Renan no lugar de Kuscevic. Até Felipe Melo pode ser usado na função. O provável time para a partida é Weverton; Marcos Rocha, Kuscevic (Renan), Gustavo Gómez e Viña; Danilo e Zé Rafael; Raphael Veiga, Gustavo Scarpa e Breno Lopes; Deyverson.

Atlético-GO

Depois de um bom início de campeonato e de eliminar o SCCP na Copa do Brasil, o Atlético perdeu rendimento e, nas últimas 5 partidas, só conseguiu uma vitória – sobre o lanterna, o Grêmio, no jogo que derrubou o treinador Tiago Nunes.

A dúvida de Eduardo Barroca é no comando do ataque: Zé Roberto briga com Lucão no comando do ataque. O provável time para enfrentar o Verdão é Fernando Miguel; Dudu, Oliveira, Éder e Natanael; Marlon Freitas, Willian Maranhão e Arthur Gomes; Ronald, Zé Roberto (Lucão) e André Luís.

Números

  • Em 16 confrontos, a vantagem é do Verdão: 8 vitórias contra 6, mais 2 empates;
  • Em 9 jogos com mando do adversário, há equilíbrio: 4 vitórias para cada lado e uma igualdade;
  • O equilíbrio também é visto em partidas pelo Brasileirão: os dois times têm 4 vitórias e empataram 2 vezes;
  • Faça os cruzamentos de dados históricos como quiser usando nosso Almanaque. Clique aqui!

Odds

Líder, o Verdão leva o favoritismo a Goiânia, segundo o mercado. Os principais sites de aposta pagarão, em média, para cada real aplicado:

Atlético-GO: R$ 3,75
Empate: R$ 3,50
PalmeirasPalmeiras: R$ 1,95

No calendário

O Palmeiras já disputou 19 jogos no dia 18 de julho e venceu 9, incluindo uma enorme vitória em 1951. Veja a lista completa clicando neste link.

Arbitragem

Denis da Silva Ribeiro SerafimÁrbitro Principal:
Denis da Silva Ribeiro Serafim

VAR:
Gilberto Rodrigues Castro Junior

Projeção de pontos

De acordo com a projeção de pontos ajustada ao fim do primeiro quartil, o Palmeiras está dois pontos acima e a projeção para esta partida era de empate. Assim, uma vitória nos deixaria com enormes quatro pontos de gordura.

Parpite

O time que deve iniciar o jogo tende a ser bem semelhante ao que jogou em Santiago, contra um adversário de força semelhante. Parece pouco provável que o time jogue tão mal pela segunda vez seguida.

Por isso, dá Verdão: 2 a 0, com gols de Viña e Gustavo Scarpa. E os outros que corram atrás. VAMOS PALMEIRAS!

Transmissão

TV GloboGlobo (para SP, MG, RS, PR, GO, MT, MS, CE, AL, MA e TO)

PFCPFC

Pós-Jogo

Atlético-GO 0x3 PalmeirasCesar Greco

O Palmeiras venceu o Atlético-GO por 3 a 0 e manteve a ponta do campeonato, agora com 3 pontos mais um razoável saldo de gols de distância em relação ao segundo colocado.
A vitória veio depois de um jogo bastante constante e controlado, onde faltou eficácia no primeiro tempo, mas sobrou no segundo – daí os três gols terem sido marcados somente na parte final da partida.

Primeiro tempo

1'
Palmeiras

Dudu fez a jogada em velocidade pela direita e cruzou; a bola desviou em Willian Maranhão e ia entrando no ângulo esquerdo, mas Fernando Miguel fez grande defesa e mandou a escanteio.

11'
Atlético-GO

Após pressão na saída de bola, Arthur Gomes tentou o arremate mas Gustavo Gómez travou; no rebote, Willian Maranhão emendou de primeira e a bola saiu pelo alto.

13'
Palmeiras

Raphael Veiga conduziu pela esquerda e cruzou na meia-lua; Patrick de Paula pegou um lindo sem-pulo mas a bola explodiu em Oliveira.

14'
Palmeiras

Mais uma vez quem armou o ataque foi Veiga, desta vez em diagonal; ele inverteu a bola buscando Dudu, mas Willian acabou interceptando no meio do caminho e disparou; a bola teve direção mas ganhou muita altura e encobriu o travessão.

15'
Palmeiras

Renan colocou Wesley pra correr; o camisa 11 evitou a saída pela linha de fundo e cruzou; Willian fez a parede e Veiga chegou batendo, mas pegou fraco e ficou fácil para Fernando Miguel defender.

17'
Palmeiras

Wesley fez jogada individual pela esquerda, puxou pra dentro no bico da área e bateu rasteiro; Fernando Miguel defendeu mais uma.

21'
Palmeiras

Wesley enfiou para Willian na área; o camisa 29 fez o pivô para a chegada de Raphael Veiga que entrou batendo de direita, mas pegou mal na bola, que saiu mastigada, sem direção.

28'
Atlético-GO

André Luís entrou na área fazendo fila, levou três marcadores e tentou chutar, mas foi travado por Felipe Melo; Patrick disputou com  Lucão e a bola sobrou pelo alto para Arthur Gomes, que tentou a bicicleta, mas furou o pneu.

38'
Palmeiras

Zé Rafael tentou a finalização rasteira da entrada da área, mas mandou à direita do gol.

48'
Atlético-GO

Arthur Gomes bateu falta da meia esquerda, com perigo – a bola saiu perto do ângulo direito do gol de Weverton.

49'

O árbitro Denis Serafim, calmo, encerrou o primeiro tempo.

 


Segundo tempo

O Palmeiras voltou sem alterações para o segundo tempo.

14'
Palmeiras

GOL DO PALMEIRAS! Wesley puxou a jogada pela esquerda e cruzou por baixo para o meio da área; Willian disputou a jogada com Éder, que acabou escorando contra seu próprio gol, no canto esquerdo de Fernando Miguel

15'

Três mexidas no Verdão: Deyverson no lugar de Wililan; Gustavo Scarpa no lugar de Raphael Veiga; Breno Lopes no lugar de Dudu.

 

29'

Danilo e Viña entraram nos lugares de Patrick de Paula e Wesley.

33'
Palmeiras

Gustavo Scarpa bateu escanteio da esquerda no primeiro pau; Zé Rafael subiu livre mas testou por cima do gol.

40'
Atlético-GO

Arthur Gomes bateu falta de dentro da meia-lua, com força, no canto do goleiro; Weverton foi firme na bola e desviou para o lado e Renan aliviou.

42'
Palmeiras

Em contra-ataque rápido, Gustavo Scarpa enxergou a infiltração de Viña e alçou na área; o uruguaio conseguiu escorar, mas pegou meio sem jeito na bola, que saiu fraca à direita do gol.

45'
Palmeiras

GOL DO PALMEIRAS! Danilo recuperou a bola no campo de defesa e lançou Deyverson, que segurou um pouco a jogada e abriu para Breno Lopes; o centro veio na direção de Gustavo Scarpa, que fechava pelo meio; o camisa 14 ainda precisou se entortar todo para conseguir cabecear para o fundo do gol.

50'
Palmeiras

GOL DO PALMEIRAS! Deyverson roubou a bola no campo de ataque e rolou para a entrada em velocidade de Breno Lopes, que tocou no canto esquerdo do gol.

54'

Após todos os acréscimos possíveis, o árbitro encerrou o jogo.





Fim de jogo

Mesmo poupando jogadores importantes como Marcos Rocha, Viña, Danilo, Gustavo Scarpa, Breno Lopes e Deyverson, Abel repetiu o 4-2-3-1 dos últimos jogos, voltando a posicionar Raphael Veiga por dentro.

Dudu jogou aberto pela direita, ainda em processo de recuperação de ritmo de jogo e de evolução física. Sem gás para voltar toda hora para marcar o lateral-esquerdo, Dudu ficou plantado na ponta, o que fez com que Mayke ficasse quieto na defesa, sem apoiar muito. Na esquerda, Renan ficou plantado porque não tem facilidade no apoio mesmo. Assim, os ataques pelos lados eram jogadas de ponta puros, sem ultrapassagens de laterais. Quase um 4-3-3 à moda anos 70 – a diferença era o uso de apenas um meia, com dois volantes.

Após algumas jogadas pelo lado direito, o Palmeiras passou a forçar mais o jogo com Wesley, pela esquerda, e uma série de oportunidades de gol foram criadas, principalmente usando as chegadas dos meio-campistas por trás e as participações de Willian como pivô.

Faltou a execução. As jogadas, desenhadas, aconteciam, mas na hora de dar o último passe ou de finalizar, as jogadas saíam com defeito. O adversário parecia impotente diante do forte sistema defensivo do Palmeiras, que trancou todas as saídas, e criava chances seguidas de gol assim que retomava a bola.

Sob um calor de 30° C em Goiânia, o time baixou um pouco a intensidade na segunda metade do primeiro tempo, para retomar a carga depois do intervalo. E o Palmeiras encontrou alguma dificuldade para criar nos primeiros minutos.

Quando Abel já tinha três jogadores preparados para entrar, saiu o gol que abriu a porteira: Wesley ganhou mais uma de Dudu e cruzou por baixo; Willian disputou com Éder, que acabou tocando contra seu gol.

Com Deyverson, Scarpa e Breno Lopes, o time seguiu forte; o camisa 19 é mais efetivo que Dudu neste momento e o Palmeiras voltou a ter os dois lados balanceados.

Aos 29, as entradas de Viña e Danilo deram outra cara ao time: formou-se uma linha de 5 na defesa, que deu mais solidez ao sistema defensivo, e com Danilo e Zé Rafael fazendo os volantes/meias que percorrem o campo todo o time não perdeu a capacidade ofensiva.

Se o que faltou no primeiro tempo foi eficácia na execução, sobrou no segundo. Em dois ataques mortais, o Palmeiras fechou o placar em jogadas com participações fundamentais de Deyverson. Breno Lopes e Scarpa foram às redes, consagrando as substituições de Abel.

Foi mais uma grande exibição, sólida, segura. Weverton só foi ameaçado, de fato, numa falta suspeita, marcada aos 40 minutos do segundo tempo, na qual o Palmeiras poderia até ter sofrido o empate, configurando mais uma injustiça que só o futebol proporciona. Felizmente nosso goleiro é uma fortaleza.

Ao alcançar a sétima vitória seguida (pela segunda vez no ano), o Verdão mostra que está cada vez menos suscetível a oscilações. Elas seguem acontecendo, como em qualquer time do mundo, mas o repertório tático desenvolvido permite retomar a boa fase com pequenos ajustes. E assim o Verdão marcha forte em direção ao funil da temporada. Se vamos erguer mais troféus, ninguém sabe – mas que estamos na direção correta, não há dúvidas. VAMOS PALMEIRAS!

Ficha Técnica

Atlético-GO

Fernando Miguel
Dudu
Arnaldo
Oliveira
Éder
Igor Cariús
Willian Maranhão
Marlon Freitas
André Luís
Ronald
Arthur Gomes
Lucão
Zé Roberto
Janderson
Toró
Eduardo Barroca
TÉCNICO

Notas


Jogador
Descrição
Nota
Weverton
Fez só uma defesa, mas foi salvadora, aos 40 do segundo tempo.
7.5
Mayke
Ficou plantadinho para dar liberdade a Dudu.
7
Felipe Melo
Mesmo sendo um temeridade colocá-lo como zagueiro numa linha de 4, foi bem, com posicionamento e tempo de bola corretos.
7
Gustavo Gómez
Na parte final do jogo, em que o adversário aumentou a pressão em busca do empate, cresceu de forma absurda, tirando absolutamente todas pelo alto.
8
Renan
Na lateral, cravado, se arriscou pouco para não se complicar.
7
Zé Rafael
Além de ter jogado com muita solidez, permaneceu em campo por mais de 100 minutos correndo por todo o gramado, com a parte física impecável.
7.5
Patrick de Paula
Segue tentando recuperar espaço depois do vacilo. E vai fazendo bem sua parte.
7
Danilo
Sua presença dá ao time uma vitalidade impressionante.
7
Dudu
Subiu mais um degrau. Sabemos como Dudu funciona no início de temporada. O Baixola precisa de nossa paciência para voar no funil da temporada.
5.5
Breno Lopes
Em 25 minutos em campo, fez um gol e deu o passe para outro. Tá iluminado.
8
Raphael Veiga
É muito bom poder contar com jogadores inteligentes em campo. Veiga se destaca com a bola e pensando.
7
Gustavo Scarpa
Fechou pelo meio como centroavante, depois de um pique absurdo, e se contorceu para testar para o gol. Quebrou uns 300 paradigmas numa só jogada.
7.5
Wesley
Ponta esquerda clássico, fez jogadas de velocidade, indo ao fundo ou entrando em diagonal. Sempre muito perigoso.
7
Viña
Entrou para montar uma linha de 5 na defesa, mas não perdeu suas características de apoiador.
7
Willian
Fez as jogadas de pivô, preparando as jogadas, e foi decisivo para abrir a porteira - se o zagueiro não fizesse contra, ele provavelmente empurraria para o gol.
7.5
Deyverson
Está definitivamente mudado. Contra todas as probabilidades, está jogando muita bola e sendo decisivo. Como é satisfatório ter que dar o braço a torcer quando é assim.
8.5
Abel Ferreira
Abel Ferreira
É uma máquina de pensar. Tem um repertório absurdamente vasto e sempre tem uma solução. Às vezes, erra. Mas é bem difícil prever seu próximo passo.
8.5





  • O Abel é um técnico estudioso, humano e inteligente e que tem coragem de arriscar e fazer experiências em jogos. No futuro irá brilhar nas grandes ligas da Europa. Temos que aproveitar e apoiar essa sua jornada no Verdão, que trará ainda mais títulos.

    Abel é o melhor técnico depois do Scolari.

  • Incrível ver o Menino Dey jogando bola, até isso o Abel foi capaz de fazer, e ainda tem gente que quer encher o saco dele… sou muito grato por testemunhar essa fase, que a era Abel seja longa e próspera. só de não sentir vergonha alheia nas entrevistas já me dá um alivio enorme.

    • Abel conseguiu fazer muitos jogarem um pouco mais do que jogavam: Scarpa, Veiga, Melo, Deyverson; até o Ramires tava melhorando na mão dele.
      Com isso eu confio que, se o Borja voltar, vai ter sua chance também; e tomara que a aproveite.

      • Acho válida a tentativa com Borja. Em termos de estratégia de reintegração ao elenco, o começo da volta do futebol da pandemia teria sido o momento ideal, para ganhar confiança, uma vez que sabemos de seus problemas de timides, levando-se em consideração a falta de público nos estádios. Mas ainda há tempo. Porém existe a programação salárial do elenco e tals…..

  • Pouparia Scarpa ou Veiga, para poder contar com eles mais minutos contra o Católica no jogo da volta….

    Talvez dar mais minutagem ao Dudu, Patrick, Wesley mudando um pouco o esquema.