Abel analisa jogo contra o Flamengo e lamenta o primeiro gol sofrido: “não pode acontecer”

Palmeiras amplia sequência de vitórias sob o comando de Abel Ferreira
Reprodução

Substituições feitas no segundo tempo também foram explicadas por Abel Ferreira

O Palmeiras recebeu o Flamengo na tarde deste domingo, pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro, e perdeu a partida por 3 a 1. Em entrevista coletiva após o duelo, o técnico Abel Ferreira lamentou bastante o primeiro gol sofrido – depois de sair na frente com Wesley, aos 14 minutos da etapa inicial, o Verdão levou o empate no minuto seguinte.

“Não podemos sofrer um gol um minuto depois de termos marcado. Temos que ter mais foco e concentração, isso não pode voltar a acontecer. Temos que assumir que precisamos melhorar. Hoje cometemos erros primários, principalmente no gol de empate”, disse.

Ao ser questionado sobre o jogo, o treinador explicou em detalhes quais eram as estratégias do Palmeiras e também o que faltou para que o resultado fosse positivo.

“Planejamos ter a bola para atacar com paciência. Dudu e Veiga foram escalados para atuarem nas costas do adversário. A gente sabe que o Flamengo faz pressão alta na frente. Nós tínhamos duas formas de ganhar deles: o jogo entre as linhas para vencer a pressão de seis jogadores e também a bola em profundidade com o Rony, Wesley e, às vezes, o Piquerez. Tivemos sucesso nestas ideias no primeiro tempo, o fator determinante foi o erro no gol sofrido”, detalhou.

“No segundo tempo iniciamos bem, tivemos uma oportunidade com o Piquerez. Precisamos ter uma tranquilidade maior no último terço, para definir melhor. Foi o que faltou hoje, encontrar o nosso centroavante, o ponta do lado contrário e ter mais calma. No 2 a 1 a gente caiu bastante, principalmente animicamente”, acrescentou.

Abel explica as substituições

Abel Ferreira durante partida do Palmeiras contra o Flamengo.
Cersar Greco

As mudanças realizadas pela comissão técnica no decorrer do duelo também foram explicadas por Abel, principalmente as entradas de Gustavo Scarpa, Willian e Breno Lopes, que substituíram Raphael Veiga, Piquerez e Breno Lopes.

“As estatísticas mostram que empurramos o adversário para trás. Colocamos o Scarpa na esquerda para ele combinar com o Willian, mas o técnico adversário foi feliz em ler essas mudanças e colocar dois laterais-direitos no jogo”, contou.

“Já a saída do Wesley para a entrada do Breno foi porque estávamos conseguindo criar os espaços pela direita. Então refrescamos a equipe para continuar a pressão por ali”, finalizou.

As atenções do Palmeiras agora estão direcionadas para o jogo frente à Chapecoense. O duelo acontecerá sábado que vem na Arena Condá, às 17h.