1
X
3

25/11/2020 - 19:15

Delfín 1x3 PalmeirasCesar Greco/Ag.Palmeiras

O Palmeiras venceu o Delfín fora de casa no jogo de ida pelas oitavas-de-final da Libertadores e abriu uma vantagem quase impossível de ser tirada pelo time do Equador.

O enorme respeito pelo Palmeiras e a fragilidade técnica do time da casa foram preponderantes para que o Verdão, mesmo abarrotado de desfalques, conseguisse construir a vantagem – até com certa facilidade. O time deu-se ao luxo de poupar os esforços no segundo tempo visando à sequência da temporada.

Primeiro tempo

O Palmeiras começou com problemas para se encontrar num esquema sem referência na área. Mas todos os jogadores de frente se movimentavam bastante, tentando achar o melhor espaço diante da defesa equatoriana.

15'
Palmeiras

Depois de longa troca de passes, Mayke recebeu na esquerda e acionou Zé Rafael na risca da área – ele girou a bateu rasteiro. a bola passou à esquerda do gol de Banguera.

17'
Palmeiras

GOL DO PALMEIRAS! Rony enfiou para Gabriel Menino, que entrou na área e chutou com pouco ângulo, rasteiro, cruzado – Banguera ajudou bastante e a bola morreu no canto esquerdo.

30'
Palmeiras

Mayke cruzou de canhota na entrada da área; Lucas Lima chegou para bater mas não conseguiu o arremate porque Nazareno chegou com muita força na jogada, de sola. O VAR fez a checagem de pênalti e confirmou o tiro livre.

35'
Palmeiras

GOL DO PALMEIRAS! Rony correu pra bola cheio de firula mas bateu a penalidade no ângulo esquerdo de Banguera e fez o segundo do Verdão.

37'
Palmeiras

Lucas Lima cruzou do fundo, da esquerda, e encontrou Gabriel Menino como um centroavante; a testada foi no chão e Banguera fez uma enorme defesa.

44'
Palmeiras

Zé Rafael deixou Rony na cara do gol; o camisa 11 finalizou muito mal, em cima de Banguera.


Segundo tempo

1'
Delfín

Depois de bola alçada na área, Corozo girou e finalizou; Weverton fez grande defesa.

4'
Delfín

Corozo aproveitou bola pingando na entrada da área e meteu o pé na bola; Weverton pegou firme, mas o lance foi perigoso.

7'
Delfín

González ganhou de Mayke na defesa e puxou o contra-ataque; ele viu a infiltração de Valencia e enfiou no facão; Valencia ganhou de Weverton na velocidade mas ficou sem ângulo e cruzou; nossa zaga afastou o perigo.

9'
Delfín

Depois de escanteio da esquerda cobrado por Vélez; a bola veio fechada e quase entra direto – Weverton estava atento e deu um tapa na bola.

15'
Palmeiras

GOL DO PALMEIRAS! Rony recebeu na área, levantou a cabeça e tocou para Zé Rafael, que tirou o primeiro na matada, tirou do segundo e tocou de pé esquerdo no canto de Banguera.

19'
Palmeiras

Rony recebeu livre, na frente de Banguera, mas de novo bateu em cima do goleiro.

23'
Delfín

Gol do Delfín – Vélez bateu novo escanteio da esquerda; Ramires tentou afastar e tocou contra.

23'

Zé Rafael voltou a sentir o tornozelo e deu lugar a Danilo.

30'
Palmeiras

Patrick de Paula bateu falta da meia-lua, mas a bola explodiu na barreira.

32'

Mayke ganhou a bola no campo de ataque, entrou em diagonal e bateu forte de direita, mas a bola subiu demais.

33'
Delfín

Depois de estouro de Banguera, a bola chegou na meia-lua a Valencia, que dominou e bateu forte – a bola saiu por cima, com perigo.

38'

Lucas Lima e Ramires saíram, para as entradas de Renan e Esteves.

40'

Gabriel Silva entrou no lugar de Rony.

42'
Palmeiras

Gabriel Menino bateu falta de longe com muita força obrigando Banguera a espalmar para o lado.

49'

Sem se importar muito com o acréscimo, o juiz encerrou o jogo, que já estava desinteressante.



Ficha Técnica

0

R$ 0,00

Leodán González

Delfín

Banguera
González
Ale
Rodríguez
Nazareno
Mera
Benítez
Ortiz
Vélez
Cifuente
Valencia
Garcés
Janner Corozo
Rojas
Miguel Ángel Zahzú
TÉCNICO


Fim de jogo

Depois de quinze minutos em que o time procurou achar a melhor forma de jogar sem uma referência na área e entender a marcação do adversário, o Palmeiras encaixou o jogo.

Com Zé Rafael, Lucas Lima, Gabriel Menino e Rony se movimentando muito, sem forçar bolas aéreas na área, o Verdão envolveu o sistema defensivo do Delfín com muita tranquilidade. E quando o goleiro resolve ajudar, fica mais fácil ainda.

Após fazer o primeiro, o Palmeiras recuou um pouco as linhas e ganhou mais espaço para sair em velocidade. E mesmo quando o ataque era mais cadenciado, não era difícil envolver os equatorianos. E assim saiu o segundo gol, num cruzamento baixo para a entrada da área – como se Veiga estivesse em campo, mas foi Lucas Lima quem chegou para bater e sofreu o pênalti que Rony converteu.

Os dois gols de desvantagem nocautearam o Delfín, que podia ter sofrido mais gols – Rony chegou a perder um lance cara a cara com Banguera. 2 a 0 ficou de bom tamanho para o time da casa no primeiro tempo.

Desconcentrado e provavelmente pensando em poupar o físico, nosso time permitiu ao Delfín armar uma pressão no início do segundo tempo, mas nada que uma jogada natural não neutralizasse: Rony cruzou mais uma vez para a entrada da área e Zé Rafael, no talento, fez o terceiro, pra acabar de vez com o jogo. O gol de honra do Delfín foi contra, numa bola parada.

E não teve mais jogo – o Verdão tratou de fazer o relógio passar e garantir uma vantagem quase impossível de ser revertida pelo Delfín no Allianz Parque.

A chavinha volta a virar para um jogo crucial no Brasileirão. Ninguém parece disposto a ganhar o campeonato e o Verdão precisa se manter vivo na disputa para a arrancada final. Com quase meio time de volta, e com a vida na Libertadores encaminhada, Abel tem uma decisão para tomar para o jogo da volta, daqui a uma semana: força total ou time misto? Saberemos em sete dias. VAMOS PALMEIRAS!

Diego Armando Maradona
* 1960
✝ 2020





  • O que o Rony fez no pênalti não foi necessariamente gracinha. Foi apenas uma imitação milimétrica das batidas do Neymar. E funcionou!

    Partiu do meio, fez a volta circular pela esquerda, parou no meio do caminho e foi pulando miudinho tipo desenho animado até a bola.

    Só não foi 100% porque na hora da batida olhou para a bola. Para bater desse jeito não pode tirar os olhos do goleiro. Caso o último movimento do arqueiro seja perdido pelo batedor, então a defesa fica bastante possível.

    Ir direto para a bola, sem rodeios e sem tirar os olhos do goleiro, só vi dois: Evair e Ceifador.

    • Isso aí.

      Djalminha também fazia um duelo com o goleiro, mas era frio e perfeccionista, sempre esperando o goleiro cair para empurrar a bola pro fundo do gol, sem força, somente jeito.

      Mas isso acho que não se aprende, isso é pra quem sabe.

  • Acho que ja estamos nas quartas, perder essa vaga para o Delfin dentro do Allianz seria a maior parmerada de todos os tempos, o Libertad ganhou do Jorge Wilstermann por 3×1 tbm, tudo indica que os paraguaios serão nossos adversários na próxima fase, e não vai ser essa baba que foi o Delfin, mas até la creio que estaremos com o time completo e da pra avançar tbm.

    Vamos Palmeiras, rumo ao Bi!!

    Descanse em paz El Pibe de Oro

  • O verdazzo já deve ter visto o Delfin jogando antes, não é possível. Se tivéssemos Wesley, Viña e Veiga em campo teria sido uma sonora goleada.

    Com os demais jogadores voltando, o time tem tudo para brigar nas copas. O português ressuscitou até o Lucas Lima! Quem diria…

  • Eu gostaria de ver a escalação com Weverton, Marcos Rocha (Mais experiente que menino), Emerson Santos, Gustavo Gomez e Esteves formando o esquema defensivo. Danilo, Patrick de Paula e Lucas Lima no meio. Zé Rafael atuando na ponta esquerda, Gabriel Silva de centro avante e Rony na outra ponta.

  • Acho que dá pra ganhar, mas um empate já tá bom. No jogo da volta teremos retornos importantes e devemos vencer.

  • É possível armar o time com 3 zagueiros, por Menino e Esteves nas alas, Danilo ou Patrick, Zé Rafael e Lucas Lima no meio, Rony e Gabriel Silva na frente. Alguns jogadores sem treinar, mas é o que tem para hoje.

  • Jogo tão complicado quanto o último, pelas circunstâncias. Esses dias em falta de atacantes do profissional estão nos tirando chances de encaminhar tudo ainda esse ano.

    Parpito 2×1 pra gente, gols de Fabrício e Lucas Lima.